Expanish: Sorteio de Aulas de Espanhol!

27 de mai de 2014

Eu já fiz uma promo com o pessoal a escola de espanhol Expanish, e deu super certo e decidimos fazer de novo, por que não?

Pra quem não conhece a local, eu mostro: esquema dinâmico e jovial.


A escola é bem limpinha, grande (tem 5 andares, ao redor de 20 salas de aula) e ainda conta com uma diversidade de nacionalidades bem interessante.


3 Programas Parceiros pro dia dos Namors

Dia dos Namors chegando, né?! Eu sempre venho aqui sugerir coisinhas para fazer, mas me lembrei que os posts que estão no blog já são de uma super ajuda.

Se você não se lembra deles, acessa aqui:
- 5 Roteiros Diferentes para o dia dos Namorados.
- Um Roteiro para cada tipo de Casal.
- Onde Pedir em Casamento.

Agora, se você ainda quer uma sugestão, seguem três programitchas de super confiança para curtirem juntos e combinarem com restaurantes, bares e passeios a dois.

Sessão de Fotos com Adriana Carolina
Eu sempre estou comentando da Adri nas milhares de fotos lindonas que ela tira de mim e do blog. A especialidade dela é são fotos de casais, futricando a fan page vocês podem ver milhares de fotos de casamentos lindos que ela presencia e e-sessions tours pela cidade. Imagina poder curtir Buenos Aires e ainda voltar com fotos super lindas de presente? Pede um orcamento mandando e-mail e avisa que é do blog para tratamento especial: dricarolina@yahoo.com.br.



Top 5! Crenças Argentinas

23 de mai de 2014

Toda cultura tem crença, toda crença tem lá sua história (mesmo sem fundamento). E não poderia ser diferente na Argentina. Ainda que existam várias outras, essas 5 aqui abaixo são as que eu mais ouço.

Mirame Bien
Reza a lenda de que se você não olha no olho da pessoa quando brinda, são 7 anos de azar no sexo. Só uma coisa: OLHA BEM. Sei que vários outros países acreditam também nisso.

La Sal
Passou o sal rola briga ahaha. Geral acredita que se fulanito te pede o sal, você não pode passar, caso contrário vocês brigarão. Resolução: pegue o sal, coloque próximo da pessoa à mesa, mas não entregue em mãos diretamente. Do mesmo modo, se o sal vira na mesa traz má sorte, mas vocês pode consertar isso pegando um pouquinho e passando nos ombros.

No Me Caso
Para as meninas, fujam da vassoura. Se alguém um dia varrer teus pés, você não casa nunca. E você JAMAIS pode ter hortências na sua casa, ela te impede de conhecer homens.

Martes 13
Aqui não é sexta-feira 13, e sim martes. E toda aquela coisa de gato negro e passar por debaixo da escada também rola.

Nariz Meu
Se você, em algum momento, sentir o nariz cocando, belisque alguém para evitar brigas. OI? Hahaha.

Como essas, há várias outras: gato preto, espelho, sapato com cadarço amarrado, etc. Buen finde!

Sonho francês na Cocu Boulangerie

21 de mai de 2014

Sou dessas que ama pão. Amo de verdade. Passaria todos os dias sem almoçar ou jantar para poder ter calorias disponíveis e me acabar no café da manhã e/ ou no café da tarde. Juro. Troco qualquer coisa por um pancito con manteca y un chocolate caliente. Tá dentro das minhas comidas favoritas.

Dentro, então, dessa preferência boba por guloseimas francesas, a Cocu Boulangerie é minha segunda casa. Ok, quase.


Abriu em 2012 e eu só fui descobrir em 2014. Deixando a burrice de lado, o local passa longe daquilo que Palermo tem como uma constante: quem conhece o bairro de antes sabe que lá em 2006, a redondeza era sinônimo do underground e do estilo. Hoje, os mais radicais acham que os cafézinhos que tem por lá são cheio de coisas iguais e sem personalidade. Confesso que, em parte, concordo, but who cares quando você tem isso aqui:


E uma calçada dessas pra flanar?


A dinâmica por lá é meio diferente de outros cafés porteños: você deve ir pedir no balcão, pagar lá que te chamam quando tudo estiver pronto. E o mais legal é que seu nome ainda é pronunciado com sotaque francês (porque todo mundo lá é francês), muito querida essa parte né?


Eu realmente gosto, de verdade verdadeira e sem pestanejar, da Cocu. Acho que as coisas por lá são simples, de boa qualidade e não há aquela pretensão de ser um local a mais no bairro (isso, é sério, me enamora).


O menu vem também escrito no quadro negro que toma boa parte da parede de tijolinhos à vista do lugar. Não muda de um dia para o outro, mas de vez em quando, tem novidades espalhadas em giz branco pela lousa.


Tudo que eu provei, até agora, é deliciosamente delicioso demais: os pães, os croissants, os pain au chocolat, os budines de banana y manzana, as tortas frescas de frutas, as quiches, as pizzas, os croque monsieur. Ok, eu já fui diversas vezes.


Outra coisa que eu realmente gosto da Cocu é a possibilidade de passar horas sentada usando o WiFi ou lendo algo que ninguém se importa. E é algo que eu realmente valorizo. Terminei de ler dois livros sentada nesses sofás que você vê na foto ao lado direito da imagem.


Independente do que você queira comer, a Cocu é aquele lugar para ir a qualquer hora: seja no café da manhã ou da tarde (principalmente), ou para substituir almoço ou janta, ou para terminar de ler um livro ou para usar WiFi grátis tomando só um café, mas juro que você deve comer algo por lá. Na foto, o café da manhã Cocu: vem com cestinha de pães deliciosos, croissants, chocolate quente - você também pode pedir café com leite ou só café - e uma cookie.


Cocu Boulangerie
www.facebook.com/COCUboulangerie
Malabia 1510, Palermo Soho.
Preço médio: 60 pesos por pessoa. Só aceitam dinheiro.

Dicas Práticas para Viajar Sozinha

19 de mai de 2014

Quando a gente pensa em viajar sozinha o primeiro que vem à cabeça é a segurança. De fato é sim mais perigoso que uma menina passeie sola que um homem. Ainda não vivemos em um mundo que nos permita viajar por aí sem maiores preocupações.

Minha última viagem sozinha foi ao Rio de Janeiro, mas passei por Londres, Paris, Lima, Punta del Este, Montevidéu, Colonia, São Paulo, Buenos mesmo, enfim. Sei que há cidades que isso não é tão complicado de se fazer, por exemplo, Londres. Outras, como Lima, você já deve ter mais cuidado.


A primeira coisa é ter tudo planejado. Planejamento para uma viagem sozinha nunca é demais, sei que algumas meninas gostam de sentir como é a cidade e se virar por lá, óbvio que isso é permitido ehehe, mas quando falo de planejamento é: comprar passagens com antecedência, reservar transfer seguro, pegar um lugar legal para ficar etc.

Eu sempre acho melhor reservar transfer porque é mais seguro. Exceto que você já conheça o lugar e já tenha o jeito certo de se locomover por lá, gastar um pouco a mais para estar sossegada não é um dinheiro jogado no lixo. Cidades como Buenos, Londres, Paris oferecem facilidades legais para ir e voltar do aeroporto, vide metro, ônibus, etc. Ainda assim, se você não se sente segura carregando mala pra cima e pra baixo e ainda pegando transporte público depois de um voo longo, abra a mão e gaste um pouco a mais sim no transfer.


Na escolha de hospedagem depende de como você é, se sua ideia é conhecer gente evite alugar apartamento, isso vai te inibir demais de conhecer galera legal. Eu sempre sugiro ou ficar em um hotel com áreas comuns interessantes ou hostels mesmo. Em Lima eu fiquei em um hotel maravilhoso, mas como tinha uma grande movimentação de gente não consegui conhecer ninguém, em Londres foi perfeito. O hotel parecia uma casinha e as áreas comuns eram interessantes: uma mesa comum no café, equipe jovem, etc. Já em Paris pequei e aluguei ap, não conheci ninguém, mesmo porque é difícil demais conhecer gente por lá em bares que seja.

Enfim, se a ideia é então é socializar prefira hotéis e albergues, mas se você quer fugir do mundo, ap é sua melhor escolha.

Na hora dos passeios, faça o que você quiser: eu acho que isso é a grande maravilha de viajar sozinha. Comentei dia desses no facebook do blog que houve um dia no qual eu conheci 5 casas de chás diferentes em Londres e que eu amei tanto que acho que ninguém teria feito isso comigo de bom grado ou deixando de querer algo em troca ahaha.
Enfim, para curtir mesmo sozinha, o planejamento, volto a dizer, é a melhor coisa ever. Melhor sempre sobrar atração (desculpa para voltar) que faltar. Separe tudo que você queira conhecer, desde bares, restaurantes, cafés, lojas, museus, passeios ao ar livre até horários para descansar e etc. Revire blogs e sites que se mantém sempre atualizados, é a melhor coisa.


O TripAdvisor é sempre muito legal na hora de escolher, ele deixa você filtrar por passeios que as pessoas fazem sozinhas ou em grupo. Se a ideia, de novo, é conhecer gente, prefira passeios em grupo, sempre vai ter uma alma boa disposta a conhecer gente, caso contrário pegue sua câmera e se solte sem destino pelas ruas da cidade que você escolheu para viajar. Acho que um equilíbrio entre os dois tipos de programação é o ideal, houveram dias no qual eu queria ficar sozinha e saía sem rumo, outros dias eu até fiz umas caminhadas em grupo.

Talvez o que gere mais perguntas tenha a ver com segurança. É normal que você não se sinta muito livre para fazer o que bem entender. Eu, por exemplo, raramente dizia que estava viajando sozinha para determinadas pessoas e isso não tem NADA a ver com sentir vergonha de viajar by myself, muito pelo contrário! Era mais por precaução mesmo, de verdade: não há nenhuma (n-e-n-h-u-m-a) necessidade em ficar espalhando pelos quatros cantos do mundo que você está no lugar x e sozinha por n motivos. Ok que existem países maravilhosos, com níveis de segurança excelentes, mas gente de má fé tem em qualquer lugar do planeta. Ok?


Aquela velha história de evitar lugares vazios ou com gente estranha sempre vale, viu que a coisa tá ficando meio esquisita? Pega e vai embora, por favor, não queira se arrisca sozinha em um país que você não conhece ninguém, dale?

Nunca pegue táxi com pessoas desconhecidas, nem saia com um cara que conheceu na balada. Melhor marcar um encontro no outro dia em algum local aberto, mesmo assim evite lugares que você não conheça bem. Antes de sair, veja bem onde fica e leve consigo um número de táxi, o endereço do seu hotel anotado e dinheiro suficiente para voltar.


Nunca deixe de viajar sem seguro viagem. Você nunca sabe se vai acontecer algo. Mesmo porque os países da Europa não autorizam a sua entrada sem um seguro viagem de determinada quantidade de dinheiro. Nunca é demais estar coberta.

Além disso, tenha sempre um método de dinheiro por precaução, isso é: ou um cartão de crédito a mais ou Visa Travel Money. Esses cartões são excelentes para viagem e você acaba não precisando levar tudo em dinheiro vivo que não é lá muito seguro. Pelo menos com cartão existe a possibilidade de recuperar o dinheiro caso perca ou aconteça algo.

Fora essas há outras milhares de dicas para dar que eu vou ir compartilhando com vocês com o tempo, segue o check list:
- Planejamento. Deixe tudoooo esquematizado e, importante: mantenha alguém da sua família pendente do seu itinerário, com número de voo, endereço, telefone e site do hotel, etc. É sempre bom manter alguém atualizado da tua viagem. Conhecer o lugar que você vai nunca é demais, leia tudo sobre lá e de valor a blogs locais.
- Transfer. Chegar e sair para os aeroportos sempre é uma tarefa mais delicada porque em quase toda cidade do mundo, os benditos ficam longe do Centro. Prefira voos que chegam cedo e saem cedo, evitando ter que circular à noite.
Eu, socializando no hotel em Londres.
Adaptação. Leva um tempo até você se acostumar com o seu bairro, mas conhecer a redondeza que você está é imprescindível! Saiba, pelo menos, onde há uma farmácia por perto, ponto de táxi, telefone público, mercado, etc.
- Hospedagem. Queira você ou não conhecer gente, teu hotel deve estar bem localizado, principalmente sendo mulher e viajando sozinha. No caso de você não contar com dinheiro suficiente para pagar uma hospedagem em algum lugar mais seguro, eu aconselho adiar a viagem. Sendo hostel ou ap ou hotel, nada é melhor que uma boa localização para se virar bem.
- Passeios. Se o intuito é conhecer gente, prefira passeios em grupo, caso contrário não irá haver nenhum problema com a programação que escolher.
- Segurança. Redobre. Tome mais cuidado que nunca, cuide dos seus pertences e não de chances ao acaso ou a coisas desconhecidas que te soem estranhas. Lembre-se que é melhor não chamar atenção sob nenhum aspecto.
- Preparando o psicológico: isso talvez seja o melhor preparatório para quem encara uma viagem sozinha. Não se sinta a coitada, trabalhe mesmo nessa coisa de se sentir bem consigo mesma (que é uma bela de uma vitória linda). Jamais se sinta inibida de comer em algum lugar porque todo mundo está acompanhado e comece a apreciar outras coisas ao seu redor: o movimento das pessoas, a decoração do local, os detalhes, coma o que quiser sem que ninguém te julgue, passe o tempo que você acreditar ser necessário em determinado local e ainda não se intimide com olhares. Mulher sozinha chama muita atenção, tente usar isso ao seu favor (aka aumentando o ego ehehe).

Boa semana!

Chicas Brasileiras que Fazem Bonito Aqui, Parte II

16 de mai de 2014

Ano passado eu peguei um dia para poder falar sobre três mulheres guerreiras que são um arraso em Buenos Aires. A Mariana quem tem o Hotel Querido por aqui, a Adriana super fotógrafa de festas e casamentos pela marca Adriana Carolina Fotografia, e a Mariana que tem a Docinni, que é uma designer maravilhosas de festas. As três são puro charme e foi uma delícia poder falar um pouco sobre elas nesse post aqui, tanto foi que resolvi trazer hoje outras três meninas que estão deixando sua marca na Argentina.

Ciana, Redatora & Apresentadora & Locutora Freelancer. 

A Ciana começou a sua trajetória profissional em 2007 na Globosat, quando morava no Rio de Janeiro.
Quando surgiu uma oportunidade de joint venture com uma empresa e era necessário se mudar para Buenos Aires ela logo se interessou, e nunca tinha nem vindo à Buenos antes. Sendo escolhida ela desembarcou aqui como assistente de produção e programação. Um ano depois acabou passando em um casting para um programa de rádio da Embaixada do Brasil e começou a apresentar o programa.
Ela ficou por um ano e meio com a empresa que a trouxe para Buenos Aires e logo conseguiu trabalho como produtora e redatora no Disney Channel, que segundo ela, foram anos muito felizes (own). Nesse meio tempo, ela começou a pegar trabalhos de locução e dublagem. Chegou a fazer propaganda, voz de desenho e locuções para a Warner.
Ela disse que teve sorte de conhecer muita gente querida e de fazer trabalhos bem legais, juntando isso ao fato de gostar bastante da cidade, vocês tem a razão pela qual ela acabou ficando em terras porteñas. Ela já mora em Buenos há 7 anos e acha que passou muito rápido (é verdade que o tempo voa!). Depois do Disney Channel ela trabalhou em uma agência de publicidade e hoje é redatora, apresentadora e locutora freelancer. A Ciana também deu uma entrevista mais completa para uma amiga dela nesse blog aqui. E se você quiser conhecer mais sobre o trabalho dela acessa o: www.soundcloud.com/cianalago.


Paula Cimini, Funcionária de Multinacional
A Paula nasceu com um problema físico, mau formação congênita (a perna direita era mais curta - 13 cm do que a outra, e além disso ela não esticava), por conta disso, para se locomover era necessário ter o auxílio de uma muleta. Quando tinha 8 meses de idade a mãe a levou paro o Rio de Janeiro para fazer uma cirurgia e ver se era possível esticar a perna, o que ocasionou em uma cirurgia sem sucesso. Outra cirurgia, sem sucesso, também foi feita com 3 anos de idade e com 9. Então, com 4 anos a mãe dela comprou 2 muletas e no mesmo dia ela começou a andar com apenas 1. Ela diz que "durante toda a minha vida, a usei, fiz de tudo, tive uma ótima criação, meus pais me criaram como uma criança sem nenhum problema".

Com 26 anos ela conheceu o atual marido argentino, pelo Orkut (quem lembra do Orkut? Hehehe). Ele foi pro Brasil com os amigos no carnaval e ela foi com os dela, se viram e gostaram. Nisso, ele comentou que fazia 1 ano que o seu pai havia sido amputado devido ao diabetes e perguntou se ela não poderia tentar recorrer a isso, "mas eu não estava interessada. Afinal, minha vida era ótima e eu não tinha nenhum problema com isso."

Durante dois anos eles mantiveram o relacionamento a distancia, até que ela decidiu largar o emprego e chegar à Buenos Aires em maio de 2008. Em 2009 uma empresa multinacional a chamou para trabalhar na área administrativa, onde ela pode conhecer muita gente e no meio disso começou a pensar em colocar uma prótese que era muito caro e "se fosse para cortar a minha perna que seja para colocar a melhor que existe. Mas, eu não tinha grana para colocar a melhor, afinal estamos falando de meio milhão de pesos...".

Com o tempo ela foi crescendo na empresa e foi promovida com 10 meses lá dentro como Supervisora de uma área e tinha 6 pessoas a cargo. Em 2011 ela decidiu encarar a cirurgia. O médico a viu e disse que ela teria chances de caminhar bem e topou fazer a operação. A mudança de posição na empresa foi o que ela precisava para poder concluir isso, com um convenio médico melhor ela pode ser operada em um excelente hospital e ter tratamento prioritário, e a cirurgia não poderia ter sido melhor. Já com alta, ela foi atrás da prótese. Argentina, com problemas de importação, não estava trazendo a melhor disponível no mercado e ela entrou com um pedido de uma outra boa também. O hospital disse que o convenio poderia pagar 30% da mesma, mas uma semana depois ela recebeu uma ligação de que eles haviam aprovado a melhor prótese mecânica e ainda cobririam 100% do valor. A prótese demorou muito a chegar, 4 meses depois ela chegou e com reabilitação e depois de somente 4 sessões ela já andava sem muleta.

A empresa se encantou com a história dela e até fizeram uma matéria que saiu na página da cia a nível mundial, "contando minha história de superação e como a empresa contribui para a realização de um sonho. A parte profissional cada vez mais melhorava. E em Janeiro de 2013 me caso e no me seguinte me promoveram novamente. Mais gente a cargo, tudo perfeito... E agora juntamente com o meu gerente estamos entrando com pedido para a prótese sonhada (biônica). Para mim foi um sucesso profissional e pessoal ao mesmo tempo, ambos caminharam juntos! E em outubro faz 5 anos q estou nessa empresa." (Pensem em uma pessoa iluminada!)

Iara Torres, Funcionária de Capacitação e Desenvolvimento de Talento da Bimbo
A Iara chegou à Buenos Aires, 3 anos atrás. Em sua primeira viagem para um curso de espanhol ela acabou se apaixonando e se casou há uma semana (eba! parabéns). Com o amor na vida ela acabou decidindo fazer um mestrado na cidade mesmo e confessou que a chegada dela não foi fácil "dava aulas de português em muitas empresas, mas não era exatamente o que eu queria." Mas um dia em uma dessas empresas, ela foi parar na Bimbo Argentina e se apaixonou pelo ambiente, pelas pessoas e filosofia.

O mestrado que ela estava fazendo era de linguagem e comunicação e nisso decidiu enviar um e-mail para a o diretor de comunicação da empresa atrás de uma oportunidade. Ele, até então a agradeceu, a achou proativa mas não era o momento. "Eu realmente não desisti. Todos os dias cedo, meu primeiro pensamento era dedicado a isso, eu quero trabalhar na Bimbo."

O tempo passou e ela foi contratada como professora mesmo de português pela empresa, já que a Bimbo trabalha com o Brasil e precisavam dessa capacitação. Em 6 meses ela teve a oportunidade de poder passar metade do seu tempo encarregada da parte de Desenvolvimento e Talento da empresa. No dia 15 de Abril ela completou um ano na empresa, em Maio ela foi transferida totalmente para a área que ama e faz parte de uma equipe que coordena toda a parte de Capacitação e Desenvolvimento de Talento da Bimbo e Fargo na Argentina. Uma prova de quem quer, consegue :)

Gostaram? Acho incrível e fico super orgulhosa de várias meninas que são um exemplo aqui. Vou tentar fazer esses posts mais vezes. Beso y buen finde.

Tattoos Argentas

14 de mai de 2014

Tem muita gente que ama tatuagem, eu sou uma. Depois de muito pesquisar, acabei tatuando duas coisas que eu amo: uma ancora e uma lavanda - por enquanto. Buenos Aires sempre esteve nas minhas ideias sobre tatuagem, mas acabei achando difícil encontrar alguma legal que me inspirasse.

Dia desses perguntei lá no facebook do blog, se alguma leitora tinha uma tatuagem em homenagem à Argentina ou Buenos Aires, aqui seguem as respostas:

A tatuagem original da Paula Lagoeiro, faz referência o livro Rayuela, de Julio Cortázar. A foto, foi tirada em dezembro de 2011, no Jardin Japonés.


O amor pela dança, tango e Buenos Aires, fez com que a Marcella Verzola fizesse uma tattoo do esboço de um casal dançando tango.

Aline Barreto tatuou uma Mafalda em conjunto com uma amiga, "das melhores, diga-se de passagem". Segundo ela, "sempre gostamos dos quadrinhos do Quino, da sagacidade da Mafalda, os questionamentos dela. Em janeiro deste ano fiz a tatuagem."


Priscylla Cygainski, fez uma em Buenos mesmo, simbolizando todos os momentos que ela tem passado aqui.

Minha amiga Mariana Reis, disse que "a tattoo foi uma vontade de homenagear a Argentina porque é inexplicável o que sinto pelo país! Fiz na costela, do lado esquerdo, ao lado do coração! Motivo pelo qual sempre falo que sou brasileira, mas com o coração argentino!".

Outras ideias interessantes são, por exemplo: tatuar o mapa do país, ou o monumento de determinado local que você curta, as coordenadas geográficas ou até mesmo a distância entre a sua casa e a cidade que você gosta.


Pra quem quer tatuar aqui em Buenos Aires eu recomendo o American Tattoo, onde eu fiz as minhas duas, segue aqui o post de lá.

E aí, voce tem alguma?

Como eu Aprendi Espanhol

12 de mai de 2014

Falar bem espanhol é muito legal, porque espanhol é (vamos combinar) bastante sedutor (as mina, principalmente, pira). Mas cada um tem um tempo de aprendizado, há pessoas que tem facilidade para o idioma e outras não, assim como muitos conseguem falar bem e com sotaque em dois meses e outros, mesmo após anos de estudos, ainda não puxam o som.

De qualquer maneira, estando ou não em escola, a melhor forma de aprendizado sempre vai ser a prática. Não adianta ter vergonha ou ficar encabulado na hora de falar na frente de nativos, você vai ter que passar por isso para falar bem. Se você for do tipo tímido, pode ir trabalhando esse nervosismo juro que ir em psicólogo ajuda, caso contrário vai ser complicado.

Eu, por exemplo, nunca tinha aprendido espanhol além do que o Ensino Fundamental me ensinou - que era bem fraco - e o que eu aprendi em um mês de intensivo com uma professora chilena. Eu sempre odiei espanhol e amava inglês. Logo, foi mais complicado porque eu tive que me encantar primeiro, pelo idioma.

Chegando em Buenos Aires eu não entendia nada. Nem o "hola", ainda que você pense que a aula da chilena tenha ajudado, você vai notar que espanhol MUDA MUITO de um país para o outro. E foi assim, aprendi na marra mesmo, frequentando aulas em espanhol, tirando zero em gramática e ortografia, e tendo que me virar todos os dias. Mas eu aprendi a amar a língua com o tempo.

Em dois meses eu já sabia conjugar bem os verbos e como eu prestava muita atenção nas gírias, até colocava algumas no meio das frases que eu usava. Mas o sotaque era quase impossível.

Passei a ver muitos filmes e a ouvir muita música, que de fato me ajudou demais. Principalmente música, até brinco que Alejandro Sánz era meu muso, quero casar com ele professor. No primeiro ano eu conseguia cantar um dos cds dele inteiro ahahha, não que eu curta muito esse tipo de música romanticona, mas ele fala devagar e modela bem as palavras, foi ótimo para poder adentrar no mundo do castellano. Mas porfaaa, não use a língua entre os dentes.

Falar mesmo com sotaque e podendo, algumas vezes, passar por argentina só foi acontecer uns 2 anos depois. Já puxava o ll para x, assim como y também. Outra coisa que me ajudou a falar mais argentinizado foi a escutar a melodia dos italianos. Se você prestar atenção, vai ver que a música dos argentinos falando é a mesma que a dos italianos, de verdade. Não estou louca.

Outra maneira, foi indo atrás de locais que estavam com vontade de aprender português. Assim a gente trocava: metade do tempo falava em português, na outra metade em espanhol. É legal porque assim um ajuda o outro e ninguém te julga por saber mais ou menos. E ainda você se diverte.

No mais, é perder a timidez. Arriscar mesmo com cara e coragem e não se prender somente a escolas e livros que, ainda que sejam fundamentais, não são tudo. Se misturar com as pessoas é o que mais vai trazer riqueza ao vocabulário, ir ao mercado, anotar palavras difíceis e tentar incorporar as mesmas no cotidiano é tarefa obrigatória de quem quer aprender direitinho.

Existem muitas escolas que dão conversação, mas veja se vale a pena: pagar caro num grupo no qual a professora não é nativa, dificilmente, te agrega em algo. Vai te ajudar, obviamente, mas nada melhor que aprender com locais. Tente ir atrás de professores nativos, mesmo. Nada adianta, por exemplo, você aprender a conjugar o vosotros, se raramente, você vai usar a denominação. De verdade.
Talvez o que a maior parte das escolas façam de errado é isso: se afincar num vocabulário e numa linguagem que não é atualizada. Lembre-se que você tem que aprender a se comunicar bem, não a ser uma máquina tradutora com viva voz. Porque pra isso, nós temos o Google Traductor. Dale?

A seguir o modelo de ensino que me ajudou, além das aulas com locais:

- Alejandro Sanz. ÍDOLO, foi excelente. Você me ajudou demais, te juro. Até me enamoré de vos, pero vivís lejos.



- Shakira. JURO que deu maior orgulho aprender a cantar Estoy Aquí...



... e também o minuto 1:10 de La Tortura.



Shakira, volvé a ser lo que eras, porque Antologia es de las canciones más lindas que hay.



- Maná. Além das músicas serem fofas, dá pra entender tudo.



- Diego Torres. Dica da minha irmã, ela o ouvia demais no colégio e as músicas dele são amadas demais pelos argentinos. E ela ainda falou que foi ao show dele e que "ele é top" hahaha.

-

- Julieta Venegas. Quem não entender o que ela fala, tá lascado.



E JURO, você vai entender tudo de reggaeton. Só não sei se é bom...



Você vai se acostumar ao ritmo veloz - dos argentinos, principalmente - na hora de falar. Ler e escrever vai tirar de letra, porque sempre é mais fácil. Mas você vai saber MESMO espanhol quando souber diferenciar sotaques: venezuelano não é o mesmo que colombiano que não é o mesmo que chileno ou peruano ou paraguaio, boliviano, mexicano ou das ilhas do Caribe e etc. Rapidamente você vai notar que o sotaque argentino é o mais fácil de identificar de todos, mas é muito parecido com o uruguaio.

E, fundamental: você vai notar como o Brasil é uma ilha da América Latina, e um dos motivos é o idioma. Sabendo espanhol você sai pela América Latina inteira, compartilham-se as mesmas músicas e parece que há, de verdade, irmandade. Acho que espanhol deveria ter muito mais importância no ensino brasileiro.

Y todo en castellano es más lindo!

17 Sinais de que Você é um Brasileiro em Buenos Aires

8 de mai de 2014

Ontem vi uma matéria no site Matador Network sobre sinais que os americanos dão quando estão em Buenos Aires e que os revelam como turistas. Os sinais são bem engraçados e se você manja inglês vai se divertir com o post.

Achei legal e resolvi fazer uma versão brasileira sobre o assunto: 17 sinais de que você é um brasileiro em Buenos Aires.

Foto: Divulgação 
- Você usa tênis de esporte para tudo
Quase todo brasileiro usa tênis de corrida para caminhar. Mesmo que não esteja indo ou voltando da academia, Puma/ Nike e Adidas já fazem parte do guarda-roupa de, pelo menos, 80% da população brasileira. Eu já comentei antes, mas usar esse tipos de tênis aqui não chama atenção porque argentino mesmo não curte, e se você usa já dá na cara que é brasileiro.

- Você parece italiano porque falo alto demais, quando junta em grupo é pior
Brasileiro é mais expressivo por natureza, isso é fato. Agora, se você entrar em um restaurante, ver uma mesa grande de gente rindo alto, bum: são brasileiros - todos. Pode ter certeza. E ainda, brasileiro fala alto em quase qualquer ocasião.

- Menina que é brasileira por natureza
Mulher é muito fácil de ser reconhecida: tem sempre quadril mais largo, cabelo feito pranchinha (muitas vezes com luzes) e unhas feitas. O uso de sandálias plataforma entrega demais assim como o uso exagerado e indevido do salto agulho (em ruas de paralelepípedo de Palermo, San Telmo, etc) e também o uso de calças jeans strech apertadas.

Foto: Divulgação 
- Não tá frio, juro!
Pois é, faz 20 graus e brasileiro tá lá com roupas de frio. Gente, 20 graus aqui é verão ahaha.

- Arroz & Feijão 
Sempre que puder o brasileiro vai pedir arroz e feijão, isso é fato. Na Argentina ocorre a mesma coisa. Mas lembrem que aqui não é costume e raramente você vai comer um arroz bom.

- A Cerveja
Ainda que Buenos tenha milhares de rótulos de vinhos nos menus e drinks excelentes, os quais você deva provar e degustar, na mesa de brasileiro sempre vai ter cerveja.


Cursos diferentes em Buenos Aires

7 de mai de 2014

Eu acho super legal quem tenta conciliar cursos profissionais com viagens de turismo, nesse post aqui vou listar uns bem bacanas para quem se interessar.

Gastronomia
A escola Gato Dumas é uma das mais conhecidas no quesito, pode não ser a melhor de todas, mas tem sim seu respeito no ramo. O bom de lá é que é de fácil localização (fica bem próximo à linha de metro verde - D) e os cursos são curtinhos, dependendo do calendário tem até aulas de dia inteiro, bem interessante. Outra escola legal é a IAG, que é o Instituto Argentino de Gastronomia, que segue a mesma linha que o Dumas, mas não tem tantas variedades de cursos curtos.


Coquetelaria
Vivo comentando que a coquetelaria argentina é das melhores que há, portanto se você curte o meio pode se deliciar nas aulas do Instituto Argentino de Cocteleria que é feito por bartenders e tem cursos bem curtos mesmo e às vezes, aulas também.
Uma coisa mais caseira é que o pessoal do Wherever Bar começou a dar, comandada pelo super bartender Juan (ex Dill & Drinks). Você vai sair manjando de tragos clássicos e ainda meio pra lá de tanta "degustação" de drinks.
Mas se você quiser algo mais clássico e sério, o melhor curso mesmo é dado pela CAVE, você sai com certificado de curso profissional mesmo, mas é de longa duração. No CAVE também tem um curso bem original sobre cervejas.


Vinhos
Estamos cheios de cursos de vinho por acá. Nas escolas que eu já citei em Gastronomia (Gato Dumas e IAG) existem cursos rápidos relacionados.
Além deles podemos também citar os que o pessoal da Escuela Argentina de Sommeliers dá e também os da Escuela Argentina de Vinos. Ambas são boas.

Cursos Profissionais
A UBA tem a Capacitarte, que na realidade é um organismo da faculdade dedicado a cursos de capacitação em diversas áreas profissionais, exemplo: Base de dados, Recursos Humanos, Salários, Gestão de Pequenas Empresas, etc. Os cursos são bem completos e ainda tem o valor da UBA, alguns duram duas semanas, outros até três dias, é entrar no site e procurar.

Nessa ala ainda de cursos profissionais a Universidad de Belgrano tem também uns cursos interessantes e bem curtinhos relacionados a diversas áreas, é só entrar na aba que diz Educación Continua.

Passando pelo lado mais criativo, Buenos Aires arrasa. Há diversos cursos nesse setor, mas sem sombras de dúvidas os mais conhecidos são oferecidos pela Brotherad que dita sobre publicidade e criatividade. Conheço bastante gente - excelente - que cursou lá e tem empregos ótimos na cidade. Já a Motivarte é campeã quando falamos de cursos de fotografia e a TEA oferece o melhor curso de jornalismo na cidade.

A leitora Julie Garcia, comentou aqui embaixo que sabe um curso bem legal de filete porteño! "Pra quem é apaixonado por tipografia e design, ver as plaquinhas espalhadas por toda BsAs é a coisa mais gostosa do mundo, e aprender também. Comprei o livro e ainda vou fazer em casa." O curso é oferecido nesse site: www.fileteado.com.ar.

Para moda a Mari Figueiró indica o MASD e a Espacio Buenos Aires com cursos legais.

Como esses há outros tantos, basta procurar :)

Porque Buenos Ainda é um Destino Procurado

5 de mai de 2014

A situação pode não ser das melhores: inflação aumentando, violência já é mais comum de se ver, porteño não é tão educado como os brasileiros no atendimento ao cliente em estabelecimentos e, ainda, com o poder adquisitivo do pessoal aumentando é cada vez mais fácil ir para a América do Norte ou Europa.

Mas ainda com tudo isso, Buenos continua na lista de quem já veio para cá, de nunca viajou para fora ou de quem ama a cidade porque ama. Há motivos para tal, e listar eles é uma boa tática para você não ficar na dúvida se vir para cá ou não.

Vida Social
Não adianta: Londres tudo termina cedo, Paris idem. Rio tudo é cedo porque você vai à praia cedo e retorna cedo pro boteco, São Paulo até tem picos mais noturnos mas você tem a Lei Seca e de quebra não é seguro voltar pra casa tarde. Por isso, Buenos é sensacional nesse quesito. Tem gente que não curte, mas a realidade é que há opções para todos, você pode sair para jantar, emendar num bar e tocar para balada (que geralmente começa as duas da matina), mas se você não aguentar é só tocar para casa ou ir tomar um sorvete em alguma Freddo às duas da manha que, sim, vai estar aberta.
Sempre tem gente na rua, os bares sempre estão cheios e a mesma coisa os restaurantes. Sempre que um pessoal viaja para Buenos me pergunta "onde está a crise?" e na realidade a crise é essa: gastar o que se tem porque mês que vem não vale a mesma coisa. Não dá para guardar dinheiro, você vai se divertindo cada dia.

Foto: Adriana Carolina.

Transporte
Isso eu sempre falo, mas independente do tipo de turista que você é, você se locomove bem pela cidade. Se tem dinheiro, pega táxi. Se quer algo mais econômico, fica pelo transporte público, que funciona.

Gastronomia
Cada vez mais eu acho que Buenos se destaca no tipo de viagem gastronômica. As opções que tem são inúmeras a preços bons, ainda assim. Carnes macias, pães bons, cafés para meninas para dar e vender, tudo para flanar o tempo que quiser.


Europa Só que Não
Quem já foi pra fora sabe que Buenos se parece sim com Europa. De certo que não chega perto das imponentes construções francesas, mas lembra muito. E dentro da nossa América Latina é ainda uma das cidades com arquitetura mais rica em detalhes.

Distância
Tudo na cidade é perto, principalmente se você fica na Recoleta e Palermo. Até mesmo no Centro, você vai encontrar um kiosco a cada esquina, um café a cada esquina, um ponto de ônibus, um restaurante, etc. E falando de distâncias maiores, é bem pertinho do Brasil neh?

O Fator Inexplicável
Porque Buenos Aires encanta, não tem jeito. Ainda com vários contras é uma cidade que raramente você não vai querer voltar.


SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .