Das Coisas que Aprendi em Buenos: A Ficar Sozinha

24 de out de 2014

Essa semana não tive muita inspiração para escrever. De vez em quando sinto que o blog vira uma obrigação e parece, sou sincera, que perco o tesão quando assim o vejo. Aceitei que quero esse cantinho aqui para me divertir com vocês, meio que abri mão da busca incessável por ganhar dinheiro através dele e por viver só disso. 

Aí hoje eu fui à um café que eu adoro aqui, pertinho de casa, o Lattente. Eu sempre vou lá, sabe quando você se sente bem em um lugar? Não tenho nenhum tipo de amizade com os donos, muito menos com o pessoal que frequenta. Sim, eles já sabem quem eu sou porque vou muito e o espaço é pequeno, além de ser atendido pelos proprietários. 

Eu adoro sentar lá e pedir um Flatt White por exemplo, ou um Cappucino. Adoro comer a espuma cremosa que só eles sabem fazer. Adoro poder sentar ali e aproveitar aquele momento. Sozinha. Muita coisa vem passando pela minha cabeça ultimamente. Muita mesmo. E sempre acho que ali eu posso reunir minhas ideias, bagunçadas em formato de brainstorming. E mesmo que eu saia de lá com mais dúvidas de que quando eu cheguei, eu acho que serve para demonstrar a mim  mesma que a vida é isso, uma bagunça.



Fui esses dias em uma mulher que lê tarot. Nunca havia feito isso na vida. Apesar de achar que tudo o que ela me disse soou bem controverso, algo que ela acertou em cheio foi o fato de eu ser uma pessoa que gosta de estar sozinha por opção. Que precisa de momentos de solidão escolhida. E que isso não é errado. É meu, da minha personalidade.

Sempre fui mais calada, séria. Até brinco que a Amanda da vida real não se parece muito com a do blog, mas as palavras escritas fluem melhor pra mim. De verdade. Eu, muitas vezes, não sei expressar vocalmente o que meus dedos conseguem digitar ou escrever.

Das inúmeras coisas que Buenos me ensinou foi então, a aceitar que eu posso ficar sozinha quanto tempo eu quiser, dentro de um padrão socialmente saudável. Que não tem nada de errado me sentar em um restaurante sozinha e pedir algo que eu gosto, ouvindo meus pensamentos. Que não tem nada de errado ir ao Lattente, por exemplo, e pegar um caderno e escrever, ter ideias para próximos projetos. Não há mal em ir a um bar sozinha, não por demonstrar que sou fodona e me sento a barra sozinha, mas porque é uma maneira que eu tenho de relaxar. Aprendi em Buenos que mais importante que qualquer relação social a que mais vale a pena (e também mais difícil de se conquistar) é admirar-se a si mesmo. Clichê e meio bocó soa né? Mas é isso, gente. No final das contas é tua vida, tua vontade, teu passo, teu sonho e de mais ninguém.


Que isso não soe antissocial porque não é verdade. No começo sentia um certo medo de gostar tanto de ficar sozinha que poderia ser seletiva demais em deixar as pessoas entrarem na minha vida. Viagens, por exemplo, fui fazer a primeira com uma amiga para Salta. Até então era tudo sozinha e é bom, e com a amiga foi bom também. Mas um bom diferente. 

Ninguém é mais ou menos por fazer mais ou menos coisas acompanhada/ o. Mas algo que eu ainda luto é que outras pessoas entendam que o fato de curtir estar na minha, não significa não querer estar com alguém. Acho no entanto, e desculpem a sinceridade, meio brasileiro demais pensar que você tem que estar acompanhada 24h. Que pais fiquem chateados por você preferir ter teu próprio cantinho é meio normal, passei algo parecido com minha família e não tenho vergonha de falar que ainda não é um problema totalmente resolvido, mas a nossa relação melhorou demais, eu cresci muito e hoje eles entendem que eu posso ir para qualquer lugar sozinha que vai estar tudo bem.

Obrigada Bue, por me ensinar que a vida sozinha também é bonita. Bom finde.

9 comentários

  1. que lindo <3 ando passando bastante tempo sozinho em buenos tbm, é bonito as vezes sentar e olhar os outros e um pouco de nós mesmos, sem pressa. bom finde e ah, temos que nos conhecer logo :)) beijo!

    ResponderExcluir
  2. Amanda, acho que preciso de um tempo sozinha em Buenos Aires. É o tipo de cidade que possibilita isto e talvez a reaprender a ser sozinha também! digo pois terminei um relacionamento de quase dez anos, o qual tinha planos, futuro, todas estas coisas. faz quase dez anos que não sei o que é ficar sozinha. acho que vou planejar minha próxima viagem para aí. just me, alone.

    obrigada por este post. não moro em buenos aires, mas me identifiquei. foi um sopro de esperança neste momento da minha vida. gosto muito da sua visão de mundo. beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ai que recomeço, chica. mas vem! vem sem pretensão sabe? vem sem planejar muito. vem de bracos abertos pras surpresas e relaxada :) se precisar tou aqui. bjs.

      Excluir
  3. Nha... acho que o navegador apagou meu comentário...
    enfim.

    Eu entendo muito isso, Amanda. Parecia até que eu quem estava escrevendo, sabe?
    As pessoas me questionam o tempo todo minhas indas e vindas, seja para sp, para buenos, para qq outro lugar. Elas não entendem muito q vc pode sozinha carregar suas coisas, sua mala, sua mochila, seu coração, você mesma...
    Minha família questiona, principalmente minha avó, de uma forma até mesmo irritante , o pq de sair , viajar, viver sozinha. Não é solidão. É solitude. Estar consigo mesmo é, muitas vezes (na maioria, para ser sincera), a melhor companhia que podemos ter. É ter autonomia para ir e vir, sair para onde quiser, fazer o que quiser.
    As pessoas não entendem direito o que é ter autonomia. Minhas amigas não vão a Bue pq os namorados não iriam, e elas não vão até a esquina sem eles.
    Viver 'só' é um autoconhecimento daqueles. É se garantir. Você por você. E isso as pessoas fogem, pq não entendem.
    Não significa que estamos sendo seletivas demais ou chatas demais. Eu ja recebi esses titulos, até mesmo de esnobe, por ser bem resolvida dessa forma. Isso não significa que não se quer alguém por perto. Mas viver consigo também traz grandes aprendizados.
    E sim, é muito coisa de brasileiro esse negócio de ter que estar sempre acompanhada.
    Me sinto muito pressionada com isso e odeio.

    Sou fa do blog.
    =)

    ResponderExcluir
  4. Sua linda :) Concordo totalmente que "Ninguém é mais ou menos por fazer mais ou menos coisas acompanhada/o", mas acho que se sentir em paz consigo mesmo dá uma liberdade enorme! Engraçado que eu sempre curti viajar sozinha e nunca vi isso como um problema, mas na viagem que tou fazendo agora, passei um dia me sentindo meio esquisita com isso. Acordei hoje "de volta ao normal", me sentindo à vontade comigo mesma e animada pra explorar a cidade. Rolaram perrengues, resolvi sem me estressar, peguei um trem pra outra cidade sem nem saber o que fazer nela, me diverti, tomei cervejas... E me deu um alívio enorme! Parabéns pela tua sinceridade e liberdade ;) Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Oi Amanda :}

    Primeiro: foi ótimo te conhecer. Sou grata por você ter disponibilizado uma noite de sábado pra ir comigo ao Frank's e me apresentar um pouquinho do que você vive e narra aqui no blog. Mas eu confesso uma coisa... Confesso que senti falta de trocar mais esse tipo de ideia com você! Fui sozinha pra bue, e tenho uma percepção de mim mesma e das coisas que escolho e que, portanto, me cercam, mais ou menos do mesmo jeito, e o que me encantou e encanta no seu blog é justamente essa perspectiva tão pessoal, e também a sua naturalidade pra lidar com a solitude. Solitude, pra mim, não é solidão, mas a capacidade de apreciar a própria companhia, de curtir estar viva, no seu próprio corpo, na sua própria pessoa, vivendo o que se há pra viver. Enfim, você justamente disse que tem mais facilidade pra falar dessas coisas escrevendo... Bom, eu também. Qualquer dia te mando um email com meu blog. Entendo a gente não ter conseguido conversar direito, mas pra mim continua sendo igualmente importante acompanhar suas palavras, porque aqui sinto que você é tão sincera!

    De qualquer forma, foi um prazer. Você é uma fofa e foi ótimo conhecê-la e conhecer um dos seus lugares preferidos da cidade.

    Beso, hasta la proxima, querida!

    ResponderExcluir
  6. Oii meninas, estou querendo ir para estudar na UBA, mas tenho um tanto de medo por não conhecer ninguen, não conhecer a cidade e ir sozinha... o que aconselham meninas?? Besos :*

    ResponderExcluir
  7. Amanda, me conta dessa cartomante aí, hahahaha! To sentindo falta de tirar umas cartas aqui em BUE, rsrs.

    ResponderExcluir

SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .