Meus Cafés Preferidos na Villa Crespo

29 de jan de 2014

Ok, vocês já sabem que eu amooo cafecitos. Depois da edição dos posts com minha seleção de cafés preferidos na Recoleta e em Palermo Soho, chegou a vez da Villa Crespo.

Um dos bairros mais boêmios da cidade, cada dia mais ganha patisseries e locaizinhos bon vivants. Ainda não há tantos, mas os que tem valem demais. Se liga:

Malvón: o mais clássico da região
Desde teeeeempo atrás, o Malvón é o que comanda a região da Villa Crespo. Sempre os brunchs deles foram dos mais conhecidos e são tão bons que abriram até uma filial em Palermo. Quem passa pela zona dos outlets capaz que não percebe essa beleza, mas do bairro é meu preferido lejoooos. Veja mais sobre lá nesse post aqui. Calle Serrano 789/ www.malvonba.com.ar.


La Crespo: a padaria mais deli
Seguido do Malvón, pra mim vem a La Crespo. A padaria é comanda por uma família de judeus e tem comidinhas típicas. Destaco o pastrami, o brownie e tudo o que você puder provar. Dá para sentar, mas o local é pequeno (tendo paciência rola). Post completo deles aqui.  Calle Thames 612/ www.facebook.com/lacrespo.



Coisas que Você tem que Considerar Antes de Morar Aqui

27 de jan de 2014

Cada vez que passa tem mais gente interessada em vir morar aqui. Sei que Buenos é delícia e muita gente se empolga na viagem, por isso quero ser sincera no que se refere ao dia a dia aqui.

Eu amo Buenos Aires, acho que vocês sabem-perceberam, etc. Acontece que eu estou há muito tempo aqui (em fevereiro, 9 anos) e levou um tempo até eu me acostumar completamente. Pensei nesse post como um guia, com assuntos importante a serem levados em conta antes de embarcar num avião com uma mão na frente e outra atrás.


Ritmo de Vida
É o que eu mais amo na cidade, mas tenho plena consciência de que nem todo mundo iria se adaptar, Buenos Aires não é para todos. Explico isso porque as coisas aqui são sim diferentes, pouca gente usa carro, os apartamentos são muito mais caros se você quer alugar com garagem (calcule, pelo menos, dois mil pesos a mais), tudo é tarde, e o trabalho não é o motor da vida - as pessoas trabalham para viver e não vivem para trabalhar. Isso já explica muita coisa. Aqui você fica duas, três horas tomando um simples café, como eu já disse em outro post no blog. Aqui você usa transporte público, aqui vai para praças e parques sem hora para voltar. Não existe role de carro, não existe sair com carro com som alto para chamar atenção, não existe sair de tênis de marca de cores ofuscantes para deixar o outro cego. Aqui muitas coisas se fazem a pé.

Amigos
Em outro post comentei a dificuldade em fazer amigos argentinos de cara. E retifico isso: argentinos não são tão abertos como brasileiros (e acho que meio mundo é igual). Argentinos crescem com um grupo de 10 amigos, mais ou menos, que estão juntos desde a primeira série do ensino fundamental. E não se desgrudam, fazem tudo juntos e não permitem mais ninguém no grupo. Não fazem amigos de faculdade ou cursos. Aliás, podem até fazer mas, jamais, vão misturar com o grupo de 10 amigos que eles já têm. Há exceções? Claro que sim, mas não são muitas. Para fazer amigo mesmo, porteño, leva uns dois anos (foi a conclusão que eu cheguei). As pessoas de província já são mais abertas e mais receptivas. Mas depois que você faz amizade com argentino, ele é mais amigo que o teu amigo aquele brasileiro de 10 anos de convivência.


Educação
Muitas pessoas comentam que porteños são arrogantes. Não acho que sim nem que não, vejo sim que eles melhoraram muito - já seja pela situação do país ou por outras razões. Mas aqui, dificilmente, eles vão te tratar a pão de ló no bar ou no restaurante e você tem que aceitar isso. Se o garçom é mais velho, a chance dele te tratar bem aumenta, mas não vá com muitas esperanças e não leve, tampouco, para o lado pessoal. Há maneiras de ultrapassar isso, mas a mais importante delas, sem dúvida é saber ter paciência.

Estudos e Trabalho
São dois temas delicados e que vão juntos. Trouxe os dois no mesmo tópico porque o que eu quero dizer é o seguinte: aqui trabalhar com 18/ 19 anos é meio impossível. E se formar com 21 é para poucos. Ninguém até tem pressa em terminar a faculdade e vai ser normal você topar com alguém de 28 anos ainda não formado. Nem por isso a pessoa é menos que ninguém, aqui é muito normal. O argentino por default, digamos assim, mora com os pais até uns 24, começa a trabalhar com 21 anos e logo vai procurar um ap perto do trabalho. Trabalhar e estudar é possível, mas quem faz isso geralmente cursa 3 matérias do semestre e por isso a faculdade se extende tanto, e ninguém liga. Isso porque trabalho é só um trabalho. Para vocês terem uma noção, muita gente prefere trabalhar numa PYME do lado de casa do que ter que se deslocar até a província para trabalhar em uma multinacional, e isso tem uma justificativa só: qualidade de vida.


Planos a Futuro
Argentino vive o hoje. Isso é bom e não é. Eu hoje vivo pro meu dia a dia e ainda não quero me preocupar com casa, mas vai chegar uma hora que isso vai acontecer. Muita gente aqui não tem apartamento próprio e preferem guardar dinheiro para ir viajar, o argentino vive assim, desprendido de bens materiais (não todo mundo, claro, sem generalizar) e com sede de rodar o planeta. Trabalhos aqui não te dão fundo de garantia e os bancos dão financiamento, mas sempre a entrada para comprar um apartamento é altíssima e o financiamento é a pouco prazo, então ninguém consegue comprar casa. Além disso, os imóveis - ainda - são cotados a dólar, e se não for em dólar é cotado ao valor do câmbio, mas no paralelo. Impossível.

Vale a pena?
Como experiência de vida eu acho divino. Acho que tudo é válido como experiência de vida, de verdade. Passar uma temporada aqui e aprender outra cultura é fantástico. Agora para fazer o famoso pé de meia, jamais. Você vai ter o suficiente para viver e acabou, sem ganhar dinheiro para levar (isso não porque a moeda tá muito desvalorizada) ou para comprar um imóvel algum dia.

E você, vai vir ou nem?

Top 5! Parrillas

24 de jan de 2014

Sempre rola uma dúvida sobre qual parrilla ir em Buenos Aires. Eu sou dessas que acha que qualquer parrilla aqui é boa, mas se eu tenho que escolher vai depender do ânimo do dia.

Acho que existem parrillas para cada tipo de pessoa, bolso e ambiente. Carne argentina é sempre boa e eu acho difícil que você não curta alguma que vá.

Cabrera: a fashion
Me lembro quando a La Cabrera era mais under e vivia cheio de argentinos, hoje é tãoooo lotada que dificilmente você vai conseguir comer por lá sem enfrentar uma fila antes. Isso porque decolou em pontuação no Trip Advisor, saiu em vários jornais e ainda está na lista dos melhores restaurantes da América Latina. Realmente a comida aqui é muito boa e, para mim, o grande diferencial deles são os acompanhamentos que vem em cada prato. A média de gasto fica em 170 pesos por pessoa. As porções são grandes e a não ser que você seja um comilão, não vai aguentar comer sozinho.
Post completo do Cabrera, no link aqui.
Informações geraiswww.parrillalacabrera.com.ar - José Antonio Cabrera 5099 (Palermo Soho). Média de gasto: $180 pesos por pessoa.


Don Julio: a dos locais
Não tem local que eu conheça que não ame a Don Julio. Conheci através de um amigo meu que cuida da imagem - sim, acredite se quiser - do local. É comum que você vá e deixe uma mensagem na garrafa de vinho que pedir por lá, e assim a mesma fica exposta para todo mundo, bem legal a iniciativa. A carne é incrível e super macia, aliás, acho que foi das mais macias da vida. As empanadas, um show a parte. Minha opção antes da Cabrera até.
Veja mais sobre a Don Julio aqui no post da Pindadolas.
Informações geraiswww.parrilladonjulio.com.ar - Guatemala 4691(Palermo Hollywood). Média de gasto: $160 pesos por pessoa.


Quanto Custa Morar na Capital

23 de jan de 2014

Já virou moda colocar post de cultura local nas segundas, né? E que isso vire polêmica, eu também me acostumei ahaha. Mas bora lá que hoje o post é de utilidade pública. Vira e mexe recebo perguntas de gente que quer vir morar na cidade mas não tem idéia nem de quanto custa uma  água, vamos resumir os gastos (assustadores) pra viver bem na cidade.

Lugar pra morar
Se você vem pra passar um tempo (entre 3 meses a um ano) tem que ficar em ap né? Pagar hostel durante todo esse tempo não vai compensar. Aqui tem vários sites que você pode consultar e alugar aps temporários (veja aqui quais são). Esses aps são a melhor opção se você vem com dinheiro. Por que? Porque esses aps já tem tudo o que você precisa, e no preço sempre está incluído TUDO, você só gasta com comida mesmo. I mean, vai pagar um x por mês que vai incluir todas as contas da casa, mais internet, telefone pra chamadas locais, tv a cabo e por aí vai. Agora quanto é esse x? No mínimo 600 dólares.


Salgadinho né? Mas não tem jeito, por menos é quase missão impossível achar. Fora o pagamento de 600 dólares por mês pra entrar você sempre tem dar o depósito, que pra estadias longas, chega a ser o preço de um alugel mensal, e a garantia. Então calcule uns 1300 dólares pra entrar no ap, o depósito no final é devolvido caso a casa esteja em perfeitas condições. Agora, o maior problema MESMO é comprar os benditos dólares. Se você trouxer tudo do Brasil, perfeito, agora peloamor não deixa pra comprar aqui. Os donos, raramente, aceitam pagamentos em pesos convertidos no câmbio oficial (o que agora é proibido por lei, mas ninguém respeita) então eles podem vir a aceitar o pagamento no valor do câmbio negro, e aí, amiga, você vai pagar uns 12 pesos a cada dólares. Ou seja, não rola.
Pra alugar ap 'normal' sem móveis e com imobiliária também é complicadinho. Eles pedem fiador local, além do depósito, garantia, comissão da imobiliária. Minha sugestão? Pesquisa aps temporários e entra num acordo com o dono, pechincha mesmo porque eles não podem mais obrigar você a pagar em dólares porque, simplesmente, não tem dólares pra vender.

Mercado
Quando a inflação rola a mil a gente sofre mais no mercado. Não é? Olha eu sozinha gasto em média 600-700 pesos por mês com comida, mas isso cozinhando todos os dias, comprando de tudo. Exemplo de preços? Arroz, 10 pesos o kg; sabão em pó 59 pesos 3kg; uma banana 2 pesos. Enfim, se quiser fazer simulação de compra até dá, só entrar no site do Jumbo ou do Disco ou do Coto e fazer uma compra on-line pra ter uma noção.


Comer fora
Uma coisa que por mais que encareça não parece ser tão abusivo, com uns 500 pesos por mês dá pra comer fora uma vez por semana. Se souber dividir ainda mais rola mais comida. Calcule as refeições entre 100 e 150/200 pesos, dale?

Comida no Trabalho
Geralmente nos restôs perto do seu trabalho vai rolar uma oferta boa de menus a bom preço, do tipo $70 conto um almoço executivo com prato principal e bebida. Agora no emprego sempre peça delivery local, daí você paga 30 pesos por um bom prato, uma graça. Outra opção legal é ir para um self-service, veja nesse post aqui onde tem.

Lazer Geral
Agora o que tem de BOM em Buenos é que com pouco você se diverte, com 30 conto vai tomar sorvete e fica pensando na vida num parque, ou faz um pic nic improvisado em alguma praça, pega a bici e vai tomar um ar fresco. Opções de diversão grátis ou quase grátis têm várias, tá bom? Agora cineminha já é mais salgado, fica entre 50 e 80 pesos, teatro (dependendo do local) varia de 80 até 1000 pesos (claro no Colón o último preço), enfim, Buenos Aires é uma delícia pra isso.

Transporte
Quando o metrô funciona, custa 3,50 e isso que ainda tem subsídio do Estado, se não já estaria em 5 pesos mais ou menos. E olha nem vem esperando uma modernidade doida não, o metrô de Buenos, a linha A, especificamente, foi a primeira a ser construída na América do Sul. Já os ônibus raramente entram em greve, ALELUIA, e daí é assim: você paga de 2,50; a 2,85 se tem o cartão SUBE, agora se não tem se paga 5 ou 8 pesos, em moedas, pra poder viajar. Trem, é simples. Chegou, comprou passagem, viajou.
Táxi, cada vez mais caro e ainda assim todo mundo usa, eu também ahaha, mas enfim, sempre prefiram pegar táxi credenciado em alguma empresa de radio taxi, ok? Tem uns que não são, assim é mais seguro.


Links Úteis
- Sobre ap é só jogar no google ''Temporary Rent Buenos Aires'' que vão saltar MUITAS páginas de imobiliárias. Ou senão nesse post aqui eu sugiro 3 imobiliárias para aluguel temporário.
- Site da SUBE: pra saber onde comprar e onde recarregar o cartão. E nesse post aqui tem cada detalhe de como fazer o bendito.
- Mapa Buenos Aires: pra saber que transporte te deixa melhor em cada lugar. MUITO útil.
- Taxi: esse site aqui diz quanto você vai pagar no trajeto que vai fazer no carro.
- Outro guia legal pra comprar em qualquer kiosko é a Guia T, um pocket book pra levar sempre caso você se perca pelas ruas de Buenos.
- Se você ainda não sabe em qual bairro morar, esse post aqui traz os melhores para isso.

Na boa, pra viver BEM mesmo, 5500 por mês, no MÍNIMO, sem estudar em facu particular. Senão uns 2000 a mais. Mas claro que esse post é subjetivo e dá pra viver com menos tá bom? Não inclui preços de carros porque aqui em Buenos o transporte, acreditem, funciona bem e ninguém liga pra carro aqui não, todo mundo na bici, no ônibus e no metrô. Ok?

Certeza que eu esqueci de alguma coisa, ajudem aí embaixo que eu respondo!

Tudo o que você precisa saber sobre o Lollapalooza e San Isidro

21 de jan de 2014

Amantes de músicas e shows vão pirar nesse post. Um dos festivais mais legais, para quem curte, chega a Buenos nesse ano, o Lollapalooza. Com um line up bem legal e variado: de Phoenix a Red Hot o bendito tem tudo e mais um pouco para ser um sucesso.


Acontece que o evento vai rolar lá em San Isidro, no Hipódromo da cidade. E eu, juro, quase surtei com a quantidade de e-mails e perguntas sobre lá, portanto demorei umas três horas para fazer esse post aqui>>> tudo, T-U-D-O, o que você precisava saber sobre o Lollapalooza e etcs.

Informações Gerais
Melhor coisa ever pra se localizar rápido pelo movimento é entrando no site oficial deles (www.lollapaloozaar.com) para saber direitinho sobre os horários dos shows e quem toca em cada dia. Até o fechamento desse post essa informação ainda não estava disponível no line up.
Mas são dois dias só, 1 e 2 de Abril desse ano, respectivamente terça e quarta. É necessário, no entanto, saber que dia 2 de Abril é feriado aqui em Buenos (das Malvinas), portanto o dia 1 vai estar mais lotado de gente que o dia 2.

Para Comprar
O site do Lolla é bem completo e explicadinho, mas a página que possibilita a compra de ingressos é a do TopShow. Há duas entradas disponíveis, a geral e a Vip. A geral fica em 900 pesos para os dois dias, e a VIP (que dá acesso a áreas privativas no evento) em 2900 pesos.
Cada entrada tem uma porcentagem de taxa de serviço do site, portanto os ingressos gerais de 900 pesos tem um acréscimo de 120 pesos (1020 pesos tudo), e os Vips um adicional de 300 pesos (3200 pesos).


Para comprar no site é necessário ter cadastro. Feito isso você escolhe a modalidade de retirada dos ingressos. São 3: entrega na Capital Federal por correio, entrega em diferentes estados do país e entrega nos pontos de venda. Para quem vem pro festival mesmo, a melhor escolha é a retirar os convites pelos pontos de venda, que estão contemplados nessa página aqui: www.topshow.com.ar. Preste atenção para os dias em que esses locais funcionam, ok? E leve o cartão de crédito da compra do mesmo no dia da retirada, caso contrário você não vai conseguir sair de lá com os ingressos. Além disso, vá munido de comprovante de compra e tudo que tiver direito (documento, claro).

O site aceita os cartões Mastercard, American e Visa. Lembrem que compras internacionais não tem direito de parcelamento. Realizada a compra você recebe o comprovante no e-mail fornecido na hora do pagamento e listo, está feita a festa. Meu conselho é: assim que botar os pés em Buenos ir buscar as entradas, porque se der algum pepino pelo menos você tem uns dias antes para resolver. Leia bem a política de cancelamento (que não há) e todos os asteriscos possíveis.

***Importante: os convites são por lote, agora está 900 pesos, mas daqui uns dias já aumenta para 1200, mais antecedência melhor.

Partindo para San Isidro
Quem conhece a cidade, sabe que San Isidro fica fora do contorno da Avenida General Paz e que por isso, fica fora então do limite da cidade de Buenos Aires. Mas nem por isso é difícil chegar.
O próprio site do Lolla ensina como ir do Centro pra lá de uma maneira bem fácil de entender, mas como eu sei que vários de vocês vão vir de outros pontos da cidade, fiz um resumo mais detalhado.


- Carro ou Táxi: partindo da possibilidade remota de que você alugue um carro aqui, vamos pular essa parte. Táxi, claro, vai ser a maneira mais confortável de chegar até lá. Não é caro. Eu calculo que saindo de Palermo pra lá, você vá gastar no máximo (no máximo, estourando) 80 pesos. E ainda, se você pega um táxi e divide em 4 pessoas, é uma barbada. Pra calcular direitinho quanto mais ou menos você gastaria de táxi, dá uma olhada na página do Viajo en Taxi: é só colocar de onde você sai e destino ''Hipodromo San Isidro'' e listo!

Para maior segurança, você pode muito bem reservar um táxi de confiança. Eu indico o Alo Taxi e o Capital. Ambos são bons e eu  nunca tive problemas com eles. E até pode acertar a volta. Mas fique atento: toda vez que você chama um táxi eles cobram um adicional de 6 pesos no final da viagem. Ok?

O trajeto não deveria durar mais que meia hora, mas depende da hora que você sai da Capital pode pegar trânsito, etc. Calcule bem os horários. De resto, rola até pegar táxi na rua para ir.

Agora se você é do tipo mais econômico é possível chegar de trem ou ônibus.

- De trem você deverá se deslocar até o Ferrocarril Mitre na terminal de Retiro, e pegar ele sentido Tigre. E nisso é só descer na estação San Isidro. Baba demais.

- De bus:
- Saindo de Palermo (Plaza Italia): a linha 60 leva direto e reto. Mas cuidado que existem vários ramais dessa linha, e você deve pegar a que diz ''A Rincón de Milberg'' que sai desde a Plaza Italia.
- Saindo do Centro (Avenida Corrientes esq. Cerrito/ Obelisco): mesmo esquema quase que sair de Palermo, a diferença é que você vai precisar pegar a linha D (verde) sentido Congreso de Tucumán e descer na estação Juramento. De lá é só pegar a linha 60 ramal ''Milberg'' na Avenida Cabildo esquina Juramento - exatamente onde você desce do metrô. Só cuidado para não pegar no sentido errado.
- Saindo da Recoleta (Avenida Pueyrredón esq. Alcorta/ Plaza Francia): pegar o ônibus 67 que sai da Avenida Alcorta esq. Puyerredón. Ir até a Plaza Italia e de lá pegar o 60 ramal ''Milberg''.

Pegando o 60, vocês descem NA PORTA do Hipódromo. NA PORTA. Nessas horas é legal falar com o motorista e ele pode avisar vocês a melhor hora de descer, mas prestando atenção ao se aproximarem vocês já vão se dar conta do agito. FIM.

Gente, importante: NÃO me perguntem sobre localizações específicas, afinal eu não sou uma guia e tenho vida. Pra isso existe a página do Como Viajo que te ajuda a chegar lá desde qualquer ponta de Buenos Aires.

Para pegar transporte público aqui você precisa da Sube, nesse post aqui eu explico direitinho como ter uma. E um cartão só basta pro grupo inteiro, não há necessidade de ter um por pessoa.

Hospedagem
Muita gente me perguntou onde se hospedar levando em conta de que o treco é fora da Capital. PEOPLE, não precisa se hospedar em San Isidro pra isso. Mesmo porque não há muitas opções de hotéis e a vida é em Buenos Aires, ponto. Se deslocar pra lá é barbada e não tem segredos.

Agora se você quer ficar em um lugar mais perto de San Isidro eu sugiro os bairros de Belgrano, Palermo e Las Cañitas. Mais pro Centro, mais longe de San Isidro. Em Belgrano eu recomendo o hotel Ker e o Espacia Suites (morei no Ker e fiquei diversas vezes no Espacia) são bem bons, ambos. No bairro de Palermo tem muita coisa, mas esse post aqui traz os meus favoritos. E em Las Cañitas eu indico o Polo Suites que é deli deli. Mas de novo: ficando em qualquer ponto da Capital você tem fácil acesso a San Isidro.


Comer e Passear em San Isidro
Dito isso tudo sobre o festival, eu AMOOO San Isidro. Por lá tem inúmeras opções para comer e ver.
O local em que o Hipódromo está localizado é a área da cidade, mas 'baixando' pro rio a coisa fica mais interessante. Pegando qualquer ruazinha de lá sentido a costa você vai passear pelas mansões da cidade, pode aproveitar pra passar pela Catedral de San Isidro, a praça na qual se localiza a Catedral, Plaza Mitre - sempre tem uma feirinha lá. Pertinho dali, logo na estação San Isidro do Tren de la Costa tem um Freddo e uma área bem interessante com pátio de comidas e lojinhas. Vocês logo vão se dar conta de como a cidade é limpa, bem cuidada e cheia de casas incríveis.

Além disso, San Isidro está bombando em propostas gastronômicas. Na real é muita coisa boa em pouco espaço. Ainda não conheço muiiiiito da região, mas tem uns restaurantes que eu amo por lá:

- Para tomar café: Villa O Campo. Até rolou um post sobre essa cafeteria aqui. A mansão que a pertence é tão linda que virou patrimônio da UNESCO, uma beleza só. Perfeito para um brunch, um lanchinho tardio e etcs.


- Para morfar na parrilla: Rosa Negra. É dos mais respeitados na região e com razão. O Rosa Negra, amo esse nome, leva milhares de porteños para San Isidro na esperança de convencer que a melhor carne argenta está lá. Não tem erro e não vá com pressa, a comida é deliciosa e merece respeito - e teu tempo. www.rosanegraargentina.com.ar

- Para comer e ir dormir: Kansas. Eu amo Kansas, tudo mundo ama Kansas. E se você quiser comer muito bem (no estilo ribs com molho agridoce) corre pra lá. Juro que você não vai se arrepender. Além disso a salada Caesar deles é a melhor da vida, não exagero. Dá uma olhada no post da Mari do Oh, Fashion! pra babar. www.kansasgrillandbar.com.ar


Foto: Oh! Fashion.

- Para tomar algo: John John. Já é um clássico da redondeza. O bar é cervejeiro e do estilo pub, perfeito pro esquenta pro show ou pro pós show. Acredito eu que durante o festival ele vai bombar. www.john-john.com.ar

- Para uma comidinha diferente: dias atrás fui conhecer o Austria. O chef é renomado e confesso que fiquei com preguiça de me deslocar até lá para provar do menu, mas olha, super diferente, um tanto original e comida alemã pra não botar defeito (ok que não conheço bem, mas mesmo assim). www.restaurantaustria.com.ar

Foto: Reprodução.

Lollapalooza

UFA! Alguna pregunta? Nos vemos lá (: E se preparem porque os argentinos PIRAM nos shows. Mais que brasileiros. Não acredita? Dá uma olhada.

A Região Ideal para Cada Tipo de Viagem

20 de jan de 2014

Começando a semana com um post bem prático de localização x bairros. Qual é o melhor bairro para ficar se você vem passar 3, 5 ou uma semana ou mais em Buenos Aires?

Dividi a cidade em três blocos de regiões diferentes: a ala do Centro, a ala da Recoleta e a de Palermo. E analisando sobre localização, acesso a transporte público entre outros, cheguei a conclusão de que certos bairros são melhores para determinadas quantidades de dias.

Região Centro (Centro, Montserrat, San Telmo, San Nicolás): para três dias e conhecer o básico
Acho que só vale ficar no Centro se você nunca veio a Buenos Aires e tem um espaço curto de tempo, por exemplo, três dias. Ficando aqui o acesso aos principais pontos turísticos é bem fácil (vide Casa Rosada, Plaza de Mayo, Obelisco, Teatro Colón, San Telmo, Caminito, entre outros). Há várias linhas de metrô próximas e ônibus também. Ficando aqui o tempo gasto em trânsito é menor, e tirando um dia para ir à Recoleta, já ajuda e isso que nem fica tão longe.
Centro tem boas opções para comer e fazer lanchinhos rápidos: Broccolino e Dadá são meus preferidos. Uma opção de roteiro para esses dias está nesse post básico aqui.


Região Recoleta (Barrio Norte, Recoleta, Plaza San Martín, Retiro): para cinco dias e misturar um pouco de cultura local com o básico


Entendendo o que é o Diseño de Autor Argentino!

17 de jan de 2014

Até 2001, a Argentina era um país que importava tendências de moda - normal, todo mundo faz - só que como consequência da crise socioeconômica que afetou o comportamento dos porteños nasceu o diseño de autor

E hoje esse diseño compete lado a lado com as tendências que vem de fora. Sabe quando você caminha por Palermo e se dá conta que ninguém mais usa essas roupas e calçados em outro lugar do mundo? É isso que a gente fala sobre a Argentina ter uma moda autoral.

Juana de Arco é uma das marcas de diseño que está há mais tempo no mercado. 

Bom, é considerado "diseño de autor" quando o designer cria a partir do seu próprio estilo e inspiração, sem seguir as tendências que são impostas desde outros centros de moda. Esses criadores ocupam um lugar cada vez mais importante e representam o outro polo do novo sistema de moda, com uma concepção mais baseada na personalidade e na comunicação da identidade.

Vanesa é a nova diseñadora queridinha entre os modernos! 

Claro que tudo isso implica em uma outra forma de produção, há todo um trabalho mais personalizado de modelagem, materiais e cores, o que faz com que a roupa na Argentina custe un poco mucho!

Lourdes Chicco Ruiz cria os sapatos mais incríveis desse mundo inspirando-se em experiências pessoais! 

Quem compra essas peças, compra porque gosta do estilo, da história contata, não pelos desejos gerados por um mecanismo de consumo massivo! Além disso, existe toda uma revalorização da atividade artesanal e está mais perto de um diálogo com a arte!


Palmas para Argentina no quesito originalidade!

Lígia Baleeiro é consultora de estilo em Buenos Aires, e seu trabalho é vestir personagens da vida real. Saiba mais sobre ela e seu trabalho lendo o blog La Vestuarista

Navegando pelo Rio de la Plata

15 de jan de 2014

Sol. Verão. Buenos Aires no calor oferece muitas programações diferentes e, a maioria delas, vocês podem encontrar no site da Buenos Aires 4U

Confesso que sou meio náutica. Sei velejar, já fiz aulas de jet ski e poderia passar o dia inteiro em cima de um barco. Odeio areia, instead. Por isso me acho náutica. Quando então o pessoal da Buenos Aires 4U me chamou pra fazer o passeio de Navegação Panorâmica pelo Rio de la Plata eu pirei. 

Foto: Adriana Carolina.

Chamei a minha companheira de todas as horas, a Adri, pra tirar umas fotos lindas e ainda me acompanhar naquela bela tarde. Era sábado e o dia estava assim: lindo. Vento suficiente, calor suficiente, tudo funcionando perfeito.

Foto: Adriana Carolina.

O passeio sai lá do porto da cidade, atrás de Puerto Madero pra ser mais específica. A entrada está em construção, por isso fique ligado pra não passar a bendita porta.

Foto: Adriana Carolina.

Chegando lá o pessoal te recebe super bem e te acomoda dentro da embarcação. Que apesar de simples é o essencial pra um passeio rápido pelo rio que banha a capital.

Foto: Adriana Carolina.

Primeiro funciona o almoço. Na parte de baixo do barco algumas mesas são dispostas e enumeradas de acordo com a reserva para comer.

Foto: Adriana Carolina.

No pacote está incluído entrada, prato principal e sobremesa. Sendo gorjeta e bebidas a parte. Pedimos de entrada um fileteado de carne e também um frango cortado em rodelas.

Foto: Adriana Carolina.

De principais fomos de sorrentinos de presunto e queijo, bem gostoso por sinal.

Foto: Adriana Carolina.

E frango com batatas. A comida em si é simples e você não deve ir esperando uma experiência gourmet. Mesmo porque com o balancê da água do rio, não há muito estômago que aguente muita comida hihihi.

Foto: Adriana Carolina.

E pra sobremesa rolou sorvete de creme com calda de chocolate.

Foto: Adriana Carolina.

E de limão com compota de maçã verde.

Foto: Adriana Carolina.

Devidamente alimentadas, subimos pra parte de cima e fomos aproveitar o sol nas cadeiras da parte descoberta da embarcação. E aos poucos o barco foi fazendo seu caminho. Uma delícia de passeio, super tranquilo, nada perigoso para quem ficou com medo e ainda, é uma visão completamente diferente da cidade.

Foto: Adriana Carolina.

Vale muito a pena, e ainda você sai de lá meio torradinho de sol. Dica: pedir vinho branco para ir tomando enquanto o barco faz a passagem pelo rio. Curtir a navegação com uma taça na mão faz o passeio ser completamente diferente.

Foto: Adriana Carolina.

Eu sei que vocês vão adorar! O link para a compra do tour é esse aqui ó Vale 65 dólares e o site da BsAs 4U tem várias modalidades de pagamento. Confere lá!

Buenos Aires 4U
www.bsas4u.com
www.facebook.com/BsAs4U

Um Passeio por Núñez

13 de jan de 2014

Pouco houve se falar no bairro limite da região da capital de Buenos Aires. Isso mesmo, Núñez fica ali escondidinho quase fora da cidade, mas tá ali, lindão e pronto pra ser curtido.

Daí que como é o bairro que eu trabalho, montei um esqueminha pra você sair do Caminito e Puerto Madero e vir curtir essa parte linda de Buenos. Ah, linda, tranquila, uma delícia *-*


Começar rodando o Lago de Regatas é uma bela opção. A reserva fica tão escondidinha que pouca gente sabe da existência. Por lá vale ficar uma tardezinha tomando sol ou só curtindo o lago que tem por lá. Por ser meio fora de mão, não há muito barulho, exceto por uma linha de ônibus que passa de vez em quando.


Saindo de lá, dá pra curtir o bairro sem destino. Núñez tem muitas casas lindas, e só de ficar vendo elas o passeio é garantido. Mas se quiser rodar pra um lugar certo e mais turístico, o Monumental de Núñez (estádio do River Plate) é aberto para visitas.

Para almoçar o bairro tem várias coisinhas legais, uma das sensações é o Sucre do aclamado chef Trocca. Cheio de personalidade, as comidas são bem executadas e o preço um pouco elevado. Do lado dele, temos o Cucina Paradiso, de massas, de outro chef conhecidão aqui também. O preço é quase o mesmo do Sucre, vai depender do que você quiser.


Mas se a ideia é algo mais leve, o Nolita está por ali cheio de amor e meriendas ricas. Até fiz um post dele, dá uma olhada aqui. Na mesma vibe tem também o Chef León com mais opções de comida e certeiro para um almoço leve.


Dá ainda para terminar a tarde num bar. Dia desses fui no Mad Bar, pra quem acompanha o Instagram viu a bebedeira. Mad tem hamburgers maaaaaaaaaaravilhosos, cocktaisl deliciosos e muy buena onda.


Mapinha pra vocês se acharem:



Endereços:
- Riverwww.cariverplate.com.ar - Av. Figueroa Alcorta 7597.
- Sucrewww.facebook.com/SucreRestaurant - Sucre 676. 
- Cucina Paradisowww.facebook.com/CucinaParadiso - Castañeda 1873.
- Nolitawww.facebook.com/NolitaBakery - Franklin D. Roosevelt 1806.
- Chef Leónwww.facebook.com/chefleon.resto - Montañeses 2698.
- Mad Barwww.facebook.com/MAD6002 - Av. del Libertador 6002.

Viu? Núñez é uma delícia!

Dos Lugares para Pensar na Vida

10 de jan de 2014

Se há algo que eu sempre estou comentando é a facilidade com que em Buenos você pode passar a tarde inteira em um café sem gastar mais que um café, ninguém vai te colocar pra fora do local ou fazer algo parecido.

Eis aqui, então, meus lugares preferidos para fazer isso:

- La Prometida, Colegiales
É um cafécito bem grande que fica em um dos bairros mais residencias da cidade. O La Prometida tem a sua própria produção de pães, o que faz você sair de lá com muitos carbs a mais, pero que importa? São vários salões, mas o mais agradável na minha opinião, é o dos fundos. Sempre está vazio e tem vista pro jardim deles. Uma delícia.


- Starbucks, Cerviño esq. Scalabrini Ortiz
Quem me conhece acha muito estranha a minha paixão por eles, isso porque eu realmente não curto filiais. Mas Starbucks eu amo, não me julguem. Não é que há algo realmente delicioso, mas acho que porque amo o marketing deles, amo o jeito que eles lidam com redes sociais, tudo junto. Um deles é meu predileto, o que era perto da minha ex casa. Não é que vive vazio, mas os atendentes lá são tão simpáticos que virou meu escritório nos finais de semana. Já fiquei lá por umas 6h sem nenhum problema. Ia ao banheiro, deixava as coisas lá pros meninos olharem e voltava. Amo.


- Malvón, Palermo Chico
Talvez tudo que eu esteja colocando seja perto da minha rotina, mas é isso mesmo. O novo Malvón que abriu em Palermo Chico virou paixonite pelo simples fato de ainda não ser conhecidão. O jardim aos fundos é perfeito para um livro. Post Malvón.


- Plaza Alemania, Palermo
Não sei o que há com essa praça, ela fica na beira da Avenida Libertador e parece que o som não passa das grades que a cercam. É sempre vazia nos sábados a tarde. Meu lugar para tomar sol e para pensar na vida.


- Decata, Paul French Gallery
O Decata não vive vazio, o que é uma pena, mas durante semana ou num sábado depois do almoço as coisas por lá são tranquilas. Eu viajo, literalmente, naquele lugar. Isso porque a trilha é sempre maravilhosa, o local é espetacular. Sem mais. Post aqui.


- Croque Madame da Avenida del Libertador
Há algo de maravilhoso aqui. Não sei se é a vista para a Avenida Libertador ou se é tudo, só sei que amo de paixão o Croque de lá. As tardes durante semana são tão deliciosas que uma vez fiquei umas 4 horas por lá sem perceber. Quando me dei conta já tinha tomado duas taças de champagne - bem lentas - e comido um petit gateau muy despacio. Post.


Obs.: muita gente me pergunta porque o café em Buenos Aires é caro. Geralmente um café chiquito, custa 18 pesos. Mas veja bem, não é só o café que você está pagando e sim a experiência. Ninguém vai a um café aqui e fica 10 minutos. As pessoas vão, pedem um café (que muitas vezes vem com um copinho de água, mini suco de laranja, ou alguns biscoitos do lado), se sentam à mesa e ficam hoooooras lá. Ou lendo um livro, ou o jornal do dia que o próprio café tem. Ou seja, não é a bebida que você está pagando e sim tudo, ok? Buenos Aires não foi feita para pessoas com pressa. Não foi feita para você entrar em um local, comer e sair correndo. Buenos Aires foi feita para flanar.

Endereços:
- La Prometidawww.facebook.com/laprometidarestoran - Agustin Delgado 1189, Colegiales.
- Starbuckswww.facebook.com/StarbucksArgentina - Cerviño 3561, Palermo Chico.
- Malvónwww.facebook.com/confiteriamalvon - Lafinur 3275, Palermo Chico.
- Plaza AlemaniaMapa.
- Decatawww.facebook.com/Decata - Gorriti 4865, Palermo Soho.
- Croque Madamewww.croquemadame.com.ar - Av. Libertador 1902, Palermo.

Bernata, para amar comida espanhola

8 de jan de 2014

Final de ano passado a dona do Bernata, a Luz, me chamou para provar as novidades do menú verão do local. Eu já tinha ido lá antes e até fiz um post no Destemperados sobre. Bernata é um restô de tapas espanholas, bem divertido por sinal. A moda lá é pedir várias coisinhas para provar - tudo que eu provei so far é muito bom - e dividir entre todos. As tapas são colocadas no meio da mesa para provar um pouco de tudo mesmo, feito no país vasco.

Uma das coisas que eu mais curto lá são os gin tonics, que nada mais é gin com tônica e algo mais. O bartender, Leandro é um quiridú e sugere sempre um que tenha a ver com você. Eu fui de Manzana Spicy que vinha com gin, tônica, chá de maçã, rodelinha de maçã vermelha, angostura e pimenta. Uma delícia e próprio para chicas.


Depois veio um batalhão de comida que fui provando. Essa carne aqui é super crua e pra quem é fã, tipo eu, da especialidade vai amar. É carne, bem temperada, mas temperadona mesmo com sal grosso, um molhinho delicioso de alho com cogumelos. Adorei muito. Claro que não é um prato popular porque não é todo mundo que curte a modalidade, mas provem. Vai por mim!


Provei uma salada que, apesar de ser salada, era super boa. Principalmente pela combinação doce-salgado, que misturava alface, folhas e verduras com mixirica e rodelas de laranja. Bem interessante a combinação, viu?


As famosas croquetas do local, que já são clássicas. Tem de vários sabores, mas eu amo a de calamares. Não tem erro, quem não curte uma fritura? Acompanhada de um gin tonic ainda, nem se fala.


Dei uma prova nos langostinos com tomates concassé que queria levar para casa. Sem segredos ou coisas diferentonas, uma opção segura e confortável do cardápio pra quem não curte sair da área de conforto.


Uma sopa fria de beterraba que eu chorei e pedi dois litros. Se você nunca provei gaspacho, prove! É sim, como se fosse uma sopa fria com tomate e beterraba, super salgadinha que dá um toque diferente no paladar. Você toma de shot, sem necessidade de por a colher no meio. Achei divina e foi um dos que eu mais curti no novo menú.


E o que eu mais curti mesmo foram os hojaldritos de salsicha. Hojaldritos é a maneira fofa de chamar a massa hojaldre, que nada mais é que massa folhada. Eu amo massa folhada. Enfim, esse salgado é isso mesmo: folhado recheado de salsicha vasca com sementes de amapola em cima. Bem temperado, coisa rara aqui, e bem salgadinho que pede uns drinks acompanhando. Eu quero encomendar pra festinha, juro!


Eu vivo recomendando o Bernata pra Deus e o mundo porque gosto mesmo, confesso que foi lá que aprendi a gostar de comida espanhola e de tapas num geral. Fica super bem localizado em Palermo Soho, perfeito para ir lá comer algo e passar no Isabel depois, na mesma rua, para tomar uns drinks num dos bares mais lindos da cidade. Ou umas cervejas no Down Town Matias da frente do local, na mesma rua também.

Bernata
www.facebook.com/Bernata
Calle Uriarte 1610, Palermo Soho.

Especialidade: tapas espanholas. Menu com suficientes opções para cada paladar.
Atendimento: excelente.
Drinks: gin tonics. Tem que pedir um pelo menos.
Preço: ao redor de 130 pesos por pessoa.
Daqui pra onde: Isabel ou Down Town Matias na mesma rua. Depende da tua vontade.
SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .