Outono & Inverno: Marcas Argentinas

19 de mar de 2012

Eu A-M-O inverno, não só porque sou branquinha e fico na moda então, mas porque eu acho uma estação muito charmosa, com roupas chiquérrimas e em tons sóbrios na maioria das vezes. Aliás o inverno argentino é muito elegante: os homens saem as ruas com cachecóis, casacos, luvas e muitas vezes mais bonitos que as mulheres. Mas as chicas levam vantagem: as marcas vem com tudo nessa estação, já que inverno em Buenos Aires, realmente é inverno. Vamos paquerar então enquanto eu preparo meu bolso e conto um pouquinho de cada marca a vocês:

DelaOstia
www.delaostia.net

É uma das marcas que mais cresce na Argentina. Me lembro que quando cheguei ao país pouco se falava nela, mas é real o aumento de gente a cada ano pelas lojas que só aumentam na cidade. Eles sempre vem com uma proposta sexy, elagente e típica para o corpo das argentinas: meninas bem miudinhas e magrinhas (aqui todo mundo parece pesar uns 49kg). A marca fica a cada dia mais querida por conta das inúmeras famosas que passam pela loja de Palermo Soho, tiram foto com algum look e colocam na página da loja no facebook. E assim a DelaOstia vai se enchendo de glamour e peças desejadas.


Nesse inverno elas apostam nas máscaras para usar durante a balada. Será que pega?


Outra proposta é a calça de couro, o uso do vermelho e vestidos pretos com partes transparentes que aparecem em quase todas as coleções das marcas argentinas neste inverno. Para não perder o passo: o calçado mais desejado da DelaOstia são sempre os ''suecos''.


Complot
www.complot.com.ar

É sempre uma polêmica quando a Complot solta a coleção nova e a campanha. Sempre dizem que a marca quer copiar outra marca para um público mais amplo, em outras palavras sugerem que a Complot é uma inspiração muito fiel a Ay Not Dead que é destinada a um público mais exclusivo pelo preço. A realidade é que: se você não encontra na Complot, encontra na Ay Not Dead e vice-versa.


A marca também não era tão famosa como é hoje em dia. O boom mesmo aconteceu quando a Complot conseguiu empacar uma coleção bem roqueira e de tão certo ficou nessa batida mesmo. É querida porque é justamente o que a moçada argentina quer, porque tem preço justo e porque tem em todos os lugares.


Nessa coleção eles abusam de vários modelos de meias finas, aderem as hot pants, calças justas, camisas xadrez, couro, transparências e vermelho.


O rock que deu certo.


Ay Not Dead
www.aynotdead.com.ar

Concorrência, inspiração, chamem do que for: a Ay Not Dead sempre cria moda. Seja com poses rebeldes das modelos, cores inusitadas ou porque tem nome e todo mundo quer ter um jeans Ay Not Dead.


A real é que a marca sempre foi forte entre os argentinos de mais opinião, leia-se: o pessoal de moda que ronda ali o burburinho de Palermo Soho veste Ay Not Dead.


O negócio é assim: se você não pode ter, pode sugar a idéia. Acontece que essa coleção não veio como todo mundo quis, ou a expectativa era muito grande e não atingiu ao ponto alto. Eu achei mais do mesmo. Muito preto, muita cara fechada da modelo, e roupinhas meh.


Fui sincera sim, mas ainda tenho esperanças de entrar na loja e me perder nas roupinhas novas. Porque Ay Not Dead é Ay Not Dead. Reparem again no vestido preto com transparências.


Vitamina

A Vitamina sempre foi uma marca que agradou a todas, e que de tanto crescer virou luxo. Hoje as lojas são lindas de morrer e vale a pena a visita. Quer reconhecer um jeans Vitamina? Só reparar no círculo da etiqueta na parte de trás do modelo, e você vai ver que quase metade das argentinas usam calças de lá.


Eu achei o inverno deles bem diferente: colorido, com boinas e chapéus que vestem bem.


Tipo esse aqui: bem classudo.


Maria Cher

Sinônimo de marca chique, a Maria Cher afirma a lenda de que ''toda marca que leva nome de mulher, é elegante''. Enfim, eu estou aqui para provar isso mostrando algumas peças: 


Não é tão fácil reconhecer a uma peça Maria Cher nas ruas. Mas geralmente todas as calças da coleção são sequinhas, e a maioria das peças estão vindo vermelhas e pretas como nas fotos.


Eu, particularmente, AMO as roupas de festas da marca. Sempre com brilhos de ''abaphar'' que causam furor nas meninas. Luxo anos 70.


Ayres

É aquela história que eu já disse: A Ayres era essa loja que todo mundo passava sem notar a existência até que criaram um vestido que esgotou em dias e bum! Virou guarda roupa necessário.


Agora a marca já caiu na boca do povo e não sai de jeito nenhum. A Ayres é sempre a primeira a lançar as coleções, e sempre ditam entonces as tendências. Esse ano eles vem com bastante peças metalizadas, lã, combinações de jeans.


Peças fáceis de serem usadas por mulheres que prezam toques femeninos.


Looks para o dia a dia.


Paula Cahen D'Anvers

A sempre lindona Paula, surpreendeu nesse inverno: toques masculinos deram um charme a nova coleção, que foi inspirada no Soho londrino.


Saias lápiz, calças smoking, vestidos de lã, cores sóbrias.


Não tem para ninguém.

Nenhum comentário

Postar um comentário

SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .