Caracas: Arepas, Bebidinhas e um Bofe que não Rolou

25 de out de 2013

Vou fazer esse post diferente. Tem uns lugares que ficam marcados por encontros desastrosos, né? O de hoje foi assim. E vamos ver se rola: vou misturar uma história (real, minha) com a descrição do lugar. Começamos no bar Caracas.

Eu tinha ido umas semanas antes ao bar Puerta Roja, em San Telmo. Puerta é tipo desses bares que você vai para beber muito, lotado de gringo, que nada é bom, mas a música e o ambiente são legais. Lá eu conheci o José (nome fictício). Cara gaaaaaaaato, peloamor. Me lembro que ele ficou olhando a noite toda e não chegou (como sempre). Até que do nada ele vem falar comigo, me cumprimenta, só pega meu celular e vai embora. Cara doido. E do nada, também, antes de ir embora passa por mim e diz ''Me vine a despedir, y te dejar un beso.'' Gente, como argentino é complicado. Mas vai.

Nisso, trocamos mensagens e combinamos de sair na outra semana e ele sugeriu o Caracas. Um bar venezuelano que tá meio que bombando aqui agora, recentemente foi reformado e é ótimo pra quem ama arepas.


Eu já tinha ido ao Caracas antes, mas estava bem diferene, meio morno. Cheguei lá e o bofe já tava. Lindão: camisa de linho branca (todas morre), calça jeans meio rasgada. O que chamou atenção nele foi o corpão. Argentino tende a ser magro e baixo, esse era alto e forte. Jurava até que quando o conheci no Puerta ele não era argentino.


Conversa vai, conversa vem, ele me falou com o que trabalhava, eu também. E ele ainda resolveu pedir arepas, juro que não foi minha ideia. Tipo, não coma arepas numa cita (encontro amoroso em espanhol). Mas enfim, pedimos. Eu fui de uma que tinha peito de peru com queijo, deliciosa nem comento do medo que eu estava de estar com os dentes sujos e de comer com a mão. E ele foi de carne.


No entanto, foi engraçado. O ambiente estava bem tranquilo para uma sexta a noite e não haviam muitas mesas cheionas. Na parte de cima, sim. Caracas tem um terraço bem delícia pra quem quer ficar zanzando por lá a céu aberto.


Mas numa primeira cita, tem que pedir drinks né, senão nada vinga. Daí nos sentamos na barra. Entendida que sou - ou não muito - expliquei alguns tragos pra ele, ele pareceu se interessar. Mas eu acho que aqui ele já estava meio que borracho, acho que ele tinha tomado algo antes que eu chegasse. O bartender olhava pra mim e ria, aliás, ele era de Caracas mesmo.


Ele pediu uma caipirinha. Que não estava lá aquela coisa de delícia, mas salvava.


E eu fui de um drink que tinha maracujá e rum.


Já a essa altura eu estava mais curtindo o bar que outra coisa. Argentino fala muito e ele não parava de contar sobre as viagens dele. Pode até ser que ele estava meio borracho e perdeu a linha. Mas enfim, ele era tão gato que acabei ficando com ele. Depois disso, no outro dia ele mandou mensagem dizendo que tinha adorado a noite. Perguntou como eu estava, eu respondi, e depois disso ele nunca mais falou comigo. E se falou eu não sei, fui assaltada e mudei o número de cel.


Mas eu curti o Caracas, adorei a reforma que eles fizeram. A música gente, é uma delícia, meio caribeña, sem ser reggaeton e de um ritmo que eu não identifico e não tirei o Shazam da bolsa pra não ficar vendo cel enquanto tava com o carinha. Hhiihi.

Caracas Bar
Guatemala 4802, Palermo Soho.
www.facebook.com/CaracasBarBA
Nessa noite gastamos 400 pesos os dois, com gorjeta. As arepas era bem grandes e não consegui comer inteira, talvez dividindo seja melhor.

12 comentários

  1. Conta isso melhor! Como você foi assaltada? De repente ele tentou falar contigo e não conseguiu, rs. adorei o post! Quando tinha a sua idade fui pra Buenos e conheci um argentino desses. Que história parecida, rs. Um dia conto. Boa sorte com os bares e com os porteños (eles falam muito de si mesmo, não é?) beso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah pegaram meu cel e sairam correndo, bando de gente que não tem o que fazer...

      Excluir
  2. Adorei o post,bar super bacana.E agora,e se ele te ligou? rs como os porteños acreditam muito em destino,espero que você voltem a se ver de novo,por obra do destino rs,bjs,em novembro estarei aí :)

    ResponderExcluir
  3. "Os portenhos acreditam muito em destino" - exatamente Dhebora! Um argentino que eu tava de me esbarrar por aí num show quiando eu perguntei como a gnt ia fazer pra se achar já que n tinha wi-fi lá ele disse: ah, mas a gente vai se encontrar. Afff, fiquei louca, mas o pior é que o destino fez a gente se achar mesmo, no meio da multidão. O que dá um certo encanto pras histórias com os argentos, hahahha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahahahaha é vero! destino... me poupe, AJUDE O DESTINO ahahah

      Excluir
  4. Kkkkkkkk tenho certeza que tentou te responder, na moral!

    ResponderExcluir
  5. Amanda achei seu blog demais!!! Estava no google "caçando" coisas novas p fazer por ai e tive a suerte de encontrar o Buenos Aires para Chicas :)
    Estive no caracas no começo do ano passado, e achei o ambiente mais gostoso que os "hermanos" que estavam por la rsrsrs
    Agora quanto sua historia... espero que o destino te ajude,isso eh, se vc quiser ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahahaha <3 olha, eu curti, mas não morri de amores não ahahah.

      Excluir

SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .