O sempre clássico Danzón

27 de fev de 2014

É sempre unamidade: quem já veio pra cá vai ao Danzón, quem nunca veio quer ir e quem não sabe da existência, eu aviso. E sugiro.


O bar é dos pioneiros da cidade e exista há mais de 10 anos, brincando. Passou pela mão de muitos bartenders, de muitos chefs, mas sempre os mesmos donos que são super reconhecidos na ala gastronômica da cidade. Aliás, eles são donos também do bonzão Basa que já veio parar aqui no blog.


Eu indico sempre pra quem tem mais de 27 anos e meio ehehhe, brincadeira, mas mais nessa faixa etária que quem comer muito bem e tomar muito bem: seja vinho ou drinks. É um dos poucos bares-restaurantes da capital que tem O menu de vinhos, mas tem O menu de tragos também.


A média de gasto roda ali os 250 pesos por pessoa, comendo um prato principal e tomando dois drinks aproximadamente. Podendo variar pra menos ou mais.


Dá quase de tudo, mas a maioria são casais ou grupo de amigos de casais. Não acho que seja o lugar ideal pra você ir azar com suas amigas, ok?


Portanto, para ir jantar algum dia de semana ou no finde mesmo é perfeito, ainda mais se tiver com o namor ou amigos tranquilos. Danzón abre todo santo dia, de segunda a sexta a partir das 19h, sempre tem happy hour até umas 3 ou 4 da matina. No finde a partir das 20h, aos domingos fecha mais cedo e sempre está mais vazio.


Nem tem muito o que falar, porque né: aberto desde sempre, todos os dias, com o senhor menu de vinhos e drinks e ainda com comida boa. PFV.

Gran Bar Danzón
Libertad 1161, Recoleta.
www.facebook.com/GranBarDanzon

Um Bar para cada Dicaprio

25 de fev de 2014

Quem me conhece sabe o quanto eu amo nessa vida o Dicaprio. OH, homem que esbanja sensualidade, inteligência e elegância viu?! HAHAHA, ok. Agora pensando alto e fazendo um post criativozinho, eis um bar para cada personagem que esse amor de pessoa interpretou! De todos, meu preferido é Gatsby.

The Wolf of Wall Street: Victoria Brown
Porque o filme é meio rock né? E o VB é assim. O cara saia para festanças e queria azaração mesmo, coisa que rola no VB as well. Cada boy gato. O lugar é chique, como Dicaprio no filme.



The Great Gatsby: Harrison
AMO demais e casaria com o Gatsby, como achar um assim meodeos? Gatsby é um dos personagens que eu mais amo no cinema e na literatura, e Dicaprio tá um deus nesse filme. O Harrison é assim como Gatbsy, difícil de achar e para poucos. Não posso dizer como chegar, mas quem quer consegue e é uma das melhores coisas da cidade.



Django: Pony Line
O personagem dele no Django é cômico, eu adorei ahah, mas é meio malvado. Gente com dinheiro que gasta em bebidas e em mulheres. Ainda que não tenha encontrado O bar pra ele, acho que o Pony tem a ver: só vai gente com dinheiro e é tudo pensado em cavalaria.



J. Edgar: Prado y Neptuno
Acho que o Prado y Neptuno, bar de havanos e daiquiris clássico tem tudo a ver com o filme J. Edgar. Seja pela cor das fotos, pela localização, ou pelo tipo de homens que vão lá. Ideal!



Inception: Isabel
O filme é louco né? Se bem o Isabel não é louco quando falamos do bar que tem ótimos drinks, não vá ao banheiro, juro! Ou melhor, vá! São tantos espelhos que você vai se sentir duplamente insana, muito Inception MESMO. Mucho loco!



The Aviator: Verne Club
Porque todo mundo viaja assim. O Verne através dos drinks e com a temática dos 80 dias de Verne e o Dicaprio na película. Um pro outro.



Catch Me if You Can: Frank's
Mulherengo que só eu acho que Dicaprio levaria todas pra se encantar pelo Frank's, porque né lá não tem erro.



The Beach: Peru Beach
Claro, Dicaprio novinho tinha que vir pro blog! Ainda mais se for na praia do Peru! Hahah. Um barzinho a las fueras de Buenos Aires que dá de cara pro rio, é o máximo de praia que conseguiremos aqui nessa cidade.



Titanic: Floreria Atlantico
Comentei antes que levaria ele no Florería Atlántico e continuaria levando. Isso porque lá tem tudo a ver com mar, só ler o post.



Endereços e Sites:
- Victoria Brown: Costa Rica 4827 - www.facebook.com/victoriabrownbar.
- Harrison: Malabia 1764 - www.facebook.com/Nicky-NY-Sushi.
- Pony Line: Posadas 1086 (Four Seasons) - www.facebook.com/PonyLine.
- Prado y Neptuno: Ayacucho 2134 - www.facebook.com/pradoyneptuno.
- Isabel: Uriarte 1664 - www.facebook.com/isabelbarandrestaurant.
- Verne: Avenida Medrano 1475 - www.facebook.com/VerneClub.
- Frank's: Arevalo 1445 - www.facebook.com/FranksBar.
- Peru Beach: Peru y el Rio/ Acassuso - www.facebook.com/Peru-Beach. 
- Florería: Arroyo 872 - www.facebook.com/FloreriaAtlantico.

Sem comentários, pró Leo no Oscar!

Top 5! Atividades Irreverentes por Buenos

21 de fev de 2014

Tem gente que sempre curte fazer algo diferente numa viagem né? Eu sou uma que sempre tenta encaixar algo irreverente. 

Pensando nisso, tá aqui o top 5 passeios irreverentes que você pode fazer na cidade com a Buenos Aires 4U!




Sendo Brasileira

19 de fev de 2014

Acho engraçado que há certas coisas que, definitivamente, NUNCA vão deixar de acontecer aqui em Buenos. Independente do fato de morar aqui há 9 anos já.

Daí que tu tem duas opções: ou chora ou ri. Ria, porque chorar não rola. Tão legal que decidi fazer um post no melhor estilo gifs absurdos.

#1: Hablás brasilero?
VONTADE DE CHORAR quando falam isso, mas sempre, seeempre vai rolar que fulano ou ciclano te diga isso. SEMPRE. Nem se incomode em tentar provar para meio mundo que no Brasil se fala português.

#2: Haceme una caipi.
Mania do povo achar que amo caipirinha. Ok, eu curto, mas não sei fazer. Aliás, saber até sei, mas não é que minha caipirinha é fantástica. PIOR: quando pedem caipiroska de maracujá. Senta no cantinho e chora.

#3: Por qué no bailas?
Todo mundo, mas geral, me chama de mala onda (aka chata) quando eu não quero dançar reggaeton, cumbia e afins. Tenho que estar, de verdade, em outro mundo pra poder bater cabelo loucamente. Caso contrário, canto mesmo rock e pop anos 90. E muita gente fica indignada quando eu falo que curtia Spice Girls na infância.


#4: Qué haces acá que no estás en la playa?
Porque você é brasileiro tem que morar na praia, né? Só que não. Tem que explicar que você é de São Paulo, que nasceu e foi criada no concreto, num ap com grades, que brincava - como mucho - no quintal da casa da vó nos finais de semana. E outra: tenho mesmo que amar grãos de areia que entram no biquíni e incomodam?

#5: Sos posta brasilera? No tenés cara.
Isso é até delicado falar porque não quero criar caso, mas já ouvi diversas vezes ciclana falando que eu não era brasileira porque não tinha cara de. Me dizem que sou até da República Dominicana (oi?) mas não brasileira. Gente criando esteriótipos raciais é um problemitcha aqui, sem generalizar claro.

#6: En Brasil hay Starbucks?
JURO por tudo que há, que me perguntaram isso. Gente, sério.

#7: Amo Brasil, fui a Camboriú y a Florianópolis.
Acho demais que muitos argentinos tenham ido ao Brasil, mas uma grande resume o país inteiro a essas duas praias.

#8: Criando esteriótipo de mulher fácil.
Outra coisa delicada, não dá né? Muitos carinhas já chegam querendo porque simplesmente 'sou brasileira', quando vai mudar peloamor?


E vocês, já passaram por algo parecido?
Obgd Luiza pelos gifs.

El Taxista

17 de fev de 2014

Hoje a Lu, vem com uma história muito da fofa. Sobre um taxista romântico que caiu de amores por uma brasileira.

É muito provável que qualquer turista que vem pra Buenos Aires receba o seguinte conselho: cuidado com os taxistas! Não dê pinta de turista, não pague com nota de 100, conheça mais ou menos o caminho que você precisa percorrer, não fique de conversa mole, etc, etc, etc. A fama deles é bastante má, e é fácil encontrar alguém com um trauma pra contar. Mas quem tem melhores histórias pra contar que eles?

De alguma maneira, costumo dar sorte. Ou eles são tão silenciosos como eu tento ser, ou são uma simpatia. As vezes encontro outros imigrantes: paraguaios, cubanos, que acabam dividindo comigo suas impressões de estar em outras terras. Tão simpáticos, que um belo dia acabei descobrindo uma história apaixonada.

Peguei um táxi numa manhã chuvosa e com trânsito. Como era de se esperar, o taxista logo percebeu que eu era brasileira - pelo sotaque e porque eu simplesmente estava levando uma panelona de feijoada comigo (!).


Quique, meu taxista, era um senhor de cabeça branca, e se encheu de coragem pra me pedir ajuda. É que ele meio que descobriu a possibilidade de reencontrar um antigo amor, uma brasileira, e não sabia como telefonar pro Brasil. Quando ele tinha seus 20 anos, conheceu uma brasileirinha, amor de verão que não ultrapassou os pampas. Naquela época ele até conseguiu voltar pro Brasil, convenceu os amigos a trocar a Bahia por Santos num carnaval (haja amor), e passou mais uma temporada com a moça. Trocaram cartas por um tempo, mas um dia tudo se acabou.

"Vos no sabes la emoción que me va a agarrar cuando ella me conteste al telefono". Ele estava preocupado, porque "ya no somos más los mismos. Estoy viejo, ella también debe estar, los jovencitos del pasado dejaron de existir".

Eu tentei, com ele, ligar do meu celular, só pra saber se funcionava. Não esperei atender, mas chamava. Ele me disse o nome dela, me disse que ela tinha dois filhos, era separada e morava em Sampa. Eu a procurei depois no Facebook e realmente lá estava, uma senhora solteira bonitona.

Nunca soube se ele conseguiu sequer ligar pra ela. Mas agora, uns 4 meses depois dessa história, gosto de pensar que ele largou tudo e foi de novo se aventurar atrás de uma paixonite adolescente. Porque ver um senhorzinho porteño ansioso e suando de nervoso por um amor brasileiro do passado, foi inspirador ♥.

Um Roteiro para Cada Casal

14 de fev de 2014

Em tempos modernos cada casal é de um estilo. Vamos então fazer um guia super rápido para ir a dois de acordo com cada pareja.


Casal Fashion
Se vocês são desses que compram sempre as últimas peças de coleções que nem saíram às lojas.
Almoço: Dashi, porque comida japa é cheia de requinte com os bambuzinhos pra comer.
Passeio: Shopping Paseo Alcorta e lojas de Palermo Soho.
Merienda: sem merienda, vai bater perna na Villa Crespo pra ver se pechincha algo.
Hotel: Mine, na boca de Palermo Soho e com design legal.
Jantar: Tegui, o melhor restaurante da Argentina segundo o 50 best Latin America Restaurants. E tem cara de que só vai gente rica que não sabe o que está comendo.
Bar: Isabel. Porque é um dos bares - arquitetonicamente falando - mais lindos da cidade.


Casal Alternas
Se juntos vocês não sabem quem tatuou primeiro a âncora ou quem deixou de usar mustache (seja verdadeiro ou de mentira em foto) quando entrou na moda popular.
Almoço: Siesta. Tão alternas que não abrem por vários dias, tem que ficar ligado na página do face deles que nem site têm.
Passeio: Patio del Liceo. Meca do alternativismo.
Merienda: Fifí Almacén. Porque você pode estacionar lá sua bici pegable (dessas que dobram).
Hotel: casa do amigo, porque vocês têm uns tão alternas quanto vocês que moram num belo de um ap.
Jantar: Masamadre, um do casal é sempre veggie, daí que lá não tem carne mas sim, comidas vegetarianas excelentes.
Bar: qualquer um da Plaza Serrano, mas vocês tem mais cara de comprar vinho e tomar em casa fazendo um som que só vocês sabem fazer.


Casal Básico
Já namoram há 3 anos, cada um tem um estilo diferente mas nada de alucinante e acham que vão casar e ter filhos.
Almoço: Sarkis, aquelo restô de família em que se come bem a preço honesto.
Passeio: Recoleta porque nunca fica feia.
Merienda: Florencio, já que estamos na Recoleta e a Amanda indicou.
Hotel: algum de rede, que é pra não ter erro, veja aqui sugestões.
Jantar: qualquer um de Puerto Madero.
Bar: 878, porque vocês ainda acham que é o único speakeasy da cidade.


Casal Longo Prazo
Já casaram, já tiveram filhos e Buenos foi tua lua de mel há alguns anos atrás.
Almoço: Broccolino. Sua vizinha veio para Buenos com uma agência de viagens e falou que a comida italiana deles é demais, além de ser uma cantina super clássica na cidade.
Passeio: Puerto Madero. Não perde encanto e é onde vocês sentem que realmente não estão no Brasil.
Merienda: vocês dão um pulinho no Museo de Arte Nacional Decorativo e já beliscam algo no Croque Madame.
Hotel: algum do Centro porque fica bem localizado.
Jantar: Aquellos Años, porque vocês vieram à Buenos anos atrás quando a Costanera ainda era o point dos ricos.
Bar: Gran Bar Danzón. Foi o único que os teus amigos indicaram, já que existe há mais de 10 anos.


Casal que a Mina Comanda
Se você é leitora assídua do blog, dá a bolsa pro bofe carregar e quer aproveitar tudo o que eu indico.
Almoço: Coco Marie. Porque é num jardim escondido, OMG.
Passeio: Rosedal e Jardin Japonés. Porque tem flores, mas não se esqueça que só na primavera. OMG.
Merienda: El Último Beso. Porque a Amanda disse que o café mais romântico de Buenos, OMG.
Hotel: Casa Chic. Porque fica dentro da loja de décor mais linda da redondeza de Palermo, AWN.
Jantar: Pipi Cucu. Porque é mais fofo que o Ultimo Beso, verdade. *-*
Bar: Frank's. Porque a Amanda foi no programa da Band lá.


Casal Viajante
Se vocês não tão nem aí com casa própria e querem, ambos, rodar o mundo viajando e vivendo de freela.
Almoço: Salgado Alimentos. Vocês leem muitos blogs e já viram que aqui todo mundo indica, porque tem comida italiana barata. E diferente.
Passeio: vocês vão ver na hora, afinal, tem que sentir a cidade primeiro.
Merienda: Lattente. Vocês ficaram sabendo que o dono é colombiano, faz o próprio café e lá não há frescura e nem flor em cima da mesa, é café dos bons mesmo.
Hotel: ap alugado no AirBnb ou couchsurfing, depende do orçamento.
Jantar: Green Bamboo. Porque vocês deixam pra gastar a noite em algum restô étnico. E vocês já estiveram no Vietnam, e querem saber se a comida deles é boa mesmo. Vocês vão sair reclamando e querendo voltar pra lá.
Bar: Plaza Serrano porque o importante é uma cerveja com papas fritas e amendoim.


Casal Gastronômico
É tanto amor pela comida que vocês não tem nem pique pra namorar depois que chega do jantar.
Almoço: Hernán Gipponi, vocês ficaram sabendo do brunch dele, do bar dele, do restaurante e já são fãs do chef sem conhecer.
Passeio: Passeio? Comer doce na Smeterling, a melhor doceria de Buenos Aires.
Merienda: Ninina Bakery, porque a família que abriu essa padaria é super conhecida no segmento gastronômico da cidade.
Hotel: Fierro, porque é onde fica o restô e tudo mais do Hernan Gipponi.
Jantar: Puratierra. Outro da lista do 50 best Latin America Restaurants.
Bar: Basa. Vocês pesquisaram, iam ao Gran Bar, mas viram que os donos abriram o Basa agora.


Casal Borracho
Mesmo estilo do gastronômico, mas dando foco pros tragos!
Almoço: Sucre. A barra deles é uma das melhores em restaurantes.
Passeio: algum pub aberto 24h, tipo o Sullivans.
Merienda: Home Hotel, o bar do jardim fica aberto sempre, perfeito pra tragos ao pôr do sol.
Hotel: Home Hotel, claro.
Jantar: Bernata, pra provar todos os gin tonics.
Bar: todos dessa tag.

UFA! Me diverti (:

Mundial Andando: uma cambada de Argentinos na Copa

13 de fev de 2014

Não conheço, ainda, alguém que ame as propagandas do Youtube. Ainda que de vez em quando apareçam umas coisas legais por lá eu, realmente, não tenho paciência. Só que dias atrás estava esperando para ouvir uma música dos Beatles e tcharam: uma historia que chamou atenção. Mas chamou tanta atenção que até quis trazer pro blog.


O negócio é o seguinte: 10 argentinos, provenientes da província de Entre Ríos, da cidade de Paraná, decidiram comprar um ônibus velho, reformar o bendito e fazer dele a casa deles durante a Copa do Mundo no Brasil. A história é bem engraçada, além de super interessante. Os meninos fizeram tanto sucesso que estão tendo um beloooo patrocínio da cerveja Schneider.

Foi num desses dias esperando então pelos videos do Youtube que eu conheci a história deles, adorei, fui atrás de algum deles por facebook no maior estilo headunter-stalker que há na vida e consegui uma entrevista bem legal com eles.

Amy: "La idea. Vi que en el video ustedes hablan de que era algo que por ahí ya lo habían pensado antes, pero nadie se animaba a decir. ¿Fue onda una noche salida entre amigos, asado? ¿A alguno le pareció loca la idea? ¿Después de cuanto fueron a buscar el bondi, cuanto tiempo paso desde que tuvieron la idea hasta finalmente lograr comprar el colectivo?"
Chicos: "La idea nació en medio de una conversación como cualquier otra, en una noche como cualquier otra de enero de 2012. Es un sueño que se gestó desde el grupo y no por alguien en particular. En el medio de la charla, alguien tiró: “Qué lindo sería ir todos juntos al Mundial”; a lo que algún otro levantó la apuesta: “Y qué tal si compramos un cole, lo transformamos en motorhome y hacemos la historia completa”. Brindamos y comenzamos a armar la locura. Durante todo 2012 visitamos diferentes empresas para ver bondis. En total revisamos cinco. En marzo de 2013 se nos acercó Luis, quien ahora es nuestro chofer y mecánico oficial, para darnos el dato de este colectivo. Estaba en María Grande, una localidad que está a 80 kilómetros de Paraná. Nos reunimos con el dueño, comprendió nuestra situación, nos dio las mejores facilidades de pago y cerramos el acuerdo. Un mes más tarde lo trajimos a nuestra ciudad y comenzamos a trabajarlo."


Amy: "El bondi en sí. ¿Da para meter a todos adentro? ¿Están teniendo ayuda económica de algún lado o es todo entre ustedes?"
Chicos: "Es un colectivo grande. Originalmente transportaba más de 50 pasajeros. Por tanto, tenemos espacio y gracias a los que manejan el proyecto de construcción en el grupo hemos optimizado el uso de cada centímetro. El motorhome tendrá tres espacios muy marcados: un living, una cocina y la habitación con cuatro camas cuchetas de tres camas cada una. Va a estar preparado para alojar a 12 personas. 
La gran parte de la financiación de este proyecto la realizamos con recursos propios. Cada uno ha buscado la manera para juntar cada peso y afrontar los pagos. Somos todos laburantes, nadie se la lleva de arriba. Sin embargo, a fines de 2013 apareció Cerveza Schneider y nos dimos un buen abrazo. Fue un encuentro excelente ya que la firma se acercó a través de la fanpage porque quedaron enamorados de nuestra historia. Dijeron “estos pibes están cumpliendo el sueño de muchos grupos de amigos argentinos, cómo no vamos a acompañarlos”. Inmediatamente, con gran aporte de los creativos de la agencia Woonky, nos pusimos en contacto y llegamos a un acuerdo muy interesante. En lugar de apropiarse de la aventura, Schneider nos acompaña, nos da una buena mano para concretarla. Además, son promotores de nuestra historia a través de capítulos audiovisuales que se pueden ver en www.mundialandando.com. Son cortometrajes breves que hilvanan la aventura a partir de entrevistas, imágenes y otros recursos que no hacen más que potenciar el sueño."


Amy: "¿Pensaron alguna vez que eso no iba para adelante?"
Chicos: "No, jamás. Lógicamente hubo momentos difíciles. Las dinámicas de grupos son complejas. Somos diez amigos y cada uno tiene una personalidad distinta, en todo sentido. Es un proyecto largo y requiere mucho compromiso y constancia. Sin embargo, lo más importante es que en ningún momento el equipo tambaleó. Nunca pensamos en abandonar. Cuando la cosa se ponía complicada para uno, ahí estábamos los demás para bancar la parada."

Amy: "¿Cuáles son las fechas que salen hasta Brasil y cuando vuelven?"
Chicos: "Tenemos un viaje ideal en nuestras cabezas. Queremos salir de Paraná el 7 de junio para llegar con tiempo a la inauguración del Mundial en San Pablo que será el 12 de junio. Luego, iremos a Río de Janeiro para estar el día del debut de Argentina y, a partir de entonces, acompañar a la selección en todo su recorrido mundialista. La idea, el sueño, es llegar junto a nuestro equipo hasta el 14 de julio en el Maracaná y culminar esta experiencia celebrando el campeonato."


Amy: "¿Ya vieron las entradas? ¿Dónde parar el bondi?" 
Chicos: "No hemos tenido suerte aún. No tenemos tickets para ningún partido y es una inmensa preocupación para nosotros. Sabemos que hay dos mundiales: uno dentro y otro fuera de la cancha. El de las calles seguramente será fascinante, asombroso… pero el de los estados va a ser apasionante. En nuestro viaje ideal, vamos a disfrutar de ambas esferas. Soñamos con conseguir las entradas, comprándolas por supuesto, para vivir ambas experiencias. Con respecto al alojamiento, tenemos proyectado parar en campings especiales para motorhomes. Sabemos que Brasil está muy preparado para este tipo de turismo y ya hemos tirado líneas para reservar espacio en las diferentes sedes donde juegue la selección." 

Amy: "¿Cuándo dijeron la idea para la familia, qué onda? ¿Cómo fue la reacción?"
Chicos: "En cuanto a las familias y novias, hubo inmediata empatía y aliento incondicional. Obviamente, cada uno tuvo que encarar una conversación crucial para contar en qué nos estábamos metiendo. Pero todos nos bancaron en la aventura. Sabemos que esta es un proyecto que involucra a muchas más personas. Necesitamos el apoyo de nuestras parejas, de nuestras familias, de nuestros amigos. Si no, no podríamos estar encarándola de esta manera."

Amy: "Están organizados, ¿no? Por lo que vi uno cuida de la logística, el otro de la prensa, etc."
Chicos: "El line up de Mundial Andando está conformado por Juan Pablo Noriega (34), Santiago Alfieri (30), Álvaro Gabas (28), Diego Bevilacqua (31), Maximiliano Rodríguez Paulín (26), Nicolás Almeida (31), Augusto Ramos (26), Luciano Armando (35), Lionel Ruggia (31) y Juan Martín Alfieri (31). Nos conocemos de la vida y desde hace muchos años. Somos como las hormigas, laburamos juntos y cada uno hace sus aportes desde donde puede, aprovechando nuestros conocimientos profesionales. En el equipo hay de todo: contadores, abogados, comunicadores, buscavidas, proyectistas y también seres de oficio. Somos amantes del fútbol y apasionados del hecho de encarar sueños entre amigos. Por eso estamos en metidos en este proyecto, una aventura de la que estamos enamorados."


Amy: "Tambien me di cuenta en el video de que no habian hablado con los jefes todavia ahaha, como esta ese tema? Me imagino que ya lo re saben, no?"
Chicos: "El tema ‘laburo’ es complicado para todos. Algunos, que gozan de trabajos firmes y con derechos, ya pidieron vacaciones anticipadas. Otros, no han blanqueado la situación del todo. Todos, de igual manera, apelamos a la empatía de los jefes para hacer la vista gorda y darnos una mano. Sabemos que así será. Y, si no, será tiempo de patear el tablero."

Amy: "¿Como está el bondi ahora, ya medio avanzado. Que faltaria?"
Chicos: "Estamos laburando en el motorhome desde mayo de 2013. Nos reunimos todos los sábados a las 8 de la mañana. La lógica es que cada uno comparte lo que sabe y el resto se abre, ávido, a aprender lo que no sabemos. Estamos haciendo todo el trabajo que podemos nosotros. Eso sí, en cuestiones vinculadas a la electricidad, la plomería y la mecánica hemos contratado profesionales matriculados para evitar cualquier problema. Actualmente estamos en la recta final: nos resta completar una serie de detalles técnicos y finalizar cuestiones específicas del hogar sobre ruedas. Más allá de las tareas específicas en el colectivo, nos faltan resolver cuestiones de logística para el viaje. El alojamiento lo tenemos visto, pero no hemos podido cerrar las reservas y es un tema muy importante para nosotros. Mientras antes podamos confirmar el lugar de hospedaje, mejor. Otro tema que precisamos resolver es el del combustible: el costo es muy alto y tenemos que buscar la manera de financiarlo."


Amy: "No esperaban ni locos la repercusión, ¿o si?"
Chicos: "Vivimos todo lo que se generó en torno a Mundial Andando con mucha felicidad.  Pero no fue casual. Esta realidad la buscamos, porque queremos que este proyecto sea de todos los paranaenses y, por qué no, de todos los argentinos. Queremos cimentar empatía entre la ciudad, la región, el país y Mundial Andando. Esto no sólo es atractivo por la cuota de locura que guarda; lo que estamos concretando tiene el plus intrínseco de revalorizar el hecho de encarar proyectos entre amigos y de demostrar que, con convicción y compromiso, los sueños se pueden realizar. Nos falta mucho aún, pero creemos que estamos transitando la buena senda."

Amy: "¿Qué esperan del Mundial? ¿Ya conocen Brasil?"
Chicos: "La mayoría conoce Brasil, pero no en estas circunstancias. Es más, este será el primer Mundial para los diez. Estamos seguros que será una experiencia inigualable. La Copa del Mundo es la meca del fútbol y Brasil es el epicentro de la alegría universal. Va a ser un acontecimiento sin igual, irrepetible. La oportunidad que tenemos es única y no la vamos a desaprovechar. En cuanto a la Argentina, va a llegar a la final de la mano de Messi y compañía. La celeste y blanca va a ser una de las selecciones protagonistas de la Copa y, claro, le va a ganar la final a Brasil en el Maracaná. Nos vemos celebrando sobre el motorhome de Mundial Andando por las calles de Río de Janeiro."

Um finde beeeem Buenos para Chicas

12 de fev de 2014

Vivo recebendo e-mails do pessoal me perguntando quais são meus locais preferidos aqui. Tão difícil dizer! Acho que amo tanto que cada dia eu amo de um jeito e com isso a minha vontade muda de um dia pro outro.

Luego fiz um roteiro de três dias aqui em Buenos Aires, que EUUU faria. Notem que esse roteiro não é básico, vai servir para quem já veio à Buenos e bateu perna pelo Centro/ Puerto Madero/ Caminito. Ok? É um roteiro bemmm girlie, bem Amanda Bue para Chicas, e que até tem a ver com a minha vida aqui mesmo (:


Sexta
Consideremos que o finde começa a partir da sexta. Iria jantar no Elena, restaurante do Four Seasons que eu amo muitoooo e depois de lá tocaria pro BASA para tragos bien ricos e logo pra Florería Atlántico que anima depois da meia noite.


Sábado
Acordaria umas 10 da manhã e iria tomar café em um lugar deli. Eu estou - agora - curtindo bastante a Cocu Boulangerie. Acho que as opções de café da manhã que eles têm são bem delícia e a um preço legal e amigável. Pede um café Cocu que vem com cestinha de pães, suco de laranja, chocolate quente ou cappuccino ou café com leite ou café, croissant com chocolate e etcs. É um café gordito pero delícia e que vale 45 pesos.


Saindo de lá eu iria caminhando bem lentamente pelas ruas de Palermo Soho. Passaria pelas vielas Rusel, Soria e Santa Rosa, observando as paredes coloridas, as sombras, as casas das esquinas sempre cheias de folhas e flores. Dá pra se perder nas lojas do bairro. Eu estou numa onda bem casinha de bonecas e amo entrar em loja de décor, acho que passaria pela Casa Chic, pra paquerar os frufrus de lá e depois tocaria pra Paul French Gallery. Me sentaria nas cadeiras do Decata e escutaria bem deliciosamente as músicas francesas que tocam por lá.


Sairia de lá com fomecita, e iria almoçar ou no Coco Marie, ou no Felicidad ou no El Último Beso. Todos eles têm menu com saladinha, quiches, e realmente são parecidos, vai depender da sua vontade em decoração: Coco é meio que um jardim escondido, o Felicidad tem uma chocotorta de matar e o El Último é muito romântico. 


Tocaria pra livraria Libros del Pasaje, viajaria pelos textos deles. Compraria um bem deli, atravessaria a rua e iria ao Lattente que, pra mim, tem o melhor café da cidade. Pediria um Flat White e começaria a ler o livro por lá mesmo, desfrutando do café.


Passaria então pelas lojas de moda do bairro e pela feirinha que rola lá no finde. Voltaria pro hotel e descansaria antes de sair, de novo. Pro jantar escolheria entre sushi, comida peruana ou tapas. Sushi eu recomendo o Nicky, restaurante do lado do Starbucks que tem drinks bons e uma surpresa (durante semana depois do jantar, peça para ir a bodega). Caso contrário, o Sipan é um dos meus preferidos na vida para comida peruana, ceviches deliciosos e uns piscos que não deixam nada a desejar. Ou senão meu outro amorzinho, Bernata, que além de ter tapas muito boas, tem um senhor menu de gin tonics.


Para terminar a noite tocaria pra algum bar pela redondeza. E de novo, depende de como você é, mas eu iria ou no Victoria Brown (bar novo lindo que abriu, lá está o Provence, traguito 'en mi honor' - de verdade verdadeira - com lavanda, gin e mel), ou no Rio Café se você quiser um agito com drinks ok, ou no Rey de Copas


E ainda, se quiser um agito mesmo de balada, o Podestá tem de tudo: principalmente na pista do DJ Fabián Dellamonica, rock e soul e pop anos 80. Amo. 

Domingo
Cafecito da manhã no estilo brunch rola no domingo! Por isso eu fico em dúvida entre Oui Oui e Olsen. Ambos têm brunchs deliciosos, talvez o do Olsen seja mais refinado e com cara de almoço, o do Oui Oui tem mais cara de café mesmo. Então se você quiser almoçar depois vai pro Oui Oui, mas se quiser pular essa parte toca pro Olsen e demore um pouco mais, já que eles têm drinks deli também.


O bairro de Palermo Hollywood é bem tranquilo e não há muito o que fazer senão comer ou pensar pelas lojas de décor Bartolomea, Enseres e Violraviol. Juro. Por isso eu recomendaria pegar o Tren de la Costa e ir passar a tarde em Acassuso, ficando o dia todo deitado no sol lá no Peru Beach e beliscando algo por lá, peça um clericot pra coroar a tarde.


Saindo de lá eu voltaria para descansar, e depois tocaria pro Sheldon. Entraria antes, porém, no Miles Discos para ver as novis de vinil e depois sim no Sheldon, pra ouvir música ao vivo e o DJ, de novo, Fabían por muito funk e soul.


E ainda se você quiser agitar, toca pro Makena que rola som ao vivo também aos domingos.

Obs.: tudo se faz caminhando e pare para ver o pôr do sol *-*

Amo isso (:
SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .