Não tem praia, vamos para a praça!

31 de out de 2012

Comentei esses dias no facebook do blog que eu estava tomando sol na praça. E antes que vocês me chamem de louca, saibam que aqui em Buenos Aires (assim como em NYC) é MUITO comum, belê? Povo não está nem aí se você vai de biquíni pra praça.

Logo, vou listar uns lugares que eu curto tomar sol. Ainda que eu não vá de traje de banho completo me arrisco a por a parte de cima do biquíni e um shorts bonitinho.

Na grama da Rosa Mecânica
Sim, ali na Recoleta, GERAL toma sol. Uma das partes que eu mais curto é o verde que tem na base da rosa mecânica, acho demais. Melhor que nem sempre está cheio e o local é uma tranquilidade só. Rola levar uma toalha e botar pra queimar.

Fotinha da era In Spirits.

Atravessando a Plaza Francia
Ainda na Recoleta outro lugar que é típico pra um dia de sol é logo atravessando a Plaza Francia (onde tem a feirinha dos finais de semana) tem uma ''bancada'' verde do outro lado da rua. Ali é uma delícia deitar sob a grama e pairar o dia inteiro, e ainda tem várias árvores para uma sombra, uma delícia. Rola levar mate pra hidratar. Ah mate é quente, rola terere, mate com suco geladinho.

Rosedal do lado Libertador
Outra dica legal é o parque 3 de Febrero, onde tem o Rosedal. Como o parque LOTA aos finais de semana, melhor coisa é ficar na área que ''borda'' a Avenida del Libertador. Por ali é tudo mais calmo, e nem invente em ficaar com vergonha porque tem carro passando na avenida. Povo aqui está tão acostumado com isso que não vai ser um frenesi o fato de você estar de biquíni no parque, já disse isso. Rola levar água, muita água, pra matar a sede.


Costanera Sur no meio dos Prédios
Atrás de Puerto Madero tem a Costanera Sur. Um lugar que eu curto ficar estirada no sol são nas praças que tem no meio da avenida lá de trás. Na real não tem como explicar muito bem, mas vai lá pra ver. São praças deliciosas no meio dos prédios futuristas que tem por ali. Não tem como não achar. Rola comprar água de maçã geladinha do Starbucks que tem ali perto.

Na ''areia'' do Peru Beach e/ ou El Molino
Ok, não preciso falar o quanto eu AMO Acassuso, já disse que se eu pudesse ($$$) moraria lá também. Enfim, tanto o Peru Beach quanto o El Molino são lugares MARA para tomar sol e curtir a ventania do Rio de la Plata. Vai por mim que não tem erro. Rola pedir Clericot e colocar um Rayban pra ficar com cara de ryca.

Fotinha da era In Spirits.

Quero ver todo mundo da cor do pecado!

Buenos Aires Colorida: Saídas Gays

30 de out de 2012

Bue é super democrática e nisso vamos tirar o chapéu para a cidade: uma das poucas que tem legalizado por lei o casamento gay. Por isso a quantidade de gente que vem pra cá casar e aproveitar o que a cidade tem a oferecer é imensa! Logo, resolvi bolar um post especial. Uhuuuuuu eu tenho muitos amigos e amigas gays que me ajudaram (thanks guys), e posso dizer que esse post aqui não é só dedicado a eles, mas a todos que querem pasarla super bien, porque ô galera que tem diversão garantida viu!

Axel
O hotel mais famosão da categoria. O local é tão gay que se diz heterofriendly. Eu já fui lá e posso dizer que é LYNDO de morrer. De verdade, super moderno, com uma decor maravilhosa. O boom ali mesmo é a área da piscina onde rolam as pool parties de vez em quando. Aliás vale dizer que os quartos que ficam embaixo da piscina tem teto de vidro. Ótimo bar e restaurante também. Venezuela 649 (San Telmo) - www.axelhotels.com/buenosaires.

Foto: Reprodução.

Baladas

- Amerika: é a mais gay das baladas, super clássica e a maior também (entram, brincando, 1500 pessoas). Mas há quem diz que já foi melhor, é SUPER WILD o negócio lá. Por ser a mais famosa tá aqui no blog. Gascon 1040 (Almagro) - www.ameri-k.com.ar.

- Glam: deve ser a mais lotada de todas, ou é porque o local é meio pequeno. Por ali galera entre 20 e 30 anos toma o lugar, música super divertida e entrada com direito a um drink. Dá bastante gringo também pela localização. Cabrera 3046 (Palermo Soho) - www.glambsas.com.ar.

- The Sub: comum e corrente é mais tranquila que as demais. Cordoba 543 (Centro) - www.thesub.com.ar.

- Palácio Alsina: é a mais divertida. As festas gays que rolam no Alsina são sensacionais! Pra dançar a vontade sem se preocupar com o amanhã. As músicas são excelentes e não tem erro. Essas parties rolam sempre duas vezes por  mês e, na boa, TEM QUE ir. Lugar lindo, povo de 20 a 40 anos e fica ligado no facebook deles porque eles avisam quando é a próxima. Alsina 940 (San Telmo).

Palácio Alsina. Foto: Reprodução.

- Human: mais para homens, a Human é conhecida por só ter cara gato. Av. Costanera Norte y Av. Sarmiento - www.humanclub.com.ar.

- Club 69: outro local que está ficando clássico também. É o preferido dos meus amigos que dizem que a azaração rola a solta por lá e as músicas são excelentes. A festa é sempre organizada no Niceto. Niceto Vega 5510 (Palermo Hollywood) - www.club69.com.ar.

Club 69. Foto: Reprodução.

- Rheo: é a festa gay da Crobar, mais música eletrônica, mais para homens também. Marcelino Freyre S/N, Arco 17 (Palermo Botanico) - www.rheo.com.ar.

- María: só para chicas, faz a linha normal. Balcarce 563 (San Telmo) - www.facebook.com/MariaDisco.

Bares e Restaurantes

- Bach: meio clássico já, é mais frequentado por mulheres. Já existe há bastante tempo. Cabrera 4390 - www.bach-bar.com.ar.

- Casa Brandon: é meio que um centro cultural gay. Não sei explicar muito bem, mas além das festas que rolam por lá, o local também promove debates sobre sexualidade, projeta filmes e palestras e mais um monte de coisa. Luis María Drago 236 (Villa Crespo) - www.brandongayday.com.ar.

Brandon. Foto: Reprodução.

- Pride Café: tem um em San Telmo e outro em Palermo Hollywood. Um dos poucos lugares gays que abrem durante o dia. Perfeito pra quem está turistando. Balcarce 869 (San Telmo) e Humboldt 1897 (Palermo Hollywood). 

Pride Café. Foto: Reprodução.

É isso galerê, se alguém tiver mais dicas não se acanhe e comenta aí embaixo pufavô!

Chusmeando: Chicas Casadas com Gringos

29 de out de 2012

Esse final de semana coloquei no facebook do blog (curte aí!) que a lindona da Luisana Lopilato, atriz e modelo argentina, é casada com o fofo e lindão do Michael Bublé, cantor ótemo canadense. Pensando nisso achei cool colocar aqui umas argentinas que botaram pra quebrar e arrasaram corações gringos por aê.

O casal mais fofo de todos: Luisana Lopilato e Michael Bublé
OMG óbvio que vamos começar com eles. A Luisana é linda de morrer e é famosa aqui na Argentina também. Tudo começou quando ela foi ver um show do Michael no Teatro Gran Rex aqui em Buenos e foi amor à primeira vista: ele chamou ela pro camarim e depois pra sair, e depois pra jantar e rolou, estão juntos até hoje. O casamento foi uma phynesse só: festança aqui na capital e no Canadá pra família dele. Tem como não amar?

Foto: Reprodução.

O mais estável:  Luciana Bazon e Matt Damon
Juntos há bastante tempo, a Luciana ganhou o coração do Matt Damon e hoje já tem 4 filhas com ele. Mas o MAIS legal mesmo nessa história foi como eles se conheceram, puro conto de fadas: ela era garçonete em um bar e ele estava nesse bar. Como começou a ser assediado dentro do local, o Matt se escondeu atrás da barra de bebidas. A Luciana, então, não entendendo nada pegou e falou ''O que você está fazendo aqui se não é funcionário?''. E fim da história.

Foto: Reprodução.

O mais famosão: Máxima Zorreguieta e Guillermo de Orange
Essa foi esperta ahaha, pegou logo o príncipe dos Países Baixos. Reza a lenda que ela trabalhava num banco e em uma feira foi apresentada ao príncipe, que disse que se chamava ''William''. Ela que não o reconheceu, levou na brincadeira quando ele disse que era príncipe. Encantado com a simplicidade da moça, ele a chamou para sair e hoje fazem o casal de primeira linhagem pela sucessão ao trono. Lyndos.

Foto: Reprodução.

O mais atrevido: Francesca e James Hetfield
Aqui o mais importante nem é destacar como eles se conheceram: ela era maquiadora da turma do Metallica. E sim como eles vivem juntos ainda depois de tudo: a chica aguentou firme os problemas de drogas do cantor e ainda ficou com ele. Força total.

Foto: Reprodução.

Lindonas. Ah, chusmeando significa: fofocando.

Explicando o Buenos Aires Para Chicas

Hoje meio que me deu a louca e resolvi deixar algumas coisas claras sobre blog. Não só para explicar a minha posição frente a alguns comentários e e-mails que eu recebo, mas também para que vocês possam saber como o blog funciona e pra que ele existe.

- Sobre os lugares que eu posto: sério, se está aqui é porque, no mínimo, eu curti o local. Vão haver sim alguns lugares que eu vou colocar e que vou falar mal porque não curti, mas como vocês sabem e leem o blog, esses locais não são maioria. Ok? Não tem merchandising aqui, ninguém me paga para comer e postar. Sim, algumas casas me convidam para ir até o restô e provar (ou bar, ou loja), mas eu deixo claro que corre-se o risco de eu não curtir e, então, não postar porque não seria sincero. E ainda assim quando o lugar me convida para ir e eu posto no blog eu digo que fui convidada.

- Sobre os lugares que vocês sugerem que eu vá: eu adoro quando rola uma sugestão, curto mesmo! Mas entendam que o blog não tem lucro (o máximo que eu consigo são algumas coisinhas grátis), mas tudo o que eu faço é porque eu fui e paguei. E ainda assim o blog ainda não me rende lucro financeiro. Isso quer dizer que alguns locais não entram no orçamento mensal que eu deixo pro blog porque simplesmente nesse momento não há condições de fazer a pauta. Dale? Mas #ficaadica pro próximo cronograma.

- Sobre os e-mails: vocês sabem que eu respondo TUDO. As vezes demora, claro, porque eu não fico o dia inteiro na função do blog (o que seria muito legal). Eu trabalho, tenho vida e outras responsabilidades. Por isso pufavô, paciência se eu não respondo na hora. Ok? Já aconteceu de gente descurtir o blog no facebook porque eu demorei dois dias para retornar a resposta. Calmaê né!

- Sobre os comentários: eu também respondo os comentários mas sempre demora um pouco. Agora, o que eu não vou mais aceitar a partir desse momento são comentários maldosos. Se são de opinião ÓBVIO que são publicados, mas não vou mais aceitar gente que é grossa comigo ou que me xinga, isso é falta de respeito.

- Porque eu faço o blog: porque eu adoro a cidade, vocês já sabem, e porque eu acho demais poder compartilhar meu dia a dia com vocês. O blog é super pessoal, são MINHAS opiniões e assim como tudo na vida, cada um tem a sua. Não é porque eu não curti um local que você tem que deixar de ir se sente vontade de conhecer, ninguém é igual people. E outra, cada pessoa tem uma experiência diferente na cidade. Vamos ser mais flexíveis.

- Sobre perguntas: tem gente que eu sinto que tem medo de me perguntar porque eu não curto pergunta repetida, ahaha. Meninas, eu respondo numa boa, mas mesmo por uma questão de tempo é muito mais fácil procurar o post aqui no blog. Eu já fiz em torno de 160 posts, então, é muito difícil que a sua pergunta já não esteja respondida aqui no blog. Pra isso do lado esquerdo tem duas listas: uma com guia geral por tema, e outra por bairro. Ok?
E ainda assim se você não achar, tem uma caixinha de busca do lado direito. Nesse caixinha você pode digitar uma palavra chave sobre o tema que está procurando que vão sair todos os posts com essa palavra.
Exemplo: levo dólares ou pesos a Buenos Aires? Na caixinha de pesquisa você pode digitar ''dólares'' e vão aparecer em cima do post todos os links que citam dólares no blog. E então, você pode ler o post relacionado.

Bueno, repito: o blog é ainda meu hobby, não trabalho. Portanto entendam que enquanto ele não for meu trabalho as coisas vão ser um pouquinho mais demoradas e lentinhas, ok? Agora vocês podem perguntar o que for aí embaixo ahahaha.

Aiii o Rosedal!

26 de out de 2012

Se tem um lugar que eu sempre adorei em Buenos Aires é o Rosedal. Além de ser mega romântico, frufru e mimi, é a melhor maneira de dizer que a cidade é impecável na primavera. Fica dentro da enorme área do Parque Três de Febrero e é grátis para entrar.


O parque tem mais de 18.000 rosas e é patrimônio da cidade, por lei. Ali dentro a sensação é de que o mundo pára e só se escuta o barulho dos pássaros e das fontes que jorram água.


Nem precisa muito descrever pra sentir que o Rosedal é um dos lugares mais lindo da cidade, né?

Rosedal
Avenida Adolfo Berro entre Avenidas Sarmiento e Casares

Despretensioso e Gostoso: Salgado Alimentos

25 de out de 2012

Confesso, há poucos lugares em Buenos Aires que seguem a linha BBB - bom, bonito e barato. Agora há sim alguns BB - bom e barato. Alguns eu já mostrei aqui: Sarkis, La Crespo, Il Ballo del Mattone, Museu Evita são opções legais e em conta. Outro local dessa lista é o ''passei e não vi'' Salgado Alimentos.


Com uma fachada bem meh e super não tem ninguém, esse restaurante é prá lá de cobiçado por moradores da redondeza, famílias e, agora, tão pintando estrangeiros que sabem que aqui a comida é boa e em conta.


Com uma decor sem decor, a casa tem azulejos azuis do banheiro da vó e lousas perdidas pelo salão com o menu do dia. Eu adoro a desorganização e simplicidade deles.


Ah! Sem falar naquele menu ali do fundo típico de pizzaria do centro que você vai e come no balcão.


Mas dá pra começar a chorar pelo Salgado com os mini pães frescos e pasta de abóboras da entrada. Simples e gostoso, perfeito pra abrir o apetite.


Tradição da casa: almôndegas caseirinhas, suculentas e macias.


O primeiro pedido foi ravióli de carne assada e cogumelos. CHORA.


E o segundos, sorrentinos de massa preta com salmão e camarão. OI?


Afff, deu pra entender? Morre não. O cardápio deles é tão diferente e variado que é complicado escolher, mas vai por mim: qualquer coisa é boa.


Eu se fosse você, pagava para ver!

Salgado Alimentos
Ramirez de Velasco 401. Villa Crespo. 
Preço médio por pessoa com vinho: 80 pesos.


Toma lá, dá cá!
www.inspirits.com.br

Ida e Volta: Ezeiza e Aeroparque

24 de out de 2012

Post de utilidade pública. Quem nunca se indagou como ir e voltar dos principais aeroportos da capital? Vou te ajudar a escolher a melhor opção possível.

Via Ezeiza
Esse aero é bom e não é. É porque é lindo, grande e suuuper moderno. Além de ter um BELO dutty free na volta ao Brasil (tem VicSecrets, MAC, açougue, Dior, Armani, é enorme, sério mesmo). Mas é longe da Capital, talvez chegando por aqui a passagem é mais em conta, mas a diferença você gasta no transporte até o hotel. Tem vários stands de táxis por lá, vou indicar dois que eu confio e já usei e outras 2 maneiras econômicas (que eu já usei) para ir e voltar, dale?

Foto: Reprodução

Taxi Ezeiza
www.taxiezeiza.com.ar
É o oficial do aero digamos assim. Ainda que os táxis sejam caros, o Ezeiza é mais um deles, portanto não pense que é o mais caro, ok? Do aero até o Centro saí em torno de 200 pesos, no máximo 220. Agora se você quer voltar a Ezeiza, o táxi sai por 160 pesos, cool, né.

Transfer Express
É uma bela empresa de remis. Todos os táxis são novinhos e cheirosos e os taxistas são de bela confiança. Eu peguei eles em janeiro e paguei 180 pesos do Aero até Palermo. Recomendo. Mais info aqui.

Foto: Reprodução

Manuel Tienda León
www.tiendaleon.com.ar
Empresa que se dedica a levar e trazer gente dos aeros da cidade. Tem várias modalidades de trans. Uma delas é o bus que sai 70 pesos de Ezeiza até Retiro (estação de ônibus) e daqui você tem que pegar um bus ou um táxi até o hotel, e senão 80 pesos até o Aeroparque (e mais outro bus e táxi até seu hotel). Os ônibus são confortáveis e limpinhos. Você desembarca e antes de sair pela porta tem um stand deles. É só comprar ali e sair pelo aero em direção a parada do Manuel Tienda que o mapa indica.
Agora essa empresa tem outras duas opções de transfer que é a Combi e o táxi. Nenhum deles eu indico pelo preço, o táxi sai 270 pesos, muito caro, e pra isso tem outras empresas também confiáveis e mais baratas para usar.

Aerobus Ezeiza
www.aerobusezeiza.com.ar
Opção mais barata ainda é essa van que sai de San Telmo em direção a Ezeiza. Com frequências de meia em meia hora, nem precisa reservar, é só chegar no local e entrar na van. Eu usei e curti. Vale dizer que essa van é mais usada para pessoas que trabalham em Ezeiza, portanto, não é só usada para turistas, e sim para o público em geral que não necessariamente está viajando. Sai 24 pesos a passagem sem mala, 45 pesos com uma mala e 62 com duas malas. Super em conta. O único problema é que essa van só funciona durante semana.

Bus de Linha: 8
Agora mais barato que qualquer outra opção é ir com a linha 8 de ônibus comum e corrente que passa pela Plaza de Mayo.

Via Aeroparque
Esse aero tem uma bela vantagem que é de estar já em Buenos Aires. Mas não é muito grande, tem pouquíssimas opções de comida e badaluques no free shop, mas em compensação, sempre é mais rápida a imigração por aqui.

Foto: Reprodução

Táxi:
Por já estar na cidade o táxi normal é a sua melhor opção. São vários, é só sair do aero e ir para a parada que vai estar cheio deles. Um táxi até o Centro, exemplo, sai uns 40 pesos.

Bus de Linha:
Outra opção é abusar dos ônibus que passam por lá.
160 e 37: chegam até a Plaza Italia.
33 e 45: chegam até Retiro e Microcentro.

Dica I: Vocês podem ver esse site aqui que é uma mão na roda, ele te diz de onde você tem que sair pra onde tem que ir e etc: www.mapa.buenosaires.gob.ar
Dica II: Na cidade vale comprar o GuiaT em qualquer banca de jornal, é multiuso!
Dica III: Site de ajuda pública para Aeros em Bue, www.aa2000.com.ar

Besooo!

Lugares Para Não Ir, Prontofalei

23 de out de 2012

Da série coisas que você não deveria fazer. Tem alguns locais que não entendo porque mas ficam tão famosos, sem explicação justa, que eu fico até boba. Hahah, aqui alguns deles para você fugir, ou não. Ah, vale lembrar que tem também um post parecido com ciladas que não podem ser cometidas, depois dá uma olhada aqui.

Siga La Vaca
Me perdoem os amantes do Siga la Vaca, mas GENTE, tem TANTA parrilla pra ir e você vai na mais bombada turista de todas? Eles nem tem carne tão boa assim, peloamor! Paga-se caro e come-se mal. Prontofalei! Fuja, tem outras parrilas que eu amo aqui.

Pizzas Cafés
Foto: Reprodução
Bue tem vários restaurantes que são chamados ''pizzas cafés'' que são restôs grandes e enormes que servem de tudo. Na real eles mesmo se entitulam de pizza café, fuja. O preço nunca é honesto e a comida não é boa.

Zoo Palermo
A não ser que você esteja com pequenos e queira um passeio diferente para animá-los, não vá ao Zoo de Palermo. Eu até comentei sobre ele semana passada no blog (veja aqui), dizendo que não tem muito bicho. Acho que num geral não vale a parada.

Luján, La Plata e Etc
Primeiro conheça Buenos Aires e depois se meta a conhecer a cidades ao redor, dale? Mesmo porque vale lembrar que as cidades do interior e Grande Buenos Aires (fora as cidadezinhas do Norte) não são muito legais e não são muito desenvolvidas. Luján vale conhecer se você for ao Zoo, mas se deslocar para ir até lá só para conhecer a cidade, não vale a pena, o mesmo vale para La Plata.

Foto: Reprodução

Once & Avellaneda
Destino de compras por atacado, não vale muito a pena ir não. Não é um Brás ou uma 25 de Março em SP. Das vezes que eu fui ao Once não achei nada de interessante e aos finais de semana, quando dá para comprar a varejo, tem tanta gente que eu passei mais nervoso que cacei roupas. O bairro não é legal, assim como Avellaneda e é melhor você ir primeiro aos outlets da Villa Crespo, já falei sobre eles aqui.


Tigre
Muita gente vai a Tigre, eu acho até legal, mas não. Isso é: não é tão legal como todo mundo diz que é. A cidade está meio sujinha, abarrotada de gente e os passeios pelo delta de Tigre podem ser melhor feitos pelo Rio de la Plata, saindo de Puerto Madero.

Bom, essas são minhas opiniões, ok? Eu  também não curto visita ao Cemitério da Recoleta, acho mórbido demais hehe, massss...
E ah, não sou fã também de shows de tango à la Broadway, 
acho uma exploração os preços.

Sobrevivendo no Restaurante

22 de out de 2012

ELAIÁ, eu tenho certeza que esse post vai dar polêmica, mas eu tenho QUE falar. Eu sei que a galera que vem pra cá reclama geral do atendimento (ou mal atendimento) dos estabelecimentos porteños. Seja em restô como o título do post sugere, ou em loja, serviços em geral. Enfim, esse post vai te ajudar a manter a calma quando um mané vier ser mal educado contigo.

Primeiro e antes de mais nada: é MUITO raro ser bem bem bem atendida. 
Ainda que os garçons aqui cobrem gorjeta sobre o serviço (é quase obrigação deixar 10%) eles não se esforçam muito para te mimar. Diferente, claro, do Brasil que na maioria dos locais eles quase comem por você hehehe. Bueno, sendo assim, saiba que se o cara te cumprimenta, sorri e é no mínimo gentil, você tirou a sorte grande.

Os donos da Cupacke Store são divinos!

Segundo: controle-se na medida certa! 
Ainda que não seja nada legal e agradável rodar a baiana quando fulano grita contigo, não se minimize a ser cordial e educada e fina. Ok, pode ser. Mas estou dizendo isso porque argentino é assim, se ele grita e você grita logo em seguida, ele abaixa o tom na hora.

É cultural, terceiro ponto...
Sim, é cultural também isso dos caras não darem muita bola. Quem já foi à Europa sabe que lá também os caras não são tão mimimi frufrufru. Com a colonização italiana ao pé da letra, é muito comum também confundir o fato de eles serem mais expressivos e utilizarem mais gestos com as mãos e gritarem mais que a gente. Mas isso não quer dizer que eles sejam mal educados, são diferentes (mas claro que tem os sem educação de sempre).

Mas não posso dizer o mesmo do Farinelli :(

Na prática
Seja educada, cordial, elegante. Se o garçom te atender mal não dê bola, entenda que isso é uma característica da cultura deles e que, raramente, isso é diferente. Se você perceber que a má educação é enorme, seja mal educada também, lembre-se que, por mais que soe rude, você está pagando, você é cliente. E ainda se isso não te ajudar a manter a calma, fixa na cabeça que quem perde a razão está sempre errado - por mais correto que esteja o seu ponto de vista. Outra coisa legal também é lembrar que o motivo do cara ter um trabalho é porque tem clientes, como você é. E finalmente, a pessoa, por essas e por outras, é apenas um garçom, ok? Sei que soa chato, mas usando essa filosofia de pensamento é mais fácil ''entender'' e é mais fácil, também, de ter uma noite prazerosa. E se ainda assim o cara for insuportável, seja chataaaa também.

Agora, como sempre, não podemos generalizar. 

Guia da Cumbia: Cultural local

20 de out de 2012

Vamos dar um espaço pra música essa semana. Cumbia é cultura local e a maioria dos argentinos escutam e o Tevez dança super bem (não acredita? Vê aqui). Agora vou mostrar então o guia desse ritmo que você tem que conhecer se quiser entender a música brega-dançante local.




Na França com o Les Macarons de Paris

19 de out de 2012

Hoje resolvi ser fofa e mostrar pra vocês a loja linda que é minha vizinha. Again, uma mostra de como Buenos pode ser nossa Paris latino americana com o Les Macarons de Paris.


Vocês já conhecem minha paixão louca por tudo que é francês, mas eu confesso que sou relapsa quando falamos de macarons. Eu acho que nunca tinha provado, até então, um tão bem feito pra eu pegar amor, o tanto quanto tenho com cupcakes. Mas a lojinha veio pra me mostrar, UHUUU, que eu estava enganada. Primeiro o local, mini, mas é lindo:


A parede enfeitada com quadros que remetem a cidade luz, puro charme.


E claro vamos aos macarons. Vários sabores e eu pedi ajuda a dona que me indicou provar o de coco e o de limão.


Mas, primeiro, claro, eu fui no de chocolate. Dá pra ver como a massa é crocante, não dá? Uma delícia, meninas.


E claro depois fui no de coco.


Mas antes do veredito, ainda vou dizer que pedi um café delícia:


E um pain au chocolat que estava simplesmente maravilhoso, nada de gordurento que deixa os lábios parecendo óleo, sabe? Hehehe.


Ok, o macaron de coco é o melhor macaron que eu já provei em Buenos Aires. Melhor que o de chocolate, eu juro que parece beijinho, mas um beijinho mais gostoso que comer a mistura na panela em dias de chuva. MORRI.


Por 6 pesos cada macaron eu ainda vou pedir pra entregar em casa porque vai nessa bici lindaaaaaaaa!


Les Macarons de Paris
Segui 3545, Palermo Chico, Buenos Aires.
www.lesmacaronsdeparis.com.ar
www.facebook.com/lesmacaronsdeparis

Finalmente um post do La Cabrera

18 de out de 2012

Eu VIVO falando bem da La Cabrera, mas nunca fiz um post integral dele (fora aquele que eu cito as três parrillas que eu mais curto na cidade). Pois bem, hoje resolvi me sentar e filosofar sobre o local. Vambora.

Eu realmente não sei desde quando o La Cabrera ficou tão famosão assim. Me lembro bem de quando eu cheguei, legal mesmo era comer nas parrillas de Puerto Madero. Nada contra, aliás meu pai brinca que pra cada corte de carne tem uma parrilla especializada. Acontece que com o aumento absurdo dos preços, essas parrillas famosonas ficaram segmentadas a um público menor, vide o preço. Então galera começou a sair pra locais bons (muito bons) mas que não ostentassem tanto luxo.


Você viu essa foto aí de cima. Qualquer, qualquer horário que você vá tem gente esperando do lado de fora. Isso porque a parrilla está em 3 endereços na mesma rua numa distância de menos de um quarteirão, fora a filial Express na Villa Crespo que é novinha em folha. Ou seja, se tem fila é porque é bom logo de cara. BOBA.


Bueno, lá dentro o restô é bem moderninho. Tem coisa pendurada do teto e um quadro (foto abaixo) dos cortes de carne argentina (eu já fiz post sobre isso, vê aqui). E a luz lá dentro cria um clima bem confortável. O Cabrera mais lindo é o boutique, mas os outros levam o mesmo tom no décor e o que vale mesmo a pena é a CARNE.


Como eu disse o restô tem 3 casas, na mesma rua, de nome homônimo, Cabrera. Você chega e pede mesa, e pode ser que esvazie uma mesa em algum dos locais, dale? Mas melhor coisa para não levar chá de cadeira é reservar, não tem jeito. E não chega atrasado porque não rola aquela tolerância. 


Aí, eu aeee na foto. 


E começamos bem: salsicha parrillera. Eu não sei de dava pra amar mais o sabor (OHMYGOD) ou os infinitos molhos que vem a cada pedido. 


Dá só uma olhada nesses acompanhamentos. Chegam feito barquinho e são tantos que eu não me lembraria 100% de todos os sabores. Por isso é legal avisar que: não peça uma carne para cada um, a quantidade absurda de acompanhamentos faz com que todo mundo te aconselhe a pedir uma carne a cada duas pessoas, ok? 


Mas tinham os infaltáveis purés: abóbora (clássico de cozinha argentina), batata. Azeitonas, alho assado...


Molhinhos de salsa criolla, picante, chimichurrí, espinafre e uns não tem ninguém também. E ah, claro, ovo cozido, saladinha mini, etc.


E se você pensou que por um momento isso não fosse mais uma parrilla, acalme-se! Aqui uma saladinha pra ofuscar a tentação que era esse ojo de bife ao ponto. OHMYGOD, parte 2.


E por fim, mas não menos importante (ao contrário) ficou nosso choro de alegria pra esse baita Kobe Beef. Acho que não preciso nem falar sobre a sua suculência, né? OHMYGOD, parte 3. 


Para coroar, o La Cabrera ainda serve pirulitinhos no final da comilança. Que amor.


Cheia ou não, La Cabrera é certeza de boa comida, no matter what.

La Cabrera
Cabrera 5099- Palermo Soho
Preço médio por pessoa (com vinho): $300 pesos por pessoa.
SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .