Outono Inverno 2013

28 de fev de 2013

Invernão aí chegando e eu já gripei no primeiro dia de 20 e tantos graus na cidade, e daí as marcas vem bombando em novidades, coitado do meu bolso néam. Vamos ver as roupitchas. Mas olhem, aviso que não entendo muito de moda e aqui são as minhas percepções pessoais.

Primeiro vamos ver a coleção da Ayres com essa menina super magra peloamor. É uma das coleções que eu mais gostei se vamos pelo lado meio básico para usar no dia a dia. Calças apertadinhas (que minhas pernas não entram), sweeters bem lindos e casacos confortáveis.


Vi muito uso de bege, detalhes em vermelho e roupas em vinho também. Curti, esse look do meio calça vermelha e jaqueta de couro é show néam. Amei esse casacão do lado também. 


Finalizada com a Ayres, vamos pra mais do mesmo e estou tentando ser teen, Complot. Olhem, eu sempre amei essa marca, porque entre as possibilidades, é acessível. Acontece que fiquei #chatiada quando vi que eles copiaram legal umas roupas da Asos, e não sei se fui eu que mudei, mas acho que eles estão muito rebelde sem causa (mais que nunca).


Não achei as roupas feias, acho que dá para usar algumas peças específicas. Mas acho também que está faltando mudar o estilista, sei lá, dar um up na marca que parece que todas as coleções tem as mesmas roupas em outras cores. Rezar pra que na loja esteja mais legal. 


Agora vamos pra-sempre-linda e maomenos parecida, Delaostia. Eu sou suspeita pra falar da marca porque é uma das minhas preferidas. Acho que eles sempre seguem a mesma linha de desenho e curto tudo o que eles colocam. Mistura de um jeito classudo coisas moderninhas com clássicas. Vi muitas calças de abas largas, listras, uso do vermelho.


Os vestidos dessa coleção estão de morrer de lindos. Ah, pantalonas também voltaram e umas roupinhas meio étnicas também. Só acho que a Delaostia sempre vem com as mesmas cores, o bege ali pra eles chegou e ficou faz uns 2 anos, mas amo muito mesmo assim.


A Jazmin Chebar é aquela linda impossível de comprar. As roupas são super caras mas a coleção está show. O lookbook não traduz direito como as roupas estão na loja, mas confie: está ual. Muitas cores quentes pro inverno porteño.


Muito animal print, vestidos bonitos e mistura de estampas. Não é qualquer uma que pode vestir né.


Uma que me surpreendeu nesse inverno foi a Maria Cher. Eu simplesmente amei vários looks porque estou numa onda branco, preto e militar. Então senti que vou gastar bastante nessa loja ahaha (ojalá). Os looks são meio monocromáticos em preto e branco, o que dá um toque classudo pras roupas.


Eu xonei nesse parka verde militar e na camisa jeans do último look. Ainda que a coleção esteja lindona, eu não entendi porque eles acham que pochete é cool. Odiei o último look, mas vamos pegar a tendência: jeans.


Uma marca que eu nunca prestei muita atenção foi a Rapsodia. Primeiro porque eu acho meio cara e não tem muito a ver comigo e segundo porque a última coleção de verão estava tão indiana que eu não achei legal. Mas olha, esse inverno eles apostaram certo em looks urbanos-étnicos, que me apaixonei por essa saiona estampada. Show!


Agora meu amor invernal é a Vitamina. Aliás eu sou bem sincera, eu AMO a Olivia Palermo e acho que tudo o que ela veste é sensacional. Ela foi garota propaganda da marca nessa estação e eu me apaixonei por algumas peças (tipo esse casaqueto rosinha impossível de comprar porque está muito caro, 3000 pesos).


Achei bem colorida essa fase Palermo da Vitamina. Cores quentes, tipo laranja, rosa. Sem medo de misturar peças de estilos diferentes.


Adorei também as roupas pras noches porteñas. Preto, brilho e tons em bege. Mãe, me dá dinheiro?



Bueno, é isso. Ainda vai ter mais post de outono inverno, por enquanto essas são as primeiras marcas. Beso!

Pelas Ruas de San Telmo

27 de fev de 2013

É eu sempre soube que era meio relapsa quanto a San Telmo. Desde que eu cheguei na cidade morei em Belgrano, Palermo e Recoleta. San Telmo fui conhecer bem depois e não dei sorte no dia que fui e acabei ficando chata com o bairro. Sabe desses dias que nada dá certo? Pois é, fui conhecer San Telmo num dia abençoado desses. 

Mas, voltando a ativa, eu agora que trabalho ali por perto, posso sair na hora do almoço para conhecer melhor o bairro e quem diria, ueba, voltar a curtir cada cantinho desse lugar super nostálgico.


Ainda que eu diga que San Telmo não é um dos bairros mais seguros da capital (já disse isso aqui), o local ainda preserva essa coisa arraigada em cultura que qualquer turista quer conhecer na cidade. É, se você quer mergulhar na história mesmo do país, esse é o bairro indicado para você ficar.


É bem delícia passear pelas ruas do bairro que tem várias lojinhas de penducarrilhos, anticuários e pracinhas, tipo a Dorrego (onde está a Mafalda). Nota: a maiorias dos caminhos por lá são de paralelepípedo. Ou seja, não venha caminhar em San Telmo de salto alto por favor.


Ainda assim, gostoso é poder ver essas casas de pé direito alto disponíveis e sonhar em poder alugar um dia para fazer um restô bem gostoso. Coisa boa, San Telmo ainda tem disso, essa arquitetura meio afrancesada perdida no tempo.


E ainda tem ruas que parecem saídas de revistas em quadrinhos de tão fofas, com casas diferentonas, tipo essa aí embaixo na Carlos Calvo (esq. com Defensa).


San Telmo ainda conta com muitas opções gastronômicas de qualidade. Além dos típicos bodegones tem também uma movida nova pelo bairro. Tipo a Panadería de Pablo na rua das feirinhas de antiguidades que rola aos domingos pela Defensa.


Mas se o negócio é mesmo curtir o bairro no seu mais profundo entendimento local, eu diria que uma passadinha na parrilla Antigua Tasca de Cuchilleros é uma bela pedida. Digo isso porque essa parrilla fica na casa mais antiga de Buenos Aires. Casa que pertenceu a Rosas, militar e governador da cidade que lá em 1830 mais ou menos, era como se fosse o Presidente do país. 


A casa ainda mantém a arquitetura tal qual Rosas deixou. E ainda, olhem que legal, no banheiro feminino tem uma surpresa: a filha do Rosas cavou ali um buraco com saída a Igreja do bairro para poder fugir com seu amante que não era aprovado pelo seu pai porque o chico era pobre e não era da sociedade porteña. Ou seja, se for ao Tascas, vá ao banheiro feminino.


Bueno, ainda por lá tem uma sorveteria de bairro bem gostosinha. Ainda que não seja uma Volta, acho que é uma das poucas que tem sorvete de Nutella... Só falando. A Nonna Bianca fica na Estados Unidos 425.


San Telmo é isso sabe? Um pouco de cultura, de arquitetura linda, misturada com algumas casas meio abandonadas...


... caminhos de pedrinhas com lojas modernas e antiguinhas...


... um mercado público bem legal (post aqui) com tudo que a cultura porteña tem para agregar...


... e não só cultura porteña, mas coisa boa e nova. Tipo a Coffee Town ali no meio. Provar um dos cafés deles é certeza de começar o dia bem. 


Rola também poder curtir as comidinhas do bairro, sejam elas clássicas como as parrillas Antigua Tasca de Cuchilleros, El Baqueano, La Brigada, Desnivel ou a Don Ernesto. Ou restôs delícia franceses que se instalaram ali como o Atelier de Céline, Brasserie Petanque ou o Un, Dos, Crepes (marrravilha!).


O bairro ainda conta com umas propostas mais diferentinhas, tipo o moderníssimo M Buenos Aires de comida leve e japonesa, o tranquilo Hierbabuena para comidinhas naturebas, o de comida de autor tipo o Aramburu, o cool do pedaço Café San Juan (chef conhecidão por aqui).


Mas se a pegada é curtir a noite, o Doppelgänger tem drinks maravilhosos, e o Puerta Roja um dos happy hours mais animados do bairro. Mas a Plaza Dorrego também bomba nos findes.

Tem mais de San Telmo, na tag aqui!

Cosas de la vida...

26 de fev de 2013

Conheci a Nadja pelo extinto blog fofo que eu tinha, o Feels. Num dos encontrinhos que eu fiz ela apareceu por lá. Aliás, eu já lia os textos super engraçados que ela faz no Se Vira nos Quase 30. Ela mora há muiiiito tempo aqui e com isso adquiriu uma certa manha na hora de falar com argentinos. Eu JURO que no dia que a conheci pessoalmente me matei de dar risada. Hoje ela vem aqui no Chicas contar um pouco das histórias dela de xaveco porque eu sei que vocês AMAM um bapho.

A Amanda me pediu para escrever um post sobre histórias de xavecos argentinos que eu juntei nesses meus 10 anos de Buenos Aires (e ficarei no 10 mesmo porque em breve volto pro Brasil, podem botar mais água no feijão). Senta que lá vem a história! UHUU, todas comemora.

Cheguei aqui com 22 anos e solteira, o que só deixei de ser aos 28 – quer dizer, ainda sou solteira, mas aos 28 comecei a namorar, o que fez a minha empregada da época comentar "finalmente, senhorita!" (nossa, eu batia nela ahahah). Então foram mais de seis anos de baladas portenhas e outras situações abertas ao xaveco, e gente, eu já ouvi cada uma...

A mais comum das aproximações: pessoa começar a "falar português" com você. Coloquei entre aspas porque a maioria deles não fala mas acha que fala, assim como a maioria dos brasileiros não fala espanhol mas acha que fala (e tem gente que grita achando que o outro vai entender mais ahaha). No começo eu dava a maior atenção e abria um sorrisão quando um argie (assim me refiro aos argentinos) vinha e dizia coisas como "eu falA português", "cerveXinha", "oi, garota!" ou quando contavam que já tinham ido ao Brasil (BúCios, Camboriú e Florianópolis são os campeões, com um Rio de Janeiro de vez em quando) ou que tiveram uma namorada brasileira – mesmo que o que eles chamam de “namorada” tenha sido um amor de verão em “Bombiñas”. Mas depois da 197ª. vez ouvindo a mesma coisa... eu fazia uma cara de "tá bom, então" e saía andando!

Alguns são mais originais. Um já disse “ei, garota, eu sou um franguinho maluco!” (OIIIIII?) quando eu falei a minha nacionalidade. Outro começou a cantar “vocêêê abusoooou/Tirou partido de mim, abusooou” – música que aliás só vim a conhecer aqui, acho que ela é mais famosa aqui que no Brasil. Ainda na linha musical, teve um rapaz que se aproximou sorridente, me pegou bem galante pela cintura, chegou pertinho do meu ouvido e: “Maradona es el más grandeeeee/ Es más grande que Pelé", parte de uma bonita musiquinha que eles cantam para nós no futebol. Afff ahahaha.

Infelizmente tem uns que passam dos limites quando ficam sabendo que somos “garotas” – aqui a gente costuma perder um pouco da nossa identidade porque SEMPRE acabam nos chamando de “garota”. Maldita Garota de Ipanema. Teve um médico que, enquanto me examinava e eu estava de sutiã, me perguntou se era verdade que as brasileiras eram mais "liberales" - isso depois de me perguntar se eu tinha namorado, marido ou algo e, quando eu disse que não, responder "é, as brasileiras não namoram, né?” Uma amiga minha teve que ouvir um respeitável senhor perguntar se podia apertar a bunda dela, no meio da rua, assim que ela disse que era brasileira. Legal, né? Tou boba.

Mas nem todos são assim desastrosos. Primeiro que tem muito homem bonito aqui (muuuuitooooo), e isso já ajuda a gente a ficar mais tolerante com xavecos furados. Segundo que alguns são muito charmosos, e mesmo essas coisinhas faladas erradas podem causar ataques de fofurice na gente - a não ser quando você escuta a mesma coisa quinhentas vezes, porque aí não há fofura que resista.


No fim eu acabei ficando com o que menos me xavecou – na balada em que nos conhecemos, os amigos dele fizeram o “trabalho sujo" de perguntar de onde eu era, fazer gracinha, etc etc - ele, timidinho, só olhava, eu que tive que deixar bem claro qual era o escolhido da turma. Cosas de la vida...

Amei, Nadja! Há esperança ahhaha.
Se vocês quiserem seguir os conselhos e posts da Nadja é só acompanhar o blog dela, o Se Vira nos Quase 30 ou  facebook :)

Filmes Argentinos

25 de fev de 2013

Aproveitando que esse finde teve o Oscar, me inspirei pra fazer um post com alguns filmes argentinos legais:

El Secreto de Sus Ojos
www.elsecretodesusojos.com
Um dos melhores filmes dos últimos tempos do cinema nacional. Tão bom que além de encantar geral ganhou também o Oscar de melhor filme estrangeiro. Coisa boa.
Conta história do Benjamín, um aposentado do Tribunal Penal que quer escrever um livro sobre um assassinato que foi testemunha de menina bonitona. Ele acaba conhecendo o marido da falecida e promete a ele encontrar o culpado. Suspense, drama, boa atuação do querido Darín.

Un Cuento Chino
www.uncuentochino.com.ar
Outro do Darín, aliás nessa lista tem 3 no total. Esse já mais cômico, conta a história de um cara que decide ajudar um chino (chinês) quando chega a Buenos. O pobre é assaltado e arremessado de um táxi quando o personagem do Darín, Roberto, o conhece. Bem interessante.

Tesis Sobre un Homicidio
Prometo, último do Darín. Conta a história de um advogado que quer provar a culpa sobre um assassinato na frente da Facudade de Direito da UBA. Eu ainda não vi esse, mas já ouvi falar muito bem.


Medianeras
www.medianeras.com
É super fofo esse filme, bem atual com toque de melancolia e comédia, conta a história de dois jovens que começam a bater papo pela Internet e que nem sabem que moram super perto. É um filme bem criativo, bem gostosinho de assistir e que retrata bem nosso mundo virtual de hoje em dia. Tão querido que já assisti mais de duas vezes.


Outros dois filmes que dizem ser super legais é o El Hijo de la Novia e o Nueve Reinas. El Hijo de la Novia é sobre como a gente é escravo do trabalho e que por conta disso acaba esquecendo das pessoas que estão perto e dos sonhos que temos ainda, draminha. Já o Nueve Reinas conta história de dois mafiosos que do nada se veem metidos num golpe de 500 mil dólares.

Amo pelis :)

O Amazing Mercado Público de San Telmo

22 de fev de 2013

Não tem coisa melhor que conhecer uma cidade pelo mercado público né? Por isso não podia deixar de fora o de San Telmo.

De aparência bem simples tudo junto e misturado. O mercadão local tem desde carnes para vender...


... mil variedades de frutas...


e até roupas, quem diria.


Aqui, claramente, o preço é mais amigável e dá pra vir fazer a feira da quinzena na redondeza. 


Eu sou apaixonada pelo mercadão porque acho que lá tudo é bem fresquinho e fico doida com a quantidade de verduras e legumes e frutas que tem. E ah, sempre é delícia fazer um lanchinho por lá.


Essas empanadas são da Tucumana, uma das muitas barraquinhas locais do pedaço.


O combo é bem em conta e dá vontade de provar tudo o que ela tem por lá. Tem também uns doces e umas compotas de geléia tudo do norte da Argentina.


Depois, os locais dizem que as melhores carnes se vendem na barraca 54 desses senhorezinhos simpáticos. Eu não comprei porque senão era muito peso para levar para casa, mas fiquei na vontade.


Falem se não é tudo essa barraca?


Morangos, cerejas, framboesas, bananas, legumes na bandejinha pronto para comer e por aí vai.


Lá dentro há vários postos, e muitos deles não anotei o nome, mas são todos do mesmo estilo, ok?


Tem uns que vendem até flores.... 


E o motivo da minha próxima ida ao local é provar o aclamado café da Coffee Town, que dizem ser delicioso e cheio de quitutes gostosos. Naquele dia eu não quis provar porque estava meio ocupada sabe...


Pedi uns choripans para comer com chimichurri no balcão mesmo :)


Vá ou vá!

Mercado de San Telmo
Plaza Dorrego.
Preço: depende do que tu compra. Mas as empanadas saem em torno de 7 pesos e os lanches 10.

O Beabá Para Chegar em Acassuso

21 de fev de 2013

Eu sempre estou falando de Acassuso, né? Mas nunca expliquei bem como chegar até lá. Finalmente um post decente.

Acassuso é a cidade que eu moraria se fosse ryca. Isso porque as ruas são LINDAS.


Porque tem muita coisa boa para fazer.


E porque é uma cidade mais tranquila.


Tem que ser ryca porque é caro, é longinho para trabalhar em Bue. Mas né, nada é impossível.


Bueno, para chegar em Acassuso há quatro maneiras: trem comum; Bus/táxi + Tren de la Costa; Bus; táxi.

Opção 1: trem comum.
Esse é o trem da linha Mitre. Ele vai direto até a estação de Acassuso, na rua Eduardo Costa. Da rua até o rio tem que caminhar umas quadras. Mas é descida, problema é subir o barranco depois para pegar o trem de novo. Vê aqui o mapa.

Opção 2: bus + Tren de la Costa.
Essa é pra quem está turistando. Tem que pegar um bus na Avenida Cabildo, que chega até a Quinta de Olivos (152, 59 deixam). Daí chegando na Quinta de Olivos, é a primeira parada do Tren de la Costa. Daí é ir direto para a estação de Barrancas, onde está Acassuso. O Tren de la Costa é super fofo e custa em média 35 pesos por pessoa, mas tem várias paradas. Mapa do trajeto aqui.

Opção 3: bus.
Pra quem tem o cartão Sube é a opção mais barata. Isso porque é só pegar a linha 168 com o cartaz que diz San Isidro e ir direto e reto com ele, até chegar a rua Peru. Ele passa na Avenida Cabildo esquina com a José Hernandez. Mas o trajeto todo dele você pode ver aqui. O mapinha do caminho está aqui. Ele vai deixar você na Avenida Libertador (de Acassuso) com a rua Peru. Dali é só descer em direção ao rio, direto e reto.

Opção 4: táxi.
Isso é pra quem é preguiço e está afim de gastar. Não vai sair por menos de 100 conto o trecho e ainda o taxista pode cobrar a volta a parte, entende? Tipo ele te cobra pra ir, e para ele voltar para a capital.

Agora é só ir!
SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .