O Motivo que me faz não ir Embora de BUE

29 de set de 2014

Semana passada, fiz os 10 motivos pelos quais eu penso em ir embora de BUE. Muita gente não curtiu e falaram pra eu ir embora daqui ahaha, mas gente: que cidade não tem defeitos? Em 10 anos aqui eu acho que posso falar o que eu penso né? Nenhum lugar é perfeito! Mas hoje é ao contrário.

E ao contrário do que você pensa, não são 10 motivos. Mas apenas um: qualidade de vida.

Qualidade de vida é algo que engloba muita coisa e envolve tudo e mais um pouco, dentre as várias coisas: violência, oportunidades, trânsito, temperatura, pessoas, passeios, transporte público, saúde, etc.
Qualidade de vida é algo pelo qual a gente batalha nossa vida toda.
Qualidade de vida é uma coisa que, exceto que você tenha dinheiro, é difícil de se ter no Brasil do jeito que se tem em Buenos Aires.


Se vive muito melhor aqui com menos do que é necessário para viver no Brasil. E nisso englobo: restaurantes, cinema, passeios grátis, programação cultural, shows, eventos, vida. Vida a cada esquina.

O post é curto porque ele é sensato e sem rodeios. É vida que percorre em cada esquina, em cada cafézinho, em cada livraria ou galeria de arte. Vida que você vive só de olhar, de sentar e sem ter que consumir nada, passando o tempo. É vida de fazer nada. E isso é tão bom. É tão revigorante. É tão pleno e viciante. É vida simples. 

Eu costumo dizer para os meus amigos que eu só fui saber o que era viver de verdade, aqui. De sentir assim essa energia gostosa de passear pelas ruas, de sentir o ventinho no rosto. De admirar os contrastes das árvores nas calçadas. De até chegar a emocionar de saber que poxa, a cidade que você escolhe para morar é realmente tua cara. 

Bue, te amo 

5 Novidades para Animar Buenos Aires

26 de set de 2014

Novidades quentinhas da Capital e arredores :)

1) Finalmente temos Street View
FINALMENTE, demorou mas chegou! Temos Google Street View, agora dá pra viajar pelas ruas de BUE sem sair de casa. Mas melhor vir. SEMPRE.


2) Teremos um parque aquático
UHU! Vai ficar lá em Tigre do lado do Parque de la Costa, vai chamar Aquafan e deve inaugurar no final do ano. Quem conhece, sabe que BUE é terrível no verão, essa é uma boa saída, apesar de que vai viver cheio ehhee.
3) Teremos o edifício mais alto da América Latina
O projeto Polo Audiovisual Isla Demarchi vai ser criado em conjunto com o governo e vai lançar mão de um baita prédio super alto que vai ter hotel, estúdios, museu e escritórios comerciais lá em Puerto Madero. De certo vai ser mais um cartão postal da cidade. 


4) Temos restaurante com vista panorâmica
A Gi do Aquí me Quedo publicou um restaurante essa semana no topo de um prédio de 22 andares. AMEI E QUERO IR.

5) A volta de Acurio
Gastón Acurio saiu do renomado Astrid y Gastón, mas deixou sua marca. Depois que o restaurante foi embora de BUE ficamos órfãos de um restaurante do famoso chef peruano, MASSS em outubro inaugura o delicioso La Mar, cebicheria das boas em Palermo.


Bom final de semana!

Encontro no The Argentine Experience

25 de set de 2014

Ontem rolou o famoso encontro entre bloggers e leitores no The Argentine Experience que a gente ama tanto.

 

Além de mim estava também o Túlio do Aires Buenos, a Lu do Mochila Cult, a Mari do Querido e a Gi do Aquí me Quedo.


Encheu MUITOOO, foi bem divertido e foi a maior janta ever do pessoal :) que amor! As usual a comida foi perfeita e os meninos ahazaram! Vou deixar umas fotos da Paula do Aires Buenos para voces verem!





The Argentine Experience

10 Motivos que me Fazem Pensar em Ir Embora de BUE

23 de set de 2014

Vamos falar de realidade porque nem todo dia se resume a cafézinho no Pani, nem passeios no parque 3 de Febrero e nem tragos no Florería Atlántico. 

Como boa expatriada e estrangeira em terra alheia, sempre bate aquela coisinha de "nossa, será que vou morar aqui pro resto da vida?". Deus, esse resto da vida assusta, viu? Eternidade, pra sempre, etc. Credo. Bem, pensando pelo lado negativo da coisa, eis aqui os motivos pelos quais EUUUU, AMANDA, iria embora de Buenos Aires. Fui bem organizada e separei por lógicos e psicológicos. Porque se bem Argentina tem problemas eu também vejo os "meus".

- Motivos lógicos

#1. Vai crise, vem crise
O povo aqui já está acostumado, mas é cego quem não quer ver que Argentina vive de ciclos em ciclos que geralmente duram 10 anos. Céu, terra, céu, terra e assim por diante. Dá pra fazer planos a médio prazo? Tá sonhando! Ainda que seja muito sonho de brasileiro ter a casa própria, chega uma hora que você precisa de estabilidade. Nisso vem sempre aquela coisa da desvalorização da moeda que é outro motivo pelo qual eu iria embora.

#2. O peso que não tem peso
Se bem quando a época não é de crise intensa o peso valorize um pouco mais, já é costume argentino comprar moeda estrangeira (aka dólar) para manter a economia, isso existe faz séculos e não vai mudar cedo. O que gera com essa desvalorização do peso? Mais limites de compras no exterior porque a demanda cresce e não tem dólar pra pagar, cias aéreas que deixam de voar para região porque não temos moeda para cancelar a dívida, impossibilidade - quase - de viajar. Não dá pra comprar moeda estrangeira quando você quer ir pra fora. Sei que o povo vai dizer que pode sim e tem que ir na AFIP (órgão que controla a venda dos dólares e etcs), mas a real é que pouquíssima gente consegue comprar 100 dólares que seja. Daí você vai nas cuevas da Florida, alimenta o câmbio paralelo, e paga uns 15 pesos por cada dólar (fica juntando dinheiro pro resto da vida pra poder viajar).
Ou senão paga com cartão, o governo controla tudo e engole 35% de IOF. Ah, a nova moda agora é que vão implementar uma medida pra controlar - mais ainda - nossas compras lá fora, pesar a tua bagagem quando vai e volta pra comparar.




#3. Inflação
Ainda sobre termos econômicos, não tem país que mais tenha inflação que esse aqui. Ok, eu estou exagerando e não consultei nenhum órgão oficial (mas melhor não), mas a desse ano já está na beira dos 40% e nem estamos em outubro ainda. Imagina terminar o ano pagando 40% a mais em tudo e o salário tendo reajustes (quando tem) de 15% a 20% anual?

#4. Salários e empresas e férias
Por falar nesse mundo corporativo, tem muita empresa fechando aqui. Eu já disse isso em outro post, mas a realidade é essa e se bem tem bastante emprego freela, quem pensa em carreira não gosta muito do panorama. E falando em mundo corporativo também, 10 dias úteis de férias ao ano ninguém merece né? Se bem a gente tem feriado, não conta. Porque se você tem um cliente gringo, tem que trabalhar e outra: quem pode viajar legal tendo um dia a mais agregado no final de semana?
Você só tem mais dias de férias se tem 5 anos de antiguidade no trabalho, mas por exemplo, se você muda de trampo com 4 anos de empresa, na outra empresa por teoria, terá 10 dias úteis ainda. Isso é negociável? Aham, é, mas em linhas gerais e por lei, é assim.

#5. Não dá pra saber se vai melhorar
Você pega tudo isso que eu falei e não dá pra saber quando a coisa vai melhorar. Aliás essa semana, American Airlines avisou que vai deixar de vender passagens de e para BUE, British diminuirá a frequência de voos de e para BUE, a South African já não opera mais por aqui para Joanesburgo e etc.





- Motivos psicológicos

#6. Falta de paciência/ educação
Argentino tem bem menos paciência e é bem mais mal educado que brasileiro, juro, mora aqui pra ver. E por conta disso, você/ eu fica mais propenso a não ter paciência também. Fulaninho foi mal educado com você, você vai ser mal educado com ele também. E é meio que unanimidade: sempre que eu falo com as minhas amigas brasileiras que moram aqui, todas concordam que ficamos mais impacientes porque porteños são mais impacientes e você quer tudo pra ontem, nada presta, tudo é ruim, dramático (tipo esse post ahahah). 

#7. Saudades
Daí é pessoal, ainda que seja perto, família e amigos são tudo né? Isso abafa um pouco se você tem alguém aqui. Mas ainda assim, não substitui. Junta isso ainda com a dificuldade que é alugar um ap aqui (que eu deveria ter colocado nos motivos lógicos) tudo o que você, às vezes, é tua casa.



#8. Cerco fechado
Buenos é ótima de viver, mas outra característica dos argentinos que a gente agrega também pra vida é: BUE melhor em tudo, meio barrista, sabe? Tipo, existem outras milhares de cidades incríveis, mas porque você está em BUE só aqui presta. Eu estava assim, tenho amigas que estão assim (e tem consciência disso). Se fechar nunca é bom. Bue é ótima, mas outras cidades também são.

#9. Egocentrismo
É a característica que eu mais abomino no pessoal aqui. Se bem a gente aprende a conviver, dá pra contar nos dedos de uma mão os porteños que são humildes. Não confundir, por favor, com educação/ simpatia, etc. Uma pessoa pode ser simpática, divertida mas não humilde. 

#10. A vida é muito curta para morar num lugar só
Fim.

O quanto você sabe de gírias porteñas?

20 de set de 2014

Tá ociosa/ o? Faz o teste que eu preparei pra saber o quanto voce sabe de gírias porteñas! Posta o resultado nos comentários ahhaa.



Se o link não funcionar, acesse pelo: www.snack.to/qh3q1lqi. Buen finde!

8 Motivos que Justificam a Loucura dos Argentinos com a Primavera

19 de set de 2014

Não é de hoje que argentinos amam a primavera. Quando eu cheguei aqui até me assustei com o fato de além de ser feriado no colégio (pelo dia do estudante) o povo sair para fazer pic nic nas diversas praças e parques da cidade. Eles não só amam primavera (digo, primavera meia estação não o verão insuportável que temos por aqui) como ficam loucos - de verdade - quando a data se aproxima. Separei algumas situações que retratam isso:

#1 Pic Nic nos Parques
No dia da primavera os colégios não funcionam e isso faz com que muitos jovens se desloquem até as praças e se divirtam durante a tarde. Logo, fica a dica: se você for sair para lugares públicos, prepare-se para o caos.

#2 Jacarandás
Está cientificamente comprovado que a primavera é - também - a MELHOR época para visitar a cidade. Muito disso se deve aos jacarandás que florescem na cidade fazendo tudo ficar muito mais lindo e fotogênico. E também é assunto de todos os dias de todos os jornais da cidade. Assunto de todos os turistas e moradores, de fotógrafos e etc.


#3 O Amor pela Meia Estação
Argentino, em geral, odeia frio. Isso porque boa parte do ano é necessário usar casaco, leia-se de março até meio de setembro. Argentino é desses que vai veranear mesmo nas nossas praias e ficam meses, e além de serem suuuuper branquelos, ficam da cor do pecado em menos de uma semana com os pés na areia. Faz 13 graus e eles já comentam "Que fresco está el día", algo como "que friozinho". Etc. Como isso te afeta? Simples, os jornais quando falam a previsão do tempo tendem a maximizar o efeito primaveral. Então para padrões argentinos, 15 graus é calorzinho já, e eles dizem "Que lindo está el día, primaveral". Para parâmetros brasileiros ainda é frio, portanto não se iludam com a emoção da mina do tempo quando ela fala que lindo que tá o dia porque na real, com 15 graus tá todo mundo comemorando aqui.

#4 As músicas
Ainda sobre a previsão do tempo em rede nacional, os canais de televisão exageram na animação. Leia-se: depois da previsão do tempo eles colocam um reggaeton, samba, a coisa vira zuera never ends de tão animados que eles ficam com o aumento de temperatura. Essa semana, na previsão diária, eles até colocaram um texto embaixo na legenda que dizia "Chau, invierno no te vamos a extrañar" (Tchau, inverno. Não iremos sentir tua falta).


#5 O Uso da Primavera como Data
Argentinos tem mania de relacionar o fato com épocas do ano. Do estilo: tal coisa aconteceu na primavera passada. Como eles ficam mais animados com a época de calorzinho, estão mais propícios a fazerem loucuras. E é quando, então, rolam mais coisas doidas dignas de histórias para marcar a vida. O que esperar disso? Mais gente nas baladas, bares, parques, na costa de Buenos Aires, mais festas, mais álcool, etc.

#6 Menos Cigarro
Argentino fuma muito. Em linhas gerais MUITO mais que brasileiros, mas algo legal de comentar é que eles diminuem demais a quantidade quando chega a primavera. Ao modo de ver deles não condiz fumar quando o dia "está tan lindo" ou quando "hay calorcito afuera". Todos amam.


#7 Mais Sorvetes
Mesmo que no inverno a quantidade de sorvetes ingerida seja grande, nada como a primavera para dar uma melhorada nisso. É normal casas de helados como Volta, Freddo, Persicco lançarem sabores novos e limitados durante a época. Além disso, é muito mais comum ver doces frutais. Eles deixam um pouco de lado o chocolate, por exemplo, fica porque "muy pesado para el calor".

#8 Mais Simpatia
Magicamente a maioria das pessoas ficam mais simpáticas na primavera e isso é a MELHOR coisa dessa estação.

Alguma dúvida sobre qual a melhor época para vir a Buenos Aires?

Top 5! Coisas Normais De Argentinos no Namoro

17 de set de 2014

Ai, resolvi fazer outro post comportamento - cultura local - azaração. 5 coisas que são completamente normais que os argentinos façam, estando namorando. 

Sair de balada com amigos
Aham. Balada aqui não é sinônimo de pegação - ainda que seja difícil se acostumar com isso, na nossa cabeça. Argentino quando sai com amigos para balada não é porque - necessariamente - quer pegar. Então ainda que seja OIIIIIIIIIIIIIIIIII?, aceite que isso pode rolar enquanto tu estiver namorando com um porteño e que tem argentina que leva isso numa boa. No caso de não aceitar
mesmo a saída, chama pra conversa e explica. Ojalá que adiante.

Não mudar os planos com os amigos por tua causa
É. Se o bofe já marcou de sair com os amigos antes e você chama ele para ir ao cinema, ou fazer qualquer outra coisa, saiba entender que ele vai te dizer "no puedo ir, porque ya tenía planes". Aqui é bem comum que não se misturem grupos de amigos, e sair de casal pode rolar mas nem sempre. E não fique chateada se o bofe disser não, eles preservam demais as saídas individuais e amigos são tudo para eles. Ok?

Não perguntar se você chegou bem em casa
Talvez isso não se aplique muito para casais mesmo, porque o cara sempre acompanha a mina até em casa (ou deveria). Mas é normal sair para um date com um porteño e vocês se encontrarem em tal lugar já (sem antes ele passar na tua casa pra te pegar. Aliás raros porteños têm carro e quando passa para te pegar é de táxi). Às vezes pode rolar de, depois da saída, vocês pegarem táxi separados e ele não te acompanhar até em casa ou nem ao menos perguntar como tu chegou.


O não uso de aliança
 Aliás, são poucos os países nos quais casais (sem serem casados) usam aliança. E é uma tendencia que cada vez mais perde adeptos. Mas saibam que aqui o pessoal não usa não.

O castellano
Ainda que existam coisas ruins (quando nao existe?) ele vai te chamar de "mi amor" e dizer "te quiero". E ainda vai tentar falar português pra te agradar.

Green Bamboo: Comidas Vietnamitas em Palermo

16 de set de 2014

Sempre presente nas listas de restaurantes must-go de Buenos Aires, o Green Bamboo é uma indicação legal para casais que curtem provar algo mais diferente. Aliás, disse indicação para casais porque o local é mega romântico, com luzes baixas, mesas baixas também (estilo sentar no chão com almofadas), velas e clima intimista.

Eu fiz um post completinho deles no Destemperados. A seguir umas fotos legais e informações básicas.

Fachada.

Décor bem intimista.

Barra.

Detalhe.

Trago com gengibre, limão, lemon grass.

Chao Ga: cubinhos de frango na cana de açúcar, com limão e sal. 

Cassis, lichia e um dos drinks mais exóticos que já tomei na vida ahaha.

Bo Luc Lac: lomo marinado no lemon grass com mel, pimenta e chili. 

Green Bamboo
Costa Rica 5802 - Palermo Hollywood
www.green-bamboo.com.ar

Saudades: Conexão Rio de Janeiro - Buenos Aires

11 de set de 2014

Fazia muito tempo que um post desses não entrava no blog. A ideia é simples: ajudar você a matar a saudades de Buenos no Brasil. Já tem por aqui dicas de como fazer isso em Porto Alegre, em São Paulo, em Curitiba e Brasília
Agora a Fernanda Castelo Branco, autora do blog Vontade de Viajar traz tim tim por tim tim o que fazer no Rio no caso da saudade apertar. Ela diz que buscou inspiração em Buenos Aires, mas que o roteiro ficou carioquíssimo! "São dicas passeios deliciosos não só para quem quer sonhar com Buenos, mas também para quem quer programinhas que são a cara do Rio".

O dia começa com um belo café da manhã na Confeitaria Colombo, irmã do Café Tortoni. Tanto uma quanto o outro foram construídos na “Belle Époque” que enfeitou o centro das duas cidades com a arquitetura Art Nouveau ao estilo parisiense. Logo ambos os cafés se tornaram ponto de encontro de artistas e intelectuais da época – se Carlos Gardel frequentava a bodega portenha, Chiquinha Gonzaga e Heitor Villa-Lobos tomavam café aqui. A Colombo tem uma filial no Forte de Copacabana, que também é bem legal, com uma super vista sobre a praia. Mas para se sentir mesmo no Tortoni tem que visitar a que fica no Centro do Rio, perto da estação de metrô Carioca.

Foto: Reprodução Site Oficial.

Se o passeio for no primeiro sábado do mês, a próxima parada é a Feira do Lavradio, na Lapa. Das 10h às 18h, a Rua do Lavradio ganha barraquinhas de quinquilharias e artesanatos originais, além de acessórios e roupas de estilistas independentes. As lojas de antiguidades e móveis restaurados também não faltam, tal como em San Telmo.

Foto: Vontade de Viajar.

Sobrados de fachada colorida e casas do século passado mostram um pouquinho da história do bairro que definiu o estilo do “malandro carioca”. Ainda hoje, a Lapa tem grande vocação boêmia, com uma enorme concentração de bares, e é destino certo de locais e gringos nas noites de sexta-feira.

O Café Havanna ainda não tem filiais no Rio, mas a gente pode encontrar o famoso alfajor em delicatessens como a fofíssima Deli Delicia, que também é um bom lugar para tomar café com bolo ou fazer uma refeição rápida – quiche com saladinha, sanduíches diferentes...

Para os verdadeiros cortes de carne portenhos, o lugar para ir é o elegante restaurante Tragga, no Humaitá. Empanadas perfeitas, chorizos e sobremesas típicas fazem sucesso – ainda que os preços sejam bem mais altos que os de Buenos Aires (uns R$ 100 por pessoa por uma carne, acompanhamento e vinho).

Foto: Vontade de Viajar.

Eu fui com uma amiga de família argentina, que assegurou a legitimidade do cardápio. Uns pediram tapa de cuadril de cordero, outros preferiram bife de lomo, e saímos todos muito satisfeitos! Para beber, cerveja Quilmes e vinhos de Mendoza, claro.

Foto: Vontade de Viajar.

Apesar de ser mais inspirado na culinária brasileira que na argentina, minha sobremesa de doce de leite preferida no Rio de Janeiro é o pastel Deleite da Bahia, da Cervejaria Devassa. As raspas de limão e as castanhas de caju em cima fazem uma combinação perfeita. Tem bares da Devassa em várias outras cidades do Brasil também, sempre uma opção legal para tomar um chopp à noite.


Mas quando o Rio está a 40 graus, não tem sobremesa melhor que sorvete. O Rio já tem 6 lojas Freddo, mas que tal experimentar uma versão bem carioca? O Sorvete Itália tem um sabor de doce de leite com doce de leite cremoso. Preciso dizer que é maravilhoso?


Endereços e Sites
- Confeitaria Colombowww.confeitariacolombo.com.br - Rua Gonçalves Dias, no 32 - Centro.
- Feira do Lavradio: www.facebook.com/FeiraRioAntigo - Rua do Lavradio - Lapa.
- Deli Delícia: www.delidelicia.com.br - Rua São Clemente, 114 - Botafogo.
- Tragga: www.tragga.com.br - Rua Capitão Salomão, 74 - Humaitá.
- Cervejaria Devassa: www.cervejariadevassa.com.br. Filiais em Copacabana, Barra, Centro, Flamengo.
- Freddo: www.freddobrasil.com. Barra, Leblon.
- Sorvete Itália: www.sorveteitalia.com. Em Copacabana, Tijuca, Bangu, Barra, Ipanema, Leblon, Gávea, Arpoador, etc.

Muito delícia e é legal ver como uma cidade tao nada que ver com Buenos tem mucho que ver ehehe. Fer, como os argentinos dizem, super obrigada pelo post! Sigam ela nos seguintes endereços para dicas não só do Rio, mas de todos os outros países do mundooooo.

Vontade de Viajar
www.vontadedeviajar.com
www.twitter.com/VontadeDeViajar
www.facebook.com/vontadedeviajar
www.plus.google.com/+Vontadedeviajar
www.instagram.com/vontadedeviajar

Buenos com Chuva: O que Fazer?

9 de set de 2014

Normal chover enquanto viaja, melhor coisa é sempre ter preparado um roteiro caso você pegue algum dia chatinho por aqui. Seguem sugestões de passeios e dicas práticas:


DICAS PRÁTICAS
- As chuvas em Buenos Aires geralmente são temporais mesmo, especialmente entre primavera e verão, chegando a cair granizo em algumas ocasiões
- Inverno e outono já não chove tanto, mas caso chova é mais fácil rolar garoa.
- Traga galochas/ botas de chuva. Quando chove aqui as ruas ficam meio intransitáveis e dificulta muito tua vida não ter umas galochas disponíveis, de verdade. Os ladrilhos das ruas ficam soltos e conforme você vai pisando, vai molhando tua roupa, um saco.
- Trazer uma capa de chuva também não é de se descartar. A loja Seco aqui em BUE tem umas opções beeem legais de capas e de galochas divertidas. Fica na Rua Armenia 1646 em Palermo Soho.


- E ah, não é porque chove que faz frio. Buenos Aires é super úmida e quando chove, fica pior. Fica meio abafado também.
- Para saber se vai chover ou não, a melhor previsão é do La Nación.
- Dá pra aproveitar a cidade com chuva sim, vou colocar umas ideias abaixo, mas zonas de parques é melhor evitar. Se a chuva não for forte dá até para arriscar uns passeios a céu aberto com uma sombrinha.

DICAS DO QUE FAZER
- COMER: claro, primeira coisa que eu penso quando chove é ficar em casa, ver um filme e comer. Mas calma, dá pra fazer isso fora de casa né? Então bora lá, o blog lista vários cafés que você pode ir passar a tarde. O povo argentino é bem boêmio, o que significa que é NORMAL ir a um café, pedir uma bebidinha e passar a tarde inteira lendo um livro ou um jornal, ou usando o wi-fi deles. Ninguém vai te tirar da mesa, trust me. Além dos cafézinhos, qualquer restaurante é uma boa desculpa também, clica aqui pra ver.
Posts: 


DEGUSTAÇÃO DE VINHOS: já coloquei aqui no blog. Gente, não tem coisa mais delícia que ficar enfurnado numa salinha com gente divertida provando vinhos deliciosos vindos de Mendoza. É um baita programa que supre qualquer carência de programação que a chuva pode causar e você nem vê o tempo passar, dane-se a chuva e AINDA capaz que sai de lá querendo tomar chuva mesmo ahaha. O Anuva faz isso e muito mais, clica aqui pra reservar.



- MUSEUSBue tem muiiiiitos museus e é a pedida perfeita se chove na cidade. No site do governo da cidade tem uma lista com todos que você pode visitar durante sua passagem por aqui. Eu amo o MALBA, o Museo Nacional de Arte Decorativo (que tem um café lá que dá pra emendar), o Museo de los Beatles (ahaha quem não curte? Dá pra emendar com o bar The Cavern lá), Museo Nacional de Bellas Artes, etc.


- VISITAS: dá para fazer algumas visitas guiadas. A melhor delas - sem dúvida - é a do Teatro Colón, coisa dos deuses. E ainda, se tiver graninha, veja um espetáculo, os ballets são um sonho e a orquestra dá vontade de chorar. Nesse link aqui dá pra ver a programação deles. Outra visita legal é a da Casa Rosada que rola nos finais de semana e é grátis. Também o Palácio Barolo que é uma maravilha, a visita guiada da Manzana de las Luces, Biblioteca Nacional, Centro Cultural Recoleta, Palais de Glaces, etc.

- BUE BY BUS: conhecer Bue desde o Buenos Aires Bus é outra pedida é também. A Buenos Aires Bus, tem várias paradinhas, rola sair para tomar um café e seguir viagem *-* A cidade tem outra cara quando chove.

- LIVRARIAS: eu não sei vocês, mas AMO passar o dia numa livraria bem linda. Rola até sentar e ficar folhenado livros né? Bueno, nesse link aqui tem um post com o livro "50 Livrarias de Buenos Aires" que é uma delícia de ter. Mas se tiver que escolher, iria de: Ateneo Splendid, a mais linda. Libros del Pasaje, a mais legal para combinar um café com uma leitura tardia. E essas outras que eu coloco nesse post aqui.


AULAS DE TANGO/ SHOW DE TANGO: é, se tá na chuva é pra se molhar, nada mal fazer umas aulinhas de tango né? A Gi, do Aquí me Quedo é a nossa gurú do tango, sabe tudo de todos, dá aula e enfim, nada melhor que ela pra indicar. Visita o blog: www.aquimequedo.com.br.

COMPRAS: rola de ir em alguns shoppings legais (meus favoritos aqui) e fazer umas comprinhas. Se quiser ainda arriscar mais, vá até a mina dos outlets na Villa Crespo e vá pulando de loja em loja. O guia Cool Villa Crespo que eu fiz em cooperação com a Mari, dona do Hotel Querido aqui em BUE, já está à venda na loja do Buenos Guias por R$ 20,00 e o download do mesmo é feito na hora, perfeito para levar no Tablet e IPad. Além de um guia completo de compras por lá, tem também uma seção cheinha só de cafés para alinhar algo deli com uma loja e por aí vai. Para comprar direto clica aqui.


CINEMA: é eu sei que você está pensando que não vai entender nada do filme, mas se for uma comédia romântica nem tem muito o que pensar né? Com legenda ainda fica fácil. E é uma ótima desculpa pra conhecer o cinema de luxo que eu já coloquei aqui. Nesse site aqui você fica sabendo de toda a programação dos cinemas argentinos e nesse post aqui os cinemas mais legais da Capital.


EVENTOS: Buenos é uma cidade que vive cheia de eventos. Dá para ir no aclamado Fuerza Bruta, se a ideia é jogar a chuva pro lado o La Bomba del Tiempo é a melhor pedida, lá ninguém vai ligar em se molhar. Outros teatros e eventos dá pra ver aqui.

BARES: é a contramão se você não quer ir a um café. Sempre comento que Buenos Aires é cheia de bares legais, todos eles você pode ver nesse link. Mas seguem os mais indicados: Franks para uma noite memorável, Buller para cervejas artesanais, Sheldon para qualquer hora e qualquer dia (incluindo domingos e segundas à noite), Florería para uma noite romântica, Danzón para conhecer um clássico da cidade e Puerta Roja e Gibraltar, jovens de bebida barata e agito.

E aí, tem outra idéia? Joga aqui! A Mari do Querido  também tem um post sobre o que fazer quando chove na cidade, corre lá pra tirar mais idéias :)

A Mudança de um Parâmetro de Beleza

8 de set de 2014

Eu fui desafiada por várias pessoas para fazer aquela foto sem maquiagem. Confesso não ser muito fã de virais, mas quero aproveitar essa selfie (abaixo) para poder abrir aqui meu corazón de uma maneira que eu nunca fiz antes. 

Falar de esteriótipos de beleza, pra mim, é forte. Se você não sabe eu vim morar em Buenos Aires com 14 anos. Auge da adolescência, da rebeldia sem causa, uma das piores fases - também - para se sentir  bonita: primeiro porque tá tudo errado, você usa aparelho, tem espinhas, um horror. E também porque você começa a ver que pode melhorar tudo isso e pode ficar meio paranoica.

Morando no Brasil eu nunca antes havia tido problemas com peso. Minha família (parte de mãe) sempre foi tipo pera: quadril largo, cintura fininha, bunda grande, peitos pequenos. Eu sou assim. Minha irmã é assim, minhas tias são assim. E eu me aceitava assim no Brasil. Aliás, falando de padrões de beleza, para Brasil eu estava bem. Tinha corpo. Tava ok.

Aí eu vim morar em Buenos Aires. Aí, a coisa escureceu. Para padrões argentinos eu era bem gorda. No começo não me importei. Comecei a fazer natação com as meninas e percebia olhares diferentes pra uma celulite aqui, outra ali. E olhares desviados. Acuei bastante, mas ainda assim não achava que era por conta disso.

Com o passar dos meses eu não só percebi como todas as meninas da minha sala - e colégio - eram magras mas, também, como elas viviam para ser magras. Faziam loucuras mesmo para emagrecer, anorexia completa. Com 14/ 15 até 17/ 18 anos tua cabeça dá um giro e por mais que você seja madura aquilo te infecta da pior maneira possível. Bullying, olhares feios, brincadeiras sem graça, tudo isso vai somando.

Um belo dia me inscrevi na academia, estava disposta a emagrecer uns 5 kg. Ia duas ou três vezes por semana e fazia bastante caminhada e musculação e alinhei isso com uma alimentação menos regada a medialunas (que eu não entendia como eram boas) e chocolates e sorvetes de Freddo.

Acontece que atingida a meta de emagrecer 5kg eu queria mais, porque me sentia melhor. Resolvi emagrecer mais, só que daí a coisa já tinha desandado de vez: comia muito muito muito mal, não sabia de onde tirava forca para caminhar na academia e minha bunda e quadril não diminuíam, para meu desespero. Saía e não bebia nada.

Eu entrei em uma fase horrível da vida e me via horrorosa no espelho. Viciada em exercícios e não podia ver uma pessoa comendo chocolate que xingava. Emagreci muito, uns 10 kg fácil, chegando na casa dos 40kg. Ia para o Brasil e todo mundo me dizia que eu parecia uma caveira, mas eu  não me via assim, eu estava bem. E aqui o mais forte: o meu parâmetro de beleza havia mudado completamente. Ser linda era ser magra.

Desculpa e se você for me julgar com 14 anos não comente no post: mas você fica muito mais vulnerável aqui a achar que está gorda ou fora dos padrões de beleza e isso é um saco. Um saco porque tem que tá muito fuerte pra não cair em besteira, do jeito que eu fiz há 10 anos atrás.

No meu auge de loucura o negócio foi feio demais, desmaiei convulsionei e não conseguia pegar meu primo no colo. Assustei muito e chorava todos os dias. Por mais que eu olhasse as meninas daqui na rua nunca iria ser como elas e por isso comecei a me afastar. Para mim é doentio estar comendo e falar em emagrecer, para mim é doentio ficar o dia inteiro regada a mate, é doentio passar frio porque frio faz queimar calorias, para não falar em outras merdas coisas que algumas aqui fazem para emagrecer.

A argentina é magra por diversos motivos, um deles é a bendita genética outro e a bendita preocupação em estar seca. O esteriótipo de beleza aqui é ser magra, é assim ponto. Esquece estar cuidada com cabelo hidratado, unhas feitas, pele bronzeada, pernas torneadas. É ser magra. Você entra no ônibus, tem meninas secas. Entra no bar, meninas magérrimas. Vai à uma loja, e todas são magras. E eu juro, meninas, que tem que estar muito bem consigo mesmas para não cair em ciladas e não deixar isso influenciar a vida de maneira negativa. Conheço várias brasileiras aqui que cada dia que passa estão mais preocupadas em emagrecer, estando normais: indo a nutricionistas, tirando tudo de gostoso da vida para não engordar mais para padrões argentinos.

Hoje eu não faço mais essas nada disso, claro que não, mas alerto a mães que tem filhas em colégio a ficarem ligadas. EU sei o que é, eu sei as loucuras que eu vi que as meninas faziam para emagrecer e não quero dizer aqui para não dar ideia a ninguém, mas é um mundo bemmmmm obscuro que, infelizmente, morando aqui você tem mais acesso. Eu já comentei, mas vou ressaltar de novo: Buenos Aires só perde para Tókio no ranking de anorexia mundial. É muito triste. MUITO.

É comum ficar vulnerável quando você vai à uma loja e nenhuma roupa entra e você tem que comprar GG, ou quando você come algo com doce de leite e tem gente te olhando, ou quando você lida com essa padrão de beleza no ônibus, metrô, na aula, 24h por dia. Qualquer uma faz dietas malucas mesmo sendo errado, mas da dieta maluca para um problema sério é um caminho curto. E eu não quero nenhuma nisso, por isso hoje abri aqui a realidade escura de um problema sério que eu mesma passei e que não é fácil falar e que rola aqui e que eu acho que todo mundo deve saber.

E se você pensa "como assim, onde tem doce de leite e empanada? Como elas são magras?". Simples, elas não comem nada disso. Nada mesmo.
SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .