All You Need is Love

25 de jul de 2014

Pensei muito em não fazer esse post, mas quer saber? Não vou enganar ninguém. Quem acompanha minha vida (pública) no facebook e twitter (principalmente) sabe que venho reclamando bastante. É eu sei, não sou assim. Sempre tou animada, cheia de energia, cheia de garra e desbravando essa cidade como ninguém. Mas isso não tem acontecido muito nos últimos tempos.

Não sei quando isso começou a acontecer. Eu pensei que fosse minha ida à Londres, mas na real antes eu já estava assim. Sabe? Antes de ir pra Londres eu já tava meio pirada. Tipo, não conseguia curtir mais os lugares porque tava pensando em post. Saía com amigas e tava mais preocupada em tirar foto e chegar em casa e baixar tudo e fazer post. Muitos posts na real, não só para o blog, mas guest posts, essa gana incontrolável de ganhar o Brasil. Houve uns meses que não tive descanso um final de semana sequer. Foi fueda, engordei horrores porque só comia empanada, me olhava no espelho e chorava. E daí odiava sair.

Muitos e-mails do blog para responder, inbox na fan page, direct no twitter, mentions no twitter, publicações na fan page no Facebook, inbox no meu facebook pessoal, enfim, zilhões de maneiras de responder a cada uma das pessoas que seguem o blog. Ah, Instagram e comentários do blog eu me esqueci, mas contem aí também. Fui ficando chata, sabe quando falam que argentina é frescurenta e histérica? Tava igual, nem aproveitar um cafecito direito eu conseguia, gente que horror.

Com um trabalho fixo e um blog que é feito por mim, somente, eu fui ficando sem vida. Sem tempo de fazer unha, sem tempo de limpar a casa. Ok, sempre tá a possibilidade de pagar uma faxineira, mas blog não dá dinheiro. Eu ganho - nada suficiente - para viver com os banners que tenho, e eles tão aqui porque amo de verdade o serviço de cada um. Ganho mais jantares, saídinhas, paga minha vida social, mas sempre em troca de um post e mais trabalho. Cansa.

E ah, sempre tem aquele post que você passa uma tarde inteira do teu sábado trancada em casa fazendo, quando coloca no ar: "Oi Amanda, faz um post de tal coisa?". Ai gente, curte primeiro o que eu demorei para fazer. Sem falar que se você demora uma semana para responder um e-mail que tem todas as dúvidas respondidas em posts no blog, você é taxada de chata. Uma até me falou uma vez que estava decepcionada comigo porque eu não respondia, outra que com tão pouco comentário que eu tinha que eu deveria responder na hora as leitoras. Sei que não é a maioria, mas me desgasta muito, fico sem energia para essas coisas, e eu ainda não sei separar. Juro.

Enfim, quando fui à Londres, desliguei de tudo. Compartilhei coisas legais da viagem a medida que ia saindo mas não fiz disso a base da minha viagem. E me diverti horrores. Conheci gente, fui pra lugares sem levar câmera (que coisa). E voltei a ser feliz. Aham. Depois fui para o Rio, a trabalho, acordando todos os dias as 4h da matina, viajando todos os dias pra chegar na empresa e voltando pro hotel às 21h da noite. Outra época corrida, mas tava tão legal. Conhecendo gente, sem aquela obrigação boba de produção de conteúdo e coisas legais para chamar atenção do pessoal no facebook. Tão legal que conheci uns caras legais até, quase namorei. Enfim.

Cheguei em Buenos e consequentemente senti a pressão (que confesso não sei de onde vem) de fazer tudo de novo. E voltei a ser chata - de novo. E hoje, ok to sensível, mas choro quando as pessoas são mal educadas comigo. Eu não vivo do blog, mas ninguém tá nem aí.

Parei de pensar em mim, e resultado: agora não consigo produzir posts legais pras leitoras queridas que sempre tão por aqui. Me sinto mal com essa história toda, mas a real é que BUE não tem ajudado tampouco. Ap sem gás, morando de favor em amigas, pulando de galho em galho, frio desnecessário (nunca reclamei disso e agora to) e ainda tenho que ouvir cada coisa que olha, poxa vida.

Tudo isso pra dizer que acho que fazendo esse post vocês vão me compreender melhor se demoro para responder e-mails, se não produzo o post que você quer, e se respondo um e-mail com um link que é pra você ver que tem a resposta no post. Eu tenho isso aqui de graça, tem mais de 550 posts disponíveis, só ler.

E aqui é quando um blog feito com carinho e amor, se torna uma obrigação e daí perde a graça. Hoje vou sair com meus amigos e não vou levar câmera. Vou passar a escrever sobre o que tem me feito bem ultimamente no Amanda Mormito. E daí quando eu me desligar dessa obrigação tola de agradar todo mundo eu volto pra cá. Sem obrigação e com fotos de celular, talvez. Menos posts, mais vida, mais fotos com amigos, mais diversão, pfv. Mais amor.

9 comentários

  1. Amanda, quase nem comento aqui, mas senti a necessidade de comentar: don'‘t worry, be happy! Clichê, eu sei. Mas sabe? Jamais dá para agradar todo mundo.
    Além disso, acho uma imaturidade as pessoas acreditarem que vc não tem mais nada para fazer além do blog. Hello?! E imaturidade só a vida para ensinar.
    Enfim, seja feliz e tenha paz! ;)

    ResponderExcluir
  2. Acompanho seu blog há pouco tempo e mesmo assim já li quase tudo. Fui à Buenos aires ano passado e depois de ler o blog fiquei com o sentimento de não ter visto quase nada. Me apaixonei mais ainda e estou montando roteiros com as suas dicas. Infelizmente por causa de alguns espíritos de porco, todo mundo acaba perdendo. Mas tenha certeza que fez um trabalho maravilhoso. Tenho certeza que mesmo parado seu blog ainda vai ajudar muita gente a conhecer melhor a cidade. Obrigada por tornar minha experiência na cidade ainda melhor. Te desejo tudo de bom e sempre venho dar uma espiadinha torcendo de dedos cruzados pra ter outro post. :D

    ResponderExcluir
  3. Não sei se te respondo aqui, se te mando um tweet, sinal de fumaça ou biscoitinho da sorte com o que eu tenho a te dizer.
    Eu te entendo, bastante. Quando me encarno em alguma coisa, vish, acabo vivendo dessa coisa por um bom tempo, até dizer chega. Foi assim aos meus 13 anos quando resolvi fazer um fotolog de fotos da minha banda preferida, fui fazendo uns contatos e conseguindo fotos que ninguém tinha. Meu tempo no recreio do colégio era só postar a foto e a descrição, responder todos os comentários e wow, acredite, para a época era muita coisa. Já chegava na sala de informática (pois é, minha mãe era daquelas que só me deixava entrar na internet nos fins de semana) com o disquete (nossa, idade do mouse de bolinha) cheio com a foto devidamente taggeada do dia e o texto da descrição nos conformes. Em poucas palavras, minha vida era isso. Depois, lançou a novela de uma cantora mexicana que eu amo no país dela e minha vida passou a ser comentarista novelística da novela dela, já durante meu curso de tecnólogo. A novela acabou, minha vida mudou, virou de cabeça pra baixo, e agora, durante meu curso de jornalismo, resolvi escrever uma história, isso que o povo chama de fanfiction. No começo eu escrevia todos os dias. Trabalhava, estudava e postava, nem que fosse um capítulo pequenininho, mas postava. De repente a coisa foi me apertando e a cada 2 dias eu postava... depois 3...depois 4... e agora posto todo domingo.
    Me dei conta de que não tava mais querendo fazer nada, não falava mais com meus amigos direito pra tentar me concentrar, não assistia mais os programas que eu gostava de assistir por falta de tempo... e via que meu mundinho estava se resumindo naquilo... Eu, minha história e nós duas juntas.
    Durante todo esse tempo, aconteceram coisas tensas na minha vida pessoal. Foi bem complicado. Não tinha mais criatividade nem nada mais... Acabei descobrindo naquele tempo que não faz mal tomar um tempo sabático, afinal, o ócio também pode ser criativo. Também percebi que o importante não é só criar os momentos, e sim aproveitar os que aparecem de repente. Você não precisa sair com a sua câmera a tiracolo pra clicar 300 vezes... dá um clique com o celular, aproveita o momento, viva bem e você poderá fazer a matéria do jeito que quiser porque terás embasamento total pra isso. Não precisa fazer post todos os dias ou definir dias da semana pra isso... Quantidade não é qualidade. Você adora programinhas alternativos, a gente também adora isso... e quando pintar um por aqui, vamos adorar. Você pode fazer algumas coisas além do blog, tipo uma twitcam ou um hangout... ou até mesmo alguns vídeos.
    Quanto a esse povo estressado que acha que você tá aqui pra servir, isso você talvez tenha de desenhar, porque né?

    Bom, flor, acabei falando demais... De vez em quando dou meus pitacos no seu twitter (sou a @ah_narri) e te acho super gente fina. Quando aparecer por Floripa, estamos aí.

    Fique bem, respire, passeie pela cidade sem pensar no que você tem a mostrar ao povo e sim pensando no que você tem a aprender ao teu redor. Beijão! :)

    ResponderExcluir
  4. Amanda, é admirável o seu trabalho aqui no blog :) Me ajudou mt, e arrisco dizer que mesmo se eu não fosse pra Bue, leria tudo, pois são posts interessantes. Eu msm já vi pessoas pedindo posts sobre assuntos já esclarecidos por vc em postagens anteriores. Nao se consuma com isso, Parabens pelo seu trabalho!!

    ResponderExcluir
  5. Amanda, o Buenos para Chicas deve ser prazeroso, tudo o que for fazer faça por amor e se sentir bem. Se dê umas férias daqui mesmo, quando você estiver melhor volte que nós estaremos te esperando.
    Não ligue para as pressões das pessoas, o Buenos para Chicas não é uma obrigação, você faz é um favor para nós em nos dar esses posts!!!!
    Vou a B.A. em Setembro e te agradeço por cada dica e por ter me feito me apaixonar por essa cidade.
    Vejo aqui nos comentários que você ajudou muita gente a ter uma viagem incrível e você deve se sentir orgulhosa por isso. Sua dedicação sempre foi admirável.
    Obrigada Amanda pelo Buenos para chicas! Aguardamos sua volta.
    Que Deus te ilumine e tranquilize.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Estou sempre lendo o blog e gosto muito. Parabéns por sua dedicação ao blog. Consigo compreender o que você escreveu, eu escrevo livros e as vezes me vejo na obrigação de fazer muitas coisas de uma vez, escrever, revisar, escrever uma cena de outro livro e acabo me preocupando demais com isso, no final acaba sendo mais desgastante do que prazeroso. Por isso é sempre bom ter equilíbrio, se afastar uns dias sempre ajuda a recuperar o ânimo do que se gosta de fazer.
    Acho elogiável seu esforço de estar sempre respondendo as dúvidas de todos.
    Desejo muito sucesso e paz :)
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Amanda, amo seu blog vou pra BUE pelo menos uma vez por ano porque me sinto extremamente bem e feliz nessa cidade e sempre que vou entro no blog para pegar dicas de lugares para ir que ainda não conheço. Tire o tempo que precisar, nós vamos entender e aguardar ansiosamente seus posts. Muito sucesso para você. Um Beijo.
    Carol Petroni

    ResponderExcluir
  8. Desencana. Parabéns pelo blog delicioso... eu amo de paixão e já li praticamente todos 550 post masssss só tem graça se vc estiver feliz então só venha quando estiver afim mesmo não te preocupa que sempre estaremos por aqui esperando. Beijoss no coração ♡♡♡

    ResponderExcluir
  9. Amanda, seu blog foi decisivo num momento muito importante da minha vida. Gracias por fazer isso por nós, por todas nós. Mas... lembre-se, você também faz isso por você! E precisa ser assim. Pela sua escrita, te percebo uma pessoa bastante consciente, e que aprendeu muito com os limões que a vida te deu. É bom que você esteja se observando, e observando o que te faz feliz. Lidar com o mundo-como-está é uma loucura, às vezes... É importante ter cautela, acho, ou vendo aprendendo isso. Mas nunca se fechar. Manter-se aberto é essencial. E você não só faz isso sem medo, como gosta de dividir, compartilhar. Isso, a meu ver, é uma das coisas que tem potencial pra salvar a humanidade. <3

    Siga escutando seu coração e na luta por compartilhar! Saiba que, pelo menos pra alguém, tudo isso faz diferença. E eu sei que também faz diferença pra você. Precisando desabafar, estamos aqui!

    Ps: vou pra BUE mês que vem passar 15 dias e adoraria te encontrar pra um café. Como faz? Beso

    ResponderExcluir

SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .