Futeturismo - 4 passeios em Buenos Aires para loucos por futebol

30 de abr de 2013

Hello, girls. Hoje é dia de chicos. E quem faz o post de hoje é o Túlio do Aires Buenos. Pros meninos que visitam o blog, o do Túlio é repleto de dicas legais também. Recomendo suuuuper! Ah, o post dele vem com passeios futebolísticos, mais chico, impossível.

Boca Juniors e o Museo de la Pasión Boquense
www.museoboquense.com
O estádio do Boca é obrigatório para qualquer cidadão que diz ser louco por futebol. Visitar o Museu de la Pasión Boquense é uma viagem na história de glória e títulos do Boca Juniors. Dá pra ver todas as taças que o clube ganhou, além de todo hall de jogadores inesquecíveis como Tevez, Palermo e Riquelme. É possível também fazer um tour pelo estádio. Os guias, exagerados como a maioria dos argentinos, dizem que tudo lá é de última tecnologia e o melhor da América Latina, o que é bastante questionável, mas ignore. De qualquer maneira vale muito a pena para conhecer por dentro o mítico estádio do Boca. Funciona todos os dias de 10h a 18hs e é recomendado ir no sábado ou domingo, quando a região está um pouco movimentada. Endereço: Brandsen 805 - La Boca.

Foto: Reprodução Uol.

River Plate
www.museoriver.com
Bem mais novo e desconhecido que o do Boca, o museu do River fica no Monumental de Nuñez, sede do clube e estádio onde a seleção argentina manda seus jogos. São 3500 metros quadrados com várias partes temáticas, divididos em ordem cronológica. Comparado com o Boca, o River ganhou menos títulos internacionais, mas dentro da Argentina ele está bem a frente. Como o lugar é mais recente, ele é muito mais moderno e tecnológico, contando até com um cineminha 360 graus com vídeos das façanas do clube. Funciona diariamente das 10h às 19hs, mas a visitação ao campo é só até 17hs! Fique ligado! Endereço: Av. Figueroa Alcorta 7597 - Costanera.

Foto: Reprodução Football-Wallpapers.

Argentinos Juniors
www.argentinosjuniors.com.ar
O clube que revelou Maradona para o mundo e tem hoje um estádio com o nome do maior ídolo do futebol argentino alberga um interessante museu. A diferença dos outros, o do Argentinos Jrs tem todo material doado pelos próprios torcedores: fotos, bandeiras e outras lembranças do clube. Talvez isso seja para contrabalancear os poucos títulos do pequeno clube. Um dos seus maiores feitos foi ganhar a Libertadores de 1985. Funciona sábado de 10h às 13hs e também em dia de jogos, onde você pode comprar um passe que dá direito ao museu e a partida. Endereço: Gávilan 2151.

Foto: Reprodução Infierno Rojo.

Club Atlético Atlanta
Buenos Aires é a cidade com maior quantidade de clubes de futebol do mundo e conhecer os clubes menores é um verdadeiro estudo sociológico dos portenhos. O pequeno clube Atlanta é o xodó dos moradores da região da Villa Crespo e seus jogos são um ponto de encontro dos mais diferentes e excêntricos moradores da região. O clube ultimamente anda numa ótima fase e é lider da Primera B Metropolitana, disputando vários clássicos com times como Colegiales, Chacarita, San Telmo é Platense. Se estiver pela cidade, vale muito a pena ver um jogo do Atlanta. Endereço: Humboldt 374.

Foto: Reprodução Futbol y Sociedad.

Agora, meninos, posso ficar um mês mais sem postar coisas de chicos ahaha. Brincadeira!

Cuento Argentino: Dias Atípicos

29 de abr de 2013

Morar em Buenos Aires nunca foi meu desejo de pirralha. Quando eu fiquei sabendo que viria pra cá, totalmente a contra gosto, chorei durante várias semanas. Boba. Me acostumei, passei por altos e baixos e ainda passo. Por isso é que essa semana vamos mudar um pouco a rotina do blog.

Esse post aqui é um pouco triste e pensei muitas vezes em não escrevê-lo. Mas, eu sou sincera e diferente de muitos outros blogs por aí, eu controlo tudo por aqui e não devo contas a ninguém, grazadeus. O blog tem mais de 300 posts falando sobre essa cidade que eu tanto amo. E confesso, que muitas vezes escrevi posts sem ter muita inspiração, porque poxa: a vida é assim, uma montanha russa.


Acontece que os meus últimos 10 dias não foram nada agradáveis aqui. Dizem meus amigos engraçadinhos que eu nada mais passo por um inferno astral. Vai saber, eu sei que isso vai passar. E como eu escrevo com o coração aqui no blog, devo admitir que essa semana eu não estou com vontade de falar sobre nada. E diferente do que sempre acontece: ter posts preparados até o sábado, essa semana eu só tenho esse post aqui - de minha autoria - que você está lendo na caixinha dos programados. Os outros são de participações especiais queridas. E vou explicar porque.

Sexta-feira, 26 de abril: acordei cedo as usual, fui pro trabalho. Eu sempre vou ao trabalho de mochila. Já deixo ela sempre no esquema pra poder só acordar, pegar as coisas e partir - assim tenho mais uns 5 minutinhos na cama, coisaboa. Nesse dia eu resolvi passar antes, no kiosco que tem na esquina de casa para comprar um iogurte para tomar café da manhã porque eu não tinha NADA em casa. Ok, comprei. Fui pra parada do ônibus. Passei a Sube, fiquei uns minutinhos em pé e logo me sentei. Caminhei as 8 quadras até meu trabalho e quando cheguei na empresa vi que minha mochila estava aberta. Procurei o celular porque precisava do telefone de uma amiga e vi que ele não estava. Achei que tivesse esquecido o bendito em casa. Liguei no celular, um cara estranho atendeu, dizendo que se eu quisesse o celular devolta teria que encontrá-lo. OI? Ok, furto, me roubou e NEM FERRANDO vou ver ele pra pegar um celular, ainda não estou louca.

Passado o estresse, resolvi comprar no mesmo dia um cel novo, odeio ficar incomunicável. Fui à Movistar, uma das operadoras de celular daqui (o equivalente a Vivo no Brasil) e fui super bem atendida, moço simpático me vendeu outro cel, com outra linha, um preço ok, um plano ok também. Saí de lá contentizinha porque tinha um cel novo e mais moderno. O que eu não tinha reparado até então era que o cara, além de ter furtado meu celular tinha me roubado a Sube também e eu estava, literalmente, com 25 centavos de moedas no bolso.

Entrei no banco, saquei dinheiro, tentei em 5 kioscos trocar o mínimo possível em moedas, todos super mal educados não me ajudaram. Entrei, finalmente, numa loja zuada e fiz cara de piedade pra mulher, dizendo que tinha sido assaltada e que precisava trocar 5 pesos em moedas para poder voltar pra casa. Ela me trocou, ainda bem. Com isso eu achei uma lojinha de um senhor que vendia (eba) a Sube. Comprei um cartão novo que no dia seguinte já poderia usar.

Voltei pra casa, meio cansada, ainda que tivesse sido meio estressante e frustante por ter sido furtada e não poder fazer nada, eu dei sorte: peguei um vendedor legal na Movistar, uma moça de loja zuada super simpática e um atendente da Sube superlegal. Nisso, resolvi que o dia estava para um Frank's e chegando lá ainda tive a sorte de encontrar os bartenders que eu mais curto na cidade e ganhar uns drinks. Fim.

A semana que entrou foi meio estressante. Eu me mudei de emprego e ainda estou em fase de adaptação e tudo é sempre pra ontem, como a maioria das empresas, né. Então, além de me readaptar ao ritmo louco de trabalho eu, ainda, estou me acostumando com outras maneiras de resolver as coisas.

Daí que decidi que merecia um descanso no final de semana e compre uma aula de culinária francesa em San Telmo para distrair a cabeça.

Sábado, 27 de abril: acordei, também, cedo fui à aula em San Telmo. O dia estava nublado, meio melancólico e San Telmo estava deslumbrante. Eu nunca tinha visto beleza no bairro mas, incrivelmente nesse dia eu vi. Fui com a câmera em mãos e muita vontade de provar o coelho do L'Atelier de Céline e os crepes do Un, Dos, Crepes.


A aula foi super legal, comi bem e resolvi sair para fotografar San Telmo. As suas vielas, ruas lindas. Nisso uma amiga minha me liga no cel. No movimento que eu fiz para tirar o celular da bolsa e colocar na orelha, passa um malandro de bicicleta que pega meu celular, novo, e leva embora. Eu, louca, saí correndo atrás do cara. E desculpe, mas a gente, às vezes, não pensa nas consequências que isso pode nos trazer. Gritei atrás dele, xinguei horrores. Consegui alcançá-lo e nisso ele agarrou o celular com mais força e nessa ação bruta levei uma ''celularzada'' no queixo. Daí me lembrei que estava com a minha bolsa, com a câmera e com meus documentos. E o vi partir. E desabei a chorar no meio da Avenida Belgrano. Muitas gente na rua viu, mas ninguém fez nada.

De novo, meu celular roubado. Sensação maior de impotência não há. Não há. Ok, era só um celular. Mas não é pelo aparelho porque a essa altura do campeonato eu já estou desapegada, mas é pela impotência. Pela covardia desses imbecis de tirar o que é nosso, de gente decente, pra poder fazer a vida às nossas custas.

Nisso, chorando, apareceu um menino chamado Brian. Maior educação não há. Ele me ajudou a ligar na Movistar e a cancelar a linha com um atendente SUPER chato e mal educado que ousou em dizer ''no estás cooperando, Amanda''. OI? Eu tinha acabado de ser assaltada e ele dizia que eu não estava cooperando no cancelamento da linha? Absurdo. O Brian me ajudou em tudo e foi um amor de pessoa. Obrigada, Brian.

Com um problema para resolver, porque mesmo sem celular eu ainda tenho que pagar a conta e comprar outro aparelho. Eu fui embora pra casa com uma sensação de estar nua. E algo que nunca aconteceu comigo, nessa hora aconteceu: eu fiquei com medo de pegar ônibus e fui pra casa de táxi.

A taxista, outro amor, escutou meu muro de lamentações e começou a chorar porque ela estava enfrentando um belo de um mistério no bairro dela: segunda cachorra morta em duas semanas por envenenamento. Ela estava de coração partido. Acho que ali uma ajudou a outra.

Cheguei em casa super chateada, fui ao kiosco e resolvi sair da dieta comprando uma cookie da Toddy. Nisso ouço o cara do lado se queixando que a mãe está na fila do corredor do hospital há dias esperando ser atendida. E daí, realmente eu me lembrei dessa cena de Amélie Poulain:


Ainda que nossos casos sejam diferentes, tudo leva a uma mesma problemática: a perca de fé no ser humano. E isso não acontece só em Buenos, ou em São Paulo, ou sei lá, no México. É geral, gente! Geral. No final das contas tudo o que nos resta é isso: a humanidade. E sem isso, só tem matéria no mundo. Matéria que vai ficar na Terra enquanto você é enterrado e leva pra outro mundo só as coisas que você fez. Matéria que vai enchendo o mundo de sujeira e que quando você morrer não levar nada pra você.

É muito forte essa coisa de perder fé na humanidade porque o homem foi feito pra viver em contato com outras pessoas. E é incrível que ainda hoje, e com tantos problemas sérios que temos, isso se perca. As pessoas perderam a razão.

Nesse mesmo dia, no sábado, eu cheguei em casa. Tirei os sapatos, tomei um banho e me lembrei que o Santi Macias, do delicioso restaurante I-latina, me havia dado pães de queijo para comer em casa. Obrigada, Santi pelos pães de queijo, me ajudaram a ficar mais quentinha em casa. E a me sentir mais perto da minha família.


Enquanto eu comia os pães de queijo do I-latina, eu abri minha caixa de e-mails do blog e vi esse e-mail aqui que, com licença Flora, vou compartilhar no blog:

''Amanda,

Me chamo Flora, sou do Rio de Janeiro e estou em Buenos pela primeira vez!

A vida tem umas coisas curiosas e numa dessas, eu que nunca quis vir à Buenos (ela estava no fim da minha listinha de viagens), resolvi aproveitar uma promoção de passagem aérea para vir com meu namorado!

Aí, muito cansados do trabalho, tudo meio em cima da hora e decidimos que viríamos sem guia turístico  sem roteiro neurótico  Plano: vamos, e lá a gente faz o que der na telha. Foi então que escolhi alugar um apt ao invés de hotel, para ficarmos mais a vontade e sem a piração digna de turistas! (...)

Mas foi nessa andança despretensiosa que encontrei seu blog e me apaixonei! Cheguei a virar noites na duas ultimas semanas, para ler seu blog! Queria ler todos os posts antes de vir! Não consegui, mas ainda assim, tirei dicas preciosas de lá! Posso te dizer que não montamos um roteiro neurótico turístico, mas montei um roteiro do coração  Eu fiquei tão agradecida que trouxe uma lembrancinha do RJ pra você! Apenas um mimo, um jeitinho de te abraçar indiretamente!

E pra "piorar", todas as suas dicas deram super certo! Enlouqueci na rua Nicaragua, me apaixonei pelo Oui Oui, amei o café Amenabar, fomos ate o Bonjour Paris na Recoleta e foi uma delícia, fora a ida inesquecível ao La Cabrera (que fiz questão de preencher o cartão sobre sugestões e dizer que a indicação partiu do seu blog) e todo o resto: empanadas, sorvete de doce de leite, rocambole feito em casa com massa já pronta! Enfim, segui cada dica sua, até as que estavam nas entrelinhas e tive dias maravilhosos e inesquecíveis aqui! Foi tanta felicidade, que pela primeira vez na vida, torci pra chover, porque sabia que nem isso estragaria, pelo contrario, só tornaria mais charmoso! E hoje chove em Buenos!

Enfim, falo demais! Na verdade, escrevi pra agradecer e pra dizer que quero muito te entregar a lembrança q trouxe!

Não sei se você lerá isto a tempo e se dará para ser pessoalmente (hoje vamos jantar em Puerto Madero) e amanhã desayuno de despedida no Oui Oui (caso de amor grave!). Se você ler isto e quiser/ puder aparecer, ótimo! Senão, pensei em um plano (meio Amelie Poulain) de deixar a lembrança no Oui Oui com a garçonete e você busca outro dia, quando puder. Que tal?

Sinta-se abraçada e agradecida de verdade por mim!

Um beijo, Flora.''

E eu não preciso nem COMENTAR nada sobre isso. A minha emoção, ok que estava sensível, foi tanta que na hora respondi pra Flora que ela, realmente, foi a minha Amélie do dia. O desayuno com ela e com o marido foi como Amélie adoraria que fosse: bem francês, bem boêmio, bem simples e de coração.


Enfim, esse texto todo pra dizer que essa semana eu quero tentar reencontrar a Buenos linda que está dormindo dentro de mim. Logo, eu sugiro algo: me ajudem! Cada comentário me lembrando que Buenos é linda só vai me fazer voltar a ser uma espécie de Amélie porteña-brasileira que eu sempre fui e quero continuar sendo.

Que o mundo tenha mais tios de kioscos legais, atendentes da Movistar atenciosos, Brians que caiam do céu, Santis com pães de queijo e Floras pra alegrar nosso dia. 
Obrigada, gente.

Top 5: Empanadas

27 de abr de 2013

A felicidade geral quando a gente fala de comidas é mais sobre empanadas do que qualquer outro comestível aqui na Argentina, né?

Sendo assim, nada melhor que listar aqui as 5 melhores - MINHA opinião - ''empanaderias'' como eu costumo dizer de Buenos Aires.


Sanjuanino
Clássica das clássicas. As empanadas da Sanjuanino estão sempre entre as melhores de Buenos Aires. O restaurante fica na Recoleta, e as melhores empanadas são as de forno. Posadas 1515, Recoleta.

La Querencia
Eu curto as da Querencia porque são mais caseirinhas, sabe? Além disso eles tem delivery o que é uma mão na roda. Eu curto muito a de 4 queijos deles. www.laquerenciaonline.com - Aguilar 2391 (Belgrano) ou Junin 1314 (Recoleta).

Gourmet
As da Gourmet eu peço quando quero comer umas diferentes sem sair de casa. Eles até tem restaurante próprio, mas não são muito legais, é mais para fazer uma paradinha rápida e deu. E ah, vale dizer que as mais gostosas são fritas, amo a Gaucha. www.empanadasgourmet.com.ar - são várias filiais.

Continental
Esse é tipo daquelas que você pede sempre, sabe? Sempre tem uma Continental por perto, senão rola delivery. É tipo da popular boa e até que barata. www.lacontinental.com - várias filiais.

La Muzza Inspiradora
Essa foi a minha descoberta dos últimos meses. Estou amaaaaaaaaaaando essas empanadas porque eles tem um ''modelinho'' diferente que vem aberta em cima, eu acho ridiculamente bom ahaha.
www.lamuzza.com - Blanco Encalada 2982 (Belgrano) e Callao 684 (Barrio Norte).


Fomeee! Buenfinde.

A Feira do Livro e Onde Ler

26 de abr de 2013

Não tem programação cultural que mais faça sucesso em Buenos que a tão esperada Feria del Libro. O sucesso é tanto que são mais de 45 mil metros quadrados dedicados a livros de todos os tipos e de todas as partes do mundo.

Argentino lê muito, o que é suuuper interessante. Eu até comentei esses dias num post de cultura local que para uma matéria só eu li, em um ano, mais de 10 livros. Enormes, por sinal. Aqui é comum que desde pequenino você leia muito e isso só enriquece, não é mesmo?


Logo a Feria de Libro es un éxito, como os locais dizem. Começou ontem dia 25 mas vai até dia 13 de maio. Fim de semana é meio impossível entrar, por isso durante semana sempre é a melhor opção. De segunda à quinta o ingresso sai 20 pesos, e de sextas, sábados e feriado sai 30. Fala se não é uma excelente pedida pro feriado de 1º de maio? E funciona das 14h às 22h.

O site do evento é esse aqui ó, acessa lá para saber melhor a programação porque bomba de atividades. Desde autores internacionais até rodas de livros, coisalinda.

A dica então é ir à feira, comprar um livro bem legal que não se encontra em qualquer livraria e partir pra um desses cafés que eu vou listar aqui, simplesmente, para ler:

Starbucks - Puerto Madero
Eu geralmente acho os Starbucks um saco para quem quer ler. Mas a filial de Puerto Madero () é super delícia e tranquila. Quase sempre está vazia. Ir durante semana lá é uma aposta certa. Juana Manso 1100.

Reprodução.

Eterna Cadencia - Palermo Hollywood
Um café com livraria, mas é tão calmo, mas tão calmo que dá até soninho por lá. Pede um brownie e um café puro e se joga na leitura. Honduras 5574.

Cafe Martinez - Barrio Norte 
Eu não sei porque mas desde que cheguei em Buenos me simpatizo com a rede do Martinez. Não sei se é porque ele sempre está quentinho no inverno ehehe e tem uns doces gostosos. Mas eu simplesmente adoro essa rede. Tem um que fica dentro de uma galeria na Avenida Santa Fe que sempre está vazio e você não escuta um pio sequer. AMO! Já fui muito ali para estudar. Na Av. Santa Fe 1654.

Reprodução.

Óbvio que tem mais, mas esses eu sempre curti. Me lembra a faculdade.

5 Músicas, 5 Passeios, 1 Trilha Sonora

25 de abr de 2013

Hoje a gente tem um post especial. Eu sempre falo que estou aberta a sugestões de matérias, né? Mas o mais legal é quando as sugestões são diferentonas de tudo o que eu já publiquei (mais de 300 posts, não é fácil) e quando é original.

Daí que o Seba - acho que foi um dos primeiros meninos a seguir o blog - me mandou uma sugestão de post com o post já pronto! MARAVILHA. E ainda, ficou super legal: 5 músicas para se ouvir enquanto se caminha por Buenos Aires, pelamor. AMEI.

Andres Calamaro - Loco
Nada melhor que caminhar pela praça Francia num domingo à tarde, vendo as barraquinhas, colocar fones e deixar-se levar. Veja mais sobre a Recoleta nesse post.



Libertango - Astor Piazzola
Clássico. Para passear por Puerto Madero seja no almoço ou na janta. Caminhar pelos diques, Puente de la Mujer, e passar pela Avenida Corrientes com o Obelisco ao fundo. Sensação de ser um porteño dramático e livre. Mais de Puerto Madero, aqui.



En la ciudad de la furia - Soda Stereo
Chuva, noite e um pouco de frio. Se o dia em Buenos Aires foi ruim, uns drinks ajudam a relaxar um pouco. Para escutar e sair atrás de um bar. Vários bares de Buenos, aqui.



Faz parte do meu show - Cazuza
Para um passeio de mãos dadas pelo Rosedal de Palermo. Música ideal para curtir à dois. Rosedal lindo nesse post aqui.


Here come the sun -The Beatles
A Amanda sempre diz que nós, porteños, amamos Beatles, pois é! Amanhecer na Costanera com amigos, almoçar um choripan e uma boa conversa, ideal para começar o dia bem. É ''porteñamente'' correto.


O Seba me disse que encontrou o blog procurando informações pra um amigo brasileiro que vinha à Capital. Ele tem 29 anos e estuda Direito na UNLZ. Ama futebol, ofcourse. Ele também já morou em Porto Alegre bacheeee e com isso virou torcedor do Inter, além de ser do Boca aqui, claro. Adora San Telmo e Puerto Madero. AHAZOU!

Um Final de Semana e R$ 150 no Bolso

24 de abr de 2013

O pessoal da Decolar queria fazer uma brincadeira: como sobreviver com R$ 150 um final de semana em Buenos Aires. Eu adorei a ideia e parti pro desafio com dinheiro em mãos ahhaa. Boralá! Ah, antes você pode ver aqui passagens aereas no Decolar.com.

Primeiro, R$ 150 reais no câmbio oficial são 375 pesos, segundo a cotização do Banco de la Nación. Agora, vamos aos trabalhos:

- Hotel
Como não gastar muito com hotel? A dica mesmo é hostel, né? A escolha, então é o Hostel Entre Libros que fica em San Telmo. Com diárias a partir de 80 reais por dia, ainda sobram 70 reais para curtir a cidade. O hostel é bem moderninho e cheio de atividades pros hóspedes. Fica na rua Chile 484 - www.facebook.com/Entrelibroshotel.


- Choripan, Costanera Sur & Puerto Madero
Deixadas as coisinhas no hostel eu partiria para Puerto Madero que está ali perto. Caminhando mesmo, ok? Puerto não requer de muitos gastos, porque tudo ali é grátis, a não ser que você queira entrar em alguns dos museus que tem por ali. Caminhada gostosa e lenta pelo local. Para matar a fome do almoço eu iria pra Costanera Sur, a parte de trás de Puerto Madero. E lá, comeria um choripan em uma das barraquinhas. Cada choripan sai em média 15 pesos, senão um lanche de bondiola, delícia também. Um lanche com um refri sai uns 30 pesos, R$ 12 reais. Ainda temos, então: 58 reais.


- Centro
Partindo de Puerto Madero a gente chega ao Centro através da Avenida Corrientes. Aqui dá pra percorrer o espaço caminhando também. Vindo pela Avenida Corrientes você vai vendo o Obelisco ao fundo. Eu partiria pra Galeria Pacífico e tomaria um sorvete do Freddo lá, pra provar mesmo. Um sorvetinho de uma bola sai 8 pesos só, uns 3 reais (sobram 55 reais ainda). Depois aqui é curtir a rua Florida, dar uma passadinha no Obelisco, conhecer a Casa Rosada e a Avenida de Mayo.


- Noite
Voltando para o hostel. Eu a noite comeria umas empanadas gostosas em qualquer casinha de empanadas perto do hostel. Caso contrário dá para pedir online no site da La Continental (www.lacontinental.com) aqui empanada saí 6 pesos, umas 3 acho que enche a pança. 18 pesos, 6 reais. Mais em conta impossível, ainda restam 49 reais.


Se você ainda quiser um happy hour, o bar Puerta Roja em San Telmo é uma boa pedida. Você vai caminhando e tem promos de 2x 40 pesos nas cervejas até meia noite. Sobrariam 35 reais na tua conta.

- Palermo 
No dia seguinte eu partiria pra Palermo, nos Bosques. Caminhar por lá é uma das coisas mais gostosas que tem. Até chegar aqui você vai gastar meros 3 pesos na passagem de ônibus (com moedas). Menos R$ 1 real na tua conta = 48 reais pro resto do dia.


- Comprinhas no Super
Para aproveitar bem o parque você pode passar antes no mercado e comprar coisinhas para piquenique. Levando em conta isso acho uma ótima você comprar pepas, uma água saborizada e um lanche de miga. As pepas são bolachinhas com doce de mermelo que são deliciosas (o pacote saí 4 pesos), a água saborizada é clássica aqui, a de pêra da Citrus é uma das minhas favoritas (7 pesos) e um lanche de com presunto e queijo sai 15 pesos. Pronto, com 26 pesos dá uma refeição boa e gostosa para estender a toalha na grama do Rosedal. R$ 10 reais a menos (temos 38 contos ainda).


- Soho amado
Depois daqui eu iria curtir Palermo Soho. Dá pra ir de bus também, menos 1 real na tua conta, com 37 ainda dá para curtir a tarde por lá. Isso porque no Soho não se gasta, a não ser que você queira fazer compras né. Fora isso é só se perder caminhando pelas ruas Malabia, Costa Rica e paralelas e esquinas e etcs.


- Happy Hour
Ainda para começar a curtir a noitezinha, parar num dos bares à tarde para tomar algo é uma alternativa. Aqui você pode ou ir no Sugar Bar onde as cervejas rondam os 20 pesos ou se não, pode ir para o Muma's Cupcakes e provar uma das especialidades pelo mesmo preço. Menos, 7 reais no saldo = 30 reais.

Mas, se você quiser uma jantinha delícia, aborta o Sugar e o Muma's e vai pro Sarkis na Villa Crespo. Ali você gasta 80 pesos para comer, 30 reais, com prato principal e um vinho. AMO!


Mapinha com endereços:



Viu, como é possível sobreviver com R$ 150 em BUE? Ainda isso é uma ideia de roteiro você pode muito bem ficar em um lugar mais em conta ou ir tirando de um lado e pondo do outro, mas saiba que é possível sim! Assim como é possível passagens aereas promocionais para Buenos.

Mesitas para fora: Comendo ao Ar Livre

23 de abr de 2013

Não é porque o frio está chegando que morreram as tuas chances de comer pra fora do restô, ein! Buenos é tão linda e tão preparada pro frio que há calefações bem gostosas do lado de fora pra quem curte ver o movimento enquanto come.

Pensando en eso, selecionei uns 5 restaurantes que eu curto que são uma delícia para comer do lado de fora:

- Lupita, Puerto Madero
É um restaurante bar que, originalmente, é de Las Cañitas. Mas, o sucesso foi tão grande que fizeram uma filial em Puerto Madero. Coisa linda porque é ótimo para dias de sol e à noite fica incrível porque eles colocam mesinhas do lado de fora e assim você, quase, se sente na praia com o rio do lado.
O que pedir: burrito argentino, drink Carnal. Site - Olga Cosettini 1091, Dique 3.

Foto: Reprodução.

- Olsen, Palermo Hollywood
Olsen é um restaurante maravilhoso e meio escondidinho de Palermo Hollywood. Tem comidas nórdicas e um clima de que te levaram pra Noruega. Ele passou por uma reforma há uns 2 anos e ficou mais incrível ainda. Perfeito pra almoço no bairro.
O que pedir: degustação de vodkas e Smorrebrod. Site aqui - Gorriti, 5870.


- Astrid & Gastón, Palermo Botanico
Um dos restaurantes mais famosos de comida peruana da capital, o Astrid tem um espaço bem lindo, aberto, e que é super disputado pra quem reserva pra jantar lá. Junta comida peruana de classe com ares frescos, não tem pra ninguém.
O que pedir: ceviche afrodisíaco e uma sobremesa que chama suspiro. Site/ Lafinur 3222.

- Coco Marie, Palermo Soho
Esse café super lindo que eu já coloquei aqui no blog é uma paradinha obrigatória pra quem passeia por Palermo Soho à tarde. Cheio de coisas deliciosas pra comer e de clima boêmio também.
O que pedir: suco de arándanos e carrote cake. Site/ Armenia 1764.


- Café des Arts, Palermo Chico
Um dos lugares mais lindo da cidade, o Café des Arts é chique e ainda consegue ser intelectual por ficar no museu Malba. É uma mistura de uma Paris com uma Buenos moderninha. Casa super bem com uma passadinha pelo museu e um café depois para relaxar. Mas ali, qualquer hora é hora. Ok?
O que pedir: peixe. Site/ Avenida Figueroa Alcorta 3415.

Afff, só tem lugar lindo.

A Palavra Boludo

22 de abr de 2013

Começo de semana, preguiça total, mas bora-lá. O post de hoje traz um pouco do lunfardo argentino. Vem ver.

Sempre me perguntam o que significa ''boludo''. Olha na real são várias coisas, por isso, vamos entender primeiro de onde é que surgiu essa palavra:

- Segundo o site de Etmologias Chilenas, boludo significa ''torpe'', ''tonto''. A origem é datada em pessoas que têm doenças mentais severas. Mas que na Argentina, Paraguai e Uruguai têm uso amistoso. Veja aqui.

- Já o site Saberia, afirma que a origem veio lá do José de San Martin, general argentino. Ele chamou o outro general, Manuel Belgrano, de boludo quando o coitado tentou usar uma arma chamada ''boleadora'' que um nativo o havia dado de presente. Belgrano foi tentar usar a boleadora e se machucou sozinho, daí saiu o termo ''boludo''.

- E tem uma chica semióloga, chamada María Mensi, que diz que a palavra evoluiu do termo 'bolo' que em grego significa balão. Algo que roda e que é fácil de ser manipulado.  Mais informação aqui.

Independente de onde saiu a palavra, há vários significados e modos de uso:

- "Boludo" pode ser um xingamento equivalente a idiota, se você diz com essa intenção, ok? Por exemplo, se tem duas pessoas brigando e uma diz para a outra ''Sos un boludo''. É quase o mesmo que dizer ''Você é um imbecíl, um idiota''. 
Mas também não é tão restrito assim, você pode muito bem dizer para uma pessoa aqui, na boa: ''Che, boludo, que comida rica'', ou também pode-se usar como adjetivo: ''Esa pregunta es una boludez''.

- Você também pode usar boludo para chamar alguém: ''Boludo, venite que te estamos esperando''. Mas sempre e quando há confiança para fazer, se é amigo. Não vai dizer isso pra um taxista, por exemplo.

- Também existe a expressão ''hacerse el boludo''. Alguém que se faz de bobo, de desentendido. 

- Já a fala ''me estás boludeando'', significa ''cê tá brincando comigo?''.

E aqui embaixo uma propaganda da Fibertel (internet), mostrando várias situações engraçadas onde você pode ser chamado de boludo ehehe.



Beijocas, boludinhas.

Top 5: Onde ir uma vez só (e olhe lá!)

20 de abr de 2013

Voltando pro top 5, esse é pra quem vem pela primeira vez a Buenos e só porque vem a primeira vez, tem que conhecer.

Eu acho que só quem vem pela primeira vez tem que fazer esses passeios que eu vou listar aqui, ok? Lembrando que é suuuuper subjetivo e cada um visita o que achar melhor. Porque depois que você já conhece o lugar e já se torna íntimo da cidade, tem coisinhas muito mais interessantes para fazer que voltar nesses mesmo locais que eu vou listar aqui:


Caminito, Bombonera
Ó na boa, eu conheci o Caminito 5 meses depois que comecei a morar aqui. E digo, só quem nunca visitou Buenos que deve ir pra lá. Afinal, o bairro é interessantinho sim, mas cara, não precisa voltar pra lá depois não. Conheço gente que toda vez que vem pra Buenos passa lá e depois volta reclamando, eu ein! Pra que voltar? O Caminito e a Bombonera continuam o mesmo, e se não fosse por ser tão pitoresco não seria turístico  ok? Agora você que vem pela primeira vez tem que ir sim visitar as casinhas coloridas e, se quiser, passar pelo estádio do Boca Juniors.

Florida, Galeria Pacífico
Outra coisa que eu não entendo porque voltar. Os preços da Galería Pacífico e da Florida são meio exorbitantes pros turistas. Sem falar que lá hoje em dia tem que andar com 5 olhos né, dois na frente, um de cada lado e um na nuca. Mas, again, quem vem pela primeira vez tem que ir ver como é linda a Galeria e se sentir na 25 de março na Florida.

Casa Rosada, Plaza de Mayo
Ok, que a Casa Rosada é lindona, mas o que você vai fazer se voltar para lá de novo? Tirar foto com roupa diferente, né? Haha, mas o marinheiro de primeira viagem a Casa Rosada, assim como a Plaza de Mayo são paradinhas obrigatórias de cartão postal, né?

Tango Broadway
Ok, eu acho que só quem curte tem que pagar uma vez só pelo abusivo preço de um jantar num tango a la Broadway. Pra quem curte depois tem as milongas queridas, dale?

Cemitério Recoleta
Eu sou dessas que não curte fazer turismo em cemitério, mas se você vem pela primeira vez está perdoada. Agora eu realmente não vou entender se você voltar lá pela terceira vez.

Minha opinião né! Hehe, beijoca, bom finde.

A Primeira Balada

19 de abr de 2013

A primeira balada que eu fui em Buenos Aires foi a da minha festa de formatura, olha só, com 17 anos. Buenos ainda vivia sob o medo do Cromagnon e fechar uma danceteria aqui para menores não era a coisa mais fácil da vida.

Aliás, se formar no Ensino Médio aqui é muito diferente de tudo. Na boa. Eles são mais engajados. Além da viagem, que geralmente é pra Bariloche ou Porto Seguro ahaha, eles fazem a festa do Colégio e a festa particular que é na balada.

Os colégios particulares aqui são frequentados por filhinhos de papai e com isso você faz o que bem entender na tua formatura, como por exemplo: fechar a Pacha numa quinta de noite ou a Caix, outra balada enorme aqui, durante semana. Me lembro que quando eu me formei o preço desse aluguel girava em torno de 18 mil pesos, hoje acho na boa, que seria uns 40 mil, brincado.

Pra juntar esse dinheiro todo só fazendo pré festas né. O dinheirão todo não é nem só para a festa em si, que inclui locação só. E sim para as bebidas do esquenta, para a fantasia, sim, e para o trem que eles alugam (foto). Vou explicar como é:

Você junta dinheiro, com esse dinheiro manda fazer as blusas personalizadas da formatura. Sabe moletom tipo GAP? Então, eu tenho um com a data e a galera que se formou comigo não-sei-pra-que-uso-pra-ficar-em-casa.

Depois disso rola a festa. A festa é na baladona, só que rola A preparação. Tipo você aluga fantasia (!), quando a turma não resolve se vestir igual né. Na minha as meninas decidiram se vestir de Hooters, sim,  garçonete de Hooters, tipo isso da foto a direita.

Ok, além da fantasia ter sex appeal, você pega um trem (!) e nesse trem vai bebendo horrores. O que é proibido porque a maioria tem menos de 18 anos. Nesse trem da loucura a bebida rola a vontade e o trem até para na praça do Planetário pro povo encher a cara. As meninas que ficaram sem comer o dia inteiro passam mal a partir daqui já.

Quando o trem chega na balada, todos os convidados já chegaram, e a turma de formandos entra tocando tambores e fazendo maior auê (isso é legal). Aqui já está todo mundo muito bêbado.

Depois é só ''curtir'' a balada.

Enfim, a minha primeira balada aqui, então, foi a minha formatura. Eu tinha 17 anos, vestida de Hooters, morrendo de vergonha e completamente sã porque não bebia pela minha idade.
A minha cabeça só girava porque eu não entendia nada, não entendia como a balada deixava reservar uma festa de formatura para menores de idade (!), daí que me falaram que quem reserva são os pais né, e com isso não tem nada a fazer. As meninas, que não tinham comido nada o dia inteiro, passando mal de dar vexame, vomitando, caidas no chão, um desastre, eu ein! Vai crescer e comer, chica, depois tu bebe.
Eu só me lembro que entrei na balada as 2h e sai as 3h30, ''Pai, vem me buscar''.

Interessante, né? NOT.

Meu bar preferido: Frank's

18 de abr de 2013

Existem lugares e Lugares. Existem pessoas e Pessoas. Existem comidas e Comidas. Existem bares e BARES. Existem também ótimos preços em passagens aéreas para Buenos Aires. Rimou.

Eu fiz, faz um tempinho já, um post pros Destemperados (aliás me segue lá) contando sobre o bar que eu mais amo na vida, o Frank's. Demorou mas, chegou a hora de trazer ele pra cá, né?


Frank's é um bar speakeasy, ou seja, de fora você não sabe que é um bar. Ok? Para entrar tem que ter senha. Mas isso não é nada mais que uma brincadeira bem legal que o bar propõe: durante a semana rolam pistas no facebook e no twitter do local dando dicas para você adivinhar a charada.


Geralmente é fácil, procura no Google que você acha. Chegando na porta você diz a senha, ganha outra senha para discar no orelhão e listo: você entra no callejón do bar. Uma área apta para fumantes que tocam músicas dos anos 20. AMOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO.


Lá dentro, o clima é bem intimista, mistura sensualidade e elegância. Sim, todo mundo aqui é bem vestido, com classe.


Classe também tem as senhoras garrafas do bar. Que fazem desse monumento um dos melhores bares do mundo e o melhor da América Latina, afff quanto amor.


Eu digo, se quiser me achar em BUE vai no Frank's, na boa.


O bartender magya da foto, segundo as meninas, é o Edgar. Super legal, pede algum trago pra ele que ele faz com o maior carinho. Aqui ele tava me fazendo o Ginger Martini, o drink que eu mais amo na vida.


Se você consegue um lugar na barra vai se deliciar com alguns shots grátis de vez em quando. Aliás o clima por lá é tão delícia que do nada, assim, as vezes, os próprios bartenders param para brindar por qualquer coisa. Demais.


Já o Seba é um pouco mais sério, mas não menos legal. É que ele é o jefe de la barra, sabe? Logo, ele tem a responsabilidade de levar adiante o nome do Frank's. Mas ele é super legal, é vero. Da última vez que eu fui, no dia que eu fui gravar o programa com a Band, era aniver dele, e ganhei um shot de Piel de Iguana para comemorar o aniver. Gente, é mais forte que a tequila mais forte que eu já tomei.


Enfim, se você vai ao Frank's tem que pedir algum trago, ok? Não me venha pedindo Coca, cerveja, vinho, PELOAMOR! Pede pelo menos, um Negroni, clássico com Campari, Vermouth e gin. Pede esse pro Seba.


Já o Treacle de rum, suco de maçã, bitters e limão. O Edgar faz esse beeeem doce.


O Port of Spain, deixa pro namor pedir, porque é forte.


Depois foi a vez do Ginger Martini. E antes que eu diga que foi o melhor drink da noite, o menú do Frank's é bem legal, explica o sabor certinho de cada trago: se seco, se frutal, se forte, etc. Enfim, o Ginger Martini é assim, a melhor bebida que você pode pedir na barra, sério mesmo. Eu sou dessas que acha que tudo com gengibre é mais gostoso. Qualquer um lá faz bem, o Gastón, que é outro bartender o faz bem também.


Aliás o Gastón tem por excelência o melhor feito do Cucumber Martini, com pepinos. Meus amigos dizem que esse é o melhor drink da vida.


O máximo do básico que você pode pedir ali é um Cuba Libre.


E eu sempre finalizo pedindo algum especial pros chicos. O Edgar me faz esse aqui com frutas vermelhas, amazing! E o Seba faz uma vez um Ponche com ginger e frutinhas também. Amo muito essa vida.


Frank's Bar
Arevalo 1445 - Palermo Hollywood
www.franks-bar.com
Preço de cada drink: 70 pesos.

O Frank's é um dos meus lugares preferidos em Buenos Aires e não, eles não me deram nenhum drink de graça. 
E ah, aqui tem passagens para a Argentina, se você, como eu, amou o Frank's.

Medianeras por Buenos Aires

17 de abr de 2013

Eu sou dessas viajantes nada sensatas que sai atrás de filmes para bolar roteiro. Tipo guia Amelie Poulain de Paris, ou guia A Roma com Amor, para Roma, etc. Por isso hoje tem um especial pra quem quer vir pra cá sonhando com cenas de filme.

La película mais querida pelas chicas do blog ganhou um post especial, Roteiro Medianeras por Buenos. Fiz o favor ahah de ver o filme de novo, só pra poder armar aqui um passeio especial passando pelas locações escolhidas pelo diretor. Vem ver.

- Avenida Santa Fe 1105 e 1183: casa Martin e Mariana respectivamente. Ambos ficam na Santa Fe esq. Cerrito (9 de Julio).
- Planetario: construção preferida da Mariana. Passeio delícia, fica em Palermo na Avenida Figueroa Alcorta. www.planetario.gov.ar



- Avenida Alvear 1: onde eles se cruzam pela primeira vez quando a senhora morre.
- Avenida Alvear esq. Libertad 2: onde dá a cena mais linda do filme, quando eles se cruzam e fazem o coração com as cabeças.


- Plaza de Cataluña: onde Martin passeia o cachorro.
- Plaza Vaticano: onde Martin passa pra levar o cachorro para passear.
- Edificio Comega: Avenida Corrientes, 222. Antigamente tinha um restô lá em cima no qual se via toda a cidade, hoje já não tem mais - www.edificiocomega.com.
- Bairro Belgrano: onde foi usada a maior parte das locações de rua.
- Edifício Kavanagh - Túlio do Aires Buenos fez um post excelente sobre a história do prédio (ela também é contada no filme, corre aqui pra ler). É um dos prédios mais omnipotentes da região.
- Travessa Corina Kavanah, fofa.
- Palácio Anchorena, lindo na foto embaixo.


- Basília Santíssimo Sacramento.
Todos esses de cima, são pertos um do outro, ok?
- Restaurante Azul Profundo - www.azul-profundo.com.ar - restô que ela vai jantar com o nadador que broxa. 

Mapinha!



Curtiram?

Guardiola, a delícia de Las Cañitas

16 de abr de 2013

Hoje é dia de comidinha natureba, bem levinha e delícia num bairro bem gostoso e, que, faz tempo que não aparece no blog :). Babem.

Hoje é dia de Guardiola, um lugarzinho bem especial ali em Las Cañitas com ares de eco-friendly fofo e helados naturais. Como não amar?


O espaço é bem grande e cabe todo mundo, tipo coração de mãe. Tem tons em madeira pela casa inteira e tudo cheirando a novo, amo muito.


O grande diferencial daqui são os sorvetes, bem naturais, bem deliciosos e diferentes também. Fugindo um pouco do só clássico, doce de leite. E olha que maneira lindaaaaa de meldeus de mostrar as variedades!


Pois é, tudo tão fofo! Apaixonante.


E outro detalhe bem legal, é a decor escrita. Várias frases soltas pelo salão, com um toque de romantismo em livros até. Dá uma olhada:


Eu queria poder tomar café da manhã aqui todo dia viu? Só pra acordar e ficar inspirada desse jeito tipo esse quadro negro. Ih, rimou eheheh.


Eu fui lá com o pessoal da assessoria estudantil, Universo Buenos Aires. Lembram que eu falei deles aqui? Pois bem, um dos pedidos foi esse wrap delicioso de frango com batatas douradinhas e afogadas no orégano.


Outra pedida foi essa salada de frango com abacate e alface roxa. É normal sim usar abacate na salada, ok?


E outra pedida foi a salada de salmão que estava bem delícia também, com toques de abacate. Se a fome é grande vai de wrap, e se a fome for monstra vai de salada, sério a minha não comi nem metade ehhee, muito bem servida!


Pra acompanhar dois sucos generosos: um de cenoura com pólen de abelha (sim, fui eu quem pediu ehehe) e uma limonada com gengibre. A limonada não tinha erro né? O suco de cenoura eu digo que foi uma surpresa agradável, um pouco diferente, mas mesmo assim amei.


ÓBVIO que não íamos sair dali sem provar o sorvete! Um dos pedidos foi esse aqui com doce de leite e creme. 


Outro de creme de nozes com avelã.


E o meu que tinha em cima frambuesa e embaixo doce de leite. GENTE! Eu queria um Guardiola do lado de casa por conta dos helados, juro! Eu achei o de doce de leite deles melhor que o de muitos outros lugares viu? Aliás todos nós amamos.


Afff, xonei <3.


Guardiola
www.facebook.com/holaguardiola
Jorge Newberry 1967 - Las Cañitas.
Preço por pessoa: $80 pesos aproximadamente.

Pitada de sinceridade: de verdade o sorvete deles é uma delícia. E Las Cañitas estava precisando de algo novo pela redondeza. Não vi nada de errado por lá. Achei nosso garçom simpático, as opções de menu boas, nada a salientar.

Assim viro vegan!
SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .