Ultra Bistrô: Uma Experiência... Ultra!

31 de mai de 2012

Poucos lugares super caros valem o preço, não é? Eu sou da opinião de que se é extremamente caro então que seja espetacular, por favor! Além do atendimento, comida, bebida e ambientação, a experiência deve ser única. 

Por isso hoje, já devo antes dizer, com vários cifrões na frente ($$$) o Ultra Bistrô, no Hotel Ultra, é uma experiência, enfim, ULTRA.


Desde fora, vocês viram na foto anterior, dá pra adiantar que o local é um hotel boutique (bem recomendado, por sinal), com diárias a partir de $160 dólares - outro dia eu falarei dele detalhadamente. Mas hoje o dia é do Bistrô mesmo.


Nem por isso vamos passar batido pelo hall de entrada. Com sofás listrados de classe e um divã bem phyno. Posso levar pra casa?


Já no bistrô, uma decor clássica, rústico-chique-provençal. É tudo isso mesmo misturado. Luxo sem ostentação que eu amo tanto.


O slogan do hotel é ''new luxe, new life''. Aliás, esse é o tipo de lugar que por mais fotos que eu coloque, não vou conseguir demonstrar como é em si. Mas preenche o coração o seu conforto cálido e luxuoso.


Ainda que seja no pátio, que a noite tem direito a luzes natalinas para deixar a decor ainda mais bela.


Aqui um símbolo do que é realmente o lema do hotel. A vida é sim muito curta pra não ser aproveitada. Engraçado ainda o fato de eu recentemente ter tido uma aula de Teoria do Estado onde a minha idosa professora disse de surpresa : ''No sé que mundo es ese, pero las personas hoy en día viven para trabajar. Hoy, chicos, no les puedo dar clases, estoy muy cansada. Me voy a tomar algo porque la vida, ya a mi altura es corta''. E assim ela saiu da sala de aula. Uma figura. Terá ela vindo ao Ultra?


Aqui uma visão geral do restaurante. Tons clássicos e neutros completam-se harmoniosamente.


Mas nada que substitua a presença de rosas.


Sentadas a mesa, nos foi servido um creme bem cítrico...


... para acompanhar pães macios e bem temperados que fizeram o papel de entradas.


Eu fui de cordeiro assado com cebolas douradas caramelizadas, acompanhadas ainda de um arroz soltinho. O cordeiro estava super bem cozinhado, macio por dentro, tinha uma crosta grossinha por fora, e bem suculento. As cebolas estavam super bem temperadas, e o arroz sem erros. 


Naiara foi de massa e pediu uma recheada com ricota e acompanhada de  tomates concasse. Ela disse que estava uma delícia, com as pontas bem al dente.


Nos servimos ainda de uma limonada, naturalmente linda e deliciosa que dispensou a necessidade de agregar açúcar.


E ainda encerramos com um crumble de maçã charmosíssimo e gostoso, acompanhado de uma bola de sorvete de creme. Pra não botar defeito nenhum


Ultra é adjetivo superlativo de além de, por em cima de, extremo, radical, fora do normal, extra. Ultra. Recomendadíssimo.

Ultra Bistrô
www.hotelultra.com
www.facebook.com/HotelUltraBarBistro
Gorriti 4929. Palermo Soho, Buenos Aires.
Preço médio por pessoa: $200 pesos.

Restaurantes Italianos Pra Ninguém Botar Defeito

30 de mai de 2012

Eu AMO, AMO, AMO, comida italiana. É a minha preferida sem sombra de dúvidas! Aqui em Buenos sempre que me chamam pra sair eu cruzo os dedinhos pra que seja em alguma cantina (babando). Anyway, se tô triste, tô alegre, tô deprê, whatever eu sempre corro pra algum restaurante, porque massa é VIDA! Vou listar uns sete aqui na capital, ok?

Guido's: o clássico autêntico
Eu adoro esse nome, poderia repetir mil vezes na cabeça (a louca hahaha). Enfim, eu acho que o Guido's tem a real definição de uma cantinazinha italiana e ainda é um super clássico aqui. Tem a versão bar que é mais descontraída e tem a versão romantiquinha, ambos em Palermo Botânico. Na boa, vai no que tiver lugar que não tem erro. Mas anotem: a versão bar é realmente o que era o Guido's antigamente, uma borracharia (eles ainda mantem o banheiro com fotos de mulheres peladonas e um peculiar menu). Já a onda no restaurante é mais tranquila e menos agressiva, digamos.
Eu sempre peço risotto de ervas lá que MEODEOS! Aliás, no Guido's Restaurant eles servem um trago na entrada e eles tem tortas da Scarlett pra sobremesa (lembram daquele cheesecake mara que eu coloquei aqui?), não tem perfeição maior. Deus no céu, Guido's + Scarlets na terra. Preço honesto e você sai de lá querendo voltar.
O bar fica Repulica de la India 2843 e o restaurante na Cerviño 3943.
Preço aproximado por pessoa: $170.
www.facebook.com/Guidos


Parolaccia & Sottovoce: Tradicionais Para Ir Em Família
Esses são básicos. E com várias filiais (Palermo, Recoleta, Puerto Madero, etc). Raramente você pede algo lá que é ruim. No Parolaccia eu sempre vou de Agnolotti alla Napoletana (tô salivando aqui), com ricota, presunto, tomate, parmesão e mussa gratinada. E ainda TEM-QUE pedir lá o Volcán de Chocolate (eu juro que é um dos mais gostosos de Bue). O Sottovoce segue a mesma linha, mas é um pouco mais caro que a Parolaccia. Lá eu mega indico o Rótolo alla Bolognese: massa recheada com carnezinha, espinafres e molho branco, com creme, tomate e queijo. Amo muito! Entrem nos links para vocês verem as filiais mais perto de onde vocês vão ficar. Preços aproximados: 200 pesos por pessoa.
www.sottovoce.com.arwww.facebook.com/LaParolaccia


Salgado: A Delícia Sem Frescura
Sabe aquele restaurante bem simples, sem frescura e com cara de comida boa? Então, esse é o Salgado. O local é bem interessante, com preço excelente, e super amado por vários brasileiros e argentinos que eu conheço aqui (eu junto claro). Da última vez que eu fui lá, pedi ravióli de carne assada com cogumelos. Uma gostosura que só. E ainda pedimos umas almôndegas antes, super suculentas. Pra ver como foi a experiência inteira, acessa aqui! Senão corre pra comer mesmo. Fica na Villa Crespo, rua Ramirez de Velazco 401. Preço aproximado: $120 por pessoa.


Il Ballo del Mattone: A Little Italy
Por ambientação é o mais legal de Buenos. É tudo tão bem decorado lá que dá vontade de ir só pra se sentir na Itália, eu juro. Mas a comida também é boa. Acho que o Ballo vai bem pra quem está afim, além de comer bem, de tomar algo e ir num lugar moderninho. Fica no burburinho de Palermo então, já viu né... Eu comi pizza napolitana semana passada lá e olha, gostei. Aliás, veja aqui o post inteiro. Também provei uma vez o ñoque deles (não sei porque, mas ñoque é minha perdição) e achei uma delícia. Sobremesa? Tiramissú, claro! Fica em Palermo Hollywood, na Gorriti 5737 e 5934. Preço médio por pessoa: $120 pesos. www.facebook.com/ilballo.delmattone


Doppio Zero: Só Para Real Amantes da Comida Italiana
Olha, não sei,  mas eu acho que o Doppio, na minha modesta opinião, é o melhor de Buenos. Fica em Belgrano e por ser meu antigo bairro eu fui umas vezes. A atenção é incrivelmente boa e nada, eu disse, nada deixa a desejar (a não ser pelo tempo de preparação dos pratos). É carinho, mas eu acho que vale a pena. Voltaria lá todo finde se desse ($$$). E ainda tem lugar pra 20 pessoas só, puro charme. Pra pedir? Tem uma massa lá com roast beef que é a utopia da culinária italiana. As sobremesas também são de outro mundo, tipo a de maracujá OH-MY-GOD. Fica na Soldado de la Independencia 1238. Preço médio por pessoa: $250. www.facebook.com/DoppioZero


Broccolino: o mais procurado por turistas
Um dos mais procurados pelos turistas que vem à Buenos Aires, o Broccolino é inspirado em cantinas italianos de Nova Iorque. Decor típica, pratos abundantes e a certeza de que você vai sair de lá pronto para dormir. O pessoal do Destemperados foi e nem conseguiram comer a sobremes, dá uma olhada aqui. Em pleno Centro na Esmeralda 776 - www.broccolino.com. Média de 160 pesos por pessoa.

Cucina Paradiso: de chef famoso e bairro delícia
Eu cheguei a comentar do Cucina num post que eu fiz sobre o bairro de Nunez. O restaurante é dos mais lindos e é de um chef super famoso aqui, o Donato. Algumas vezes acho que o preço por lá é meio exorbitante, mas acho que vale pela experiência toda. Não é esses italianos antigões sabe? É bem lindo (:
Castañeda 1873 - www.facebook.com/CucinaParadiso. Preço médio de 180 por pessoa.

Fome?

Café de los Angelitos: Renovando o Tango!

29 de mai de 2012

E olha só quem aparece por aqui hoje, tango! Palmas pra mim. Eu sei que não coloquei nenhum ainda e que, vou ser sincera, nunca fui fã de pagar horrores pra ver umas trocadas de pernas, mas devo admitir que me apaixonei pelo último que fui. E agora vou relatar pra vocês o show de tango mais legal que eu já vi aqui em Buenos, mas vou contar de uma forma bem relaxada, espontânea e informal que é pra deixar o tango menos carrancudo e dramático. Café de los Angelitos!

Pra começo de conversa tudo saiu perfeitamente bem com os meninos do BsAs4U, agência de atividades turísticas aqui que faz reservas pela internet e você paga tudo por lá sem a menor burocracia, um amor! E ainda atendem em português, com brasileiro é ÓBVIO! Anyway, o escolhido, porque o nome era fofo foi o Café de los Angelitos. Eu achei muito girlie *-* E gente olha que CÉU essa imagem aí embaixo: idade de ouro argentina? Coisa mais LIIINDA!


Eu amei, amei de paixão essa ambientação aqui! Vocês não tem ideia. O local ainda não é tão grande então fica confortável, um charme. Muito enredado dourado, tons en azul claro porque é 'angelitos' né. E aiii, suspirei.


A montagem da mesa também era um charme a parte. Tudo bem arrumadinho, colocadinho no mínimos detalhes. Eu amei até o pano de mesa, super clássico.


Rosa vermelha, tão presente nos tangos porteños.


Outra coisa que eu devo destacar é a comida. Eu achei que não fosse curtir muito, mas ó... Sem comentários!


Você chega e escolhe já os 3 pratos que vai comer durante o jantar: entrada, principal e sobremesa. E ainda vinho tinto ou branco a vontade (coisa boooooa!). Eu pedi essa tortinha de tomates com cebola e queijo de cabra. A massa era meio folhada, pirei.


O Anderson, um dos companheiros do tango, foi de verduras refogadas no azeite com presunto de Parma.


E o Ruben, outro companheiro de tango, foi de couscous e vegetais assados com azeite balsâmico e ervas!


Para o prato principal os meninos foram de bondiola de cerdo com verdes e batatas rústicas, bem argentino.


E eu fui de salmão com molho azedinho e batatas. Amei, amei!


E pra sobremesa, todos, nos rendemos ao cheesecake de doce de leite com caldinho de chocolate por cima. Olha eu não pedi outro porque fiquei com vergonha!


Cafézinho bem refinado pra encerrar a comilança porque o show já começava.


É legal dizer, antes de mais nada, que o show daqui é bem diferente. A produção ganhou um prêmio de melhor figurino pelas roupas e eu devo dizer que elas eram maravilhosas! Outra coisa: a casa é pequena, dá um ar de exclusividade, sabe? Se eu pudesse definir o show em uma palavra seria: original.


Original mas com toques clássicos, óbvio. Aquele sentimento melancólico que pairava em diversas músicas, aqueles olhares 43 entre os dançarinos (oeeeee eu vi!), uma coisa meio que 'quero te ter e não posso'. Ah, dica: não vá a um show de tango quando você está na deprê, ok? Não quero ser culpada de que uma brasileira invadiu o palco pra agarrar um dos dançarinos, lindos, do show.


Eye contact foi o que mais rolou, já disse. Eu acho ainda que todos os pares são casais na vida real, não pode ser, hehe, brincadeira. E olha quando eu falo que os dançarinos são lindos eu não estou mentindo, viu? É que tem aquela coisa de sedução no tango e de drama que nenhuma outra dança tem. Os homens são lindos, mas nem vou comentar os músculos das dançarinas porque né... Deixa quieto.


Aqui a banda, porque se não fosse por ela não tinha show. O drama e a exageração argentina se vê MUITO refletida nesses senhores da boa música. Contra baixo, violão, violino, piano e bandoneon (não se se escreve assim em português, help!). Eu sempre ficava hipnotizada nos olhos do violinista quando tocava, ele sofria tanto... Dica: não vá a show de tango quando você estiver deprê. Ah, já tinha dito isso né? Next.


More drama, drama, drama. Apesar do show ser moderno, teve altos momentos clássicos, viu?


O show, como eu disse é original, e ainda em alguns momentos teve um 'que' teatral...


Ainda rolou músiquinha da Favorita, lembram? Música da Pantera Cor de Rosa na versão tango. E clássicos cantados, como 'Por Una Cabeza', de Gardel, que dá um aperto no coração só de ouvir né? Por una cabeza, todas las locuras. Su boca que besa, borra la tristeza, calma la amargura.'' E 'Balada Para Mi Muerte' de Piazzolla.


É você sai de lá querendo dançar tango com todo mundo, e principalmente, entendendo a intensidade com a que os argentinos vivem! Acho que tem um trecho de Balada de Mi Muerte que descreve bem eles:

''Moriré en Buenos Aires, será de madrugada, guardaré mansamente las cosas de vivir, mi pequeña poesía de dioses (...) Me pondré por los hombros, de abrigo, toda el alba, mi penúltimo whisky quedará sin beber, llegará, tangamente, mi muerte enamorada, yo estaré muerto, en punto, cuando sean las seis...''. 

Só o show sai US$ 90, com jantar US$ 130. Com comilança dura aproximadamente 4 horas a atividade e tem translado desde os hotéis também. Para reservar, ver outros shows ou outras atividades, acessem o BsAs4U!

The Pick Market: Mercadinho Gourmet

28 de mai de 2012

Quem já veio à Buenos Aires sabe que a famosa inteligência dos taxistas porteños é real; seja para servir de táxi gourmet ou explicar porque Perón é tão querido por essas bandas. Foi numa dessas charlas que me ensinaram a razão pela qual o bairro da Recoleta é tão nobre. Um sábio motorista me disse uma vez que no começo do século XIX houve uma epidemia de febre amarela na zona provinciana de Buenos Aires, na qual ricaços moradores abandonaram suas humildes casas para embelezar as ruas Alvear, Libertad, Quintana, etc. Hoje o bairro da Recoleta reflete, além de bela arquitetura francesa, detalhes de vizinhos que dividem seu lar com embaixadas, consulados e lojas de marcas famosas. E foi numa dessas caminhadas, observando como a modernidade não abala, literalmente, as influencias européias do bairro que encontrei o The Pick Market.


De cara achei que aquele toldinho listrado, as lousas pra fora e o nome simples, mas com gourmet no meio, fossem mais uma pegadinha da tendência foodie que se instalou na cidade. Segundo a teoria pra que um lugar seja trend deve ter autor ou boutique no nome, teoria essa que eu mesma inventei. Mas enfim. Mentira, fail. E vou explicar porque não era uma balela.


''Ahh quero ter um mercadinho desse na esquina de casa''. Foi a primeira coisa que pensei quando vi a bagunça organizada do local. Eram caixas de frutas coloridas misturadas, lousas explicativas, mini barris com cervejas, vinhos, enlatados...

A bancada bem disposta da atenção pras cores chamativas. Uma visão geral do mercadinho, que, cá entre nós, é válido de plágio. 


Até junk food americana tem sua vez por lá.


E ainda não acabou. Simpáticos carrinhos de madeira e sacolas personalizadas cumprem a função de auxiliadores de compras. Juro que deu vontade de comprar uma alface só pra poder usar aquele mimo de rodinhas.


Agora estamos a caminho da parte separada para comes e bebes. Aqui impera o sossego, a música ambiente e a simpatia da garçonete. Mesinhas simples decoram o ambiente, sem muita frescura.


Repara só nessa geladeira baixinha, gorduchinha e redondinha anos 50 escondida num canto, que, acreditem não serve só para decoração. Ao lado uma senhora poltrona pra acompanhar o design do ambiente.


Com um menu simples, mas aparentemente delicioso pelos vários tipos de lanche, eu optei mesmo pelo queijinho cortado na hora com torradas frescas.


Um Malbec da casa, bem argentina.


Torradas com requeijão. 


E um café com leite no ponto.


Mais que satisfeita com a descoberta eu estaria mentindo se dissesse que não voltaria lá para provar o resto do cardápio. É um ótimo local não só pra quem mora em Buenos, mas pra quando você estiver dando uma voltinha pela Recoleta e quiser beliscar algo.

The Pick Market 
www.thepickmarket.com.ar
www.facebook.com/The-Pick-Market
Libertad, 1212. Recoleta.
Demaria 4527.
Preço médio para um café a tarde com comidinha: $50 por pessoa.
SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .