Anuva Wines: Degustação de Vinhos Tardia

14 de ago de 2012

Amante ou não de vinho, todo mundo sabe que a Argentina é campeã na produção vitinivícola, ao lado de vários outros países. O queridinho de todos é o Malbec, paixão nacional. Semana passada fui a convite da Anuva Wines fazer uma degustação. Para tudo, sim fui convidada, morri (ainda estou me acostumando a ser convidada ahah). Anyway agora vou mostrar pra vocês como foi isso tudo, e não estranhem, gente, se eu não me lembrar de todos os nomes ou se as últimas fotos não forem tão boas. 5 taças de vinho é muito pra mim.

Começamos pela localização, numa casona de Palermo Soho, o clima é bem intimista, isso porque a casa é meio camuflada, tem que olhar BEM o número pra não se perder. Lá dentro duas mesas cheia de gente de todo o lado do mundo, nota: essa degustação foi em inglês, mas logo mais eles terão um conterrâneo pros brasileiros, ok? Enfim, primeiríssima prova foi o espumante Hom. Eu não sei se é porque eu me lembro bem do gosto, afinal eu estava bem aqui, mas é bem refrescante o sabor, meio veraneio. Legal é que a sommelier dá várias dicas pra você que assim como eu não entende muito de vinho. Uma das dicas? Pensar em frutas.


Para maridar uma torradinha com creamcheese, fatias de maçã verde e uma nozes em cima. 


Segundo passo, ainda nos brancos, um Torrontés. Branco, todo mundo sabe, cai bem com comidinha leve.... Peixe, ceviche, sushi, saladinha, grelhados. E uma coisa bem legal que a Cara, sommelier, disse é que as uvas vem de Cafayte, norte super norte da Argentina que é o novo boom dos vinhos; e essas uvas são levadas a Mendoza pra produção local. Loucura, que viagem, literalmente!


Aqui a galera ainda bem... A mesa bem posta e o pessoal é bem amigável, claro, depois de uns vinhos todo mundo é amigo e você vira rico, quer levar altas garrafas pra casa.


A Cara, tri simpática, explicando tim tim por tim tim da produção mendoncina dos vinhos e como harmonizá-los melhor. Pausa pro sotaque tudooo dele, britânico, morro.


Bueno, aqui pra maridar com o Torrontés chamado Carinae, duas provas de sorvetes deliciosos. Esse aí embaixo era de banana...


... e esse eu aaacho que era de laranja, mas não me lembro muito bem não. A Mari, do Querido, estava também na degustação e, pra ela, esses heladitos eram do Persicco (porque a variedade de frutas dessa sorveteria é ótima). E claro, vamos combinar, que entendemos mais de doce que de vinhos ahaha.


Agora vem lavada: três taças de tintos pra tentar diferenciar, gente eu juro que dou meu melhor pra sentir tudo o que tem que sentir no vinho.


O primeiro, de uvas Bonarda (bem local) era fraquinho em comparação com os outros. E por isso muita gente adota como favorito. Para harmonizar, picadas: salaminho e queijos deliciosos.


O segundo, claro, já era um pouco mais forte. E pra ser mais argentino impossível a maridagem era empanadas de Salta com Malbec. 



Último e não menos importante: o mais forte da noite. E eu aqui nem me lembro das uvas que iam, mas colei do Gustavo, do Ali em Buenos Aires, outra cia da tarde, e tinha Merloc, Malbec e Sauvignon. Só chocolate puro mesmo pra harmonizar.



No final era só festa, ou quase. Pior/ melhor é que podia repetir o vinho mais querido. Eu fui de Carinae, mas a Mari, ali atrás foi de Bonarda. Ela amou viu?


E dá pra levar pra casa! Lembrem que vocês podem transportar até 12 garrafas hein?! O que é MUITO, ou suficiente ehehe.


Isso aí gente, eu achei o máximo. A degustação é feita a tarde, 17h. Tem coisa melhor que esse horário que quase nunca a gente tem coisa pra fazer? Não né.

Pra reservar é só entrar no site da Anuva Wines, ir lá em Reservas e mandar ver no vinho. 48 dólares por pessoa, uma tarde gostosa (principalmente se está chovendo) e gente divertida. E ah, claro, se você não vai até Mendoza, Mendoza vai até você.

2 comentários

  1. Eu e meu esposo vamos em Agosto, e gostaria de participar da degustação, porém, só falamos o português. Eles já possuem sommelier que fala nosso idioma, ou apenas Inglês?

    ResponderExcluir

SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .