Gimme Money: A Real do Dólar

21 de set de 2012

Não estou aqui pra discutir política. Tô aqui mesmo pra contar  pra vocês como está a situação do país no que se refere a moeda estrangeira e como isso afeta tanto vocês, turistas, como gente que reside na capital.

      Argentina sempre teve o dólar como moeda base. Argentinos, em sua maioria, nunca confiaram muito nos bancos e guardavam, literalmente, dinheiro embaixo do colchão por pura precaução. Dinheiro não em peso, em dólar.
      Entre os anos 80 e 90, o presidente Menem sancionou no país a Lei de Convertibilidade, lei essa que equivaleu o peso ao dólar, ou seja: 1 peso = 1 dólar. Tamorico. Quem nessa época tinha suas economias em dólares, hoje no geral, tem uma vida boa. Quem manteve em pesos não. Tudo se fazia (só agora por obrigação está deixando de fazer) em dólares, e principalmente, empréstimos e transações imobiliárias. Até hoje é bem comum (e isso vai rolar até ano que vem) ver imóvel cotizado em dólares aqui na cidade. E empréstimos para comprá-los era até pouco tempo feito em dólares também.

Verdinhas queridas por aqui

      Não estou aqui pra contar muito sobre história, mesmo porque eu sei o básico, mas em 2002 foi dado fim a essa Lei de Convertibilidade e o dólar passou a custar 1,40 pesos por unidade. Foram ao total 11 anos de equivalência entre o dólar e o peso, situação que o país nunca sustentou com as próprias pernas. Isso foi chamado corralito: a proibição de saques de contas correntes e poupanças que posteriormente fossem trocadas por dólares ou transferidas ao exterior. Ou seja, pessoas desesperadas entravam nos bancos e sacavam tudo o que tinham. A desculpa do governo era abafar o esquema hiperinflacionário em plena crise econômica argentina, mas a 'solução' não foi bem aceita e tampouco ajudou a crise.
      Segundo o que eu li (e que professores entendidos explicaram) o que rola agora com o dólar é o seguinte, e explicado de uma maneira mega simples sem detalhes: falta dólar no país, falta dólar no Tesouro Nacional. É isso. Sempre tudo foi feito em dólar e chega uma hora que o bendito acaba, sem falar nas inversões diretas de empresas. A Argentina não tem um controle com empresas que querem investir aqui: ou seja, galera vem, abre uma empresa e todo o lucro vai pro país de onde essa empresa veio. Diferente do Brasil que durante um tempo a empresa tem que investir o lucro na economia nacional e depois desse prazo pode usufruir dele como 'bem entender'. Ou seja, como falta dólar bora travar tudo de tudo que é jeito a compra, saída, uso da moeda.
      A primeira medida que mais assustou a galera aqui foi no final do ano passado, em outubro, quando a AFIP (ente que controla os ingressos públicos e impostos) anunciou que a partir do mês em questão o câmbio a moedas estrangeiras deveria ser feito com prévia permissão. Ou seja, dependendo do quanto você ganha, pode trocar um x de dólares por mês, ou seja, quem não trabalha (ou não o faz legalmente) não pode trocar porque na teoria não tem dinheiro pra isso. E se você ganha pouco ou o que o ente regulador considera como mínimo necessário pode ou não autorizar a troca. A verdade? Nem gente com mais de 100 mil pesos ganhos por mês podia trocar tranquilo. Era o começo do controle total do dólar.
      Em novembro foi comprovado que com a política reguladora de permissões de trocas ao dólar o câmbio caiu em 35%. Mas com isso em dezembro, no câmbio negro a diferença já ultrapassava os 10%.
      Em março desse ano os bancos foram proibidos de girar dinheiro ao exterior para pagamentos de pensão e salários. E em abril o Banco Central anunciou que para tirar dinheiro do cartão de débito no exterior era necessário possuir uma conta no país de referência.
      Em junho o governo disse que iria bolar um plano pra poder diminuir o preço do dólar no câmbio negro que hoje já chega a 6 pesos e poucos. Agora, quem quiser comprar dinheiro para viajar ao exterior deve informar a AFIP, pedir permissão, apresentar passagens.

Cães farejam malas para controlar a saída de dólares do país

      Ou seja, para o argentino ou qualquer pessoa que viva em BUE virou uma odisséia viajar: é quase impossível comprar dólares. E se você gasta com cartão de crédito um acréscimo de 25% é feito na fatura. 7 dias, e não antes, de viajar é quando você pode comprar dólares (se é que você conseguiu a autorização da AFIP). Aliás, vamos esclarecer: comprar dólares só se for pros EUA. Se você for pra algum país limítrofe não pode, e nem se for a Europa. Pra isso você precisa pedir outro tipo de autorização pro país específico.
      Depois da viagem a aduana controla o que você trouxe: se supera os 300 dólares (fora do Mercosur) ou os 150 dólares (dentro do Mercosur) é cobrada uma taxa por produto de 50% a mais em pesos.
      Passada essa parte o que você, como turista, vai observar: casas de câmbio não operam mais em aeroportos ou portos da cidade. Ou seja, na hora do desembarque você vai poder trocar dinheiro somente no Banco de la Nación, fora do aero pode optar entre os outros locais. Mas no aero mesmo só La Nación.
Como turista você tem um máximo de 300 dólares no câmbio. Mais não.

A pergunta que não quer calar: vale a  pena então trocar?
      Depende: para compras pequenas e gastos cotidianos vide táxi, kiosko, bugiganas é necessário pagar em pesos. Agora para fazer compras e, quem sabe, em algum restaurante não vale a pena trocar. Porque? Simples: ninguém consegue trocar moeda, o que faz com que donos de estabelecimentos aceitem facilmente o pagamento da conta ou peça em dólares ou reais a um preço muito mais conveniente que no câmbio oficial. Exemplo? Várias lojas na Florida pagam 6 pesos pra 1 dólar enquanto no câmbio oficial está a 4.60 pesos, ou aceitam o real por 2,70 pesos enquanto no oficial está a 2,20. Ou seja, a diferença é grande. Ou faça compras com cartão de crédito, mas para esse quesito em questão trocar pesos já não vale tão a pena.
      Para alugar ap vai ser comum ver proprietários cobrarem em dólares, exija pagamento em pesos no câmbio oficial porque todos sabem que já não é legal a obrigação do pagamento em dólares, porque simplesmente NÃO tem como comprar.

E porque você contou toda essa ladainha da história do dólar?
      Porque não o dólar em si não é o maior problema, Argentina também fechou as portas pra importação para controlar a saída do dólar.
      Nada que seja de outro país entra fácil aqui, aliás nem entra. Vários hospitais já reclamaram da falta de medicamentos para quimioterapia, faltam eletrodomésticos que não são produzidos aqui, roupas de marcas estrangeiras tem poucas e as que tem são um absurdo. Não é a toa que a Armani fechou as portas aqui, e a Ralph Lauren está em perigo de extinção. Fora isso, nem mesmo Starbucks estava conseguindo deixar entrar os famosos copos descartáveis com a sereiazinha na marca (até mês passado os copos aqui estavam sem a marca registrada). Nem mesmo alguns bancos tem plástico suficiente para imprimir cartões de crédito e por aí vai... Nem ouse em ir a Sony por exemplo porque as lojas se encontram vazias.
      Ou seja gente, BUE já valeu a pena financeiramente para compras massivas, ok? Hoje uma coisinha ou outra ainda compensa comprar, mas num geral não.

OU SEJA: troque um pouco de pesos e venha com dólares ou reais. Se for necessário você troca mais depois.
Ah, pra saber a cotação vê no site do La Nación: www.bna.com.ar 

É como se o governo quisesse decidir até pra onde você tem que ir e quanto tem que gastar...

55 comentários

  1. Olá Amanda, tudo bem?

    Essa é a primeira vez que comento um post seu, mas acompanho o blog diariamente desde quando decidimos (uma amiga e eu) ir a Buenos Aires. Obrigada por todas as dicas.

    Viajaremos dia 15 de outubro (contagem regressiva rs) e será nossa primeira viagem internacional, então estamos muito confusas com relação ao câmbio.

    Nossa intenção era trocar quase todo nosso dinheiro por peso, mas, pelo que eu entendi através do seu post, não está valendo a pena?! Somente para gastos pequenos.

    Ai ai, como é ruim ser marinheira de primeira viagem! rs

    Besos e obrigada

    Renata R.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Reee!
      Olha troca um pouco e o resto deixa em dólar, se vc precisar trocar mais é só trocar aqui, ñ tem drama nenhum!
      Agora se vc ñ quiser ficar na pendencia de saber ou ñ se vai ter que trocar, já troca tudo, ok?

      Beso!

      Excluir
    2. Gracias pelos conselhos Amanda!!!

      Vamos ver o que fica melhor, temos 24 dias pra decidir.

      Besos

      Renata

      Excluir
  2. Oi Flor!!! Excelente post!! Esse blog tá cada dia melhor!! Se der, veja se descobre qual a quantia máxima de dólares q podemos entrar no país. Pelo desespero q eles estão em segurar a moeda no país, imagino que não deva ter nenhuma restrição na entrada, somente na saída.....rs...Besos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kina!
      Tem um máximo sim, vou procurar saber! besoo

      Excluir
  3. O problema principal é a inflacao. O argentino nao tem onde guardar sua grana porque nao existe algo como a poupanca aqui. se ele deixa a grana no banco, numa aplicacao como um plazo fijo, rende no maximo uns 18% ao ano, quando a inflacao tá em 25% e 30%. Por isso todo mundo se refugia no dólar. Essa medida de impedir a troca de moeda basicamente impede as pessoas de pouparem. Menos dinheiro nos bancos, menos dinheiro rodando e sendo emprestado, menos dinheiro investido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Túlio, obrigada pela contribuição :) Beijo!

      Excluir
  4. Oii... rolou uma dúvida! Estou indo pro Brasil passar 5 dias e volto, não tenho que trocar moeda pra ir pra lá... mas tenho DNI como residente, preciso comunicar a AFIP que vou viajar para o exterior?? Beijo, adoro seu bols!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Julia, se vc não vai trocar dinheiro acredito que não precisa comunicar... Só comunica pra pedir autorização pra trocar moeda. Beijo

      Excluir
    2. Muchisimas gracias!

      Excluir
  5. Oi Amanda, tudo bem?
    Sou a amiga da Renata que comentou lá arriba, hehe.

    Primeiro, bacana demais o blog, tô fã!
    Então, essa coisa de dólar, peso, real, tem tirado meu sono, não sei mais o que levar.
    Uma galera que foi no final do ano passado disse que eu podia ir com real e peso numa boa, só deram a dica pra eu comprar coisinhas onde os próprios morados compram e não onde tem chamariz pra turista sabe?

    Agora o lance do dólar me confunde um pouco, sei lá...como iremos comprar tranqueirinhas e fazer passeios de turista mesmo, como conhecer a calle florida, recoleta, plaza san telmo, essas coisas será não vale a pena então trocar tudo por peso? E outra coisa flor, é melhor trocar aqui, ou aí no La Nacíon? Como está a coração do peso aí?

    Desculpa o mundo de perguntas, como a minha cia de primeira viagem disse aí, é ruim demais essa coisa de ser novata, mas é preciso... hehe

    Grande abraço e fica bem

    Díos te bendiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, a mesma coisa que eu respondi pra ela vou responder pra vc: troca um pouco e dps troca mais se for necessário. Mas se ñ quiser ficar pendente da troca, ja compra tudo em pesos. É necessario trazer pesos, eu nunca disse que ñ é.

      E www.bna.com.ar pra ver cotacao =)

      Beijo

      Excluir

    2. Tks pro responder, e obrigada pelo link da cotação, vou dar uma olhada lá.

      bjo!!!

      Excluir
  6. Opaaa... e eu sou a Nathália, e agora sim...

    Díos te bendiga, besos.

    ResponderExcluir
  7. Muito bom o post. Gracias chica.

    ResponderExcluir
  8. Amandita, estou em processo de alugar um apê aí, mas todos os preços para turistas são fixados em dólar para turistas. Acabei de mandar um email pra imobiliária perguntando o que me dizem sobre essa questão de entrar com dólares no país (uma vez que exigem pagamento em cash na chegada). Você disse que há um limite (se descobrir quanto é, avisa a gente!). Vamos ver o que vão me responder, e eu te conto depois por aqui.

    Beijos, ótimo post!

    ResponderExcluir
  9. Pessoal, descobri: o limite de dólares permitido para entrada no país é de US$ 10.000.

    ResponderExcluir
  10. Amanda, cheguei pelo AEP no dia 11 de setembro em Bue e ainda tinham as casas de câmbio por lá. Uma amiga trocou 100 reais em pesos lá, o que deu 85 pesos. Eu saquei direto do meu cartão naquele banco LINK no AEP mesmo, achei mais rápido e prático. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Larine, como assim vcs trocaram 100 reais e deu 85 pesos? Hahaha, me explica porque se foi isso mesmo te roubaram!

      Excluir
    2. Ooops, deculpa, Amanda! Na verdade foram 50 reais que trocados deram 85 pesos! Confundi, sorry! É que fiquei com os 100 pesos na cabeça! Hahahaha

      Excluir
    3. Ruim esse câmbio, hein? Nem 2 pesos por real :S phueda.

      Excluir
    4. Tem que avisar o navegante de primeira viagem: Câmbio em aeroporto É roubada! Sempre... no Rio de Janeiro, em Paris, em Buenos Aires, nas Filipinas, etc... etc... etc...

      Minha dica: levar alguns pesos para a chegada - tipo 200,00 - levar reais e dólares - de preferência em notas pequenas. Com eles negociar o cãmbio na hora do pagamento... retirar dinheiro, pesos, com o cartão de crédito para despesas do dia a dia. Quanto a alugar apto, não tem saída: é sempre dólares... mas se pode negociar o pagamento por pay-pal.

      Compras no exterior - para os argentinos - tem um custo de mais 15% - não 25% - que depois é compensado com o imposto de renda. É caro?.... Bueno, nosotros los brasileños, pagamos iof de 6% , sem devolução no imposto. Quanto as taxas no aeroporto é igual ao Brasil: temos um limite, acima disso pagamos...

      Excluir
    5. Obrigada! Mas agora pelo fato de estarem controlando mais os gastos no exterior, as compras estão mais caras mesmo.
      E aqui não é muito comum negociar a troca de moeda, por essas mesmas exigências. Só se for no cambio negro. Pay Pal aqui está muito complicado, a pessoa não pode retirar o dinheiro em conta corrente e então só nos sobra a opção do cartão de credito que muito proprietário não gosta.

      Excluir
    6. Bueno... esse "negociar" é simplesmente perguntar ao garçom/vendedor se posso pagar em reais/dólares e qual seria o cambio... hoje (viajo amanhã) aqui no Brasil troquei 1real=2,22 pesos... se ele fizer um cambio melhor, pago em reais/dólar, caso contrário pago com cartão. Simples assim.

      Todos os apartamentos que alugo, sempre pago 50% com Pay-pal sem problemas. O dinheiro do Pay-pal fica como crédito, ou na própria conta Pay-pal ou no cartão. Muitos proprietários argentinos tem conta e cartão de bancos no exterior.

      Excluir
    7. Ah sim, eu tinha entendido o negociar como no oficial, mas se é no negro tá certo =)
      E sobre o PayPal eu não tive sorte com alguns proprietários do Airbnb ehehe. Mas que bom que sempre deu certo cntgo né! Legal saber dessas experiências.

      Excluir
  11. Ps.: assim que cheguei saquei só o necessário para pequenas despesas, pq a gente chegou depois das 15h e o banco de La Nacion tava fechado. Eu levei de tudo um pouco, tanto real, como dólar e depois troquei pesos já aí em Bue. E como vc disse, a maioria dos lugares aceita real ou e/ou dólar: táxi, lojinhas de bugigangas, passeios, baladas, restaurantes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. To falando ahahaha, e ainda vale mto mais a pena, né!

      Excluir
  12. Oi Amanda! Essa semana vou para BsAs, estamos levando dinheiro, mas estamos sem trocados... será que por exemplo, se comprar um lanche no Mc Donald`s eles trocam 100 pesos numa boa??? rs. E tem algum restaurante para indicar na Recoleta para jantar? Bjs Li :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Li, trocam 100 pesos sim porque o lanche aqui sai quase 50 ahaha. Trocado tem que ter pra compra pequena: kiosco, táxi, etc.
      Restaurante tem indicado aqui do lado direito na lista geral, tem um link pra restô! Beso.

      Excluir
  13. Amanda, sabe me dizer se consigo sacar normalmente pelo Money Travel Card?
    Liguei numa casa de Cambio aqui no Brasil e nao me recomendaram fazer o cartão deles, pois disseram que na Argentina estão tendo serios problemas. As pessoas não conseguem realizar saques, alguns estabelecimentos não aceitam. Fato ou boato? Pq como ficarei 1 mes, nao acho seguro levar toda a grana...E cartão de credito internacional, funciona normal? como está complexo!!! :S

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hellouuuu Ana! Eu não tenho idéia sobre o Money Travel Card :(
      Cartão de credito internacional funciona direitinho, mas ve antes com o banco e não esquece que não parcela, ok? É em uma vez só.
      Beso!

      Excluir
  14. Bom dia Amanda,eu vi ali em cima vocês falando de aluguel de apartamento para estrangeiros. Eu vi o post no blog sobre mas não entendi muito bem. Eu estou indo parar morar, por quanto tempo terei que alugar apartamento em dolares? Depois que sair o DNI melhora ou não? Desses sites de apartamentos temporarios tem algum que vocês indicam que seja extremamente confiavel?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii. Olha depende, eu nunca aluguei em dólares porque sempre implorei pelo peso.
      E não tem muito a ver com sair o DNI ou não, viu? Pq dps se vc quiser alugar um ap em pesos e a longo período eles pedem muita coisa: fiador, garantia, depósito, meses adiantados, comissão da imobiliária... Enfim.
      Minha sugestão é: se for passar mais de 6 meses faz contrato direto com o dono (um site bom é o Craiglist).

      E esses sites de aps são os que eu mais confio porque já usei, ok?

      Excluir
  15. Oi Amanda
    tudo bem?
    adoro seu blog! leio diariamente!!
    eu queria tirar uma dúvida sobre cartão de crédito com você!
    aqui no Brasil os cartões tem função débito e crédito! então quando fazemos uma compra o vendedor pergunta: crédito ou débito?
    aí tb é assim? eu queria saber como dizer que queremos usar o débito...
    eu já lí em algum lugar que a maioria dos porteños usa débito da conta poupança e não dá corrente como os brasileiros, é verdade? nesse caso temos que falar alguma coisa na hora da compra?
    obrigadinha
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, aqui se usa mais da conta corrente mesmo! Mas antes pergunta pro teu banco aí, tá? Pra ver se está liberado direitinho :)
      Mas aqui eles também perguntam se vc quer no crédito ou no débito!

      Beso

      Excluir
  16. Olá Amanda! Semana que vem estou indo para a Argentina, estou numa dúvida cruel. Levar peso, dólar, real??? Ouvi que estão trocando 1 real por 1 peso. Penso que o melhor seria levar alguma coisa em pesos para comer, comprar bobagens e dólares para compras maiores ou no freeshop. Será que poderias me ajudar? Elinéa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca que trocam 1 peso por 1 real, magina! No mínimo 1 real = 2.4 pesos... Traz dólar e peso. Beijo.

      Excluir
  17. Boa tarde,viajo amanha dia 18 ,gostaria de saber a cotacao do Dolar em B.A....

    Desde ja agradeco!

    ResponderExcluir
  18. Amanda,
    boa noite!
    Antes de mais nada meus sinceros parabéns pela criatividade e capricho com o blog!
    Muito cortez de sua parte tantas iinformações valiosas expostas de maneira util, simpatica e charmosa. Tem talento com as palavras.
    Aproveito a oportunidade para questionar-lhe se com 9000(nove mil) pesos argentinos, consigo aproveitar 4 dias em BsAs com minha noiva?
    Beijos e muito obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá sim! São mais de 1000 pesos por pessoa por dia :)

      Excluir
    2. Obrigado pela eficiência no retorno..
      Vê necessidade de levar mais?
      Outra coisa querida, pode atualizar-me quanto os valores da Ásia de Cuba? E quanto ao jogo do boca, é impossivel conseguir "un sitio en la cancha?" rs
      Cordialmente,

      Lucas

      Excluir
    3. Lucas, eu acho que não há necessidade. Em todo caso, trazer cartão de crédito é uma boa pedida, por urgência :)
      Sobre o Asia eu não sei já que há tempos que eu não vou lá. Sobre jogo no Boca, é meio difícil, mas não impossível. Tem uma empresa que chama Tangol que fornece ingressos, meio caros, mas tem.

      Amanda.

      Excluir
  19. Amanda tudo bem?

    Gostaria que me atualizasse sobre o cambio. Estou indo para ai agora no ínicio do mês e estava pensando em ir com dolares e reais para trocar ai fora o cartão de credito.
    O que seria a melhor pedida? E tem algum lugar legal pra trocar dolares ou reais?
    Obrigada pela ajuda.
    Gabriela

    ResponderExcluir
  20. Oi gente!
    Acabei de chegar de BUE (passei carnaval lá) e antes de viajar, visitei este blog, agora volto para registrar minha experiência quanto a este assunto dólar-real-pesos. Neste momento o melhor a fazer é levar somente dólar e real, dólar para usar lá, embora algumas lojas não aceitem você consegue trocar em locais indicados pelas proprias por um cãmbio muito bom, eu troquei o meu por 7.2 pesos cada dolar e em restaurantes o máximo que consegui foi 7.4 pesos cada dolar e também ouvi gente dizer que conseguiu até 8 pessos por dolar, enquanto o real valia 3.4 ou 3.3. Real achei muito interessante usar no free shop de lá, pois o cãmbio era de 2.04, enquanto que no free shop do brasil era de 2.12 e eu tinha trocado o meu no brasil antes de viajar por 2.09, ou seja, usei meus reais no free shop de lá e o dolar na Argentina.
    Bjo Amanda e boa viagem a todos!

    ResponderExcluir
  21. Oi Amanda! Como está o dólar e o real por aí esse mês? Estou indo para Bariloche mês que vem e estou na dúvida se compro dólar (que está bem caro por aqui ago: 2,4 o comercial!!!) ou reais. Fui para Buenos em março e foi ótimo ter levado só dolar, mas estou na dúvida agora... Em Bariloche o câmbio paralelo costuma ser bom? Muito obrigada e parabéns pelo site, muito origina e feito com carinho!

    ResponderExcluir
  22. Nossa to amando o seu blog, achei sem querer, estava procurando sobre homens argentinos....rsrs converso com um cara q é bem meloso.... Odeio... Andei dando uns cortes nele... Vou pra Bue no meio de maio, será q vai estar mto frio???? Gostei tb da dica do dólar, vou levar un pouco de pesos, dólar e real!!!! Parabéns pelo blog, to tirando várias dicas!!!!

    ResponderExcluir
  23. não vale a pena mais você não trocar o dinheiro, e muito menos achar que está seguro trocando seus reais para dólares e viajar para um país dentro do mercosul. Simplesmente é burrice. Para começar o dólar está caro até para se realizar o câmbio oficial de real-dólar, e simplesmente o real está muito mais alto do que o peso, então o que vale é trocar seus reais para peso, ou simplesmente realizar uma compra grande em reais. No câmbio negro digamos assim, a cada 5 pesos eu compro 1 real, então o que vale mais é fazer isso atualmente. Eu viajei para lá em outubro agora, então acredito que estou atualizando o câmbio atual.

    ResponderExcluir

SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .