Baladas, Reloaded

28 de jun de 2013

GENTE, esses dias estava notando como eu estou FORA-AFUERA-OUT do circuito baladas. Na real, eu não curto né. Acho que não estou numa fase de guentar lugares lotados, cara bêbado dando em cima e som muito alto. EIKE que estou velha ahaha, enfim, mas o blog é democrático e vou colocar aqui as baladinhas que bombam. E não me encham de perguntas porque na real eu falho nesse quesito boliches.

Ah, importante, não vou encher de descrições e só vou colocar o bairro e o meu parecer. O endereço é só acessar o site. Beijos.

Ferona: era uma balada secreta, hoje já não é mais. Dizem que ainda mantém o nível ($$$) de antes. Tem que ir pra saber, eu acho que deve ser frequentado por locais com dinheiro que são meio hipsters, entendem? Fica em Palermo Hollywood - www.guiaoleo.com.ar/Ferona-club-social.

Mstrpln: é uma festinha que rola de sexta-feira na Crobar. Tenho um amigo, o Murilo Tartaglia (ele até fez o programa da Band comigo) que é relações públicas de lá. Ou seja, se quiser entrar até a 1h30 da manhã sem pagar, tem que falar que está na lista dele. Ok? Ele diz que é uma das melhores festas que Buenos Aires vem tendo. Música eletrônica, pop, whatevers: www.facebook.com/FiestaMSTRPLN -fica em Palermo também, perto do Rosedal. Aliás, Crobar é boa também, não só na sexta como na quinta e no sábado - www.crobar.com.ar.

Makena: é a que eu ''mais'' vou ahaha. Só toca música boa tipo rock, soul, funk. Cada dia da semana é um som diferente. Tipo de domingo é noite soul, então rola muito funk, muito Antena 1 (quem é de SP sabe do que eu estou falando) e muita gente que só quer dançar mesmo. Não tem dress code, nem paga pra entrar e é super simples, mas eu amo mesmo assim porque poxa, só tem música boa e ao vivo também. Palermo Hollywood - www.facebook.com/Makena.



El Patio del Liceo: não é balada, mas o clima que rola de sexta-feira lá é como se fosse. É tipo um esquenta, sabem? É frequentado por um pessoal meio alternativo, nada contra, mas vou alertar só né. E é bem simples também, vale a pena. O lugar é lindo, bem do século 20, fica lotado das 22h até meia noite. Adoro. www.facebook.com/Galeria-Patio-del-Liceo - Palermo.

Unicorn Huset: bar-balada não muito novo que tá dando o que falar porque tem comida boa, gente bonita e de dinheiro. É meio hipster também, mas acho legal. www.facebook.com/unicornhuset - Palermo Soho.

The Roxy: uma das baladas mais frequentadas por quem curte rock e música ao vivo. Palermo - www.facebook.com/TheRoxyLiveBar. Já falei dessa balada aqui.

Kika: balada clássica já da cidade. Toca de tudo, enche lota de gente. De terça-feira rola uma festa chamada Hype que é bem legal. Ir de sexta ou sábado é pedir pra morrer amassado. Palermo Soho - www.facebook.com/kika.listafree (nesse site também tem nomes pra vocês entrarem grátis).

Rosebar: outra preferida dos brasileiros. Fica em Palermo também e tem umas duas pistas grandes e toca de tudo, desde pop internacional até reggaeton. É bonita e tem dress code: meninos de tênis não entram e meninas mal vestidas também não. www.facebook.com/rosebarsoho - de quinta rola happy hour com um pessoal de 28-30 anos que é bem legal (lista do Gus Rey pra entrar grátis).

Asia de Cuba: acho que nem preciso comentar. Todo mundo sabe que essa balada é a mais turística de todas. Não é ruim, não é boa, é tipo ok. Fica em Puerto Madero - www.facebook.com/asiadecubaoficial - lista do Daniel Añon pra entrar.

Jet Lounge: é uma das mais legais se falamos de baladas clássicas. É linda, pequena, só tem gente bonita. Acontece que os seguranças, às vezes, são meio chatos e se não vão com a tua cara, não te deixam entrar. Até uma hora entra de graça, depois tem que pagar uns 150 pesos mais ou menos. As noites boas são as de quinta, sexta. Sábado é legal também, mas como tudo na vida: é cheia. Fica na Costanera - www.facebook.com/Jet-Lounge. Já comentei da Jet aqui nesse post ó.

Algumas outras na Costanera: Caix, Pacha, Terrazas e Tequila. Dessas a Caix é mais para joves de até 25 anos (no link tem nome de lista). Depois Pacha tem muito gringo porque argentino mesmo não curte muito eletrônica. Terrazas deve ser a maior balada da cidade, cabem umas 3mil pessoas. Tem várias pistas e música para todos os gostos, acho legal ir lá de quarta quando rola o happy hour delícia cheio de cara bonito, né. Sábado LOTA demais e tem que ter muita paciência viu? Depois a Tequila é a mais bambam aqui, e nem sei como faz pra entrar hoje.

Shamrock: todas sabem que nesse pub no andar de baixo tem uma baladinha chamada Basement, né? É mais ou menos. Recoleta - www.facebook.com/shamrock.basement. Aqui post do local.

Araoz: é uma outra que fica em Palermo, claro, que de quinta tem noite hip hop, de sexta e sabádo de tudo. Desde pop até reggaeton, é normal - www.facebook.com/ClubAraoz.

Liquid: outra normal que fica em Palermo ahaha, na Avenida Santa Fe. Não tem muito o que falar dela, é só mais uma. Mas toca mais reggaeton, cumbia, até Michel Teló rola, pra quem curte é ótimo - www.facebook.com/pages/Liquid-Bar-Buenos-Aires.

Picos...
Niceto Vega esquina Humboldt - Palermo Hollywood: nessa esquina tem de tudo e mais um pouco, tem o Niceto Club (festas super legais), The Roxy Live (que comentei em cima). Por ali tem uma tal de Ink, uma tal de Rusty e uma tal de Esperanto. NÃO VÁ.
Por ali também tem MUITOS bares: El Tiki que é meio de surf, Carnal que é meio reggae com uma terraça bem legal em cima, Bangalore que é super conhecido e delicioso e, claro, Frank's.

Plaza Serrano é outro super pico, mas que não tem nada de MUITO legal. Talvez indo pra Plaza Armenia seja mais legal. E também Las Cañitas (Baez esq. Arevalo) - aqui tem os bares que eu mais curto por lá.

Honduras 5300: bombada essa rua. Por ali fica o Kika, Belushi que fica do lado do Kika que nunca fui, Congo que é um bar bem gostoso e etcs.

Não vá nunca: Esperanto, Ink, Maluco Beleza, Pizza Banana. E aqui tem outro post de balada.

Me esforcei.

Möoi: delicinha de Belgrano

27 de jun de 2013

Eu morei por muito tempo em Belgrano, tipo 6 anos. E sempre senti que o bairro era mais residencial que outra coisa. Mas, grazadeus, com o tempo foram aparecendo lugares delícia por lá. 

Tipo o Möoi. De comida contemporânea, fresca, cheia de frutas e decor colorido, a casa vintage em Belgrano encanta a qualquer uma.


Tudo ali tem um aspecto meio DIY, sabe? Eu adoro. Acho que na real o que difere o Möoi dos inúmeros cafés-restaurantes que Buenos Aires tem, é a localização e a comida colorida cheia de frutas frescas.


E ah, também agora tão rolando por lá umas aulinhas de bordados, pinturas, culinária. Acho tudo muito válido.


Tem um pessoal que diz que o Möoi é restaurante de abuelas. Isso porque no inverno eles sempre têm guiso de lentilhas, sopas diversas, comidinhas que avó mesmo faz, além dos cursos de bordados e costura que já comentei antes, que fazem sucesso por lá.


Enfim, a comida é sempre boa. Além dos sucos serem um sucesso, eles também tem drinks. E ah, nem vem, qual problema de tomar um traguinho à tarde? Esse aqui tinha limão, gengibre e vodca. Mas era tão fraquinho que parecia suco.


E esse outro tinha, claro, maracujá, sake e algo mais que não me lembro. Fora as sementes, estava uma delícia.


E a comida é sucesso também (vale dizer que as meriendas deles são um must, eles têm um cardápio bem generoso, atenção pra ''natural'' tem um iogurte que meudeusdocéu é maravilhoso e cheio de arandanos/ blueberries). Pedi nesse dia cordeiro com berinjelas e saladinha. Babando.


Möoi
Cuba 1985, Belgrano.
www.facebook.com/Mooi

Pitada de sinceridade: um dos melhores do bairro. Belgrano ainda não tem muuuuito a oferecer gastronomicamente, então o Mooi super se destaca. Mas como o bairro é meio classe média alta, as pessoas são meio nariz empinado, mas nada que deixe você desconfortável. O local é grande, e às vezes, rola uma demorinha para ser atendido.

De abuela ou não, eu adoro.

E quando é ao contrário?

26 de jun de 2013

Eu sempre estou aqui falando e falando sobre chicos argentinos e tal, mas e daí imagina se é ao contrário? Quando uma chica se apaixona por um brasileiro? Isso também é possível e vou contar um caso real.

Eu tenho uma amiga que se chama Josefina. A Jose sempre viajou muito pelo mundo, foi pra Turquia, pra Europa, pra China. Ela ainda quer ir para a Índia, fazer intercâmbio por lá. Só assim - ela disse - que segura o facho, mas enfim. Ela é de província, portanto nem podemos considerá-la como uma porteña, ok? Mas é bem argentina, permita-me Jose: histérica, cheia de mimimi, fala alto, é magra de ruim mas come muito, e é de bom coração ehehe.

Só rezando...

Certo dia, nós saímos juntas para um intercâmbio de idiomas num bar aqui da Capital. Lá conhecemos um brasileiro. O menino ficou a noite inteira falando com a Jose (que já achou que ele estava dando em cima dela, mas né não falo nada). Passada a noite, ela toda contente vem e comenta:

Jose: ''Amy, no sabés, Daniel me pidió el teléfono!''.
Eu: ''Bien, Jose! Te dijo para salir?''.
Jose: ''Sí, boludaaaaaaaaaaaa mal, estoy emocionada, me invitó a tomar mate en el parque porque quiere conocer un buen mate''. Prestem atenção aqui na EMOSSAUM da menina, ok? Prestem atenção, também, no exagero.
Eu: ''Bueno, tranqui e, que los brasileros son diferentes de los argentinos.''
Jose: ''Sí, boluda, pero es hombre. Es obvio que quiere algo más. Si no no me había invitado a tomar el mate en el parque.''

Eu não queria estragar a noite da menina, mesmo porque corria o risco dela falar que eu estava com inveja dela ahaha. Mas né, vai vendo. Dois dias depois do mate.

Eu: ''Y Jose, como te fue con Daniel?''.
Jose: ''BOLUDA, TE PODÉS CREER QUE LLEVÓ DOS AMIGOS?''.
Eu: ''Bueno, yo te quería decir eso, que con los brasileros es distinto, pero no me escuchaste.''

Jose: ''No puede ser, Amanda! Me invitó, me entendés? El me invito a mí para un mate, no yo.''
Eu: ''Sí, Jose, pero es un mate no es una cena, no es un cine. Es más, los brasileros son medio rápidos, si quieren van directo al punto. Ponele, en el día del intercambio ustedes estaban medio borrachos ya, podría haber pasado algo, pero no paso.''
Jose: ''Ay Amy, vos lo querés al brasilero!!!!''.
Eu: ''BOLUDA, no obvio que no. No es mi onda, pero te aviso porque sé como son las cosas por allá.''
Jose: ''Sí, igual yo creo que el todavía quiere algo conmigo pero es tímido''.

Ok, pensa na pessoa menos tímida da face da terra. Pensou? Esse era o Daniel, não tinha MOTIVO pra ela acreditar que ele era tímido, mas ok. Passados alguns dias, eles saíram de novo, pra um mate de novo. Acontece que o Daniel queria mesmo a amizade da Jose, e como todo  brasileiro se ele quisesse algo a mais, já o teria feito.

As argentinas entendem que: se vocês convidam elas pra qualquer coisa que seja (mate, cinema, janta) é porque VAI rolar algo. Caso contrário não há saída. E isso acontece com os hermanos também, chicas. Se eles te convidam pra algo é porque estão interessados. Quase não há amizade entre homem e mulher aqui. Aliás, é muito raro. Enfim, a pobre da Jose ficou super iludida. Daí eu fui falar com o Daniel.

Eu: ''Daniel, tá sabendo que a Jose achou que você queria ficar com ela né?''.
Daniel: ''Tá brincando!''.
Eu: ''Sim, tu chamou ela pro mate e ela já fez a maior cena, comprou até bombilla nova.''
Daniel: ''Hahhaha, meu! Não é possível, era um domingo à tarde, um mate. E eu ainda disse para ela que queria aprender a fazer mate e por isso combinamos de ir pra praça''.
Eu: ''Pois é, e você ainda levou amigos''.
Daniel: ''Po, claro ahhaha.''
Eu: ''Enfim, cuidado, saiba que se você chama uma argentina pra sair é porque você está interessado nela.''
Daniel: ''Mas e aí, ela tá afim?''


BEM TÍPICO PAPO DE BRASILEIRO, NÉ?

Conversa vai, conversa vem. Óbvio que depois o Daniel queria algo com a Jose porque eu tinha dado a cartada final. Coisa de brasileiro. Eles saíram, a pobre da Jose acha até hoje que ele sempre gostou dela.

Enfim, depois da saidinha ela gamou no menino. Me disse:
Jose: ''Ay Amy, no sabés como con Daniel nos entendemos''.
Eu: ''Sí?''
Jose: ''Sí, o sea, me hizo sentirme como una reina. Como que me daba de la mano, me hacía cariños en el pelo, me olía.''

Ok, vou parar por aqui. Argentino, geralmente, não anda de mãos dadas (a não ser que sejam namorados há tempos), não tocam no cabelo da menina e nem tem mania de ''cheirar'' teu rosto. A Jose quando viu que o Daniel fazia tudo isso, pirou. Aí eu digo: brasileiro trata super bem a menina, leva ela pro céu, mesmo que seja só por uma noite.
E é isso que a Jose não entendeu. Óbvio que o Daniel ia ficar com ela, óbvio que com ziriguidum iria tratá-la bem, acontece que morreu aí, na areia branca perdida. E aí, fia, a Jose não me deixa mais em paz, porque não entende como ele pode ser tão apaixonado por ela numa noite e não a ter procurado mais. E não adianta falar que brasileiro é diferente.


Meninos, acho que num geral a argentina sente falta de carinho. Se você quiser fazer a mina se apaixonar faz tudo isso que eu disse que o Daniel fez com a Jose. Senão vocês serão um argentino há mais só.

Brasileiro envolve, o argentino complica.
Brasileiro pega na mão e leva pra cama, argentino leva pra cama e não cheira teu rosto.
Brasileiro não faz muito o jogo do flerte, argentino é fanático.
E aí, vocês tem preferência?

A Volta

25 de jun de 2013

Eu tinha até programado um outro post pra hoje. Um post de comidas, poxa, eu gosto muito de gastronomia. Mas, resolvi fazer diferente.
Isso aqui é meio improvisado e é, também, um pouco do que rolou nos últimos dias.

Meu aniver foi dia 20 (eba, todascomemora), e resolvi passar ele comemorando com a família. Coisalinda né. Peguei uns dias no trabalho, comemorei do dia 19 pro dia 20 num bar no Centro (depois faço post da delícia que foi) e fui virada sem dormir pro Aeroparque num voo das 7h da manhã.

Ocorreu tudo tão bem: sem atrasos, sem turbulência e 9h30 eu estava em São Paulo. Gente, tão rápido! Fiquei pensando nisso, são apenas 2h30 de ida e 3h de volta (deve ser porque eles fazem uns caminhos alternativos e a volta sempre demora mais). Mas enfim, é tão rápido. E mesmo São Paulo afundada em manifestação foi incrível.


Conheci pessoas super legais, gente diferente, revi minha família e alguns amigos. Engraçado como a gente vai ficando seleto com o tempo né.
Nisso tudo eu sempre vou pensar em voltar para o Brasil. Acho que morar fora é uma escolha que fazemos todos os dias e sempre vou amar ambas cidades, taí a vontade de ter uma vida - e um emprego - que me permita estar entre SP e Bue quando eu bem entender.

Se engana quem pensa que Buenos Aires é perfeita e se engana quem pensa que São Paulo é só um caos. Assim como também se engana que pensa que Buenos é uma loucura e que SP é a maior lindeza da vida. Cada cidade tem seus altos e baixos e encontrar encanto nelas, depende da gente.

Eu mostro nesse blog aqui, uma BUE inspiradora, linda, encantadora. Que eu faço questão de procurar, revirar. Assim como a capital porteña tem seus altos e baixos, SP também tem.
Confesso que sempre fui meio teimosa, tanto tempo morando longe do Brasil não me permite pensar em tentar construir uma vida lá. E acho que enquanto eu estiver aqui eu vou pensar nisso. Fazer uma lista de prós e contras ajuda, mas não é e nem nunca vai ser suficiente.
Acho que a gente tem que perder mesmo o medo de uma vez por todas, né?

E daí você pensa: e aí, Amanda, por que que você está falando tudo isso?
Simplesmente para mostrar que morar fora é a melhor e pior coisa da vida. Ok, meio exagerado.
Mas morar fora é, como eu disse antes, uma escolha diária. Estar longe das pessoas que você ama é um desafio constante. Da mesma maneira que eu amo Buenos, eu entendi que posso voltar a amar São Paulo. Mas e daí, como ir embora dessa cidade? Não tem como. E como ficar longe da família e amigos? Também não tem como. E um São Paulo para Chicas, tem como?

Cineminha delícia!

14 de jun de 2013

Taí uma coisa que eu adoro fazer e não comento muito aqui, né? OMG, cinema nunca vai sair de moda!

Por isso, vou sugerir uns cinemas bons em BUE para vocês irem. Mas, antes vocês tem que saber que:
- Cinema aqui não é tão super produção como o pessoal de SP está acostumado, me incluo nisso.
- Aqui existem muitos cinemas de rua.
- Não, não há meia entrada, nunca houve.
- Geralmente a primeira sessão rola às 13h e a última às 2h da manhã.
- As legendas em espanhol não são impossíveis de ler, mas filme dublado pra quem não sabe o idioma, complica.


Cinemark Alto Palermo: é o mais frequentado. É de rua e fica atrás do Shopping Alto Palermo. Tem bastante salas e opções boas de comida no Shopping mesmo ou na galeria Paseo del Sol, onde tem vários barzinhos, sem frescura que você pode ir depois da sessão. www.cinemark.com.ar - Beruti 3399, Alto Palermo.

Belgrano Multiplex: brinco que é cinema de família. Fica no bairro de Belgrano e tem duas sedes que pertencem ao mesmo cine. É um dos que eu  mais curto porque é sempre tranquilo durante semana e o bairro é bem agradável. Pra comer ali perto tem de tudo na Avenida Cabildo e nos cafés Martinez Mooi, ou na pizzaria Los Inmortales ou no restô de comida argentiníssima, 1810 na redondeza. www.cinesmultiplex.com.ar - Vuelta de Obligado 2199, Belgrano.

Village Recoleta: é um dos que mais salas tem. Fica no Shopping Recoleta Mall que, antigamente, era só de cinemas. Reformaram e hoje tem loja. As salas estão novas e por ali tem muita coisa boa: Friday's, McDonald's e todos os outros restôs da Recoleta que já passaram pelo blog. www.villagecines.com - Vicente López 2050, Recoleta.


Hoyts Dot: é o mais legal porque tem aquela sala vip que eu já coloquei aqui no blog. Eu acho que só vale a pena se deslocar até lá por essa sala em questão. Fica no shopping Dot que tem uma boa leva de comidas na praça de alimentação. www.hoyts.com.ar - Vedia 3626, Saavedra.

Cinemark Puerto Madero: talvez o de localização mais legal. Fica à beira do rio e do lado da sorveteria Veneciana (o helado de mousse de chocolate deles é incrível). www.cinemark.com.ar - Av. Alicia Moreau de Justo 1920, Puerto Madero.

Porque nem todo finde tem-que-ter badalação.

5 lugares para comer no Inverno

13 de jun de 2013

Uma seleção de inverno para calentar el corazón en Buenos Aires:

Comer fondue: La Rosadita.
Acho fofo o jeito que os argentinos pronunciam fondue. ''Fondiú''. Bom, aqui não tem muitooooos restôs de fondue, mas um bem gostosinho e que tem-que fazer reserva antes de ir, é o La Rosadita. Fica em Palermo, está sempre cheio de gente, e é uma boa pedida. Thames 1696, Palermo Soho - www.facebook.com/LaRosaditaRestaurantdeFondue.

Tomar sopa: Flora.
Eu já falei do Flora aqui no blog. É um café bem escondidinho em Acassuso, que eu amo tanto. Para chegar até lá dá uma olhada nesse post aqui. Enfim, Flora tem trazido muitas coisas gostosas nesse inverno, mas uma das preferidas é a sopa de abóbora. Maravilha. Eduardo Costa 926, Acassuso - www.facebook.com/flora.delideco.


Ao ar livre em Puerto Madero: Happening.
Contrariando as estadísticas, é possível sim comer em Puerto Madero do lado de fora do restô aproveitando o visual do rio. O Happening tem uma área super gostosa com uma calefação potente que não deixa o jantar-almoço perder o charme pelo frio. Alicia Moreau de Justo 310, Puerto Madero - www.guiaoleo.com.ar/Happening.


Provar o locro: La Cocina.
Locro é um dos pratos mais tradicionais da cozinha argentina, vai milho, zapallo, feijão branco, linguiça, ossobuco, pimentão. É um restô que fica dentro de uma galeria no Centro da cidade, mais precisamente na rua Florida. É também um dos locros mais tradicionais da cidade. Florida 142, loja 61, dentro da Galeria Boston - www.guiaoleo.com.ar/La-Cocina.

Cafécito escondido: Voltaire.
Da série cafés que não podemos tirar foto, fica numa esquina de Palermo Hollywood de mesmo nome. O local é tão pequeno que só de olhar dá calorzinho. Sempre tem sopa do dia, lanches, saladas. A pedida aqui é vir durante a tarde na semana que está mais tranquilo. Ah, eles tem mousse de doce de leite com pedaços de chocolate. Carranza 1946 (esq. Pasaje Voltaire), Palermo Hollywood - www.facebook.com/Voltaire.Coffee.


Brrrr.

Sorteio Secreto!

12 de jun de 2013

Como vocês sabem, final de semana passado eu gravei o vídeo do blog com as meninas do Proyecto Siesta. Os lugares pelos quais passamos são lindos e só um deles foi ao ar no blog, a doceria Les Croquants.

Nisso eu conheci uma das lojas mais lindas EVER da cidade. Cheio de utensílios de casa que deixam qualquer pessoa doente. Então eu pensei num concurso bem legal para poder brincar com o segredo que estou fazendo com essa loja até o vídeo do blog ir pro ar, finalmente.

Ph: Proyecto Siesta.

Como o nome da loja é secreto e estou fazendo suspense, pensei numa brincadeira legal.
Seguinte: Buenos Aires Secreta!

Tudo mundo tem um lugar em Buenos que é sua relíquia, né? Pois bem, pra participar do sorteio tem que:

1) Deixar um recado no mural do Buenos Aires para Chicas no facebook dizendo qual é seu lugar secreto em Buenos Aires.
Exemplo: ''Meu lugar secreto em Buenos Aires é a loja de empanadas da Maria em Caballito, que vende empanadas ao forno com espinafre.''

Se você nunca veio à Buenos, pode participar dizendo qual lugar você morre de vontade de conhecer, mas que seja algo diferente (Caminito, Puerto Madero, Casa Rosada e demais pontos turísticos não valem).
Exemplo: ''Eu morro de vontade de ir no Les Croquants porque parece que os cupcakes deles são deliciosos.''

2) Convidar os amigos para curtir a sua frase e curtir o Buenos Aires para Chicas no facebook. Mais curtidas, mais chances de ganhar. Exemplo: 10 curtidas, 10 chances de ganhar. 20 curtidas, 20 chances de ganhar, etc.

Quem pode participar: qualquer pessoa, que more em Buenos Aires ou no Brasil.
Prêmio: segredo, óbvio.
Rola até dia 17 de junho, segunda-feira às 11h. Nesse dia à tarde eu faço levantamento das pessoas que participaram direitinho e aviso quem ganhou lá pras 19h.

Sorte, participem que prometo que vai ser algo bem lindo. 
E ah, o nome da loja eu revelo semana que vem :)

8 Táticas Argentinas pra Superar o Frio

11 de jun de 2013

Inverno! Procurando por passagens aéreas para Baires? Faça sua pesquisa em todas as linhas aéreas de uma só vez no Decolar.com e venha sem estresse!Eu sei que o inverno é sempre um dilema pra vocês. Aqui vão algumas dicas bem básicas que os argentinos usam para guentar o tranco.

1 - Caminhar na calçada do sol.
Sim, simples. Simplesmente se tem que andar na rua, ande sempre pelo lado que tem sol. É até engraçado, em dias bem frios a calçada da sombra fica vaziiiiia.

2 - Tirar o casaco dentro de estabelecimentos fechados.
Nem que seja por 5 minutos, entrou na loja, no restaurante, no bus, tira o casaco. Isso é pra você acostumar o corpo a saber que lá fora está frio e, obviamente, dentro do local está mais quentinho.


3 - Ficar sem blusa em casa.
Por mais que seja ruim de acostumar, não ficar de blusa em casa nem lotada de cobertor é uma saída boa. O corpo vai acostumando aos poucos.

4 - A saidinha para fumar.
Ainda que você não fume, essa saída de fora de casa ou do bar-restô para furmar é uma boa para manter a temperatura. Sentir, de vez em quando, o frio de fora ajuda a manter a mesma num nível agradável.

5 - Sair para tomar sol.
Durante o trabalho, ou durante o dia mesmo, é bom sair de vez em quando e ficar de cara pro sol. Esquenta gostoso.


6 - Usar cachecol até a boca.
Sim, usa mesmo assim fica protegido o ar que você inala pela boca.

7 - Mate até na rua.
Sim, mate quentinho sempre ajuda a manter a temperatura.

8 - Esperar o bus escondido.
Na fila do ônibus é normal ver uma galera encostada na parede para receber a menor quantidade de vento na cara, possível.

Quero ninguém reclamando do frio.

O flerte

10 de jun de 2013

Como argentino gosta de flerte, né?

Esses dias saí com uns amigos que brasileiros que estavam por aqui. Foi muito engraçado porque muita gente que lê o blog, às vezes, comenta que realmente o que eu falo dos argentinos é real.
Que as meninas daqui são histéricas, fazem de tudo pra chamar atenção dos meninos e quando eles, finalmente, vão falar, elas se fazem de gostosonas e não dão bola pra eles, é uma das coisas que o pessoal mais repara.
Seguida, do flerte.
Argentino ama essa coisa do flerte, de paquerar, de olhar.
Ele te olha na rua, acompanhada, desacompanhada, num bar, num restaurante, na fila do ônibus, no caixa eletrônico, na academia.
O argentino é galante, sabe? Sabe se fazer conquistar em dois segundos. Só com o olhar. Calma, não estou apaixonada, pelo contrário. Essa coisa de observar mesmo vem justamente pelo fato de que consigo sair da minha bolha e me abster a tudo, ou quase tudo.


Argentino é galante. Te olha entre as costas do menino que está saindo contigo. Ri para o amigo do lado e esboça um sorriso sarcástico de lado para você. Mas não faz mais nada.

Argentino, acho, que acredita em destino. É o único motivo pelo qual eu acho que ele é tão passivo depois do flerte. Passivo mesmo, de não sair da cadeira e não falar com você, nem isso. Acho que ele acredita tanto em destino que deixa você passar pela rua, sair do ônibus, ir embora do restaurante e pensa ''se for pra ser, vai ser''.

Argentino é e não é safado. Essa coisa de só olhar é engraçada. Tenho amigos que por mais apaixonados que estejam, quando saem, paqueram. Não tem nada de errado, né? Olhar não arranca pedaço. Eles dizem que é para aumentar o ego.

Então argentino é egocêntrico? Não, calma, argentino não. Porteño talvez?
Ok, sei que não devo generalizar. Mas eles são tão lindos, e transmitem tanto no olhar, qual o problema de falar?
Menina geralmente, ainda mais estrangeira, morre com esse sotaque né? Essa coisa de ouvir o sos hermosssssa.

Miren, miren, miren, mucho aqui. 

Floreria Atlántico: flores e drinks

7 de jun de 2013

Essa semana estou inspirada. Tenho uns posts bons guardados que queria compartilhar com vocês. Enfim, no meu mundo ideal, além de ter várias patisseries  tem também vários bares. Mas bares bons.

Eu sou dessas que não curte muito sair para encher a cara em qualquer esquina. Aliás, eu já fiz isso umas vezes, mas nunca curti muito. Eu prefiro beber coisas boas, preparadas por gente que sabe o que está fazendo. E Buenos é excelente para isso: tem, fácil, a melhor cockteleria da América Latina. Uma vez entendido isso é fácil sair e achar lugares que tem drinks bons, um deles é o Floreria Atlantico.


Disfarçado por uma floricultura no piso de cima, o Floreria abriu não faz muito tempo e tem como dono um dos bartenders mais queridos da capital porteña, o Tato. Enfim, pra quem não sabe aqui em Buenos temos muitos bartenders bons, o Tato é um deles.


Nesse novo bar, o que não falta é criatividade: uma floricultura no andar de cima que vende, além de flores, vinhos e discos de vinil. Ai gente, Buenos Aires é meu amor. No piso debaixo, um bar-restô com cara de inacabado que te faz pensar que você está num convés de algum navio atracado e cheio de umidade.


A parrilla ali é, também, um dos pontos altos da noite. De lá saem tantos frutos do mar como também carnes deliciosas.


Tudo aqui tem a ver com a ideia dos donos de fazer você viajar pelos mistérios marítimos: desde monstros pintados nas paredes...


... até o próprio Tato botando medo no cliente, ok, mentira, era brincadeira.


Enfim, eu fui lá e fui atendida pelo Wilfredo. Outro bartender local que além de super cortes e educado tem mãos que fazem mágica com os copos.


Pedimos o primeiro dos tragos da noite, o Scotch & Soda, com Johnie Walker Red Label, chá Earl grey e pêssego. Um mate alcóolico quase que eu amei tanto quanto tomar isso de bombilla. Amei também o copo que veio.


Eu que ando muito francesa nos meus pedidos foi do nome mais sexy do menu: Madame Ivonne.


Né...


Ok, última foto. Lindo e cheio de charme, vinha com Henessy vs, turrão de açúcar afundado no Mandarine Napoleon com Chandon Extra Brut. Ok, essa é a razão pela qual eu sempre falo pra minha mãe que eu deveria ter nascido em Paris nos anos 20.


Para comer fomos de carne cortada na colher, sim, como aperitivo. Deliciosa e melhor que a carne que eu digo ser a melhor de Buenos Aires, se é que vocês entendem o que eu digo.


Logo depois a surpresa da noite foi da pesca do dia: polvo com limão e azeitonas pretas. Ok, o Floreria tem a melhor comida de bar que eu já vi nada vida. Ou os melhores drinks de restaurantes que eu já vi em Buenos Aires.


Logo, o segundo round de tragos eu pedi auxílio pro Wilfredo que fez algo super forte mas que era lindo nesse copo anos 20, então tomei sem medo: trago especial seco e com cara de tome mais.


E finalizamos num drink que ia gengibre e soda. Lindo, perfeito.


A noite ainda acaba melhor comprando um dos vinhos exclusivos da adega de cima.


E umas rosas para deixar tudo mais romântico.


Eu não sei se é bom ou ruim, mas cada vez menos vocês vão me ver colocando bares para encher a cara. Eu curto mesmo drinks bem feitos e aprecio o trabalho dos bartenders dessa cidade. Floreria entrou pra minha lista de prediletos.

Floreria Atlantico
www.facebook.com/FloreriaAtlantico
Arroyo 872 - Recoleta.
Preço dos drinks e pratos: entre 80 e 90 pesos os drinks e 100 os pratos.

As pizzas e suas variações

6 de jun de 2013

Essa semana estou inspirada na comida, isso porque Buenos tem tanta coisa boa que, cuidado, você volta daqui com uns kg a mais. Mas pra vir e comer tudo isso que eu indico tem que comprar suas passagens aereas baratas para Buenos no Decolar.com, sim, meu jabá da vez. 

Enfim, ceis lembram da Nadja, né? Pois é, ela morou aqui em Buenos por muito tempo e de vez em quando vai fazer algumas aparições no blog. Hoje ela vem contando a diferença entre pizza, fugazzeta, fainá, etc. Acompanhem a chica pelo Se Vira nos (quase) 30!

Escrevo agora como ex-porteña, já que depois de 10 anos em Buenos Aires eu dei um "adiós" pras empanadas, pros taxis pretos e amarelos e pro Obelisco e voltei para o Brasil.


Aí esses dias fui a uma pizzaria aqui no interior de São Paulo e brinquei com meus acompanhantes que ia pedir uma fugazzeta con jamón. Puts, aqui não tem fugazzeta con jamón. Você deve estar se perguntando “que carajo é fugazzeta con jamón?". Calma, tia Nadja explica. Aliás, vou aproveitar o ensejo e falar sobre como funcionam as pizzarias tradicionais em Buenos Aires, pra quando você for em uma não ficar se perguntando o que é fainá, por que tem gente comendo de pé e, claro, o que é fugazzeta con jamón.

As pizzarias tradicionais mais famosas se concentram na zona central de Buenos Aires, especialmente na Av. Corrientes. Elas se caracterizam pela decoração despojada, por se gabar da idade que têm e, obviamente, pelas pizzas, que são meio diferentes das que a gente costuma comer no Brasil. Em geral, as pizzas lá não são feitas no forno à lenha mas sim no elétrico, e a massa é mais grossinha.

Uma coisa curiosa sobre essas pizzarias é que há preços diferentes para diferentes maneiras de comer: se você come em pé no balcão ou leva embora, é um preço; se você come na mesa, com garçonzinho e tal, é outro um pouco mais caro. Além disso, não é preciso pedir uma pizza inteira, eles vendem por pedaço (porción) - só que com menos variedades de sabores. Ah, e em todas tem empanadas também, claro!

Alguns itens do cardápio dessas pizzarias são fáceis de decifrar para quem não fala espanhol ou não conhece as peculiaridades gastronômicas argentinas (muzzarela e margherita dispensam tradução, né?), mas alguns são mais complicados. Fainá? Fugazzeta? Bom, vamos lá:


- Fainá é uma massa feita com farinha de grão-de-bico que se come em cima da pizza. Para quê? Também não sei. É um costume importado pelos imigrantes italianos que pelo jeito não se espalhou pelo Brasil.
- Já a fugazzeta é uma pizza sem molho, com muito queijo e cebola.
- Tem também a "fugazzeta rellena", que é uma pizza com duas massas separadas por uma camada generosa de queijo, coberta com muita cebola e, geralmente, presunto (a fugazzeta con jamón). Deve ter umas 19000 calorias por porção, mas é riquísima!

E onde se pode provar essas delícias? A minha preferida é a El Cuartito (Talcahuano 937), que é muito frequentada tanto por turistas quanto por locais – só não espere um atendimento maravilhoso dos garçons velhinhos de lá, principalmente com a casa cheia). Outra bem tradicional e maravilhosa é a Guerrín (Avenida Corrientes, 1368). Também há as cadeias La Continental e Kentucky, com vários endereços na cidade. Esses são só alguns exemplos, porque o que não falta em Buenos Aires é pizza boa!

Tem gente que ama, tem gente que odeia. 
Mas a real é que a fainá e a fugazzeta são deliciosas.
E ah, para junho, tem muitas promoções via Gol Linhas Aereas, com passagens a partir de R$480! E olha que junho é mês ideal para vir, não está lotado de gente e ainda é frio suficiente pra poder comer tudo isso, babando!

Defina Patisserie: Prospero Velazco

5 de jun de 2013

No meu mundo ideal eu teria um dia, se os céus quiserem e eu for ryca, uma patisserie-café. No meu mundo ideal, também, eu procuro inspirações em vários lugares, um deles eu descobri errando o caminho de casa.

Sabe dessas caminhadinhas despretensiosas que você faz sem mais nem menos? Pois é, eu errei a rua para voltar pra casa e dei de cara com a Prospero Velazco.


Me lembro que faltavam, juro 15 minutos pro lugar fechar e eu fiquei desesperada porque que tinha que provar algo dali. Né.


A casa é um amor e fica na esquina de uma viela. Pára tudo: eu amooooooooooo vielas.


A decoração é branquinha com azul, meio argentina e com coisas tão deliciosas lá dentro que eu quase nem reparei que o chefe não gostou muito da minha entrada no local.


Mas né, conversa vai, conversa vem, fiz cara de piedade e ele me disse que ok, que eu tinha um tempinho para provar algo gostoso da vitrine.


Mais uma cara de piedade e ele me explicou todo o cardápio do local, colocando o guardanapo nos ombros e explicando cada creme usado em cada combinação gostosa que ali pairava. Meus olhinhos se encheram de alegria, não só porque eu estava doida para provar as gordices mas porque, chicas, o chefe além de lindo era legal.


Rolou um flerte tão gostoso quanto história de Amélie Poulain que eu conto outro dia, outra hora, porque a ideia do post é convencerem vocês de que a Prospero vale a ida.


Não só pelos doces que são uma delicinha também.


Há uma variedade bastante legal e vocês podem pedir a sugestão.


I mean, a sugestão do chefe, por favor.


Detalhes :)


Bueno eu provei naquele dia os macarons de oliva e de framboesa que eram bem gostosos. Mas pelo clima local acabei cedendo a opinião dele...


... e fui de sobremesa crocante de chocolate com frutos vermelhos dentro. Sem comentários.


No meu mundo ideal tem várias patisseries com chefes queridos.

Prospero Velazco Patisserie
Arevalo 1947, esq. Pasaje Voltaire - Palermo Hollywood.
www.facebook.com/prosperovelazco.patisserie
Preço médio por sobremesa: 40 pesos.

Pitada de sinceridade: é tudo muito lindo e os doces, pelo menos os que eu provei, eram bem deliciosos. Fui sempre atendida com educação e cordialidade. Talvez não seja o café para você ir e ficar hoooras, as cadeiras são meio desconfortáveis.
SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .