Sobre Desistir

18 de fev de 2015


Recomeços sempre são estranhos. Posso citar muitos autores consagrados e livros de auto-ajuda que tentam reparar o dano de não se abalar com tamanha reestruturação emocional. Mas não existe maneira de superar tudo com muita facilidade.

Para quem me conhece, sabe que eu estou há 9 anos em Buenos Aires e quase não me lembro de quando morava em São Paulo. Fui muito pirralha para a capital porteña (14, 15 anos). Hoje tenho 24 e sinto que meu tempo argentino já deu, sabe?

Nos primeiros anos na cidade eu vivi um mini inferno: porteño não é o povo mais solidário, muito menos anfitrião do mundo e eu passei meus dois últimos anos de colegial sofrendo à beça. Entrei na faculdade e as coisas se ajeitaram um pouco, mas fui curtir mesmo a cidade quando comecei a morar sozinha por lá: quando meus pais resolveram voltar a SP e meu ex terminou comigo. Eu nunca havia morado sozinha antes, nem muito menos em outro país, mas em questão de 3 meses estava cuidando da minha própria roupa e comida em um ap minúsculo e mega velho-empoeirado da Recoleta.

Enlouqueci quase, não consegui terminar a faculdade (motivo pelo qual eu havia decidido ficar em Buenos Aires sozinha) e nunca tinha lidado com reclusão. Do nada, tive que aprender a viver sozinha e sem o cara que eu achava que iria ficar pelo resto da vida. Mas eu era uma criança né? Só que não enxergava isso na época.

Logo de cara aprendi que uma das coisas que mais fazem minha criatividade aflorar é a dor. E foi nesse período que resolvi começar o Buenos Aires para Chicas. Era uma maneira de me deixar conhecer uma cidade que eu não conhecia antes e de fazer novos amigos, ainda que virtuais. Naquela época, Bue carecia de blogs com pegada jovial que fugiam do básico: carne, tango e vinho e então o Chicas cresceu bem rápido (muito por conta dos meus posts desabafo quando saía com porteños hehe). Não esperava jamais o sucesso que foi e achei que estava sonhando em um momento.

Ter a vida exposta não foi fácil, e também não sei se foi o caminho certo, mas foi o que aconteceu. Era o que eu precisava naquele momento, estando errado ou não. Conheci tanta gente pelo blog que eu jamais mudaria algo se pudesse voltar ao tempo. Mas o mais importante de tudo foi a oportunidade que essa plataforma me deu de escrever. Sempre fui muito feliz escrevendo e não abro mão desse meu espaço por nada.

Lancei o blog em Março de 2012 e hoje 3 anos depois, sinto a necessidade de mudar de aires. Minha vida em Buenos Aires já não andava do jeito que eu queria e além do estresse gerado por diversos problemas eu decidi deixar as coisas fluírem e tcharan: fluíram. A vida me encaminhou pela volta ao ninho. E tudo aconteceu de forma mágica e acabou me guiando de volta à SP.

Mas por que eu falo em desistir?

Acabei acreditando em um momento que Buenos Aires era minha cidade no mundo. Ainda não sei se isso está certo, precisaria de mais tempo e viagens, mas é lá que eu me sinto em casa. Parte de mim queria muito poder ficar lá forever and ever, muito porque Buenos Aires te encanta (mas te cega) só que eu também caí na real de que estava ficando impossível fazer isso: inflação, aluguel, carreira, família, relacionamentos, etc. Achei uma hora que estava dando murro em ponta de faca e que sim, eu sou teimosa igual ao meu avô: insiste em algo quando não deve mais insistir.

Meu lado ingênuo acreditou em um momento que o blog iria bombar demais e que eu iria realizar um sonho: viver escrevendo. Só que não. A real é que me dedicava MUITO, vivia sem vida e me dei conta de que não, pelo menos agora, eu não iria conseguir isso e estava inviável viver na cidade. Por inviável leia-se: morar de favor por um tempo porque não achava apartamento que aceitasse me alugar um quarto que fosse sem fiador. Quem me conhece de antes, muitas vezes, deve ter achado que eu vivia uma vida de princesa e mega cosmopolita na cidade, o que era uma mentira. Reclamei algumas vezes de BUE no blog, mas era sutil, não era a ideia abrir as páginas virtuais desse meu diário para falar de assuntos tão pessoais. Mas diversos fatores me ajudaram a tomar essa decisão além do fator aluguel. Por mais que eu falasse no blog sobre relacionamentos (homens, família e amigos), o fator carreira e novas experiências ajudaram e muito na hora de desistir.

Desistir, palavra que eu acho que vai me atormentar ainda por bastante tempo, mas que hora ou outra devo superar.

Se eu tenho receio de perder seguidores, credibilidade ou ficar ainda mais longe do meu sonho de viver escrevendo? Não vou mentir que passou pela minha cabeça e quem não teria? O primeiro estágio de lidar com um blog - relativamente - grande é o encantamento. Essa fase de achar que tudo é perfeito, que teu blog é perfeito, que você é a mina (ou o cara) e que nada além disso faz sentido, passou. Hoje sei que perdi oportunidades de comercializar o Chicas, sei que é uma marca forte no setor, sei também que ficar mudando de cidade e fazendo inúmeros blogs não dá certo. E ainda, sei que esse mesmo blog poderia me dar um sonho de carreira, aquela que eu sempre sonhei. Mas esse mesmo blog me ensinou que ter um blog requer de tempo (muito), planejamento (diversos) e estratégia (fundamental). Aprendi que é um negócio como outro qualquer caso você queira viver disso e que para dar dinheiro precisa ser tratado como uma empresa e para ser tratado como uma empresa você precisa ter maturidade suficiente para isso - coisa que, confesso, tem que ser construída.

Fazer do Chicas meu ganha pão nunca saiu da minha cabeça desde 2012, principalmente pelo encantamento que eu tinha em lidar com ele: sai em revistas, sites, jornais, na TV, fiquei conhecida. Quem não gosta? Mas dinheiro que era bom, nada. Pra fazer o negócio vingar de jeito eu teria que largar meu trabalho e me dedicar 100% a esse projeto. Mas como? Se largasse o trabalho não teria condições de levar a vida que eu precisava levar para gerar conteúdo e engajamento no blog.

E ainda, como escrever sobre uma cidade que eu sempre amei mas que vinha me tratando mal há um tempo? Sabe aquele tesão, vai acabando aos poucos. Não que meu amor tenha deixado de existir, ele sempre vai estar, mas de novo, o encantamento vai diminuindo.

Além de tudo isso, passou pela cabeça: e a minha vida? E meus outros sonhos? Tenho que me desfazer de todos em pró de um só?

Sobre o Blog

Não quero mentir: manter um blog não morando na cidade é complicado e não dá certo. Por isso, o Buenos Aires para Chicas vai deixar de ser atualizado para dar lugar ao São Paulo, Encantada. Pode ser que, de vez em quando, role um post ou outro, mas a real é que estou fechando um ciclo. Não por isso, quero para de blogar. E acredito que a oportunidade de mostrar São Paulo desde o meu ponto de vista pode ser interessante.

Sei que tem muita gente que reclama de SP (com razão) e sei que há diversos problemas, mas não vai ser um espaço onde eu vou vir me queixar. Vai ser um lugar que eu mesma vou usar para ver que sim, dá para ser feliz aqui também. SP é enorme, cheia de variedade, é certo que as coisas são meio fora de mão e tudo requer tempo, mas são adaptações. Não é verdade?

O que eu espero dessa nova fase?

Crescer. Lidar com novos desafios e realizar outros sonhos. Espero que vocês curtam esse blog novinho que vou fazer com o maior carinho e que vocês descubram, comigo, uma cidade bem encantadora> www.saopauloencantada.wordpress.com
SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .