50 Livrarias de Buenos Aires

12 de ago de 2013

Surpreendentemente ganhei um livro de presente da própria autora: me senti tão feliz que, pra mim, é uma honra poder fazer um post dele. A Adriana Marcolini, autora do 50 Livrarias de Buenos Aires (editora Ateliê Editorial), me presenteou com uma edição do mesmo e eu amei tanto poder ler o bendito que não sabia muito bem como fazer um post dele sem tirar a surpresa de vocês, mas também defendendo o tal como deveria.

A Adriana é jornalista, morou em Buenos por três anos e enquanto esteve por aqui resolveu fazer o livro e o lançou em 2011, justamente quando a cidade foi eleita pela Unesco, a capital mundial do livro. Eu sempre comento que porteño lê demais, estima-se que há - pelo menos - uma livraria pra cada 6 mil habitantes. Coisa bela!

Enfim, o livro é um prazer e até pra quem mora aqui há tempos (vide eu, ou um nativo mesmo) se encanta pelas descrições simples e prazerosas da autora. A Adriana comentou que demorou mais de um ano para fazê-lo, mas que valeu a pena. As livrarias foram selecionadas por ela e estão divididas em seções.

Foto: Alejandro Lipszyc.

A organização do mesmo é bem simples: cada cor de aba, um bairro diferente. A cada bairro, uma história do mesmo (rapidinha), suas livrarias em relatos curtinhos também e suficientes, um mapa para ilustrar os locais e as dicas necessárias.

As localizações escolhidas foram: Centro, Corrientes e Redondezas, Palermo, Barrio Norte/ Recoleta, San Telmo, La Boca e outras. O mais interessante que eu encontrei no mesmo foi a variedade de livrarias fora do padrão: umas só de livros de cinema, outras de teatro, outras só com livros em inglês, outras de Direito, outras de comics, umas com títulos já esgotados, temática GLS. Enfim, é um turismo e uma redescoberta deliciosa da cidade, através de uma visão completamente diferente da autora.

Foto: Alejandro Lipszyc.

Eu amei o livro, de verdade, vi várias livrarias que nunca tinha ouvido falar e o mais legal, cada uma com uma história diferente, que passou por gerações diferentes, um luxo sem igual. Riqueza de conhecimento, história e cultura. O livro serve tanto pra quem está vindo pra cá a passeio como para quem já mora, e para quem ainda nem sabe quando vai vir também vale a pena. Dicas além da Ateneo Grand Splendid (que é um coisa de linda) passando por sebos, joias raras e muita informação preciosa.

Adriana eu AMEI o livro. 
Espero poder ir a pelo menos metade das livrarias que você citou. 
Meninas, o livro está a venda nas livrarias do Brasil e é fácil de encontrar.

2 comentários

  1. Olá Amanda, vc recomenda o espetáculo Fuerza Bruta? http://www.ticketek.com.ar/newsite/fuerzabruta
    Vou estar aí no final do mês e gostaria de assistir. Queria saber se vale a pena comprar antes no site ou deixar pra comprar na véspera (vi que tem ponto de venda no Hard Rock). Bjo

    ResponderExcluir
  2. Nunca vou esquecer o que eu senti quando entrei pela primeira vez no Ateneo. Era domingo e eu tinha acabado de chegar na cidade (sozinha), sai para caminhar e conhecer as redondezas do meu hostel, entrei porque era uma das poucas portas do comércio abertas. Senti um arrepio da cabeça aos pés, uma emoção inesperada. Já tinha ouvido falar, mas quando entrei não sabia que estava entrando na tão famosa livraria. Foi incrível!
    Indico sempre como passagem obrigatória para quem vai a Baires.

    Esse livro tem jeito de ser uma gracinha, adorei a temática.

    ResponderExcluir

SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .