Um Empurrãozinho

31 de jul de 2013

Acho que é fase, mas estou tendo muitas conversas - sérias - com amigas. Uma não sabe se mudar de cidade, a outra de trabalho, a outra de país. Uma não sabe se sair da casa dos pais e a outra não sabe se casa ou não.

Tomar decisões assim, importantes, requer tempo e coragem. Viver no limbo é que não dá. Mas, acredito, que a melhor forma de decidir é se mantendo firme na hipótese de que, exceto uma coisa na vida, nada é infinito. Quando eu digo que morar em outro país é uma escolha diária, eu não brinco. Eu (pelo menos) vivo numa montanha russa incessante de querer ir embora pra casa, querer ir para outro país e querer ficar aqui. E aceitei, por enquanto, que isso vai ser assim até eu realmente ter algo que me prenda de verdade em algum lugar.


Pensar que nada é para sempre, de certa maneira, reconforta. E se você não acredita só nos teus pensamentos, basta pedir um empurrãozinho: talvez ouvir uma música legal, ajude. Além de falar com aquela amiga que sempre te dá uma mão.

Da minha parte posso dizer que viver em outro lugar te dá aquela experiência que nada mais te fornece. Mas entendo que nem sempre é fácil decidir. A única sugestão prática que eu penso é sempre ter um dinheiro para uma viagem de emergência (acredite que saber que você tem como voltar para casa não importa o que aconteça é, no mínimo, um alívio). Segue aqui então uma lista com músicas que animam e que te fazem viajar.










Fuerza.

8 comentários

  1. amandita, esse post foi providencial para mim. tô nums vida de amante com bsas desde que me entendo por gente: moro no brasil, nas férias vou pra bue, dou escapada de fim de semana pra bue e assim vai. tipo amante mesmo, que não assume relacionamento, diz que vai largar o casamento, que o casamento tá ruim etc., rs.

    acontece que esse ano é o ano do "ou vai ou racha". já tô com passagem comprada e tudo e não posso mais fugir. viver nesse medo não dá, esse medo de não dar certo, de julgarem minhas decisões... mas vou com essa dica tua: sempre com um dinheirinho guardado caso haja uma emergência.

    beijos, querida! =)

    ResponderExcluir
  2. Oi Amanda.
    Quando eu tinha acabado de fazer 18 anos, me mudei de país. Fui para a Alemanha ser Au pair (um espécie de intercâmbio com trabalho onde você cuida das crianças de uma família em troca de uma mesada). Foi bem legal, aprendi alemão, fiz tantos amigos argentinos e colombianos que melhorei meu espanhol. Só cuidava de um menino de 11 anos e a família me tratava como se eu realmente fizesse parte da família deles. Meu ano acabou, voltei pro Brasil. Tinha prazo de validade, Au pair na Alemanha é só por um ano. Passei um ano viajando, fazendo amigos, conhecendo gente que eu jamais pensei que iria conhecer e tive que voltar. Isso me fez me sentir meio frustada, triste. Voltei pro Brasil e a vida dos meus amigos já tinha andando, a maioria estava namorando, outros casando. Me senti pra trás de novo, e ao mesmo tempo, meus amigos que ficaram na Alemanha também seguiram com a vida deles. Aí resolvi me mudar para Buenos Aires. Que era onde estava meu pensamento esse tempo todo. Amo a cidade, amo a Argentina. Mas de vez em quando ainda fico pensando, como seria se eu tivesse sido Au pair em outro país? Será que eu teria conseguido viver com uma família tão bacana quanto a minha família alemã foi? Fico me perguntando se é mais importantes construir laços para depois deixar, ou se fixar em um lugar?

    Desculpa pelo comentário longo em tom de desabafo. Mas quero dizer que entendo bem as tuas angústias sobre viver em outro país.

    ResponderExcluir
  3. Oi amanda! Mi nombre es Cinthia y soy Argentina. Al revés de lo que vos hiciste, te cuento que hace dos meses deje Mi Buenos Aires querido y me vine a vivir a Fortaleza, al nordeste de tu querido país :), por trabajo, por aventura, por el afán de querer vivir algo nuevo ... Esa "saudade" que me da ver fotos de mi querido San telmo, ver un Latitud 33 en los supermercados o simplemente hablar com mis papás, es indescriptible.. es como vos decis, siempre estas con esas ganas de volver a casa, quedarte acá o irte a otro lado. Te leo siempre y me encanta verte descubrir lo bueno y lo malo de mi ciudad.. sin duda, las palabras de Jason Mrz : "In life you are gonna go far, but if you do it righ, you´re gonna love where you are" me suenan siempre! Cariños! Disfruta de um rico alfajor por mi!

    ResponderExcluir
  4. E o Meu empurrãozinho foi esse post.
    Muito Obrigada Amanda. Nos vemos em Buenos Aires. =)

    ResponderExcluir
  5. Insatisfação faz parte e acho saudável sentir. Desconfio de pessoas cem por cento satisfeitas. Também faço parte do time!
    P.S. Oasis e Strokes é muito amor!♥♥♥ Obrigada por alegrar meu dia cansativo.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. obrigada pelo post =)...estou em um momento exatamente assim... dúvidas e mais dúvidas sobre ir ou ficar... a decisão não é fácil... mas, a dúvida por não ter tentado também não é legal.

    ResponderExcluir
  7. Amanda, fiz um outro comentário no seu post sobre viajar sozinha... O meu momento tem tudo a ver com isso que tu falou. São muitos pormenores envolvidos. Até te pedi pra me mandar um email. Existe tempo na sua vida pra isso? huehuehue

    Obrigada, de qualquer forma, por esse blog lindo que tem me ajudado numa tarde de seca aqui em Brasília, onde tudo parece super parado, e eu sei que cabe a mim movimentar. Ai ai ai!

    ResponderExcluir

SUBIR
Buenos Aires para Chicas . Todos os direitos reservados. © Maira Gall .