Cosas de la vida...

26 de fev de 2013

Conheci a Nadja pelo extinto blog fofo que eu tinha, o Feels. Num dos encontrinhos que eu fiz ela apareceu por lá. Aliás, eu já lia os textos super engraçados que ela faz no Se Vira nos Quase 30. Ela mora há muiiiito tempo aqui e com isso adquiriu uma certa manha na hora de falar com argentinos. Eu JURO que no dia que a conheci pessoalmente me matei de dar risada. Hoje ela vem aqui no Chicas contar um pouco das histórias dela de xaveco porque eu sei que vocês AMAM um bapho.

A Amanda me pediu para escrever um post sobre histórias de xavecos argentinos que eu juntei nesses meus 10 anos de Buenos Aires (e ficarei no 10 mesmo porque em breve volto pro Brasil, podem botar mais água no feijão). Senta que lá vem a história! UHUU, todas comemora.

Cheguei aqui com 22 anos e solteira, o que só deixei de ser aos 28 – quer dizer, ainda sou solteira, mas aos 28 comecei a namorar, o que fez a minha empregada da época comentar "finalmente, senhorita!" (nossa, eu batia nela ahahah). Então foram mais de seis anos de baladas portenhas e outras situações abertas ao xaveco, e gente, eu já ouvi cada uma...

A mais comum das aproximações: pessoa começar a "falar português" com você. Coloquei entre aspas porque a maioria deles não fala mas acha que fala, assim como a maioria dos brasileiros não fala espanhol mas acha que fala (e tem gente que grita achando que o outro vai entender mais ahaha). No começo eu dava a maior atenção e abria um sorrisão quando um argie (assim me refiro aos argentinos) vinha e dizia coisas como "eu falA português", "cerveXinha", "oi, garota!" ou quando contavam que já tinham ido ao Brasil (BúCios, Camboriú e Florianópolis são os campeões, com um Rio de Janeiro de vez em quando) ou que tiveram uma namorada brasileira – mesmo que o que eles chamam de “namorada” tenha sido um amor de verão em “Bombiñas”. Mas depois da 197ª. vez ouvindo a mesma coisa... eu fazia uma cara de "tá bom, então" e saía andando!

Alguns são mais originais. Um já disse “ei, garota, eu sou um franguinho maluco!” (OIIIIII?) quando eu falei a minha nacionalidade. Outro começou a cantar “vocêêê abusoooou/Tirou partido de mim, abusooou” – música que aliás só vim a conhecer aqui, acho que ela é mais famosa aqui que no Brasil. Ainda na linha musical, teve um rapaz que se aproximou sorridente, me pegou bem galante pela cintura, chegou pertinho do meu ouvido e: “Maradona es el más grandeeeee/ Es más grande que Pelé", parte de uma bonita musiquinha que eles cantam para nós no futebol. Afff ahahaha.

Infelizmente tem uns que passam dos limites quando ficam sabendo que somos “garotas” – aqui a gente costuma perder um pouco da nossa identidade porque SEMPRE acabam nos chamando de “garota”. Maldita Garota de Ipanema. Teve um médico que, enquanto me examinava e eu estava de sutiã, me perguntou se era verdade que as brasileiras eram mais "liberales" - isso depois de me perguntar se eu tinha namorado, marido ou algo e, quando eu disse que não, responder "é, as brasileiras não namoram, né?” Uma amiga minha teve que ouvir um respeitável senhor perguntar se podia apertar a bunda dela, no meio da rua, assim que ela disse que era brasileira. Legal, né? Tou boba.

Mas nem todos são assim desastrosos. Primeiro que tem muito homem bonito aqui (muuuuitooooo), e isso já ajuda a gente a ficar mais tolerante com xavecos furados. Segundo que alguns são muito charmosos, e mesmo essas coisinhas faladas erradas podem causar ataques de fofurice na gente - a não ser quando você escuta a mesma coisa quinhentas vezes, porque aí não há fofura que resista.


No fim eu acabei ficando com o que menos me xavecou – na balada em que nos conhecemos, os amigos dele fizeram o “trabalho sujo" de perguntar de onde eu era, fazer gracinha, etc etc - ele, timidinho, só olhava, eu que tive que deixar bem claro qual era o escolhido da turma. Cosas de la vida...

Amei, Nadja! Há esperança ahhaha.
Se vocês quiserem seguir os conselhos e posts da Nadja é só acompanhar o blog dela, o Se Vira nos Quase 30 ou  facebook :)

12 comentários

  1. O que eu mais ouço é argentino falando que brasileira é fácil,meu deus,como é possivel,teve amigas minhas que mal chegaram e já foram rotuladas de fáceis,mais também tem alguns que são tão engraçados que você acaba levando pro lado bom,já que eles são umas gracinhas jaja

    ResponderExcluir
  2. Uauuuuuuuuuuuu Nadja carambaaa vc conseguiu ficar tanto tempo sem namorar????? poxa e ainda conseguiu namorar um argentino?? sera que eu ainda tenho chances/? ahahahahha pretendo morar em bsaires dentro de 3 anos...ah a proposito, tenho 34..kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    os ataques de ""fofurices foi a melhor"" realmente.....axo que as vezes o legal no começo ...com o passar do tempo acaba ficando muito chato...e metodico...parece que quando vem um argentino querendo chavecar...vc ja ate sabe as frases faladas, repeditas...ahahahah poxa otima sua historia....AMANDA continue postando...as historias das amigas chicas....pois isso nos ajuda bastante..jejejej

    ResponderExcluir
  3. Mais, mais, mais, quero mais! :) Adorei, Nadja & Amanda, essa parceria bem que poderia se estender pra outros posts, né?
    Posso fazer uma sugestão? Brasucas vs Arrrrgentinos na paquera/namoro. Como eles se comportam? Acho que a gente ia amaaaaaar! E Nadja, acompanhava o Se Vira nos quase 30 e me divertia horrores. Seja bem-vinda de volta ao Brasil (dpois quero saber o que a fez tomar essa decisão!) Ufa, escrevi demais! Besos, garotinhas, haha! :)

    ResponderExcluir
  4. hahahahahah nadja <3
    o único argentino que eu fiquei desde que cheguei aqui (porque de cara me enganché con un brasuca visteeeee) me contou de cara que era uruguaio (!). só no dia seguinte, quando eu não queria mais nada com ele, ele me manda uma mensagem dizendo que mentiu, que na verdade era um típico morador de lomas de zamora. nunca vou entender porque ele fez isso!

    ResponderExcluir
  5. hahahah “Maradona es el más grandeeeee/ Es más grande que Pelé"
    mas é engraçado gente! eu levei na brincadeira e disse: noo, Pelé es mas grandeee!
    Não chegou ennhum argentino me achando fácil ou indo "pra cima" quando disse que era brasileira! Todos conversaram bastante até quando não gostava, saia com as friends e deixava o boludo de lado haha
    Mas 10 anos, é muita história pra contar!! rs
    Essa do médico me deixou com medo :S

    Nadja seja bem vinda de volta ao brasiiiil :D Também quer saber o motivo da decisão :)
    Bjs meninas

    ResponderExcluir
  6. Ahahahahhaah lendo isso, lembrei da primeira vez que saí em Bue com uma amiga argentina, com direito a previa e tudo... na previa os chicos chegaram mais tarde, e quando me viram ao invés de virem conversar comigo ou só cumprimentar, a primeira coisa que fizeram foram encher o saco com a história de Pelé x Maradona, com essa musica ali. Eu nem gosto de futebol, na verdade não me importo... como sou metade argentina (meu pai é argentino, mas sou brasileira) quase tenho um treco quando falam mal de argentinos, mas ali não entendi a atitude deles e achei bem nada a ver ficarem pegando no meu pé um tempão por conta disso... ainda mais que mal acreditaram que eu era brasileira por não ter sotaque. Maaaaaaassss... já no boliche, um dos chicos veio falar comigo, papo vai, papo vem, ele tentando ficar comigo e eu me fazendo um pouco de difícil, mas caí na lábia de um deles, sendo que a primeira vez que escutei o: "te como la boca" e o "te parto en mil", soou meio estranho hahahahaha mas acabei ficando com o tal chico, depois que ficamos ele tipo some, sim, sumiu com os amigos dele e quase não o vi mais. Fim. Hahahahha Acho esse acontecimento estranho até hoje, e pelo o que eu li nos outros posts do blog é normal esse tipo de coisa. Bom, quem sabe da próxima não dou mais sorte né? hahahaha ainda assim, continuo apaixonada por argentinos!
    Escrevi demais!! hahahaha mas vale por mais uma história! haha

    Besitos!

    ResponderExcluir
  7. hahahah Gabi, mi rachei de rir com seu comentário. Que babado ele sumir assim, depois de taanto investimento... estranho hein?
    mas essa musiquinha eu até então não conhecia tambem não me importo com futebol, mas defendi o ídolo do futebol brasileiro na brincadeir né, afinal boliche tudo é uma bagunça rs
    Conheci dois argentinos, os dois foram bem simpáticos, rs...
    Fico mega surpresa quando vejo os comentários aqui falando dos chicos argentinos, me livrei hein?! hahahah

    besos chicas :P
    Damares Patrícia

    ResponderExcluir
  8. Meninas, obrigada a todas pelos comentários! Que bom que gostaram do post!
    Eu vou embora porque, para mim, Buenos Aires já deu o que tinha que dar! São 10 anos, já trabalhei, já fiz um monte de coisa, já arranjei namorado, agora é hora de dar uma guinada na vida. Além disso, a situação econômica e política daqui está incerta demais para mim, então é como disse uma amiga que morou aqui muitos anos e voltou pro Brasil: bagunça por bagunça, eu fico com a minha!

    Quanto ao post, pois é, eu demorei pra namorar, mas acabei arranjando um belo rapagão, aliás um dos poucos argentinos altos que eu conheci! hahahaha

    Espero voltar a escrever aqui me breve, ou qualquer coisa passem lá no www.seviranosquase30.blogspot.com (não tem muito post de Argentina, só este: http://www.seviranosquase30.blogspot.com.ar/2012/04/la-vida-es-un-tango.html sobre expressões que se usam aqui, e esse sobre galãs argentinos: http://www.seviranosquase30.blogspot.com.ar/2012/06/pode-ser-o-que-for-mas-como-tem-homem.html Beijos a todas

    ResponderExcluir
  9. Meninas, acho que essa parte de sumir depois que fica na balada acontece aqui no Brasil também! Eu conheci uns argentinos numa previa que fui com umas amigas argentinas e meu irmão, brasileiro. Eles foram beem respeitosos talvez pelo fato de estar acompanhada pelo meu irmão, um deles até perguntou para o meu irmão se ele não tinha ciúmes hahahhah... Mas, enfim, eles me perguntaram se eu tinha namorado, falaram que Maradona era melhor que o Pelé, e, SE EU PREFERIA OS BRASILEIROS OU OS ARGENTINOS e acho que para decepção deles respondi: PREFIRO OS BRASILEIROS, GOSTO DE HOMENS FORTES HAHAHHA mas mesmo depois da minha resposta um deles pediu para minha amiga argentina vir falar pra mim que ele queria me beijar hahahhaha e o que me perguntou se eu preferia os brasileiros ou argentinos fala sempre comigo pela net e está ancioso para que eu volte (pelo menos é o que ele diz). Enfim, não fiquei com nenhum deles, porque não me atrairam mesmo espero que eles tenham percebido que não somos tão fáceis assim =]

    ResponderExcluir
  10. Ri mtooo nesta parte: ""eu falA português", "cerveXinha", "oi, garota!" ou quando contavam que já tinham ido ao Brasil (BúCios, Camboriú e Florianópolis são os campeões, com um Rio de Janeiro de vez em quando) ou que tiveram uma namorada brasileira – mesmo que o que eles chamam de “namorada” tenha sido um amor de verão em “Bombiñas”."

    Tão tãooo familiar! Aqui no verão tem taaanto hermano que em alguns momentos dá até para esquecer que estamos no "Bracil"!

    ResponderExcluir
  11. eu sempre dou boas gargalhadas com seus posts Amanda. Esse foi 10!

    ResponderExcluir

SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .