Top 5! Vozes Sensuais em Espanhol

15 de dez de 2014

Essa mania no espanhol de falar "me lo prepare", "te lo hiciste", "a lo de", "te la preparo", "ensinamelo" é taaaan bonito, né gente? Além de soar complicado e latino é SEXY. Fala se não  é verdade? Separei hoje 5 vídeos pra vocês babarem na malemolência latina do castellano.








Buena semana!

Porque minha Vida em Buenos Aires Não é Perfeita

14 de dez de 2014

Quem vê acha que eu vivo um mar de rosas na cidade, né? Sempre tive essa impressão, mas hoje foi demais: recebi dois e-mails, de duas meninas, comentando que morriam de inveja da minha vida na cidade. E ambas me comentaram que querem isso para a própria vida.

Adoro quando as pessoas vem me procurar querendo saber mais como é o dia a dia na cidade, porém eu tenho um blog no qual é necessário chamar atenção. Não fico colocando perrengues e aborrecimentos (se bem que já publiquei alguns aqui) porque não vem ao caso. Sabiam que até eu mesma uso o blog para reler um post ou outro quando estou de mal com a cidade? Hahah, é verdade.


Mas dentro dessa vida da Amanda blogueira, existe a Amanda real. Essa Amanda real se mudou 5x de apartamento nos últimos 6 meses porque, simplesmente, é foda alugar algo pela capital portenha. Esse é o principal problema, no meu ponto de vista, em morar na cidade. E eu realmente gostaria de ajudar mais as pessoas que me gritam pedindo auxílio, mas a real é que eu mesma passo por esse problema.

Sobre sair bastante. Se bem a vida social em Buenos Aires é mais em conta que no Brasil, eu tenho muitos amigos que trabalham em bares e restaurantes e conheço MUITA gente do meio, isso faz com que sempre que eu saia e vou visitar o pessoal, eles acabam dando uma coisa ou outra. E até mesmo o blog faz com que às vezes eu não precise pagar a conta integral, isso ajuda demais. Porque bem ou mal, as coisas em Buenos Aires podem ser mais em conta mas saindo para jantar e bebendo algo, pelo menos, 300-400 pesos vão embora, sem exagerar muito. E fazer isso duas vezes por semana é um orçamento legal dentro do mês que nem sempre se tem.

Eu não reclamo de trânsito porque tenho a sorte de trabalhar de casa, mas quando trabalhava no Centro (a grande realidade de mais da metade da população da cidade) demorava pelo menos 1h30 para chegar no trabalho, um percurso que se demora em média 20 minutos.


Também não comento sobre violência e assalto, mas já fui assaltada 3x em Buenos Aires. É tão violento como algumas cidades grandes do Brasil? Não ainda, mas isso não quer dizer que não há violência. Em uma das vezes me bateram. 

Além dos problemas de relacionamento por aqui (leia-se 9 anos na cidade e nunca namorei um argentino) que eu levo na brincadeira hahaha, há problemas na cidade e me sinto na obrigação muitas vezes de alertar que são raras as pessoas que vem morar em BUE que não passam por perrengues. Mas é natural passar por perrengue e é natural ter pelo menos 6 meses de adaptação. Tem gente que demora mais, tem gente que em dois dias já se acostumou. Mas o que eu quero dizer é que nada é um mar de rosas e vida de princesa. 


Ando dizendo isso porque percebo que muita gente se ilude, acha que porque vai mudar de país os problemas, magicamente, vão desaparecer e vida automaticamente vai traçar um outro caminho. A gente pode fugir de problemas, pode fugir para tentar encontrar paz em outro lugar, mas raramente as coisas saem como planejadas. Fugir, nesses casos, achando que a perfeição tá do outro lado da fronteira é um erro. Porque, gente, simplesmente a perfeição não existe. Ainda mais em se tratando de mudanças, adaptação, reestruturação emocional e vida nova. Não se iludir, nem criar demasiadas expectativas são duas coisas que devem ser treinadas. Pra isso a gente tem que admitir que perrengues sempre vão existir. 

Como Entrar no Frank's Bar em Buenos Aires

11 de dez de 2014

Fim do mistério. Não adianta falar mil vezes que tem post aqui que te auxilia nisso eheh, toda semana eu recebo e-mail de gente me implorando para ajudar a entrar em um dos bares secretos ( já nem tanto) de Buenos Aires. Juro que se a cada ajudinha eu ganhasse 5 reais estaria RYCAAAA.

É muito simples gente: só colocar no Google as dicas que o bar mesmo posta nas redes sociais, não tem segredo. Frank's já não é mais um bar secretíssimo como era antes (antigamente você só conseguia a senha se conhecia alguém que trabalhasse no bar, etc).


Hoje é entrar no facebook deles e twitter e colocar no google as dicas que eles postarem durante a semana. Sempre é uma pessoa, SEMPRE. Sempre também é uma pessoa famosa com história: músicos, pintores, artistas, atores, atrizes, políticos, etc. Ou seja, sempre é também uma pessoa famosa (viva ou não).

É uma senha POR SEMANA e eles abrem de quarta a sábado. Portanto a senha vai valer para toda a semana, e geralmente a pista é publicada no começo da semana. Ok? Não é NADA difícil. A seguir um exemplo:

Pista
De la mano de su manager Brian Epstein, sus canciones empezaron a copar las listas y los conciertos de los Beatles provocaban escenas de histeria entre las groupies, imposibles de controlar. La "beatlemanía" se difundió por Europa, luego por Estados Unidos y más tarde llegaría al resto del mundo. El éxito imparable de la banda, dio lugar a una de sus frases más célebres y polémicas "los Beatles son más populares que Jesucristo".

Gente, muito fácil, concordam? Antes as pistas eram mega difíceis, mas hoje é mais parte de uma brincadeira :)

Sobre achar, Frank's anuncia em suas redes sociais que está na rua Arévalo 1445 em Palermo Hollywood. Sempre tem gente na porta, se por milagre do destino não houver ninguém, é só chegar junto no endereço correto e bater a porta (ao lado direito da porta tem um aviso indicando Frank's). Bateu a porta o segurança vai abrir uma portinhola e te perguntar a senha. Não pode errar, errou não entra. Acertando a senha ele abre a porta e te indica os números do telefone lá dentro. 

Entrando no bar não pode fumar e você tem a obrigação de pedir um trago com os mega bartenders Mati (ex Pony Line) e Nico Castro. Ok? Have fun!

Frank's Bar
www.facebook.com/FranksBar.ar
Arévalo 1445, Palermo Hollywood.
De quarta a sábado a partir das 21h. Tem para comer também e dá para reservar.

Jardins para Beber e Comer

19 de nov de 2014

Meu lado subjetivo entre em cena aqui. Eu amo jardins, tenho queda por qualquer jardim e acho que além de transmitir romantismo na medida certa, nunca vai ser cafona. Buenos Aires tem alguns vários gostosos.

O da Paul French Gallery é um deles. Indo durante a semana o lugar vai estar vazio, a trilha sonora sempre é boa, na minha opinião. Da última vez que eu fui estava tocando John Mayer, XO - uma graça. O café do Decata serve coisinhas gostosas, mas nada de outro mundo, e os chás do Tealosophy que estão por lá também aromatizam demais o ambiente.


Outro jardim lindo e mais romântico frufru (bem mulherzinha) é o do café/ restaurante El Último Beso. Impossível pensar em casamento e não me lembrar daqui. Tudo o que esse lugar tem ecoa amor e cada detalhe é justamente pensado em dramatizar esse sentimento por todos os cantos. Aqui dá pra vir tanto para almoçar, como para tomar um chá da tarde ou jantar também. A casa é bem bonita, mas o jardim aos fundos é bem agradável.


Indo para o lado da Recoleta meu preferido é o do Palácio Hyatt. O hotel é luxuosíssimo e não encontrei nunca um erro sequer por lá. Ali dentro dá para escolher onde se sentar: se perto do bar, do salão de chá durante a tarde, na vinoteca do piso inferior ou no restaurante italiano Gioia do outro lado. Não tem erro, é simplesmente encantador. Não tenho horário de preferência porque nunca está lotado, mas as tardes durante semana sempre tem algo em especial.


O restaurante do Four Seasons é bem delícia também, o Nuestro Secreto tem pratos que agradam todo mundo e vale a pena almoçar lá durante semana. Eu já disse que sou fã da cozinha do Elena (outro restaurante do hotel), pois bem a comida é praticamente a mesma, mas um pouco mais simples e um tiquinho de nada mais econômica.


Fora esses lugares eu sempre comento do jardim do hotel Home, que é uma boa pedida para tomar uns drinks. O restaurante do Jardin Japonés é também bem legal, apesar do sushi não ser dos melhores fica dentro de um dos parques mais lindos da região.


Se você está pelo Centro uma sugestão é a casinha de chás e comidas leves o Como en Casa que fica dentro de um antigo convento, e tem um pátio bem gostoso e cheio de árvores.

Amo jardins!

Das Coisas que Aprendi em Buenos Aires: Amar uma Aula

13 de nov de 2014

Sempre fui meio CDF, me preocupava muito com as notas que iria tirar na escola principalmente porque acompanhava o quanto meus pais batalhavam para me manter em colégios bons. Parte de mim, sentia culpa por ainda não poder trabalhar e outra parte me dizia então que a melhor maneira de honrar isso era dando valor ao que eles estavam fazendo pelo meu futuro.

Com isso nunca tirei nota vermelha na vida, até meus 14 anos de idade ganhava diploma de mérito e era sempre a querida dos professores. Fui oradora das formaturas que participei e sempre era líder de sala. Ganhei amigos e inimigo nessa, mas quem nunca?

Quando cheguei aqui em Buenos Aires sabia que a coisa iria mudar primeiro pelo idioma e segundo pelas matérias (História argentina, Geografia argentina, etc). Mas eu não sabia de nada inocente. Idioma, por incrível que pareca, nunca foi um problema exceto nas aulas de gramática e ortografia, mas meu maior desafio foi me acostumar a um novo modelo de aprendizado.


É bem comum aqui na Argentina que você encontre pessoas de 30 anos recém formadas na primeira faculdade. Além do fato que eu já comentei aqui antes de que não existe essa cultura de corporação e carreira como temos no Brasil, a faculdade aqui é fácil para entrar mas difícil para sair.

Faculdades públicas e particulares não tem vestibular. A UBA, maior e melhor universidade pública daqui, tem o CBC (Ciclo Básico Comum) no qual durante um ano você tem determinadas matérias para aprovar e com isso entrar daí sim no curso que quer. Como se fosse um curso de peneira, basta aprovar. Mas aprovar... É outra coisa. Já nas faculdades particulares, apenas uma prova é aplicada e com isso você entra no curso. Não é por ranking, na realidade essa prova é mais para provar que voce está apto para cursar algo, não influencia muito.

Enfim, o que muda mesmo é o método. Sarmiento foi Presidente da Argentina entre 1868 e 1874, só com ele a educação ganhou um panorama maior. Durante seu governo ele incentivou a imigração e trouxe muitos educadores europeus ao país. A ideia do Sarmiento era atualizar a Argentina com práticas de ensino e educação digna de países desenvolvidos. Nisso ele construiu escolas e bibliotecas públicas, duplicou a quantidade de estudantes durante seu mandato. Logo depois o Presidente Roca fez as primeiras leis nacionais de educação. Além de várias outras políticas educacionais o que eu posso dizer disso é que Argentina sempre teve um dos melhores sistemas de ensino da América Latina, juntamente com Cuba hoje e Uruguai. Fico bem feliz de poder ter concluído Ensino Médio e Superior aqui.


Agora você me pergunta: como é no dia a dia isso? Pois bem, aulas são para debate, não são didáticas e o esquema "te vira" é aplicado não só em faculdades públicas, mas particulares também. Eu nunca tive, por exemplo, apresentação de PPT na faculdade aqui. Sempre tinha que ler muito antes de ir para a aula caso contrário ficava perdida. Na aula, meus professores não reviraram a teoria que eu tinha que ter estudado, a aula era DEBATE. Argentino ama debater, ama brigar pelos seus pontos de vista, ama dar opinião. Confesso que era difícil dormir em aula, por exemplo, porque realmente elas eram interessantes (isso aplico tanto na faculdade quanto no colegial também, mas em menor escala - ainda que nunca vi uma apresentação de PPT no colégio tampouco). Fora isso você se vira com tudo: como fazer trabalho prático, onde conseguir tal livro, arranjar tempo para dar conta de ler toda a bibliografia, etc.

Para as provas o conteúdo da aula não bastava. A média de aprovação é 4, mas para tirar 4 você tem que ter 70% da prova aprovada e para tirar 10 tem que arrasar muito. Já houve um caso no qual eu tirei 5 e a prova inteira estava correta mas não tinha a profundidade suficiente que meu professor exigia.

Aqui, na minha faculdade pelo menos e na maioria, você tem que aprovar a cursada da matéria e as provas. Ou seja, durante a cursada da matéria você pode vir a ter duas provas parciais aprováveis com nota 4. Aprovados os dois parciais, o exame final é obrigatório (isso mesmo). E o exame final engloba tudo o que você viu na cursada e pode ser oral ou escrito, ou ambos. Em raros casos algumas matérias podem ser promocionais. Isso quer dizer que caso você aprove os dois parciais com mais de sete pode não precisar fazer a prova final, geralmente nesses casos as matérias escolhidas para tal benefício são fáceis (Inglês, Teologia, Informática, etc). Mesmo que as notas parciais tenham sido boas, o que fica na sua grade curricular é a nota final e a média então no final da faculdade pode não ser a melhor. A maioria das matérias aqui são semestrais, mas algumas podem ser anuais, o que fazem as provas finais serem impossíveis de aprovar.

No caso de desaprovar um parcial você pode recuperar. No caso de desaprovar ambos, dependendo da faculdade, você tem que recursar a matéria. Já no caso de desaprovar uma prova final você pode recuperar duas vezes. Mas não seguidas, isso quer dizer que se em Junho você tentou e não conseguiu, só vai poder tentar outra vez na segunda época do ano de provas que é no final do ano. Isso é mega ruim porque passados seis meses você já não lembra mais da matéria e prejudica muito porque muitas delas são correlativas, sem um final aprovado você não consegue cursar outra matéria e vai tudo enrolando. Atrasando mais ainda.


Cada matéria demanda muito tempo e dedicação e a vida fica bem impossível quando você trabalha e estuda ao mesmo tempo. A maioria dos argentinos sai cedo de casa e para pagar aluguel tem que trabalhar, faculdade aqui é mais barato que no Brasil mas não é grátis (fora as públicas). Cada ponto desse atrasa bastante a graduação, mas você entende isso mesmo quando estuda no sistema deles. Aqui não rola estudar dia anterior, não rola inventar coisas na prova (alguns professores até dizem que se você escrever mais do que deve ele não vai ler), não rola não ser objetivo: ou você sabe ou não sabe, não tem muito jeito.

Juro que até começar a estudar aqui eu não amava aula, porque era tudo monótono, sem graça. Já falei nesse post aqui que meu melhor professor da vida foi Jesus no colegial. Ele dava (dá ainda) aulas de Literatura. Houve um dia que ele nos mandou fazer um exercício de ortografia sem explicar a teoria porque "a esa altura de la vida ya la tienen que saber". Isso raramente aconteceria em salas de aula no Brasil, né? Ele preferia gastar as aulas dele divagando pela arte que é a Literatura, fazendo mapa da Odisseia, exercícios de interpretação de texto literais, investigando a vida dos autores dos livros para poder entender o drama entrelinhado em cada parágrafo. Eu amava aquilo e sinto falta até. Mesma coisa na faculdade. Que vontade de começar um curso de novo.

Enfim, você sai do curso sabendo mesmo. Na marra. Caso contrário não sai da faculdade.

Domingos em Buenos Aires

10 de nov de 2014

Muitos me perguntam o que fazer no domingo em Buenos Aires. Se bem não há muita diferença eu acho que domingos servem para caminhadas gostosas sem maiores pretensões no que você vai encontrar adiante, para brunchs tardios e um drink no final da tarde.


É bem praxe ir visitar a feirinha vintage (não vintage) de San Telmo, a da Recoleta com seus artesanatos e a de roupas da Plaza Serrano em Palermo. Em dias mais quentes, as ruas e espaços abertos de Puerto Madero se enchem de gente praticando esportes e é bem legal passar a tarde por lá também apesar do tumulto. Outra parte legal é a Costanera que fica beirando o Rio de la Plata, pertinho do Aeroparque.

Um domingo gostoso pode ser regado então a tudo isso: acordar tarde, ir a um brucnh, passar em uma feirinha e finalizar em um bar tomando algo.

Se você opta por Palermo, há inúmeras opções de brunch. O Ninina tem um bom brunch e tá bem na moda, apesar de viver cheio de gente (confesso que perco a paciência e nem sempre quero esperar). Ontem eu fui testar o do Victoria Brown e gostei bastante. Não há várias opções, são três tipos de brunchs só que são meio parecidos. O Victoria é mais pra jacar mesmo sabe? Não vá pensando que dá pra comer algo leve porque não é muito a realidade do lugar, os lanches são bons, as batatas gostosas e é perca de tempo pedir salada e/ ou iogurte, mas há a possibilidade.


Fui com as meninas e pedimos um para dividir e veio muita coisa. Uma tábua com torradas com ovo, outra tábua com torradas e creme, batatas, uma xícara grande de café com leite, um suco de laranja delicioso e fresco e ainda uma french toast que sai na hora. Saímos querendo morrer de tanto que comemos, mas valeu a pena. A outra opção de brunch legal vem com iogurte. Eu gosto de lá pelos sucos diferentes, uma das minhas amigas pediu um de framboesa e eu já provei o de mexerica deles e é sensacional. As coisas são de boa qualidade e não há também a necessidade de pedir o brunch, há vários lanches saborosos também.

Saímos de lá e ficamos caminhando pelo bairro, tomamos uns sucos no Bblue (cheio de blueberries), ótimos para refrescar e terminamos a noite no Sheldon. Sheldon que eu acredito que seja uma das melhores opções para final de domingo. Tem dj legal e banda ao vivo depois. Umas comidinhas ok e tragos sem maiores erros. O bom de lá é o décor, amo.


Se a ideia é ficar pela Recoleta, um café da manhã gostoso pode ser pedido no Florencio, um brunch meio francês também pode rolar no Sirop Folie. Passar o dia caminhando pela feirinha e depois você tem a opção de terminar o dia no bar cervejeiro Buller ou ir tomar um chá da tarde bem fino no Alvear, com direito a espumante. O Florería Atlántico também abre lá aos domingos e o bar do Hyatt, o Oak é simplesmente divino a partir das 17h da tarde. Recoleta é linda aos domingos e uma das melhores opções.


Indo para San Telmo, uma boa opção de café da manhã é no Hierbabuena, meio natureba ou no Panadería de Pablo que é super agradável. Depois da feirinha você pode terminar o dia tomando algo em algum pub da rua Reconquista ou ir até o Sky Bar do Hotel Pulitzer para curtir a vista de lá de cima, que não é alto, mas gera um ambiente gostoso a céu aberto.

Finalizanod, Puerto Madero carece de lugares legais para tomar café da manha. O Central Market que tem lá é fofo mas eu acho bem ruim, a qualidade é péssima. Acho que vale ir pra lá para almoçar em um dos restaurantes da "orla" ahha, tipo o Happening ou Estilo Campo. Passar a tarde beira rio e terminar tomando uns drinks no Lupita.

:) Domingos são deliciosos também.

O Original La Alacena

5 de nov de 2014

Desde que anunciei que ia mudar meu jeito de fazer posts gastronômicos aqui no blog eu venho pensando no dia que ia postar o La Alacena.

Conheci o lugar através de uma indicação de um conhecido do Gran Bar Danzón, ele havia comentado que o lugar era bem a cara do blog porque dava um foco mais brunch/ café que eu sempre comento por aqui. Fiquei com vontade de conhecer e agendei um dia pra ir lá. Ainda que a zona seja Palermo ele não fica no burburinho que eu sempre frequento, é mais indo para o lado do bairro de Almagro, mas é de super fácil acesso.


Eu cheguei lá e dei de cara com um lugar tranquilo, situado em uma esquina movimentada mas o barulho do transito não afeta (em nada) a experiência. Me sentei em uma mesa que tinha mosquitinhos (amo) e umas lavandas lá fora. Quem me conhece sabe que eu amo tanto lavanda que até tenho tatuada.


A primeira impressão foi de que o menu era muito original. É normal ver a mesma coisa sempre nos cafés aqui: medialunas, croissants, lanches com presunto e queijo, uma saladinha ou outra e um doce com doce de leite. Mas o La Alacena não. Era tanta coisa diferente que fiquei bem em dúvida sobre o que provar.


Fui de bruschetta de de aspargos com com queijo, manteiga, amêndoas e alho. O pão estava macio e torradinho nas bordas e achei a mistura de tudo bem interessante. Fiquei com vontade de provar também a de patê de fígado de frango e a de queijo azul.


Outro dia fui lá e provei também o iogurte caseiro com frutas e granola que a Mari ama, que estava bem correto e saudável como a primavera sugere. Das 3 vezes que fui achei que tudo correu bem, não fui mal atendida, pelo contrário as meninas sempre foram bem educadas e cordiais. Mas nunca fui em horário pico (exemplo sábado a tarde), sempre fui durante semana.


De certo o que eu mais adorei e me fez voltar outras vezes foi o menu diferente deles que serve muito para quem não aguenta mais essa coisa de sempre comer o mesmo independente do lugar que você vá. Dentre as delícias deles a tarteleta de chocolate com sal é um pedido que tem que fazer: sí o sí. O chocolate vai de amargo a meio amargo e a massa da tortinha é folhada (eu adoro), o sal quebra um pouco o doce impregnante e equilibra bem no paladar, dá uma sensação gostosa.


Outra coisa que amei foi a torta de ricota com limão que estava assim incrivelmente boa, principalmente pra quem não curte doce forte. Virou paixão. Bem molhadinha com base durinha e areada na consistência.


Todos os dias eles tem menu de almoço que achei bem legal: carne de porco com batatas, peixe, nhoque de sêmola, etc. O brunch também vem virando um dos queridos da cidade, com uma estética linda ainda por cima: há varias comidinhas para compartilhar no centro da mesa, bem contemporâneo e dando um fresh air para os cafécitos de Buenos Aires.


La Alacena
Gascón 1401 esq. Honduras / Palermo.
Aberto de segunda a sábado, das 10h às 19h.
Aceitam dinheiro e débito Visa.
www.facebook.com/laalacenacafe (menu completo no álbum do facebook deles).

10 coisas que não dá para fazer bêbada em Buenos Aires

3 de nov de 2014

Já fiz um post aqui falando sobre o que rola fazer estando bêbado em Buenos Aires, se você não leu dá uma olhadinha aqui

Mas o de hoje é o que NÃO é para fazer. 

1) Mandar mensagem pro boy que tá afim e enrolar feio no castellano
Tem gente que manda bem no espanhol quando fica bebum, eu sou das que fala mal pra caramba. Se esse é seu caso, melhor não falar. Já fiquei bêbada e tentei mandar mensagem em espanhol, tive que lavar o rosto primeiro, sentar e pensar dez vezes se o treco tava bem escrito. Nessas você até periga de mandar algo mal intencionado ahahhaa, vai vendo.

2) Mandar mensagem pro ex boy no Brasil e pagar caro em ligação internacional
Pois é gente, todo mundo tem sua fase, mas ligar pro ex que está no Brasil vai sair bem caro no final do mês, portanto não! Não liga.

3) Voltar xingando homens pro taxista que vai tentar ficar com você
Normal você voltar meio exaltada com o ocorrido da noite ou então voltar pensando na vida. Massssss o seu taxista não tem que saber que o cara te chamou pra dormir na casa dele as 7h da matina ou que você pegou ele com outra menina. Existem taxistas bonzinhos e tem uns que vão querer aproveitar do teu jeito isca-fácil.

4) Pegar bus, dormir e perder a parada de casa
Acontece com as melhores pessoas. Bus em Buenos Aires é 24h e é então comum voltar pra casa de ônibus (eu faço), mas cuidado para não dormir e ir parar onde Judas perdeu as botas, por favor.


5) Deixar a melancolia da cidade te dominar e voltar chorando
Ai gente, minha vida, minha história, meus findes. AHAHAHAHA, se você está num momento sensível é normal que a melancolia da cidade te domine e você volte pra casa emocionada, eu nunca contei isso pra vocês

6) Passar num kiosco e comprar quilos de Milka e afins
É bom? É. Mas depois você vai se arrepender. Acredite.

7) Dar vexame na balada 
Aqui não rola dar vexame. Deu vexame eles te colocam pra fora.

8)  Passar pela banquinha de rosas 
Aqui em Buenos Aires todas as banquinhas de rosas são 24h (ou a maioria) e eu já vi muita mina passando por elas e ficando deprê.

9) Usar o Tinder
Nao rola usar o Tinder na madruga boladona em Buenos.

10) Ficar desesperada de saudades do Brasil e ir a uma balada brasileira
Na boa, assim com faltam restaurantes e bares legais brasileiros aqui, baladas também. 

O Porteño de Sempre

31 de out de 2014

Desde que comecei a olhar pra argentinos eu tenho o "meu". Uso aspas porque não é meu, mas é aquele carma, sabe?

Três anos que conheço o bendito. Três longos anos. O conheci quando tinha saído com outro argentino, um date péssimo na real. A minha primeira impressão do carma foi "ual, ele é lindo" mas ao mesmo tempo terrível, me tratou mal, meio esnobe. Depois, porque frequentávamos os mesmos lugares, me adicionou magicamente no facebook (até hoje não sei como porque nunca havia dito meu nome pra ele, mas ok). Ele namorava na época uma mina. 


O perdi de vista, por um ano e pouco. Mas sempre acompanhava as andanças dele por Buenos Aires e ainda que não seja stalker a gente acaba sabendo onde o fulano vai ou deixa de ir, né? E um dia topei com ele em um evento - no qual eu também estava acompanhada de um argentino (mais chato que o outro, por sinal) e ele simplesmente ficou assim ó: duas horas falando conosco ainda que por regras não era bem-vindo. Eu não liguei. Comentamos sobre coisas que gostávamos como se fossemos velhos conhecidos e como nunca havíamos feito antes. E quando o vi novamente me lembrei porque eu tinha gostado dele. Fu***.

Depois dessa noite começamos a nos falar muito, bastante mesmo. Todos os dias. Mas porque quando a gente gosta fica besta? Eu sou assim, minhas amigas brigam comigo sempre, estou tratando, ok? Enfim, eu acho que comecei errado desde aí: não deveria ter virado amiga, é mais difícil. Mas achei que era o correto na época. Tão amigos que além de nos falarmos direto, quisemos ter um projeto juntos e algumas vezes ele me ligava pra me acordar. Era meio viciante essa dependência dele. 

Mas sempre o achei duro. Mais histérico que a maioria dos argentinos que conheci. Mas encantador também: inteligente, sarcástico, intenso. Senti tanto essa incerteza nele que acabei recuando por não saber onde estava pisando e achei que era arriscado demais jogar sujeira no ventilador. Houveram muitos momentos nos quais acreditei que era questão de tempo. Fuen. Outros momentos que acreditei que era falta de bebida. Fuen. E outros que achei que era porque sempre estávamos com amigos, só uma vez peguei um táxi com ele sozinha. Fuen. Daí desisti. Sabia que aquilo que eu sentia era por estar afim e também por não entender ele, nada mesmo.


Desisti não desistindo. Deixava as coisas rolarem. Mas nunca rolou nada além de indiretas bobas e que poderiam ser de brincadeira, a verdade é que hoje eu já não sei mais. Podia ser efeito da bebida e também podia ser efeito da histeria argentina, who knows?

Sei que houve uma tensão um certo dia provocada, acredito eu, por ciúmes. E depois dessa tensão nos afastamos, mas nunca esclarecemos nada. No meio disso cada um ficou na sua, até que brigamos e ficamos meses sem nos falar. Mas não foi briga, deixamos de nos falar seguido de troca de ofensas não ditas um na cara do outro, mas sempre por intermédio de pessoas entre a gente. 

Minto se disser que não queria ligar pra ele pra saber o que havia ocorrido e minto também que não tentei enviar aquela mensagem no whatsapp. Mas argentino é histérico, tanto que eu tinha mais receio da reação dele do que de outra coisa. E sei também que fui orgulhosa. Acontece que um dia bebi e mandei e ele me respondeu. E a gente se resolveu, depois de bastante tempo. Mas não quero nem vou voltar a ser aquela amiga, ainda que faça falta. Porque se for pra começar de novo, vamos esclarecer os pontos e mostrar que histeria é um pé no saco, que drama é bom para conquistar e que se é pra rolar que role.

Tudo isso pra dizer que quando eu digo que os caras aqui são dramáticos e histéricos e mal resolvidos, é verdade. E por isso a gente vai pro bar né? Hahah. Bom finde.

And Set Herself Free ★

29 de out de 2014

Meu post hoje é um pouco diferente. Diferente porque como disse uns dias atrás tem dias que não tenho inspiração para escrever e isso é normal quando você bloga, ainda mais quando você bloga tanto quanto eu estava acostumada a blogar.

Esses dias tem sido de muita resolução na minha vida, ahaha quem vê até parece. Mas a real é que ando pensando bastante no que eu quero fazer daqui em diante e além de saber que amo escrever e o blog não me proporciona o financeiro necessário pra fazer só isso, eu sei que ele é um portfólio legal para futuros trabalhos que podem sair daqui. E um portfólio tem que ser levado a sério né? Por isso o que vocês podem esperar daqui em diante...

- Menor quantidade de posts. Eu já não vinha postando com tanta frequência né? Primeiro porque eu tenho uma vida, depois porque eu já fiz muito post e terceiro porque estava sem inspiração. Mas a ideia de ter menos posts é ter mais qualidade porque eu sou dessas que prefere menos mas que seja ótimo. Falo isso por fotos, precisão de detalhes, leitura gostosa. Quando eu percebi, em posts anteriores, que estava escrevendo por escrever e colocando fotos que não eram minhas, me dei conta de que estava perdendo o foco do que eu queria.

- Mais posts críticos. É eu sei que nem tudo é bom sempre e sei que não é porque eu fui que quando você for vai ser excelente. Também não é minha intenção enganar vocês. Logo, vou passar a ser mais crítica. Antes eu deixava de postar porque não tinha gostado, hoje eu vou passar a postar mas não pra acabar com o lugar mas, sim dando minha opinião no que eu acho que poderia melhorar.


- Sobre os posts de comportamento e homens porteños. Tenho recebido muitos pedidos pra voltar a fazer. Acontece que nem sempre estou disposta a ouvir o que críticas. Digo isso porque sempre que eu posto tem gente que fala mal de mim ou reclama do meu jeito de ser. Estar na internet é abrir bastante tua vida pessoal e estar vulnerável a esse tipo de coisa. E nem sempre eu quero ficar chateada né? Tenho que estar de bom humor pra isso ehehe, portanto, os posts vão voltar. Mas só de vez em quando.

- Mais uso do Instagram e Facebook. Isso vai ser assim porque nem sempre eu tenho tempo para postar direitinho aqui no blog, então acompanhar as redes sociais é mais vantajoso porque eu sempre estou com o celular e a medida que vou fazendo minhas coisinhas do cotidiano vou postando fotos, seguido de algumas dicas. E o que eu acho mais legal disso é que: são lugares que eu realmente vou e se eu vou é porque, no mínimo, eu gosto, né? Logo fiquem mais atentos ao Insta e ao Face.

Tudo isso pra melhorar também minha comunicação aqui com vocês!

Curtiram, dúvidas? Beijos.

3 Lugares Deli por Belgrano

27 de out de 2014

Comentei aqui já algumas vezes que eu morei por 6 anos em Belgrano. Basicamente desde o momento que desembarquei no aero aqui até o dia no qual meus pais foram embora eu finquei minha vida no bairro. Depois vim morar pra minha paixão de sempre, Palermo.
Belgrano, pra mim, me trás muitas recordações gostosas. Principalmente porque foi meu primeiro contato com Buenos Aires, onde fui muito feliz e, também, muito triste em algumas ocasiões. Passei um longo período sem pisar por lá e a minha grande surpresa foi ver então como o bairro floresceu: cafés, lojas, restaurantes. Belgrano nunca foi conhecido por ser um bairro de grande oferta gastronômica nem nada disso, e sim um bairro bem tranquilo e de família com boas escolas e qualidade de vida. 

 

É normal caminhar pelo bairro e ver velhinhos e apartamentos antigos, isso porque a região está um pouco parada no tempo, logo o bairro é de famílias grandes mesmo, os jovens que tem por lá são jovens que ainda moram com os pais e é difícil ver gente morando sozinha (pelo mesmo fato de que não ha aps novos e pequenos). Eu considero muito Belgrano para quem vem morar aqui em família, acho que melhor localidade não há. 

Les Croquants
A casa de macarons e cupcakes aclamada e querida de Colegiales abriu uma filial no bairro. Ainda que a matriz seja mais linda essa ainda está com cara de novinha e fofa, com decoração em tons pasteis e aquele cheiro de massa recém feita que faz com que ninguém queira sair de lá de dentro.


Eu curto bastante as coisinhas que eles vendem, principalmente as bolachas recheadas que vem em saquinhos de vários sabores diferentes (se bem são gordas e consistentes, eu comeria o pacote inteiro) tipo limão, avela, chocolate, frambuesa e etc.

 

Os cupcakes: não tem muita variedade e já comi uns secos determinado dia que fui mas, no geral, são frescos e bem molhadinhos dentro. O de limão e o de blueberries são meus preferidos já que ando evitando coisas muito doces (tipo chocolate com recheio de chocolate e doce de leite com recheio de chocolate e cobertura de chocolate, por exemplo).

 

Na casa dos macarons eles também se defendem bem, levando em conta de que é uma das massas mais difíceis de acertar o ponto eu acho que o do Les vale a prova, o de avela é bem saboroso.


El Viejo Oso
De certo é minha casa de chocolates preferida aqui em Buenos Aires. Sei que há outras melhores (ou que poderiam ser melhores), mas tenho carinho especial por essa. É uma loja simples, não é luxuosa e tem que ficar atento ao horário de atendimento mas a Viejo Oso tem umas trufas de babar. O que eu acho que realmente peca lá é o fato de ter pouca quantidade pra variedade que eles oferecem, digo isso porque eu sou alucinada pelas trufas de avelã (já viram que eu amo avelã, né?) e chocolate meio amargo e já fui diversas vezes lá e eles não tinham porque haviam acabado, fuen.


As barras são bem gostosas também e há vários tipos de presentes que você pode comprar por lá, atenção para o prazo de validade.


Vasalissa
Outra casa de chocolates. O que a Vasalissa tem que o Viejo Oso deixa a desejar é o conceito, uma vez que você entra na loja se sente dentro de uma caixa de joias gigante tamanho cuidado e delicadeza na decoração. Eu já falei dela aqui antes, mas o lugar é uma boutique mesmo com cuidado fino e elegante em cada detalhe colocado lá, cada bombom é tratado como uma peça de arte importante. Me lembra muito Versailles.


O fato do Viejo Oso levar meu coração não significa que as trufas da Vasalissa sejam ruins, eu acho que a qualidade do Viejo é melhor mas se você quer algo que esbanje conceito E (muito importante) experiência, a Vasalissa merece atenção. As trufas são gostosas e os chocolates também, e o que eu tenho curtido neles em épocas de calor são os sorvetes de palito em formato de coração, um charme a parte.


Les Croquants/// www.lescroquants.com.arFacebook - La Pampa 2112.
Viejo Oso/// Facebook - La Pampa 2120.
Vasalissa/// www.vasalissa.comwww.facebook.com/Vasalissa - Vuelta de Obligado 1812.

Coloquei só esses porque queria ser sincera ao falar sobre cada um, mas quero ainda fazer outro post citando alguns cafés por lá e também restaurantes. Boa segunda!

Das Coisas que Aprendi em Buenos: A Ficar Sozinha

24 de out de 2014

Essa semana não tive muita inspiração para escrever. De vez em quando sinto que o blog vira uma obrigação e parece, sou sincera, que perco o tesão quando assim o vejo. Aceitei que quero esse cantinho aqui para me divertir com vocês, meio que abri mão da busca incessável por ganhar dinheiro através dele e por viver só disso. 

Aí hoje eu fui à um café que eu adoro aqui, pertinho de casa, o Lattente. Eu sempre vou lá, sabe quando você se sente bem em um lugar? Não tenho nenhum tipo de amizade com os donos, muito menos com o pessoal que frequenta. Sim, eles já sabem quem eu sou porque vou muito e o espaço é pequeno, além de ser atendido pelos proprietários. 

Eu adoro sentar lá e pedir um Flatt White por exemplo, ou um Cappucino. Adoro comer a espuma cremosa que só eles sabem fazer. Adoro poder sentar ali e aproveitar aquele momento. Sozinha. Muita coisa vem passando pela minha cabeça ultimamente. Muita mesmo. E sempre acho que ali eu posso reunir minhas ideias, bagunçadas em formato de brainstorming. E mesmo que eu saia de lá com mais dúvidas de que quando eu cheguei, eu acho que serve para demonstrar a mim  mesma que a vida é isso, uma bagunça.



Fui esses dias em uma mulher que lê tarot. Nunca havia feito isso na vida. Apesar de achar que tudo o que ela me disse soou bem controverso, algo que ela acertou em cheio foi o fato de eu ser uma pessoa que gosta de estar sozinha por opção. Que precisa de momentos de solidão escolhida. E que isso não é errado. É meu, da minha personalidade.

Sempre fui mais calada, séria. Até brinco que a Amanda da vida real não se parece muito com a do blog, mas as palavras escritas fluem melhor pra mim. De verdade. Eu, muitas vezes, não sei expressar vocalmente o que meus dedos conseguem digitar ou escrever.

Das inúmeras coisas que Buenos me ensinou foi então, a aceitar que eu posso ficar sozinha quanto tempo eu quiser, dentro de um padrão socialmente saudável. Que não tem nada de errado me sentar em um restaurante sozinha e pedir algo que eu gosto, ouvindo meus pensamentos. Que não tem nada de errado ir ao Lattente, por exemplo, e pegar um caderno e escrever, ter ideias para próximos projetos. Não há mal em ir a um bar sozinha, não por demonstrar que sou fodona e me sento a barra sozinha, mas porque é uma maneira que eu tenho de relaxar. Aprendi em Buenos que mais importante que qualquer relação social a que mais vale a pena (e também mais difícil de se conquistar) é admirar-se a si mesmo. Clichê e meio bocó soa né? Mas é isso, gente. No final das contas é tua vida, tua vontade, teu passo, teu sonho e de mais ninguém.


Que isso não soe antissocial porque não é verdade. No começo sentia um certo medo de gostar tanto de ficar sozinha que poderia ser seletiva demais em deixar as pessoas entrarem na minha vida. Viagens, por exemplo, fui fazer a primeira com uma amiga para Salta. Até então era tudo sozinha e é bom, e com a amiga foi bom também. Mas um bom diferente. 

Ninguém é mais ou menos por fazer mais ou menos coisas acompanhada/ o. Mas algo que eu ainda luto é que outras pessoas entendam que o fato de curtir estar na minha, não significa não querer estar com alguém. Acho no entanto, e desculpem a sinceridade, meio brasileiro demais pensar que você tem que estar acompanhada 24h. Que pais fiquem chateados por você preferir ter teu próprio cantinho é meio normal, passei algo parecido com minha família e não tenho vergonha de falar que ainda não é um problema totalmente resolvido, mas a nossa relação melhorou demais, eu cresci muito e hoje eles entendem que eu posso ir para qualquer lugar sozinha que vai estar tudo bem.

Obrigada Bue, por me ensinar que a vida sozinha também é bonita. Bom finde.

3 Lugares Turísticos que Valem (Muito) a Pena Ir

21 de out de 2014

Toda cidade tem seus pontos turísticos clássicos que são mais ou menos (aka: Florida, Tortoni, etc). O post de hoje traz 5 que são indispensáveis na tua visita aqui. Não só porque são clássicos e turísticos, mas porque são belos e cheios de história. Vale tanto para quem vem passear como para quem mora em BUE.

Palácio Barolo
Foi construído em referência a bela obra da Divina Comédia (Dante Alighieri), o lugar é meio gótico e ecoa drama na sua arquitetura. A vista de lá de cima (22° piso) é deslumbrante e dá pra ver muita coisa, entre elas, a Casa Rosada, Avenida de Mayo, o Congreso, a 9 de Julio, etc. Sao 100m de altura e é datado de 1919. Foi considerado Monumento Histórico Nacional em 1997.
www.pbarolo.com.ar - Visitas Guiadas: www.palaciobarolotours.com.

Foto: Gustavo Barbato.

Teatro Colón
O Colón além de lindo demais é super famoso e, ainda, considerado um dos melhores do mundo pela acústica que tem. Existe desde 1908 e demorou 20 anos para terminar a sua obra. Quem conhece fica deslumbrado tamanha beleza. Tem muito que ir e se quiser ainda ver alguma obra: ballet, ópera, concertos.
www.teatrocolon.org.ar - Visitas Guiadas: www.teatrocolon.org.ar/visitas-guiadas.

Foto: Reprodução.

Alvear Palace Hotel
A Avenida Alvear sempre foi conhecida por ser ícone do luxo de Buenos Aires. Antigamente tinha muita marca legal: Hermés, Louis Vuitton, Armani, Escada, Dior, etc. Hoje essas marcas já não estão mais. Mas, o símbolo da Avenida continua em pé e é o lindíssimo e chiquérrimo Hotel Alvear. Entre as diversas opções gastronômicas que o hotel oferece, sem dúvidas o chá da tarde é a mais legal delas, no lindo restaurante L'Orangerie. É típico daqueles chás da tarde bem clássico, europeus. Vale muito a pena. De segunda a quarta o preço é mais acessível: 440 pesos para duas pessoas (220 para cada). Em outros dias o preço sobe para ao redor de 300 pesos por pessoa.
www.alvearpalace.com/alvear-afternoon-tea - Para reservas acessar o site deles mesmo.

Foto: Reprodução.

Qual você mais curte?

3 Lanches para Meter o Pé na Jaca em BUE

16 de out de 2014

Nada mais justo que fazer, agora, um post de onde sim meter o pé na jaca, lacrar geral. Essa edição vem com três lanches pra lá de deliciosos, para comer sem culpa, por gentileza.

Burger Joint
Rei do reis, imortalizado na boca de qualquer um que vá comer por lá. Dos mesmos donos do de NYC, é o the place to be no quesito lanches. Lugar bagunçado pra caramba, aspecto de sujinho, tão escuro que não dá pra enxergar nada lá dentro, but who cares né mesmo?
Até mesmo os mais chatos e mais anti cultura americana por aqui se rendem pelos hamburgers do lugar. É unanimidade. Não se assuste pela fila, muito menos pela desorganização ou demora pro teu lanche sair. Vai na fé e com paciência.


Se eu não me engano são 5 opções de lanches, e você pode optar por fazer o combo com batatinha (sim, come) e bebida. Eu pedi a sangria que tava bem correta mas, não é digna de sangria de bar, bom ir avisando. Uma cervejinha também vai bem obrigada, já que é pra comer sem pensar nas calorias. Tem burger clássico, com frango, com queijo azul, com cebola frita etc. Eles são grandinhos mas rola comer inteiro se tiver com muita fome. 

www.facebook.com/BurgerJointPalermo - Jorge Luis Borges 1766, Palermo Soho. Abre todos os dias, a partir do meio dia até meia noite. Só aceita dinheiro.


Chochán
Imagina um lugar que tudo o que tem é porco. E o que mais tem por lá são lanches de carne de porco. Dietanos abstenham-se. O de bacon com amendoim, cenoura é o must try do menu. A cozinheira vem de um portas fechadas que tinha um que de comidinha meio abrasileirada, não obstante tem lanche até com feijão no meio. Argentinos dizem que é muy pesado, isso porque você vai ficar sem comer pelo resto do dia, mas tá valendo.

www.facebook.com/chochanbuenosaires - Piedras 672, San Telmo. Abre de segunda a quinta a partir das 19h até meia noite. Sexta e sábado do meio dia às 16h e das 19h até meia noite. Domingos do meio dia às 16h. Somente dinheiro aceitam.

Victoria Brown Cafe
O lugar tá mais conhecido pelo bar que tem aos fundos e que abre de quarta a domingo à noite, qualquer dia com mais calma eu venho falar dele aqui. Enquanto esse dia não chega quero convencer vocês de que, sim um café pode ter comida boa e diferente. É normal aqui em BUE ver os cafecitos com as mesmas opções de lanches e saladas, coisa que não acontece no VB - o nome é muito grande para escrever inteiro. A mina que cuida do menu merece um beijo na testa pelas criações e também pela qualidade do que se come por lá (outro dia também venho falar do meu amor pela chocotorta do local).


O boom calórico delícia fica por conta do sanduíche de bondiola baba. Com queijo cheddar, que é MUITO difícil ver aqui em Buenos Aires, com repolho no creme, pão macio, mostarda e aaa carne. Como porteño ama dizer, é una bomba. Vem acompanhado de guarnição, que dentre as opções prefira as batatas, que são batatas doce! Ok? Batata aqui é batata doce e é uma delícia e eu sou completamente apaixonada por batata doce, lembra minha vó que lembra família que dá sdds. Os outros lanches também são bons e os sucos refrescantes e com uma apresentação linda, até parecem drinks (atenção especial pro de melancia e o de tangerina, por favor).

www.facebook.com/victoriabrownbar - Costa Rica 4827, Palermo Soho. Abre de terça a domingo a partir das 11h até 20h. Dinheiro e principais cartões.


Já foi em algum?

3 Lugares para Continuar a Dieta em BUE

15 de out de 2014

Eu tou num processo detox desde que cheguei de viagem que resolvi compartilhar uns lugares naturais com vocês porque não é porque você está de viagem que precisa - necessariamente - meter o pé na jaca.

Bblue Deli & Natural Bar
Esse café eu adoro porque tudo neles leva blueberries e eu gosto muito de blueberries. Os donos têm um campo em Entre Rios, província argentina, onde plantam os benditos arándanos e só de pensar que é fresquinho e vindo direto da colheita deles gera-se um certo amor. Há potes de blueberries com iogurte natural, com granola, como prato de frutas. E há vários sucos no menu, o que eu mais curto - por enquanto - é o Berry Young que vem com blueberries (claro), abacaxi, laranja e mel orgânica.
As opções de salada são legais também e são bem servidas, a Andina foi a que eu mais curti porque vem com quinoa, abóbora assada cortada em cubinhos, azeitonas, espinafre, queijo de cabra e molho a base de tomate e iogurte. O legal das saladas deles é que exceto o verde, tudo vem separado em potinhos, assim no caso de você ser intolerante a algo não precisa por na salada.


De qualquer maneira se você quiser meter um pouco o pé a carrot cake deles é a especialidade da casa, tudo feito com muito carinho em seleção de produtos. O lugar é gostoso, nos finais de semana enche de gente e pode ser meio barulhento porque não é espaçoso, mas de certo é uma opção bem legal para um almoço leve ou um café da manha regado a frutas. O menú inteiro dá pra ver nesse link aqui.

www.b-blue.com.arfacebook.com/bbluedeli/info - Armenia 1692, Palermo Soho. Abre todos os dias das 9h às 21h, aceitam débito e dinheiro.

Fifi Almacén
Aqui o negócio é mais sério quando falamos em produtos naturais. Tudo tudo tudo é proveniente de forma natural, bem orgânicos e eco-friendly. O menú só de ler é um amém para o corpo. Não há muitas opções de suco e etc. Como sempre as limonadas estão presentes e no cardápio de bebidas existe uma seleção bem generosa de vinhos orgânicos.


Há saladas diversas (atenção para a Beirut com falafel e hummus, e a NYC bem detox com verdes e só), wraps em boas porções com massa integral, e pratos principais com frango orgânico e milanesas de berinjela, por exemplo.
O lugar ainda conta com um bazar para comprar coisinhas para casa. Eu adoro um vinagre de maçã orgânica deles que vem do Norte Argentino, bem suave.

www.facebook.com/FiFí-Almacén - Gorriti 4812, Palermo Soho. Abre de 3a a domingo das 10h às 20h. Sexta e Sábado até meia noite (daí dá para jantar, reservando pelo Restorando tem desconto).

Be Juice
É o boom dos sucos da Recoleta. A proposta é bem jovial e o cardápio de sucos é super variado, tanto que você nem vai ligar para as poucas opções gastronômicas do lugar. Eu não recomendo muito, claro, para comer rola ir assim a tarde para matar aquela fome de doce que você não sabe de onde veio. Tem suco de maçã verde, misturado com limão e mel. Sucos bem detox mesmo com espinafre e acelga e por aí vai. É a promessa da primavera e de dias quentes.


www.facebook.com/bejuicebar - Barrientos 1586, Recoleta. Abre de segunda a sábados, das 9h até 20h30.

Além desses outras opções de lugares verdes: Quimbombó (para um jantar mais fino), Artemisia (restaurante/ café de cozinha natural que sempre caiu no gosto do povo aqui, nunca fui), Hierbabuena (especializado em brunchs naturebas em San Telmo, bem fofo com décor legal), Tea Connection (meio que o "fast food" dos naturais mas de muito boa qualidade com 7 filiais em BUE), Natural Deli (opção gostosa se você está por Las Cañitas). Outras dicas no post da Gisele do Aquí me Quedo.

Soho Point e o Melhor Ap/ Hotel para Ficar ♥

13 de out de 2014

Tem gente e lugares que eu gosto muito aqui em Buenos Aires. Uma dessas pessoas é o Mariano e um desses lugares é o Soho Point. Vou explicar porque: o blog ainda nem tinha 500 visualizações por mês quando eu fui procurar ele para fazer um post (porque já tinha me hospedado aqui e tinha adorado), ele me recebeu super bem e acreditou que aquilo poderia funcionar. Ou seja, não se baseou em números como muita gente faz e depois daquilo eu passei a adorar ainda mais o produto dele. Um apart com regalias de hotel em pleeeeeeeno Palermo.


Soho Point é sim daqueles lugares que indico mais que de olhos fechados porque, além do Mariano ter depositado um voto de confiança no blog quando ninguém depositou e isso não se esquece - o local é adorável e ele um concierge de primeira que, além de tudo, indica quase os mesmo bares que eu indico no blog ahah, muyyy bueno!


Pelas fotos vocês podem ver tudo o que o lugar é: uma casinha mesmo, um ap com tudo o que é necessário (sejam estadias prolongadas ou não) que oferece limpeza semanal. Tem geladeira, cozinha completa, banheiro completíssimo também, pratos, talheres, cafeteira, ar condicionado, TV, wifi, tv a cabo, telefone, etc. 


Os aps estão disponibilizados no mesmo terreno mas são independentes entre si. Todos seguem a mesma linha no décor: amplos, com luz, branquinhos e limpos. Você vai ter sua própria chave para entrar e sair quando quiser, bem legal. 


O Soho Point dispõe também de bicis grátis para usar quando der vontade. Passear pelo bairro pedalando é uma delícia. 


Além desses aps, o Mariano tem também outros que estão na mesma redondeza e seguem a mesma linha. Aps confortáveis, com mordomias de hotel, um sucesso. No geral é aquilo: nem chic nem simples demais, está no ponto exato do que eu julgo que seja legal pra caramba.


Eu até brinco que o Soho é o tipo de hotel do blog: no meio de tudo que é bom e perfeito para chicas. Falem se não é verdade? E além disso não é impossível de pagar e é muito seguro :)


Confesso que sou suspeita para falar sobre o lugar porque de verdade levo um carinho especial. Marino diversas vezes já me comentou que várias meninas do blog se hospedam por lá e rolou até uma vez de reservarem quase o lugar inteiro ahahaha, a bagunça. Adoro isso!


E se vocês acham que estou exagerando, vejam os comentários do pessoal não só no TripAdvisor, mas também no Booking, um sucesso.

Soho Point
www.soho-point.com.ar
www.facebook.com/Soho-Point
Malabia 1577 (mas tem outras localizações também).
contact@soho-point.com.ar.
SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .