Como eu Aprendi Espanhol

12 de mai de 2014

Falar bem espanhol é muito legal, porque espanhol é (vamos combinar) bastante sedutor (as mina, principalmente, pira). Mas cada um tem um tempo de aprendizado, há pessoas que tem facilidade para o idioma e outras não, assim como muitos conseguem falar bem e com sotaque em dois meses e outros, mesmo após anos de estudos, ainda não puxam o som.

De qualquer maneira, estando ou não em escola, a melhor forma de aprendizado sempre vai ser a prática. Não adianta ter vergonha ou ficar encabulado na hora de falar na frente de nativos, você vai ter que passar por isso para falar bem. Se você for do tipo tímido, pode ir trabalhando esse nervosismo juro que ir em psicólogo ajuda, caso contrário vai ser complicado.

Eu, por exemplo, nunca tinha aprendido espanhol além do que o Ensino Fundamental me ensinou - que era bem fraco - e o que eu aprendi em um mês de intensivo com uma professora chilena. Eu sempre odiei espanhol e amava inglês. Logo, foi mais complicado porque eu tive que me encantar primeiro, pelo idioma.

Chegando em Buenos Aires eu não entendia nada. Nem o "hola", ainda que você pense que a aula da chilena tenha ajudado, você vai notar que espanhol MUDA MUITO de um país para o outro. E foi assim, aprendi na marra mesmo, frequentando aulas em espanhol, tirando zero em gramática e ortografia, e tendo que me virar todos os dias. Mas eu aprendi a amar a língua com o tempo.

Em dois meses eu já sabia conjugar bem os verbos e como eu prestava muita atenção nas gírias, até colocava algumas no meio das frases que eu usava. Mas o sotaque era quase impossível.

Passei a ver muitos filmes e a ouvir muita música, que de fato me ajudou demais. Principalmente música, até brinco que Alejandro Sánz era meu muso, quero casar com ele professor. No primeiro ano eu conseguia cantar um dos cds dele inteiro ahahha, não que eu curta muito esse tipo de música romanticona, mas ele fala devagar e modela bem as palavras, foi ótimo para poder adentrar no mundo do castellano. Mas porfaaa, não use a língua entre os dentes.

Falar mesmo com sotaque e podendo, algumas vezes, passar por argentina só foi acontecer uns 2 anos depois. Já puxava o ll para x, assim como y também. Outra coisa que me ajudou a falar mais argentinizado foi a escutar a melodia dos italianos. Se você prestar atenção, vai ver que a música dos argentinos falando é a mesma que a dos italianos, de verdade. Não estou louca.

Outra maneira, foi indo atrás de locais que estavam com vontade de aprender português. Assim a gente trocava: metade do tempo falava em português, na outra metade em espanhol. É legal porque assim um ajuda o outro e ninguém te julga por saber mais ou menos. E ainda você se diverte.

No mais, é perder a timidez. Arriscar mesmo com cara e coragem e não se prender somente a escolas e livros que, ainda que sejam fundamentais, não são tudo. Se misturar com as pessoas é o que mais vai trazer riqueza ao vocabulário, ir ao mercado, anotar palavras difíceis e tentar incorporar as mesmas no cotidiano é tarefa obrigatória de quem quer aprender direitinho.

Existem muitas escolas que dão conversação, mas veja se vale a pena: pagar caro num grupo no qual a professora não é nativa, dificilmente, te agrega em algo. Vai te ajudar, obviamente, mas nada melhor que aprender com locais. Tente ir atrás de professores nativos, mesmo. Nada adianta, por exemplo, você aprender a conjugar o vosotros, se raramente, você vai usar a denominação. De verdade.
Talvez o que a maior parte das escolas façam de errado é isso: se afincar num vocabulário e numa linguagem que não é atualizada. Lembre-se que você tem que aprender a se comunicar bem, não a ser uma máquina tradutora com viva voz. Porque pra isso, nós temos o Google Traductor. Dale?

A seguir o modelo de ensino que me ajudou, além das aulas com locais:

- Alejandro Sanz. ÍDOLO, foi excelente. Você me ajudou demais, te juro. Até me enamoré de vos, pero vivís lejos.



- Shakira. JURO que deu maior orgulho aprender a cantar Estoy Aquí...



... e também o minuto 1:10 de La Tortura.



Shakira, volvé a ser lo que eras, porque Antologia es de las canciones más lindas que hay.



- Maná. Além das músicas serem fofas, dá pra entender tudo.



- Diego Torres. Dica da minha irmã, ela o ouvia demais no colégio e as músicas dele são amadas demais pelos argentinos. E ela ainda falou que foi ao show dele e que "ele é top" hahaha.

-

- Julieta Venegas. Quem não entender o que ela fala, tá lascado.



E JURO, você vai entender tudo de reggaeton. Só não sei se é bom...



Você vai se acostumar ao ritmo veloz - dos argentinos, principalmente - na hora de falar. Ler e escrever vai tirar de letra, porque sempre é mais fácil. Mas você vai saber MESMO espanhol quando souber diferenciar sotaques: venezuelano não é o mesmo que colombiano que não é o mesmo que chileno ou peruano ou paraguaio, boliviano, mexicano ou das ilhas do Caribe e etc. Rapidamente você vai notar que o sotaque argentino é o mais fácil de identificar de todos, mas é muito parecido com o uruguaio.

E, fundamental: você vai notar como o Brasil é uma ilha da América Latina, e um dos motivos é o idioma. Sabendo espanhol você sai pela América Latina inteira, compartilham-se as mesmas músicas e parece que há, de verdade, irmandade. Acho que espanhol deveria ter muito mais importância no ensino brasileiro.

Y todo en castellano es más lindo!

22 comentários

  1. Estava super ansiosa por este post! Eu amo espanhol, mas estou meio parada nos estudos há um tempo, tenho focado mais no inglês... mas não vejo a hora de voltar a estudar, quero ficar fluente, acho tão lindo! Vou focar nas suas dicas até não ir pra sala de aula, tem muitos latinos em NY. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu passei 15 dias em Buenos Aires fazendo um curso intensivo de espanhol (já havia estudado 3 anos aqui no Brasil). Fazia as aulas na parte da manhã, mas nada se compara a conversar com os porteños ao longo do dia, num café, num kiosko, um tiozinho numa praça... Meu avanço no espanhol "falado" se dá muito mais ao dia a dia que tive nesse período do que na sala de aula.
    PS: Antologia é uma das canciones mais lindas ever. Também me sentir muito quando aprendi a letra de Estoy aquí e também ouço muito Calle 13 para refrescar meu espanhol (no começo parece impossível entender tudo, mas é só repetir algumas vezes!) Besos.

    ResponderExcluir
  3. Oi Amanda,
    Descobri o seu blog recentemente e estou amando os seus posts! :)
    Assim como você, também aprendi muito escutando músicas e praticando com nativos (principalmente com meu marido que é porteño hehe). Hoje já falo o ll e o y como uma porteña, mas o tu (infelizmente) ainda me escapa o tempo todo!
    Concordo demais com você que o espanhol deveria ser mais ensinado no Brasil. É incrível como entram músicas americanas e européias no mercado brasileiro, mas quase nada do resto da América Latina, né?
    Descobrir que o espanhol argentino tem a mesma sonoridade que o italiano foi uma revelação pra mim também! É muito parecido MESMO!
    Parabéns pelo blog!
    Un beso desde EE.UU!

    ResponderExcluir
  4. eu, quando entrei na escola de espanhol, já estudava o idioma por conta própria, devido ao amooor que tenho pela língua. rsrs e na escola tive professor peruano, espanhol, chileno, brasileiro que estudou espanhol fora, mexicano... hahaha uma confusão de sotaques! hahaha hoje misturo um argentino com um mexicano que fica bizarro, pero me encanta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tem esse site aqui também que é bem legal! =) http://www.bomespanhol.com.br/recursos

      Excluir
  5. fazer sotaque de argentino é tão difícil, fica muito artificial! haha pelo menos pra mim, me sinto como se estivesse imitando carioca, nunca soa natural. Mas fiz um esforcinho na última vez que estive em Bs As e percebi que tive que repetir menos vezes as coisas, principalmente endereço.

    ResponderExcluir
  6. conclui o espanhol no fim do ano passado e voltei pela segunda vez a buenos aires logo depois. na primeira vez que fui nao falava nada e também por vergonha, minha mãe falava tudo. como dessa vez só eu sabia espanhol nao parava de falar com os taxistas, mesmo sem saber 100%. eles costumam elogiar seu espanhol? porque diziam que eu falava bem, rs. mas acho que, melhor que a própria escola de idiomas, é gostar muito de música latina, que é o meu caso :) Entre os argentos, ouço muito Diego Torres, Kevin Johansen, Soda Stereo, Los Piojos ^^

    ResponderExcluir
  7. Nossa, Amanda, viajei no tempo. Eu ainda amava Ricky Martin que era o equivalente do Alejandro Sanz pra mim (sim, eu tinha esperança...rsrs), Gloria Estefan e mais umas outras coisas. Eu ainda não sei diferenciar todos os sotaques da América Latina, mas já trabalheir com colombianos, equatorianos, venezuelanos, já estive na Argentina 2x (e confesso que voltaria para morar uns tempos porque o estilo de vida me encanta), já fui pra Santiago e mais umas outras experiências. Sinto-me envergonhada de ser brasileira quando alguns me dizem que admiram nosso país, a grandiosidade e sempre dizem que o brasileiro se acha arrogante, não gosta de ser latinoamericano, não toca música em espanhol na balada. Enquanto se ouve um montão de música brasileira na balada na Argentina ou mesmo no Chile. Tem tanto Reggaeton bom, poderiam voltar a tocar. Em 96, quando eu frequentava balada todo fds, tinham mais hits em espanhol. Hoje é apenas música em inglês e português. O sotaque argentino é o mais lindo ever!

    ResponderExcluir
  8. hahahah amei tb, sou argentina mas moro no brasil desde baby, meus falam comigo em espanhol, mas esse sotaque cheio de CH SH XX não funciona comigo, não saí! mas tb me sinto muito quando entendo reggaeton! hahahaha beijos querida!

    ResponderExcluir
  9. passei 3 meses na argentina e fiz o curso da UBA (español para brasileños) que foi muito legal e é um dos mais baratos que existe, além de valer por 2 níveis, pela proximidade com o português, comparado com outros estrangeiros. foi uma experiência muito legal estar aqui (ainda estou até a semana que vem e já estou nostálgico, rs) e foi bem legal ouvir dxs argentinxs que conseguem entender bem o que falo (treinei bastante corrrrientes, darrrregueyra etc rsrs), mesmo sabendo que sempre rola uma derrapada no portuñol, ainda mais numa conversa mais rápida, mas o lance é não ter vergonha, ir nas feiras e perguntar preço e ouvir os vendedores, perguntar como se chega nos lugares e até as horas, qualquer coisa serve de motivo pra puxar uma conversa. também percebi que valeu a pena essa temporada ao rever os videos do cualca no youtube (que conheci logo que cheguei e tive a maior dificuldade pra entender as piadas) e conseguir entender o que falam. tbm treinei muito ouvindo a rádio nacional (fala mais neutra, de rádio), ouvindo as músicas das bandas que o spinetta tocou (almendra, pescado rabioso) além de mercedes sosa e atahualpa yupanqui. massa tbm que estou num apê de um argentino que aluga quartos pra estrangeiros e pude conviver com um chileno e um salvadorenho, com suas peculiaridades de pronúncia e gírias.

    ResponderExcluir
  10. Amanda, minha pergunta não tem nada a ver com o post, mas preciso de uma ajuda sua.
    No dia 04 de Junho, estarei ai em Buenos Aires e vai ter jogo da seleção Argentina no estádio do River. Meu namorado quer ir de todo jeito no jogo. Ai te pergunto, é tranquilo ir nesses jogos?

    Muitoo obrigada pela ajuda

    ResponderExcluir
  11. No ultimo paragrafo você falou tudo, eu tive a oportunidade de conhecer argentinos ano passado e esse ano do peru e colombia e vi como entre eles parecias que eram estados (como aqui no brasil) e não países distindo, o Brasil é ilha hahahaha,e os brasileiros não dão valor nenhum a nuestros hermanos, que bom, tem muita coisa parecida com a nossa e que vale muito a pena conhecer.
    Eu comecei a aprende conversando com os argentinos, e agora entrei em um curso para melhorar a gramática mesmo. E com certeza a melhor opção é falando com nativos e com certeza o sotaque dos argentinos é único hahahah reconhece fácil um argentino.

    ResponderExcluir
  12. Só pra complementar, a respeito dos sotaques, o sotaque argentino é o que menos me agrada aos ouvidos por causa do "s" cortado e da pronúncia do "y" e do "ll". O mexicano é um dos mais limpos e fáceis de compreender, e o espanhol da Espanha é um dos mais bonitos pra mim, mesmo com a língua entre os dentes. Esse fonema (interdental) quando bem pronunciado não soa como "língua presa", rs... é semelhante ao "th" do inglês. Ah, e "vosotros" é muito comum na Espanha, acho que vale a pena aprender sim. Indico os filmes de Almodóvar pra quem quiser ter contato com uma linguagem mais coloquial.

    ResponderExcluir
  13. Uma vez fui falar que não sabia falar espanhol e um taxista argentino me deu uma bronca: Não hablamos español, hablamos castellano. hahahahaha

    ResponderExcluir
  14. <3 Skakira Forevaaaa - mas Antologia é de longe o melhor cd.

    Fui em fevereiro pra BAs fazer curso de moda, e deixei super pra última hora o idioma. Sempre falei inglês, achava que ia tirar de letra o castelhano, e olha .... foi MUITO dificil. Fiz algumas aulas intensivas com uma amiga brasileira professora, vi muito vídeo de costura no youtube, e mesmo assim patinei muito, não entendia quase nada quando cheguei. Fui me esforçando, passando vergonha mas falando pra pegar o ritmo e pelo menos conseguia me fazia entender! No final da viagem tava enganando melhor - o que dificulta mesmo é a velocidade e a entonação dos porteños. O engraçado é que sempre achavam que eu era portuguesa ou francesa por causa do meu sotaque. No curso haviam alunas chilenas, colombianas e venezeluanas, e todas falavam bem diferente das porteñas. Hoje em dia trabalho com uma diretora de teatro chilena, que também é outro sotaque. Ou seja, o jeito é continuar estudando e sua lista de vídeos veio em boa hora!

    ResponderExcluir
  15. Oi Amanda sobre as musicas que você aprendeu, você olhou as letras ou apenas aprendeu as ouvindo? besos!

    ResponderExcluir
  16. oi Amanda, nesses lugares q vc ia para aprender espanhol tiha q pagar mensaidade ou era de graca?

    ResponderExcluir
  17. Oi pessoal, preciso de dicas de escola de espanhol em Buenos Aires. Alguém indica? Obrigada.

    ResponderExcluir

SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .